08
Nov 2017
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

Choradeira de quarta! Venhaaaaam!

Chora 01 – Natalie

“Oi Cony tudo bem? Só queria falar que eu AMO seu blog (de paixão). Foi o primeiro que comecei a ler e não parei mais. Cada post que sai eu fico com aquela sensação que você se torna cada vez mais próxima das leitoras, especialmente com o Chora (SUPER AMEI ESSA PARTE QUE VOCÊ CRIOU).

Mas hoje, especialmente nessa véspera de feriado eu vi o post de uma menina no seu blog que eu me identifiquei. É o chora n° 2 (Estrela) sobre a cistite de repetição. LINK AQUI.

Deixa eu te contar o porque da minha identificação com essa moça:

Há algum tempo atrás (mais de um ano), comecei a sentir uma urgência para urinar, em especial à noite. Cada dia era uma tortura para dormir. Eu tinha acabado de deitar e não podia nem falar um “boa noite” para o meu noivo sem ir no banheiro de novo. Na maioria das vezes saía xixi, na outra demorava um tempão e era só um pingo. Cogitei por várias vezes dormir em cima da privada e me declarar a “queen of thrones” porque tava difícil. E olha que tenho um relacionamento há mais de 5 anos com o meu noivo, proteção e tudo o mais, mas aquilo, me deixou encafifada. Aliado à esse problema, comecei a ter dores na penetração, o que me deixava receosa quando tinha relação ..

Depois de uma consulta na primeira gineco, a mesma me disse que era psicológico. Tanto a dor quanto a urgência de urinar eram coisas da minha cabeça. Por um tempo eu acreditei. Minha família toda falou que era coisa da minha cabeça mas, como ninguém tava com a minha bexiga nem a minha querida periquita, eu decidi investigar mais.

Daí Cony, começou a minha saga.

A urgência ao urinar começou a piorar, e passou a ser o dia todo. Eu sentia dores, uma pressão horrível e por 2 vezes fui tratada como infecção urinária no pronto-socorro. Fui ao urologista que pediu exames e solicitou que também passasse com um cirurgião, caso tivesse mais exames complementares. O querido cirurgião mal começou a me ouvir e disse que eu tinha bexiga hiperativa… E o que é essa maledeta? É uma coisa chata que persegue pessoas de qualquer idade (mas em especial em idosos e mulheres após o parto normal), cujos sintomas eram exatamente iguais ao que eu sentia e também tinha um tratamento (leia-se Retemic).

Fiz todos os exames e eles não deram NADA. Entretanto, o urologista pediu que a gineco solicitasse mais exames também. Ao passar por uma 3a. gineco, a mesma me informou que tinha bexiga hiperativa e me entendia. O problema é que ela tinha o dobro da minha idade (48 anos) e disse que não era normal em pessoas da minha idade pois os exames não apontavam nada. E dá-lhe mais exames.

Nos últimos exames da gineco, descobri que estou com uma lesão no colo do útero e estou aguardando a biópsia. Mas o que me ajudou bastante nessa urgência urinária foram os exercícios de KEGEL. É tipo um abdominal ponte (aquele que vc eleva a bunda deitada no chão apenas, e segura a bexiga por 5 segundos). Isso porque minha bexiga querida contrai o tempo todo, dando a ilusão de estar sempre cheia … Esses exercícios Cony, me ajudaram muito. Quanto à dor, é bastante preliminar e KY, porque infelizmente eu não tenho muita lubrificação mesmo quando tá no ápice de virar os olhinhos… rs

Enfim, foi apenas um desabafo para que a “Estrela” não se sinta sozinha. Acredito que os exercícios e manter a alimentação saudável e continuar se hidratando podem ajudar bastante ela. Uma sequência de 3 sessões de 15 por dia sendo de 5 segundos cada já começam a surtir algum efeito. Abdominal hipopressivo também pode ser um aliado bacana.

É isso aí Cony, espero que você leia minha msg e que eu possa ajudar essa coleguinha linda. Me identifiquei super =/

Um beijo Cony, parabéns pelo seu trabalho e por ser essa blogueira linda que inspira.”

Menina, fiquei chocada o tanto que isso é comum e atinge tantas mulheres. Achei lindo o monte de dicas  e as ajudas oferecidas. Obrigada por compartilhar mais essa dica para todas que sofrem com isso!

 

Chora 02 – Dylan

“Cony, vim contar minha história.

Vim de uma família muito complicada, meu pai era usuário de drogas e minha mãe depressiva. Desde pequena meu pai foi super agressivo e minha mãe submissa. Fui agredida, passei privações e nunca tive carinho e apoio da minha família. Resultado, cresci com a autoestima toda cagada e com uma carência enorme.

Durante a minha adolescência tive alguns relacionamentos, todos abusivos, bastava alguém falar que eu era bonita que eu já ficava apaixonada e obcecada.

Com 22 anos conheci meu marido, em uma semana estávamos namorando e com três meses casados. Aceitei casar, pois meu pai tinha me agredido e eu queria sair de casa. No inicio nosso relacionamento foi muito difícil, afinal eu me casei com um estranho, mas aos poucos fomos acostumando com o jeito um do outro. Atualmente tenho quatro anos de casada e não sou feliz no meu casamento, meu marido é uma pessoa boa, de caráter, me respeita e cuida do nosso lar, porém é extremamente frio em relação a sentimentos, não tem nenhuma demonstração de carinho e a vida sexual anda de mal a pior. Para mim que sou carente ao extremo, é muito difícil lidar com essa indiferença. Não falamos em separar, pois conquistamos muitas coisas juntos, mais é nítido que a paixão que tinha quando nos conhecemos não virou amor. Ao mesmo tempo em que não sou capaz de tomar nenhuma atitude, fico extremamente angustiada em ver minha vida passar de uma forma morna, sem emoções e sentimentos.”

Dylan, acho que a quote que escolhi para você diz tudo e mais um pouco: QUANDO A CARÊNCIA SUPERA A RAZÃO, AS ESCOLHAS PODEM SE TORNAR DESILUSÃO. Miga, você só casou com seu marido para fugir de casa. Foi sua alternativa na época, no desespero, mas já sabemos que não deu certo. Você disse com todas as palavras que não está feliz no casamento, que seu marido é frio, e que não tem amor nessa relação. Não entendo porque as conquistas dos dois é um empecilho para a separação… Que bom que deram certo nesse sentido, mas e a felicidade dos dois?? Você acha que ele está satisfeito com a vida que vocês estão levando? Com sexo ruim, com falta de amor e carinho??? Vai esperar ele pedir a separação ou descobrir uma amante para sofrer ainda mais??? Tenha coragem, você está super nova, já sabe se virar sozinha, tome as rédeas da sua vida e procure sua felicidade! De nada adianta estar vivo se for para ser algo morno, meia boca, mais ou menos.

Chora 03 – Alex

“Oi Constanza! Creio que este chora é um pouco diferente, pois sou o lado B da história, neste caso um namorado que já não sabe o que fazer. Fiquei sabendo deste blog porque a minha namorada o acessa com certa frequência e comenta comigo. Então resolvi relatar a minha situação e ao final solicitar auxílio.

É o seguinte… Namoramos há muitos anos e a nossa vida sexual está muito fria. Já moramos juntos há algum tempo. Ocorre que ficamos dias e até meses sem ter qualquer relação sexual. Já tentei conversar com ela sobre o assunto para ver onde está o problema, mas ela não aceita e diz que odeia ser pressionada e que tudo tem que ser no tempo dela. Ela já até disse o absurdo de que torcia para eu arrumar uma amante para não ter que procurá-la. Cheguei a propor que procuremos uma terapia, psicólogo etc. Eu a amo, a respeito, nunca a traí.

Sinceramente, a minha intenção é a de tentar resgatar com ela uma vida sexual mais ativa, pois sempre quando transamos é muito bom para ambos.

Porém, quase nunca ela está disposta. Inclusive ela disse que em dias de semana está vetada a relação porque fica cansada da rotina de trabalho.

Com isso, sempre abro os finais de semana com a esperança de que algo vai rolar. Preparo jantar, compro bebidas que gostamos e faço todo tipo de mimo. Mas nem sempre isso funciona. Aliás, quando funciona é exceção. Além disso, nunca parte dela uma situação surpreendente. Ela fica sempre esperando e a sensação que tenho é de que se eu não procura-la, estará tudo bem…

Não temos filhos e isso me preocupa pois já ouvi falar que depois as coisas pioram. Até chegamos a tocar no assunto mas ultimamente estou bem desanimado por conta desta abstinência. Atualmente, por exemplo, não temos relação há quase 2 meses.

Enfim, queria sua opinião e das outras leitoras, até mesmo para que ela leia e veja que é anormal o que está acontecendo conosco.”

Amigo, vamos lá… Bom, para início de conversa, homens gostam muito mais de sexo do que mulheres, isso é natural, vocês tem muito mais testosterona que a gente e isso já nos deixa em desvantagem. Não estou falando que mulheres não gostam, mas precisam de menos freqüência sexual para se satisfazer. Tem umas exceções por aí, mas vamos tratar mais geralmente. Outra coisa… sua namorada toma anticoncepcional? Isso abaixa muito a libido. Eu sou outra mulher desde que parei de tomar pílula. Ela também pode ter depressão… já conversaram sobre isso? E tenho mais uma coisa para te dizer, quando ela te diz para você procurar uma amante para deixa-la em paz, não é um bom sinal. Acredito que ela já não tenha mais o mesmo sentimento por você… Forte dizer isso, mas é uma grande possibilidade. Se quiser tentar algo para melhorar a freqüência sexual, sugira que ela tome suplementos com base em testosterona e pare com os anticoncepcionais. É uma alternativa, mas ainda acredito que o motivo é outro…

  • Choras suspenso ok? Quando liberar a caixa de mail, avisarei aqui!