11
Jan 2018
Chora Que Eu Te Escuto
Chora Que Eu Te Escuto

Ontem a correria foi intensa então não consegui postar o Chora! Mas hoje vai!

Foi!

Vem!

Chora 01 – Leia

Olá Cony! Apenas para constar, amo o blog, acompanho há anos! Parabéns pelo trabalho! Vamos ao chora: Sou advogada, tenho 27 anos, e um emprego relativamente estável. Olhando minha vida, eu não tenho um grande problema, um drama passível de discussão. Mas olhando com atenção, ela como um todo, parece que nada está completo sabe, está tudo “maomenos”. Quando eu era nova, tiver vários namorados, mas nos últimos anos, minha vida amorosa está mais parada que água de poço, antes eu não tinha nenhum problema com autoestima, sempre soube que não era a pessoa mais linda do mundo, mas me aceitava bem como eu era. Aconteceu que eu engordei, uns 20kg, e isso atingiu demais a forma com que me vejo. E o pior é que, eu sei que se, esse é o problema, eu preciso me regrar, cuidar minha alimentação, fazer exercícios físicos, mas eu simplesmente não consigo!!! Já comecei e parei esse novo “estilo de vida” umas 500 vezes. Outra coisa que mudou foi que, eu sempre gostei de sair, estar com pessoas, rir, mas de um tempo pra cá só consigo pensar em chegar em casa e ver netflix. Salvo engano, a última vez que tive um namorado foi há mais de 05 anos. Tentei me aventurar no tinder, até sai com uns caras, mas não adianta, não é do meu perfil essa forma de relacionamento. Moro em uma cidade pequena, e aqui todo mundo me conhece, então, por conta da minha profissão, não posso nem sair e encher a cara pra extravasar. E pra ajudar, não tenho amigos. Quer dizer, eu tenho, mas não morram na mesma cidade que eu, então não tenho parceria pra nada. Eu até tento me motivar sabe, pensar que em algum momento as coisas vão melhorar, mas isso já faz tanto tempo que estou perdendo a esperança. Ano que vem vou fazer a minha primeira viajem internacional sozinha, decidi não depender de ninguém pra nada, mas nem viajar me motiva mais. Nem vou me aprofundar no drama familiar que vivo, mas de forma resumida, moro sozinha, meus pais são separados e moram em outras cidades, mas ambos são complicados, com dramas enormes, e, aparentemente, eu sou a única pessoa capaz de solucionar os problemas deles. Enfim, tentei resumir tudo, pra vocês entenderem que, não tenho um GRANDE problema… mas nada está legal, nada está como eu pensei que estaria nessa fase da vida. Mais alguém se identifica comigo? Estou a algum tempo pensando que estou deprimida, será que estou? Devo procurar ajuda profissional? 

Miga, você está deprimida sim. Procure ajuda. Essa falta de vontade de fazer as coisas, é um sinal bem claro que tá rolando uma depressão. Realmente não existe um GRANDE problema, existem pequenas coisas te chateando mas acho que são contornáveis! Olha só: peso a mais – malhar e fazer dieta. O difícil é começar mas comece AGORA, caso contrário esses 20kg vão virar 25, 30, 40 kg a mais! Eu tô com 8 kg a mais e ontem dei o start na dieta, porque se deixar, o peso só vai aumentando. E outra, estar acima do peso diminui sua auto estima, consequentemente, tira a vontade de se arrumar, seja para sair seja para tentar um relacionamento. Lembre-se, quando a gente está bem internamente, isso transparece em atitudes positivas e as coisas/pessoas acontecem. Só nessa de começar a se cuidar já resolveu três coisas: perder peso, aumenta a auto estima, e aparece a vontade de sair e conhecer pessoas. Outra coisa, seus amigos moram em outra cidade. Miga, se organiza e vai passar os finais de semana na cidade dos seus amigos! Você tem emprego estável e se mantém sozinha, então vai visitar eles! E outro problema resolvido, numa cidade onde não te conhecem, você poderá extravasar. Tudo tá “fácil” mas tem que sair de você essa vontade de mudar as coisas. Ninguém vai entrar na sua casa do nada, pegar pela mão, te emagrecer, te levar pra sair, te namorar. A porta tá aberta sabe? Levanta e sai!!!! 

 

 

Chora 02 – Rey

Oi Cony! Segue meu chora sem enrolação. rs Então, casei aos 22 anos e hoje estamos há 7 anos juntos. É um cara por quem tenho muito respeito e amor. Nos damos bem em praticamente tudo. Ocorre que, atualmente, tem batido em mim a vontade de viver outras coisas, conhecer outras pessoas. E o pior: eu conheço caras e logo fico a fim, imaginando como seria ficar com eles, desejo de flertar, etc. Me sinto péssima sobre isso e uma culpa enorme quando olho pro meu marido lindo, que pensa que tá tudo muito bem, confia muito em mim e espera passarmos o resto da vida juntos.

Já li naquele blog que você comentou um dia desses que isso é uma velha história: aquela que casou jovem e passa uns anos bate o siricotico de querer aproveitar o que não viveu. Tenho muito medo de tomar uma decisão precipitada, mas isso já vem martelando na cabeça há alguns meses. Queria perguntar a você se isso é normal, ficar a fim de outras pessoas sendo alguém casada, se o melhor é terminar tudo e machucar meu marido, ou se tenho que tomar vergonha na cara e me controlar, aceitar minhas escolhas.

Peço orientação sua, que já foi noiva, tem experiência e sei que vai ser bem dura comigo. E das leitoras também, as casadas principalmente. Podem falar! Sejam sinceras comigo. Obrigada desde já! 

Nega, cria vergonha na cara, ajoelha e agradece por ter um marido bacana. A vida solteira é muito boa, mas achar alguém que REALMENTE vale a pena e que quer dividir o resto da vida com você, é quase raridade hoje em dia. Sim, já fui noiva mas terminei porque não dava certo. Se tivesse dado certo, estaria casada e curtindo a minha escolha. Cuidado para não concretizar esses desejos e trair seu marido. Depois dá uma merda gigante e você vai se arrepender… Acredito que é uma fase e logo vai passar, já que você reconhece as qualidades do seu bofe. Tá autorizada a flertar mentalmente por enquanto, mas não leve isso pra vida real por favor. Valorize o que tem, e acredite, ter uma aventura apenas por ter, para matar vontade e arriscar um casamento bom, é muito perigoso e com altas chances de você perder tudo o que tem de bom hoje. Vai por mim, sossega a periquita.

 

 

Chora 03 – Padmé

Oi Cony, tudo bem? Sinta todo meu carinho por você, pelo que você representa para nós, pela força e pela proximidade!

Seguinte meninas, estou com meu marido há quase 10 anos, sendo 01 de casada. O que se passa? Eu não sei se estou feliz neste relacionamento, às vezes me sinto sufocada, com tanta, mas tanta vontade de conhecer coisas novas, de ter novas experiências, conhecer pessoas novas. Aquele friozinho gostoso na barriga sabem? Já me peguei pensando: Será que tenho a síndrome do peter pan, por isso não me aqueto hahahaha, mas aí chego no meu querido “eu não sei de nada”, não sei nem ao menos se me conheço, se me perdi dentro do relacionamento e não reconheço mais, se estou acomodada. São tantos “se”.

Outro ponto que pesa na minha relação é o ranço que eu tenho da minha sogra, não faço questão nenhuma de me dar bem com ela, nem ela comigo, não temos nada em comum, meu marido sabe disso, mas finge que tá tudo certo… Minha sogra sempre tenta passar a imagem de que tomei o lugar da única mulher que existiria na vida do meu marido (ele é filho único), só de pensar em passar alguns dias com os pais dele, em especial com a mãe, eu fico extremamente irritada. Eu sei que é mãe e tudo mais, mas…. Tem dias que quero me separar. Tem dias que tenho medo. Às vezes penso que estou acomodada, outras vezes penso que seja uma fase. Gente, tô muito doida? Não tenho migues com experiência de casada para trocar figurinhas. Vamos conversar sobre essa inquietação que bate e não sabemos para onde ir? Quem mais tá perdida por aí? O que fazemos? Terapia? Yoga? Cony, obrigada!!!

Hoje é o Chora das casadas mesmo rsrsrsrs. Miga, cê casou com seu marido, não com a mãe dele. Não se dar bem com ela nem deveria ser pauta de preocupação. É totalmente contornável e normal. Ruim seria se ela morasse com vocês, mas não mora, então, engole esse sapo e bola pra frente. Agora uma coisa que aprendi depois de ter namorado praticamente a vida toda: tem que ter um tempo de loucura solteira SIM. Justamente para não ficar nessa de “eu poderia ter aproveitado mais minha vida”. Eu fiquei um ano na loucura desenfreada e prefiro nem comentar o que aprontei, chegou uma hora que cansei, que vi que tinha chegado e conhecido todos meus limites, conheci MUITAS pessoas, frequentei os mais diferentes lugares, fiz o que quis e pronto. Vivi meu lado B sabe? E isso é super necessário para todas as pessoas. Eu prefiro me arrepender das coisas que FIZ do que NÃO FIZ. Obviamente não dá para ficar nessa o tempo todo, mas é bom conhecer coisas, pessoas, situações mesmo porque ajuda a gente na escolha, a saber o que realmente queremos. ENFIM, isso tudo pra te dizer que não sei como te aconselhar porque nunca fui casada e seu caso é diferente do da menina anterior porque ela tá felizona com o marido dela. Leitoras casadas, ajudem!

  • Choras FECHADOS! E sim, ontem assisti pela primeira vez um Star Wars. Não gostei (e não me julguem rs)
61 Comentários
  1. #1
    Renata Castro
    11.01.2018 - 16:03

    Cony, além dos seus conselhos (sempre tiro alguma coisa boa pra minha vida), amo essas mensagens que você coloca depois de cada chora!!

    Bjos

  2. #2
    Phoebe
    11.01.2018 - 16:10

    Sou a Phoebe de um chora muuuuuuito antigo!

    Engraçado que já passei por todas as situações, então acho que posso comentar nesse post:

    1) Leia, acho que vc pode estar deprimida sim. Acontece que hoje em dia tudo vira depressão, vc vai no psiquiatra e ele te entope de remédio. Eu já tomei e engordei 10 kg em um ano.
    O conselho que te dou é ir no psiquiatra para te dar um primeiro empurrão, mas o remédio não é a solução de tudo. Ele é só uma ajuda. O que me ajudou mesmo foi ir pra academia. No início eu detestava, mas também não gostava de ficar em casa, e ir interagindo com as outras pessoas me fez bem.
    Outra coisa: hoje em dia as pessoas estão viciadas em açúcar e carboidratos (digo açúcar oculto) e esse vício acaba gerando desânimo, falta de energia e engorda. Leia um livro que chama “Chega de Açúcar” da Sarah Wilson. Ela estava como vc e mudou a vida dela. E eu também.

    2) Rey, eu não tenho vontade de agarrar todo mundo, mas às vezes penso o que eu faria se tivesse solteira. E acabo viajando nesses meus pensamentos. Acontece que eu já tive minha fase de solteira, já tive a fase da loucura e a fase normal. Tanto boy lixo por aí.. é aquela coisa: o ser humano nunca está satisfeito com o que tem.
    Quando tenho vontade de experimentar novas coisas, lembro o quanto meu marido é bom e o quanto ele me faz bem e não merece sofrer. Além disso, temos vários projetos juntos e eu quero de verdade ver todos eles se realizando. E acho que nada no mundo supera o prazer de ver vc conquistando o que sempre sonhou e tendo uma vida juntos.
    Quando eu começo a achar crushes por aí, lembro do quanto ele é bom pra mim e logo logo me lembro o quanto sou apaixonada por ele e sou feliz por tê-lo comigo.

    3) Padmé, também tive sogra chata e sei que não é fácil. A minha intrometia em tudo, ia comigo em todos os lugares (viagem, cinema, restaurante) e eu terminei meu relacionamento antigo porque não aguentava mais a situação. Acontece que meu ex defendia a mãe e não sabia colocar um limite para ela em nossas vidas. Isso foi me cansando até que não aguentei mais, até porque ela criava várias intrigas e o filho ficava sempre do lado dela. Se sua sogra é só chata e seu marido vale a pena, se eu fosse vc conviveria com ela apenas nos momentos inevitáveis (Natal e aniversários) e tenta ver se o filho sabe colocar ela no lugar dela e manter ela distante da sua casa. Se ela não se intromete, acho que vale respirar fundo e seguir adiante.
    Na verdade, se eu fosse vc avaliaria se vc tem bode dela ou do filho e coloca a culpa nela. Nada que não seja contornável..

  3. #3
    Ana
    11.01.2018 - 16:14

    Como casada que já passou pelo que vc tá passando Rey, ratifico o que a Cony disse. Se seu marido é maravilhoso como vc diz, vc tirou mesmo a sorte grande, a borboleta no estômago de uma aventura não paga a perda do seu marido não.

  4. #4
    Phoebe
    11.01.2018 - 16:19

    Minha resposta vai pros Choras 2 e 3, porque sei EXATAMENTE o que essas meninas estão passando.

    Então, Rey, assim como você, também me casei muito cedo, com 18 anos. Meu marido era um cara INCRÍVEL, amigo, parceiro, confiável, dedicado, enfim… marido maravilhoso.
    Todo mundo sempre me dizia que o fato de casar cedo demais um dia ia pesar pra mim, e eu nunca acreditava.. achava que eu seria diferente. Até o dia que pesou.
    Depois de 9 anos de casada, comecei a murchar. A vida foi deixando de ser colorida neon, pra ficar meio em tons bebê.. depois disso, ficou em tons de sépia.
    Eu me via assim mesmo, com vontade de flertar, de conhecer gente nova, de ter novos primeiros beijos, primeiras transas…
    Como era um casamento super estável, e meu marido era uma pessoa maravilhosa, achei que era uma fase, que iria passar.
    Mas o tempo foi passando, e a fase, não. Chegou um dia em que a vida ficou cinza.
    Comecei a conversar com várias pessoas sobre isso, ler muito sobre casos semelhantes… e todos diziam que seria uma fase, que passaria, e que o amor venceria. Mas não foi isso que aconteceu.
    Acabei me apaixonando pelo meu melhor amigo, e inclusive mandei um Chora pra Cony, que até chegou a ser publicado (Aliás, obrigada pelos conselhos pro meu Chora, Cony e meninas que me ajudaram na época! <3 A paixonite pelo melhor amigo passou, btw… e nunca chegou a rolar nada, graças a Deus!)
    Enfim, nunca fiz nada de errado. Jamais traí meu marido. Nunca deixei que toda essa minha vontade de viver coisas novas se sobrepusesse ao respeito e carinho que tinha por ele. Ele era sim, uma pessoa incrivel, e não mereceria ser sacaneado, de forma alguma.
    Mas, fato é que, quando fiz 11 anos de casada, vi que não dava mais. Eu sempre fui uma pessoa que via a vida cheia de cores, e, nesse momento, tudo era cinza. Tudo. Não consegui suportar isso.
    Pedi o divórcio. Meu então marido sofreu muito sim, infelizmente. Mas eu, por incrível que pareça, não. Me sinto até um pouco mal por isso.. afinal, todo mundo sempre diz que divórcio é uma coisa muito dolorosa, independente da forma como for. Pra mim, foi a libertação. Me senti um escravo tendo as correntes dos pés cortadas. Tirei uma tonelada das costas.
    Apesar do meu marido ser uma pessoa maravilhosa, ele não era pra mim. Não tinha mais amor ali. Tinha respeito, admiração, confiança, amizade, carinho… mas isso não era suficiente. Estar casada com uma pessoa de caráter inquestionável não é o suficiente para se querer estar ali.
    E, nesse ponto, discordo da Cony quando diz a Rey "ajoelha e agradece por ter um marido bacana. A vida solteira é muito boa, mas achar alguém que REALMENTE vale a pena e que quer dividir o resto da vida com você, é quase raridade hoje em dia".
    Eu ouvia exatamente isso da minha mãe, que achava uma insanidade abandonar um marido maravilhoso, e dizia que eu ia ficar sozinha pro resto da vida.
    Sempre preferi ver as coisas de outro modo. Sempre pensei que, num mundo de 5 bilhões de pessoas, não seria possível que só existisse uma bacana para mim. Sempre pensei que meu então marido era o cara bacana para mim por um certo tempo. Depois, não mais. Depois, viria um novo cara bacana sim.
    Enfim… estou divorciada há 15 meses.
    Vivi um período de 13 meses de extrema loucura. Nesse ponto, concordo com a Cony. Tem que ter um tempo de loucura solteira SIM. Conheci muitos caras, tives muitos dates, muitos primeiros beijos, muitas primeiras transas, muito Tinder, muita transa no primeiro encontro, muito tudo. Eu PRECISAVA daquilo. Aquilo me fez sentir viva, me fez respirar a plenos pulmões. A vida voltou a ser neon, e com muito glitter.
    Há pouco mais de 2 meses, comecei a ficar com um conhecido… que acabou virando namorado. O primeiro namorado desde meus 17 anos. Será que ele é O cara bacana pra dividir minha vida comigo? Não faço a menor ideia.
    A única certeza que tenho é que eu jamais conseguiria continuar minha vida me perguntando "E SE eu tivesse me separado?" Também sou dessas de preferir me arrepender pelo que fiz, nunca pelo que não fiz.
    Enfim… acho que Rey e Padmé deveriam, antes de tudo, ter calma. Mas calma não significa acomodação, covardia. Tenham calma para SE ESCUTAREM. Porque eu acho que a resposta está dentro da gente. A gente é que insiste em não se escutar, às vezes.

    Para finalizar (Deus, essa resposta tá mais comprida que o próprio Chora!), vou deixar aqui uma crônica da Martha Medeiros, que foi DECISIVA no momento que precisei criar coragem e tomar uma decisão. Acho que se não tivesse lido essa crônica, não teria me separado. Foi ela que me fez ME escutar. Espero que seja útil a vocês!

    O GRITO

    Não sei o que está acontecendo comigo, diz a paciente para o psiquiatra.
    Ela sabe.
    Não sei se gosto mesmo da minha namorada, diz um amigo para outro.
    Ele sabe.
    Não sei se quero continuar com a vida que tenho, pensamos em silêncio.
    Sabemos, sim.
    Sabemos tudo o que sentimos porque algo dentro de nós grita. Tentamos abafar este grito com conversas tolas, elocubrações, esoterismo, leituras dinâmicas, namoros virtuais, mas não importa o método que iremos utilizar para procurar uma verdade que se encaixe nos nossos planos: será infrutífero. A verdade já está dentro, a verdade se impõe, fala mais alto que nós, ela grita.
    Sabemos se amamos ou não alguém, mesmo que esteja escrito que é um amor que não serve, que nos rejeita, um amor que não vai resultar em nada. Costumamos desviar este amor para outro amor, um amor aceitável, fácil, sereno. Podemos dar todas as provas ao mundo de que não amamos uma pessoa e amamos outra, mas sabemos, lá dentro, quem é que está no controle.
    A verdade grita. Provoca febres, salta aos olhos, desenvolve úlceras. Nosso corpo é a casa da verdade, lá de dentro vêm todas as informações que passarão por uma triagem particular: algumas verdades a gente deixa sair, outras a gente aprisiona. Mas a verdade é só uma: ninguém tem dúvida sobre si mesmo.
    Podemos passar anos nos dedicando a um emprego sabendo que ele não nos trará recompensa emocional. Podemos conviver com uma pessoa mesmo sabendo que ela não merece confiança. Fazemos essas escolhas por serem as mais sensatas ou práticas, mas nem sempre elas estão de acordo com os gritos de dentro, aquelas vozes que dizem: vá por este caminho, se preferir, mas você nasceu para o caminho oposto. Até mesmo a felicidade, tão propagada, pode ser uma opção contrária ao que intimamente desejamos. Você cumpre o ritual todinho, faz tudo como o esperado, e é feliz, puxa, como é feliz. E o grito lá dentro: mas você não queria ser feliz, queria viver!
    Eu não sei se teria coragem de jogar tudo para o alto.
    Sabe.
    Eu não sei por que sou assim.
    Sabe.

    • #5
      Constanza
      11.01.2018 - 16:25

      PALMAS E MAIS PALMAS!!!! Obrigada por comentar aqui! Amei demais seu relato!!

    • #6
      Van
      11.01.2018 - 19:55

      Amei o texto!!

      E achei muito legal você voltar contar o desfecho do chora… me lembro dele com os personagens do Friends heheheh

    • #7
      Angélica
      12.01.2018 - 00:09

      Amei seu depoimento, tbm acredito q devemos nos escutar. Meditação ajuda mto! E Martha, nossa, como amo! Ela fala comigo sempre S2!
      Achei mto legal o q você falou sobre seu novo boy! Você tem razão! Não existe certeza, antes você tem q arriscar. A certeza é do coração, se conecte e sinta a intuição.
      Sobre esperar chegar em algum lugar para ser feliz: Se nada nunca vai ser suficiente a vida inteira, então o q me resta é curtir o q estou vivendo aqui agora.

    • #8
      Manuella
      12.01.2018 - 08:05

      Talvez esse comentário tenha sido um tapa na minha cara e na de muita gente que lê os Choras…
      Phoebe, tenha certeza que TUDO, MAS TUDO MESMO que você escreveu hoje, é para mim!!
      Você foi incrível no seu ponto de vista!!
      PARABÉNS!!

    • #9
      12.01.2018 - 08:16

      ADOREI essa crônica!

    • #10
      Aline Barbosa
      12.01.2018 - 10:05

      Amei seu comentário era exatamente o mesmo que ia escrever.
      Acabei de me separar também e todos me diziam e as vezes ainda dizem que sou louca. Sim, eu tinha o marido mais maravilhoso do mundo, que me amava, era amigo, companheiro, me respeitava, mas foi justamente por isso que me separei, pq eu gosto muito dele e tenho muito carinho por ele e sabendo a pessoa maravilhosa que ele é, achei q ele merecia alguém que estivesse com ele por inteira e não pela metade como eu.
      Sofri muito com meu divórcio, apesar de ser algo que eu queria, que foi muito pensado por anos, mesmo assim sofri, mas acho q foi um sofrimento necessário, foi apenas uma adaptação, à nova vida, no inicio da muito medo, receio e duvidas de será que tomei a decisão certa, mas é assim mesmo.
      Hoje sou uma versão muito melhor de mim mesma, hoje sou muito mais feliz e cheguei a uma grande conclusão não da pra saber o futuro, mas desde que eu esteja feliz tudo vai ficar bem.

    • #11
      Andressa
      12.01.2018 - 10:52

      Que comentário incrível! Todo mundo deveria ler isso!

    • #12
      Ju
      12.01.2018 - 20:36

      ‘MELDEUS’, pode replicar 3 vezes esse comentário!!!!!! Maravilhoso!!!!

    • #13
      Renata
      16.01.2018 - 09:29

      É exatamente o que penso!

    • #14
      Christiana
      17.01.2018 - 14:38

      Sensacional!!!

  5. #15
    Helisa
    11.01.2018 - 16:26

    Miga do primeiro Chora, você disse uma coisa que me chamou atenção: que parece que só você consegue resolver o problema dos seus pais. Me parece que você está ocupando um lugar que não é seu no seu sistema familiar, isso causa desequilíbrio, traz um peso que você não deveria estar carregando. Digo isso pois estou fazendo um curso, de um terapia que se chama Constelação Familiar. Te aconselho (e as outras duas migas também, Constelação melhora tudo, rs) a ler sobre isso e a quem sabe procurar um terapeuta nessa área ou mesmo um workshop… Mas em suma, tenha em mente que você é filha deles e não o contrário, se imponha quanto a isso perante eles, e também sempre mantenha a consciência de que seu pai é seu pai e é ex marido da sua mãe (e o mesmo vale pra ela), são dois papéis diferentes que os dois tem, e você não deve nunca ficar no meio do relacionamento deles e nem se colocar no papel de um ou de outro e muito menos no papel de mãe dos dois. Se desfaça dessa carga amiga, pois ela não é sua.

    • #16
      Jéssica Diane
      12.01.2018 - 13:21

      Já fiz sessão de constelação familiar e isso que você está dizendo é MUITO real e tem muito sentido. MASSSS, aconselho começar a terapia com um psicólogo antes, digo por mim, teria sido muito mais difícil lidar com tudo aquilo sozinha depois.

  6. #17
    Tatiane
    11.01.2018 - 17:06

    Chora 1: Leia, procure um psiquiatra e depois um personal trainer. Entre em algum grupo de corrida, sei lá…Crossfit …mas corra atrás disso.
    Chora 2: Rey, sossega o facho…isso passa…vai a um motel…saia da rotina…faça umas loucuras com seu marido…viaja…vá a um sexshop…apimente sua relação…
    Chora 3: Padme, aguenta a sogra…e diga pro seu marido colaborar mais…tenho 13 anos de casada e te digo que é possível contornar desde que seu marido ajude ( já morei com sogra)…
    beijos!

  7. #18
    Marcela
    11.01.2018 - 17:57

    Para o Chora 1: este vídeo é ótimo, vale a pena você assistir: https://www.youtube.com/watch?v=YuWcUelru1E

  8. #19
    Paula
    11.01.2018 - 20:23

    Phoebe

  9. #20
    Jana
    11.01.2018 - 20:33

    Do primeiro caso sobre o peso, tb estou acima do peso e nunca tive motivação pra fazer dieta, mas conheci um aplicativo, o FatSecret, que tem me ajudado. Nele vc controla as calorias que consome diariamente, por isso que baixei ele, e ele tb tem uma rede social o que acaba ajudando na motivação.
    Nem é que eu siga o que a dieta das pessoas, faço reeducação alimentar e tem muita gente que faz umas dietas que considero exageradas, mas é um lugar onde vc pode interagir com pessoas com o mesmo objetivo que vc e dá pra ter várias ideias de refeição.
    Outra coisa legal é tb seguir algum canal do youtube, gosto do “Saúde na Rotina”, que fala dessa questão de reeducação e exercícios (apesar que não faço essa segunda parte) e tem vários outros pra te ajudar.

  10. #21
    Juli
    11.01.2018 - 23:33

    Chora 1: faça amizades, saia, se não te chamam para sair chame! Claro que é complicado em cidade pequena sair com uma pessoa diferente por tinder, fofocas… Ou faz o que tem vontade e tenha força para escutar rumores, ou tenha relacionamento discretos. Fale que que um namorado, aposto que vão aparecer muita gente legal em cidade pequena acaba se encontrando todo dia com alguém no dia-a-dia, até alguém num café que vai no mesmo horário. Mas na outra cidade saia com seus amigos.

    Chora 2: invista mais no seu atual relacionamento, se esta com tédio bora viajar, sair, fazer coisas diferentes com ele.

    Chora 3? sogra é sogra, trate ela bem, deixe ela mimar seu filho às vezes, se faça de surda, se ela não está aprontando muito e não está te ofendendo se faça de surda, mas se ela vier se meter demais ou ofender se imponha mas sempre com respeito. sogra é sogra não tem jeito. Elas jogam a isca para provocar, mas você não pode pegar o angol e virar isca.

  11. #22
    Juli
    11.01.2018 - 23:47

    caso 3 nenhum marido defende a esposa da mãe, pode esquecer. Se tiver que fzer algo só depende de voc~e , mas tente relevar se não for nada grave.

  12. #23
    Angélica
    12.01.2018 - 00:00

    Querida, uma coisa eu tenho certeza! A gente nasceu para ser feliz! Todos nós, toda a humanidade!
    Vivemos a realidade que acreditamos, que criamos! Somos do tamanho dos nossos sonhos, isso é mto real!
    Seja protagonista da sua vida e não plateia da vida dos outros.
    Não se contente com pouco!
    Qm é responsável pela sua vida? Só vc! Você está onde você escolhe estar.
    Se você é 100% responsável pela sua vida, e ela não está indo como você deseja, hmmm o que isso significa? Medo de mudar!!!
    Você precisa dar o primeiro passo para sua felicidade. É no movimento q a vida acontece.
    Ql o maior obstáculo para assumir o protagonismo? É culpar o outro. (Ai não namoro porq estou gorda, não saio porq meus amigos moram longe, etc).
    Se acontecer algo, não culpe. Não foque no problema. E sim na solução.
    A gente não tem controle da vida, de todos os estímulos, mas temos responsabilidade da nossa escolha.
    Isso é mto poderoso!
    Você tem 27 anos, tem mto para sonhar e viver! Acredite plenamente que tudo o que você está vivendo, passando tem uma razão. Os momentos de tensão, esses jogadas na estrada rs, são mto importantes para nos tornarmos seres profundos e melhores, e lembrarmos do nosso processo de evolução. Invista urgente em ferramentas de auto conhecimento, se espiritualize.
    Lembre que as coisas apenas existem na nossa vida na medida em que damos atenção a elas. Invista sua energia e sua atenção no que você qr q frutifique. Agradeça pela oportunidade de ter uma nova semana, um novo dia, sempre novas oportunidades de evoluir, aprender e ser feliz! Ame a vida q foi dada a você. Você vai ver como ela vai te amar de volta! Mil bjos!

    • #24
      Angélica
      12.01.2018 - 00:02

      ☝Para o chora 1

  13. #25
    Fabiana
    12.01.2018 - 03:04

    Phoebe, qro ser sua amiga!!! Pelamooorrr, amei seu comentario! Acho que serviu pra mta gente!!

  14. #26
    Natália
    12.01.2018 - 07:04

    Chora 3. Me identifico com a Phoebe. Passei por uma situação muito parecida
    Era casada, há quase 8 anos, com um cara ótimo, bom emprego, boa família, mas alguma coisa lá dentro de mim me dizia que eu não estava bem.Eu sou jovem, muito bem sucedida, bonita, mas vivia angustiada…um nó na garganta. Depois de muito me questionar acabei me separando. Diferentemente dos conselhos, não sou de farra e homens, mas nunca estive tão feliz na minha vida com a minha liberdade. Não sei explicar. A vida estava cinza e até ficar em casa sozinha passou a ter mais cor. Só me arrependo de não ter tomado essa decisão quando meu coração começou a reclamar. Estou solteira há seis meses e desde então só saí com um cara. Sem drama, sem culpa. Acho que a gente as vezes segue aa vida com base em um roteiro que pensaram pra gente. O que não necessariamente nos faz feliz. Amei o comentário da Phoebe. Adoro essa coluna.

    • #27
      Taiza
      12.01.2018 - 22:32

      Eu acho que vc curte a própria companhia, isso faz toda a diferença.

  15. #28
    Karol
    12.01.2018 - 08:30

    Cony sua lindaaa que homenagem linda à Star Wars colocando os nomes das personagens kkkkkkkkkkkkkk

    Como fã da saga eu digo que é difícil mesmo assistir aos filmes haha eu vi no instagram que vc dormiu! haha
    Não tem problema, as vezes não é seu estilo de filme!

    Adoro seus conselhos no chora!

    bjs

    • #29
      Constanza
      12.01.2018 - 13:23

      Foi o primeiro que vi rsrsrs, acho que deveria ter assistido tudo antes ne?

      • #30
        Dani Depi
        12.01.2018 - 14:34

        Com certeza, Cony!!! Deveria ter assistido desde o início… é igual Friends, só faz sentido pra quem acompanha desde a 1a temporada… rsrs… Vale ressaltar que agora que a Disney comprou a franquia Star Wars, a princesa Leia é uma princesa Disney (minha favorita, por sinal!)… rsrs

      • #31
        Silvia
        16.01.2018 - 00:02

        Não. A saga é ruim mesmo. Tenho horror!

  16. #32
    Cris
    12.01.2018 - 08:43

    Cony, se você não gostou de Star Wars é porque não assistiu direito! hahaha. Volte e assista de novo todos os filmes desde o início. hahahaha #prontojulguei. Bjs

  17. #33
    Carol
    12.01.2018 - 10:03

    Chora 1: Eu te entendo. Depois que me mudei de cidade (Em 2011), fiquei muito mal, comecei a desistir de tudo e depois de um tempo, achei que essa pessoa nova era como eu era. Sozinha, sem amigos, família desestruturada longe. Em 2017, depois de tanto tempo me sentindo vazia, engordei, sem perspectiva e até meu trabalho favorito perdeu a graça, eu surtei. Só chorava, ia pra casa ver TV, não aceitava sair com ninguém. Faço terapia a dois anos, mas em dezembro, em surto, fui no psiquiatra. Eu não queria admitir e tomar remédio, mas tomei e passei o natal mais feliz dos últimos 6 anos. Sério. Meu cérebro parece q voltou a funcionar. Tá leve. Não é remédio tarja preta. Só um anti depressivo leve. Menor dosagem. Fez toda a diferença na minha vida. Então, amiga, vá num psiquiatra, ele vai te ajudar. Não é tomar remédio para sempre, só para te ajudar a sair do lugar. Vá na terapia e contrate um personal. Você vai ver como fará diferença. Confesso também, que ainda to precisando me cuidar, faz só um mês que to tomando remédio, então ainda sinto que nao estou 100%, mas ficarei. Força!

  18. #34
    Juliana
    12.01.2018 - 10:43

    Nossa… o comentário da Phoebe foi o melhor de todos os tempos !!!
    Quanta verdade e sinceridade, parabéns, você é que me fez gritar por dentro !

    Obrigada !!!

  19. #35
    Paula
    12.01.2018 - 11:14

    Chora #1: Faça uma constelação familiar e vá ser feliz sendo menor que seus pais.

  20. #36
    Natália
    12.01.2018 - 11:41

    Para as casadas: APENAS PAREM! Querer viver coisa nova como assim? Um dia o marido foi novo, vcs flertaram, se apaixonaram e depois casaram. Vai ser assim de novo com outras pessoas, ué.
    Não traiam os maridos, vão se arrepender amargamente!
    É muito fácil gostar de alguém quando se vê tão pouco, quando não mora junto. E a paixão, ela acaba.
    E sogra não pode atrapalhar o relacionamento, mas como vcs tem apenas 1 ano de casados, tenha mais paciência, pq a mãe dela ainda não se adaptou e ele também não.
    Comigo foi assim, demorou um pouco para meu marido perceber que ele não pode mais cuidar da mãe dele pq agora tem uma família.
    Não deixe ela interferir, mas use de sabedoria, não brigue com o marido!

  21. #37
    Dandara
    12.01.2018 - 12:25

    Chocada com os choras de hoje, porque tudo se encaixou no que esta acontecendo na minha vida…
    Me sinto exatamente como a Leia, desmotivada de mim e desmotivada da vida, algumas semana atrás pensei que poderia ser depressão, ontem uma amiga me mandou o telefone de uma psicológa, até falei com ela… Mas assim que terminei de ler o primeiro chora marquei a consulta para a próxima segunda-feira, eu não to sabendo lidar comigo mesma sozinha, resolvi procurar ajuda…
    Leia faça o mesmo, eu também to sentindo a minha vida mais ou menos, tenho 29 anos não tô feliz com nada e a mudança ta nas minhas mãos e eu não to fazendo nada 🙁

    Rey e Padme entendo não sou casada, mas namoro a 5 anos e 5 meses e tenho sentido essa vontade de ficar solteira, beijar gente nova, ficar só, não me preocupar com outra pessoa, não dar satisfação… tenho vivido isso a alguns meses e meu namorado não deu motivo nenhum, é uma pessoa bacana, mas eu não to feliz nesse relacionamento e aconselho a fazerem o que a Phoebe acabou de falar, olhar para dentro de si.
    Não quero fazer nada precipitado, mas nunca fui uma pesso de “e se”, sei que tudo tem uma consequencia, mas também prefiro mearrepender pelo que fiz do que pelo não fiz.

  22. #38
    Daiane
    12.01.2018 - 13:07

    Cony, amo o seu blog. Não costumo comentar, mas sou frequentadora assídua. E hoje não podia deixar de comentar pelos nomes dos personagens, como super fã de Star Wars eu amei. Hahaha. E entendo vc não ter gostado do filme, caso seja o primeiro que tenha assistido além de não gostar não deve ter entendido muito né. Na verdade esse é uma continuação, então se quiser da uma nova chance assista os outros tb e certeza que vc vai se apaixonar hahaha. Esperando os choras abrirem de novo para enviar o meu. Beijos.

    • #39
      Constanza
      12.01.2018 - 13:20

      Menina, foi o primeiro que vi sim. NAO ENTENDI NADA rsrsrsrsrs

  23. #40
    Denise
    12.01.2018 - 13:12

    Cony, amei os nomes das meninas 🙂
    Escuta: eu amo demais o seu blog. Não o abandone pelo Insta ou Youtube, por favor.
    Sou leitora das antigas. Ando vendo um desânimo geral nos blogs por parte das blogueiras (super compreensível, na minha opinião. Mimimi demais).
    E me afetei demais com a saída de cenário da Julia Petit.
    Mas por favoooor, não nos abandone 🙁

    • #41
      Constanza
      12.01.2018 - 13:19

      Abandono nao baby! Meu blog, minha vida! rss

      • #42
        Jéssica Diane
        12.01.2018 - 15:39

        Nossa, a gente ia entrar com uma ação coletiva contra a Cony se ela parasse com o blog hahahahaha

        • #43
          Constanza
          15.01.2018 - 13:45

          Gzuisssss kkkkkkk

  24. #44
    Jéssica Diane
    12.01.2018 - 13:17

    Nem vou me dar ao trabalho de escrever nada porque concordo com TUDO que a Cony disse.

    Leia, procure um psicólogo, eu faço terapia e AMO. Abre muito nossa mente. Beijos e boa sorte <3

  25. #45
    Ci
    12.01.2018 - 14:54

    Casos 2 e 3: acho que o problema de vocês é achar que a vida é um filme de Hollywood, em que todo dia o cara faz uma surpresa e conquista a mulher desejada. Bom, a vida não é assim. Ninguém vive de arroubos. Falo por experiência própria: estou em um relacionamento longo, e meu namorado não é romântico. Eu mesma já pensei se era isso mesmo que eu queria ou se deveria partir pra outra. Mas sabem o que eu aprendi a valorizar? Os perrengues! Quando eu tinha um concurso importante pra fazer e ele ficou com minha mãe no hospital, por exemplo. Eu nem pedi, ele que se ofereceu. Se isso não é prova de amor, o que é então?
    Vivam a realidade e coloquem as mãos pro alto por acharem companheiros e não meros maridos.
    Isso é muita culpa desse estilo de vida e da sociedade em que vivemos, que valoriza o efêmero, mas não podemos nos deixar levar pelo mundo.

  26. #46
    Jaqueline
    12.01.2018 - 15:25

    Genteeeeeeeeeeee! AMEI O COMENTÁRIO DA PHOEBE #4 PERFEITO! LACROU!

  27. #47
    Lívia Pegorim
    12.01.2018 - 16:08

    Para as amigas CASADAS:
    Gente, eu sou casada há 7 anos. 3 filhos pequenos… Rotina, trabalho, faculdade, casa pra cuidar, filho pra criar.
    Mas olha, eu NUNCA deixei de namorar o meu marido. Por alguns anos a gente só saía sozinho uma vez no ano, no aniversário de casamento quando os filhos ficavam com a minha sogra. Mas a gente sempre fez sessão de filme com pipoca. Sempre matou uma garrafa de vinho conversando sobre viagens. Sempre fomos pra praia, mesmo que fosse pra CANSAR cuidando dos filhos. Colocamos música pra dançar na varanda de casa. Transamos cada dia de um jeito… não essa coisa “antinatural” de sex shop e posição desconfortável: um dia com muuuitas preliminares, um dia uma rapidinha, um dia com beijos apaixonados, um dia no chuveiro… Um dia ele chega e estou com aquela saia curta, aquela blusinha branca sem sutiã. E ele acaba fazendo isso também. Aparece com o chocolate que eu gosto, tem disposição de me agradar. Falta cuidar do casamento amigas! Igual uma planta sabe? quando a gente percebe que está morrendo, a falta de cuidado já estava lá faz tempo. UM BOM CASAMENTO NÃO ACONTECE DO NADA! A GENTE VENCE A PREGUIÇA, VENCE O EGOÍSMO. Tem que ser HONESTO. Eu tenho liberdade de falar com meu marido quando acho alguém bonito, quando sonho com um ex, quando conheço alguém novo no trabalho… e ele faz o mesmo. PORQUE SOMOS AMIGOS, e somos honestos. Ele sabe que eu não to morta, por isso é que ele me CONQUISTA TODO DIA. E eu faço o mesmo. Agora, sem ter vontade de conquistar o outro todo dia, vc jamais será conquistada todo dia também… fica a dica.

  28. #48
    Sheila
    12.01.2018 - 16:42

    À Leia: Estava na MESMA situação. Tomava remedio, ia em psiquiatra e nada, até que resolvi buscar outras alternativas além do psiquiatra. Fui atras de academia e achei uma multidisciplinar, com psicologa, nutricionista e personal trainer. MEU DEUS, minha vida mudou desde então. Se vc não achar uma academia assim vá vc msm atras de pelo menos psicologo e personal trainer, melhor ainda se vc tbm conseguir ir em um nutricionista, mas o essencial é o exercício físico, que libera endorfina e dá um up na auto estima e um apoio com psicólogo. Se a situação estiver bem feia vá no psiquiatra tbm, mas eu por exemplo, faz quase 6 meses que consegui parar com remedio, só com esse acompanhamento multidisciplinar. Ah, eu indico personal pq academia sozinha desanima nos primeiros 15 dias se vc nao tem força de vontade mto grande.

    à Padmè e Rey: sou casada faz 5 anos e às vzs sinto isso que vcs falam, mas como tenho amigas solteiras consigo comparar e ver que não vale à pena largar o certo pelo duvidoso. Se for só pelo querer borboletas na barriga e emoção não vale à pena porque está cheíssimo de boy lixo, um pior que o outro. Vão te tratar mal, te magoar, não te dar o devido valor, além de serem em geral uns cabeças ocas ao estilo “topzera”. Claroooo que há exceções, mas é difícil. Se for só pela emoção, nem pensem em largar os maridos. Tentem ver no que vcs podem contribuir pra relação tbm, tenham uma conversa com eles (sem dizer q querem separar e sem brigar). Caso vcs estejam mal mal no relacionamento,o tempo passe e nada mude, vcs conversem e nao adiante, aí larguem mão mesmo, porque o amor acabou, fazer o que.

    Espero ajudar.Bjos.

    Obs: Cony eu adorei star wars, assista primeiro o episodio I e dai o II, III… e nao na ordem que foram lançados que pode ser que ajude vc a gostar mais.

    • #49
      Constanza
      15.01.2018 - 13:45

      Será? Acho que nao gosto de ficção cientifica rsrsrs

  29. #50
    Sil
    12.01.2018 - 17:18

    Chora 1: te entendo perfeitamente, já passei por isso e ainda estou me recuperando. Vc está deprimida sim! E sei que muitos dos comentários que vc vai ver aqui, que são bem intencionados, ao invés de te darem ânimo vão te desanimar ainda mais. Tipo só depende de vc, faça isso, faça aquilo! Só depende de vc sim mas sozinha vc não consegue, então o primeiro passo é fazer o que a Cony disse, procurar ajuda. De um psiquiatra e principalmente de um terapeuta, vão te ajudar demais! Terapia é vida!

  30. #51
    Andressa Cunha
    12.01.2018 - 17:33

    Cony, deve ser MUITO bom ser sua amiga, hahaha.
    Você tem umas respostas bem maravilhosas!

  31. #52
    Taiza
    12.01.2018 - 22:29

    1) Eu acredito que você esteja sim deprimida… morando numa cidade pequena, impossível não ter uma amiga da escola, da faculdade, ou até do trabalho pra sair com você. Não precisa nem ser amigo, basta ser um(a) bom(a) colega, com um papo bom. Eu estou com dez kg acima do meu peso normal, é uma briga do cão pra emagrecer depois dos 30, então se quiser fazer algo por você, faça o quanto antes… mas não deixe de se arrumar, ainda que acima do peso! Se cuide, se maquie, passe creme no corpo. Incrível mas parece que quando a gente gosta mais da gente, uma coisa puxa a outra, a gente se arruma porque se gosta ou se gosta porque se arruma? Não saberia dizer. Ter amigos e colegas também é importante, ninguém é feliz sozinho. E família que não é complicada, não sei se existe alguma. Umas mais, outras menos, mas todas tem seus dilemas, não deixe que isso te defina. Você já falou com seus pais sobre como está se sentindo? Vai que eles te ajudem, ou pelo menos diminuam a carga de problemas ao saberem como você se sente?

    2) Concordo com a Cony… se tem uma pessoa legal e parceira do seu lado, para de fantasiar com coisa que não existe. Marido tá difícil achar, imagina um que seja bom? Pergunta pras suas amigas que estão na pista, elas vão te falar como tá o mercado aí fora. Sem querer desanimar as solteiras, mas é o que escuto o tempo todo das solteiras. Eu valorizo demais o marido que encontrei, temos nossos perrengues, a nossa rotina que às vezes massacra, mas é uma pessoa que vale ouro, é preciso saber valorizar o que temos de bom nessa vida. Essas aventuras são pra quem está disponível, procurando bem isso que você já tem. A menos que você não ame mais o seu marido, ou se ele não te respeitasse, aí a conversa seria diferente.

    3) Você ama seu marido? Ele é bom pra você? Se sim, fica casada e abstraia a mãe, não vá pensar que existe família perfeita e essa também é uma relação interpessoal que exige muito de muitas sogras e noras. O seu não é um caso isolado. Se a resposta for não, aí realmente você tem um problema pra resolver. Isso de ter dúvida quanto ao casamento, às escolhas da vida, penso que seja normal esse tipo de questionamento.

  32. #53
    Taiza
    12.01.2018 - 22:47

    Só anotando um ponto que gostaria de falar para os choras 2 e 3. Antes de separar, analisem se vocês gostam de ficar sozinhas, na companhia de vocês mesmas. Se não são muito carentes, se não vão começar a sofrer também com a solidão, porque pode ser que a fase solteira dure por um tempo considerável. Se vocês acharem que tudo bem passar por isso, penso que é mais um ponto a ser analisado, a gente tem de aprender a gostar muito da nossa própria cia, porque na fase de adaptação isso pesa bastante.

  33. #54
    Desiree
    12.01.2018 - 23:48

    Cony, vc é demais!!! Parece que estamos ouvindo aquela amiga sincera que dá puxão de orelha!!! Adoro!!!

    • #55
      Constanza
      15.01.2018 - 13:44

      obrigada!

  34. #56
    Luiza
    13.01.2018 - 11:14

    “Personagens” de Chora respondendo novos casos é muito amor!!!
    Cony, esse espaço é serviço de saúde pública. Leio todos, volto para ver comentários e comento quando me sinto apta para isso.
    Nem sempre concordo com vc e o bonito é ver q este espaço q vc abre é para isso mesmo, para outras opiniões.
    Nunca mandei um caso pq já me vi em alguns e me ajudou demais.
    Que venham muitos Choras em 2018!!

  35. #57
    Rosa
    13.01.2018 - 13:46

    Eu sou geração X e não entendo o que tá havendo com essas meninas. Vocês tem tudo e não estão felizes porque não tem objetivos e interesses na vida fora de vocês mesmas, e mais, vão continuar infelizes com qualquer pessoa. Pessoas novas não vão preencher o seu vazio! Ficar sozinhas também não preencherá o seu vazio. Pensem nisso! Se dediquem a algo maior do que vocês e parem de mimimi.

  36. #58
    Pri
    14.01.2018 - 19:49

    Cony, adoro a interação que os assuntos inteligentes do seu blog proporcionam, realmente é um diferencial. Sempre aprendo alguma coisa com os Choras!
    Muito bom o vídeo indicado pela Marcela para o Chora 1. Acho que todo mundo deveria assistir…
    Beijos!

  37. #59
    15.01.2018 - 10:07

    Bora botar a mulherada nos eixos! Eu me identifiquei com os três.
    Pra Leia, tem que procurar ajuda de um psicólogo. Nada de cair nessa que vai no psiquiatra, toma um remedinho e alegria, alegria. É psicólogo, talvez o primeiro ou a primeira não bata com o teu santo, tenta outro. Ah, mas é muito caro! Procura nas universidades, até professores dão consultas a preços módicos. É investir em você e lucro certo. Palavra de quem faz terapia há anos!
    Pra Rey e Padme: acho que quando a Cony quis dizer pra não desistir de primeira, eu entendi. Hoje em dia todo mundo se acha no mundo das celebridades, casa e separa num piscar de olhos. Enjoa na primeira dificuldade. O primeiro passo pra maturidade emocional num casamento é saber que vai haver problema, vai haver enjoo, vai rolar falta de sexo, sogra chata, filho do primeiro casamento, ex engraçadinha, marido desinteressado, estresse, filhos… e não para por aí. Cabe aos dois resolver as paradas antes que cresçam e se tornem impossíveis de lidar. Em meus quase 11 anos de casamento, já rolou tudo é mais alguma coisa. Já senti saudades do ex, já me perguntei o que que eu fui fazer da minha solteirice fantástica (dei mais que xuxu na cerca), mas meu respeito por ele, a reciprocidade dos nossos sentimentos e o que construímos juntos não se abalou. Tivemos crises, mas estamos firmes e fortes.
    Conversem com maridon, viagem juntos, se curtam, aproveitem que não tem criança na parada e sejam felizes. Se mesmo assim, achar que não tá dando, aí é bye bye e cada um siga sua vida! E sogra manda pastar, hehehehehe!

  38. #60
    Janaina
    15.01.2018 - 15:33

    Para os choras 2 e 3: entre namoro, noivado e casamento estou com meu marido há 23 anos e já tive algumas fases parecidas, com vontade de largar tudo e viver a vida de solteira. A pior delas foi há um ano, quando realmente conversamos muito sobre separação, mas chegamos juntos à conclusão de que valia a pena tentar mais uma vez pois ainda havia muito amor. Hoje digo para vocês que parece outro casamento, estamos a cada dia mais apaixonados, passamos a cuidar melhor um do outro, temos problemas como todo relacionamento mas a cumplicidade é imensa. Então meu conselho para vocês é para serem sinceras com seus maridos, expliquem como se sentem e tentem decidir juntos.

  39. #61
    Padmé
    15.01.2018 - 17:50

    Aiiiiii que quentinho no coração que dá ler vocês, mesmo algumas puxando a orelha, é tão importante essa troca, aprender com o aprendizado de outras pessoas é maravilhoso!!!
    Obrigada a cada uma das bonitas que comentaram!
    Cony, você é incrível!

    Obrigada! Obrigada! Obrigada!

    Um beijo

Comente