10
Aug 2017
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

Gente, acho que não temos mais um dia fixo pro Chora né? Mas reparei uma coisa… quando tinha dia fixo, eu tinha que postar sim ou sim e as vezes EU não estava em um dia bom para aconselhar e os conselhos saiam meio tortos, secos, vazios… Percebi que para ajudar as pessoas, a gente tem que estar em um dia bom, com a sensibilidade aflorada, tranqüila. Hoje estou assim. Sentei para postar sobre moda mas me deu vontade de ler e ajudar alguns choras. Hoje é dia! Então vamos lá!

Chora 01 – Ilhabela

“Oi, Cony!

No comecinho do ano eu enviei um chora pra você (você postou como Ilhabela! rs). E hoje eu vim não pra um chora, mas pra agradecer (enviei um dm no insta há algum tempo, mas acredito que tenha muitas mensagens e não viu! Sem problemas, mando por aqui). 

Bom, não quero entrar em detalhes da cafajestagem que meu ex fez que me deixou em depressão duas vezes e piorou minha ansiedade, do momento mais difícil que passei na vida. Isso passou, isso é passado! 

Desde janeiro, muita coisa aconteceu: comprei meu carro, viajei com as amigas (e já vou fazer outras, uma delas pra sua terrinha natal!), fiz novas amizades, tô saindo horrores (e adoro), fiz sexo casual (santo tinder), arrumei um PA, estou saindo com uma pessoa super especial, mas o mais importante: estou cuidando e pensando SÓ em mim. Somente. Fiz a cirurgia íntima que queria (um alívio!) e neste exato momento estou te mandando este e-mail do hospital, pois hoje fiz minha mastopexia com silica (mais um super alívio! – lembra que falei do meu excesso de pele?). E eu não poderia estar mais contente e feliz comigo mesma! Tô leve, tô irradiante. Não curto espalhar felicidade por aí, a inveja é dominante, mas queria te passar esse feedback pois achei necessário. Eu cheguei a estar abaixo do fundo do poço, e quando tava me reerguendo (mas ainda com muitas cicatrizes das situações que ocorreram anteriormente), resolvi mandar aquele chora. O espaço que você deixa no seu blog é mara. E como você é uma pessoa do bem, aparecem só leitoras maras e do bem também! Li os comentários de coração aberto e bati o martelo de vez: esse ano eu vou pensar em mim e vou fazer sim, tudo por mim. E tá sendo assim. 

As cirurgias não são só estéticas: é a minha estima, minha insegurança, minha felicidade que estavam conectadas à elas. E isso mudou demais. 

As saídas, os boys, são por mim, fui podada por mais de uma década, me descobri como pessoa agora (e mais ainda, uma pessoa adulta e solteira! rs). A terapia é minha melhor amiga e não pretendo deixar mais. Os remédios que o psiquiatra passou já estão sendo cortados e eu estou por mim mesma. 

Enfim, espero que todas as pessoas que já mandaram o chora por aqui tenham absorvido os comentários da melhor maneira, de mente e coração abertos pra poder realmente receber a “ajuda” necessária e tentar mudar o que incomodava. 

Obrigada, Cony. Obrigada leitoras. 

Beijo grande e com muito carinho”

MEU DEUS QUE COISA MAIS LINDA! Ilhabela minha linda, vem cá me dar aqueeeeele abraço! Meu olhos encheram d’agua aqui de saber o quão bem você está e mais ainda saber nós tivemos uma parte na sua felicidade! Menina, é isso mesmo, seja você por você, faça o que te faz bem, não se culpe por dizer não a algo que não te agrada, viva a vida em sua plenitude, os anos passam tão rápido e depois não tem volta. Seja livre, seja gata, seja gostosa, seja leve, feliz, tudo isso para VOCÊ! Temos que pensar que somos nossa melhor companhia e ninguém quer alguém triste ao lado né? Fico muito, mas MUITO feliz por você, e espero de coração que sua recuperação, seja física e de alma, se concretize rapidinho. Obrigada por voltar e nos contar sua reviravolta. Somos donos da nossa vida e é maravilhoso quando resolvemos tomar as rédeas e seguir pelo melhor caminho. PARABÉNS! (O Chora da Ilhabela foi publicado no começo do ano, segue o LINK para quem quiser ler!)

 

 

Chora 02 – Jeri

Então, eu namorava um carinha e fiquei a fim de outro na faculdade.. Terminei com o boy e fiquei com o outro, mas logo o antigo namorado pediu para voltar e eu aceitei. Uns dois anos se passaram e voltei a me aproximar do cara da faculdade. Terminei novamente o namoro que na verdade já tinha se acabado há tempos e comecei a namorar com o menino que era da minha sala. Passei um ano “namorando escondida”, não apresentei ele aos meus pais porque sempre dava a desculpa que ainda era cedo, já que tinha acabado de sair de um relacionamento. No início do namoro eu era muito imatura, fazia questão de brigar por qualquer coisa, etc. Com o passar do tempo (para ser mais exata, com 2 anos de namoro), coloquei na minha cabeça que era a hora de casar. Fiz do nosso relacionamento um inferno insistindo com ele que deveríamos dar esse passo adiante, ele sempre me “prometia” para o ano seguinte mas nunca cumpria. Com isso várias brigas aconteceram, por minha culpa, eu sei. Hoje enxergo que eu agi errado e fiz pressão em algo que realmente era muito cedo. Só que esse assunto acabou se tornando um tabu entre nós. Hoje já temos 5 anos de namoro e nada desse papo entre nós. Não fazemos planos, ele não fala nada e nem eu, porque sei que errei lá atrás. Apesar disso, tenho uma enorme vontade de casar, construir uma família e tudo mais, porém as vezes fico com medo de imaginar quanto tempo mais essa espera vai durar. Hoje tenho 25 anos, sou formada, tenho um trabalho legal, ganho bem e ele também. Temos condições financeiras suficientes para dar início a essa nova fase da vida e pais que nos ajudariam ($$) no que fosse preciso. Como se não bastasse isso, ao mesmo tempo que morro de vontade de casar, fico imaginando como será a vida dos meus pais. Sou filha única e meus pais são aquele tipo de casal que só está junto por conveniência. Não saem, não namoram, não se curtem, ou seja, não se amam. Meu pai sempre foi um ogro, ignorante e agressivo (só de palavras, nunca chegou a agredir) com a minha mãe mas ela sempre se sujeitou a isso. Fico pensando como será a vida deles quando eu sair de casa, imaginando o tédio que será e o quanto vai ser dolorido para  a minha mãe passar a viver sozinha com ele. 

O que eu faço, Cony? Converso com o boy sobre casamento? Será que assustei tanto o rapaz a ponto dele nunca querer se casar comigo? E quando eu tiver que sair de casa, o que faço com meus pais? Só de pensar nisso já fico com o coração partido. Um lado meu morre de vontade de construir minha própria família, já o outro não querer largar os pais (principalmente minha mãe) de jeito nenhum. Até mesmo as vezes quando saio ou viajo, fico triste por ter que ficar longe da minha mãe, sinto como se eu fosse o alicerce dela. 

To confusa, me ajuda!

Você está totalmente sofrendo por antecipação! Primeiro que não tem casamento a vista, isso é só na sua cabeça. Segundo que está IMAGINANDO como seria quando sair da casa dos seus pais. Nenhuma das duas situações são reais, concretas ou em vias de acontecer. Acho que antes de mais nada, você deveria relaxar quanto ao assunto casamento. Isso tem que ser algo natural! Tudo o que é forçado, não é herdeiro. Você tem que observar sim, se ele tem esse objetivo também, se ele tem essa vontade. Se achar que ele tem e é questão de tempo, e você o ama o suficiente para esperar, espere. Mas se ele fala que não quer casar, fala contra o casamento dos outros, se mostra numa posição contraria, melhor repensar o namoro pois os dois estariam olhando para caminhos diferentes e ninguém está para perder tempo. Sobre seus pais, os filhos crescem e saem de casa. É o rumo natural das coisas, eles fizeram isso com os pais dele. Você tem que pensar em sua vida, nas suas vontades. Você casar não significa que seus pais deixarao de existir para você ou que você vai desaparecer da vida deles, é apenas um momento de ajuste. MAS, como nenhuma dessas preocupações são concretas, relaxa… aproveite o namoro e o colo dos pais enquanto pode.

 

Chora 03 – Pipa

Estou precisando muito debater um assunto (que nunca foi tratado aqui), que está me deixando bem indecisa.

O assunto é: mudar o nome para acrescentar o sobrenome do marido no casamento.

Vou me casar no final do ano e não gostaria de mudar meu nome. No entanto, meu noivo gostaria MUITO que eu mudasse e fica extremamente chateado/contrariado por eu não querer mudar. Já tivemos várias discussões nesse sentido e nunca conseguimos convencer um ao outro. Nas discussões, sempre concluímos que: de uma forma ou de outra, um dos dois vai ficar muito contrariado e vai “engolir” essa chateação. Eu sei que o nome é meu e a decisão é minha, mas eu não queria que meu casamento começasse com essa desavença. Gostaria de ter uma forma mais amigável de solucionar essa impasse, sem que seja uma simples imposição minha de que “não mudo e pronto”. O argumento do meu noivo é que a família precisa ter um nome e que fica estranho e “desconectado” o casal com sobrenomes diferentes. E que eu acrescentar o nome dele não representa submissão. Por outro lado, eu não quero justamente por achar que é um representação da sociedade machista. Além de gostar do nome que tenho desde que nasci, sem contar o trabalho que dá para alterar os documentos.

Enfim, esse tema já deu muito pano para manga entre nós e não conseguimos nos acertar. Fico aflita de pensar que está chegando a hora de marcar o civil, quando vou ter que tomar a decisão de uma vez. Por favor, gostaria muito de saber a sua opinião e das leitoras, e ver se alguém já passou por situação semelhante.

Obrigada! Amo muito o blog e a interação que temos por aqui. 🙂

Menina, acho que aqui vou pedir ajuda das leitoras porque meu conselho seria meio vazio por falta de conhecimento ou experiência. Nunca casei, já fui noiva duas vezes mas nunca pensei sobre esse assunto. A única coisa que penso é na trabalheira de mudar os documentos e depois se separar, mudar tudo de novo. Eu não mudaria meu nome somente por causa disso. Quanto ao lance da submissão ou machismo, nem vejo assim… até concordo com seu noivo sobre a família ter uma conexão pelo nome, mas sinceramente, jamais pensei por esse lado… Acho que hoje em dia até ele pode pegar seu nome não??? O que vocês acham leitorinhas lindas?

 

  • Tá angustiada, aflita, coraçãozinho apertado com alguma situação? Manda pra gente que faremos uma terapia em grupo! Mande seu caso para constanza@futilish.com, no assunto colocar CHORA QUE EU TE ESCUTO, e tente ser resumida na história tá?
165 Comentários
  1. #1
    Juliana
    10.08.2017 - 13:01

    Pipa, casei e alterei o nome, mesmo não adorando a idéia, e pensando como você. O que me convenceu é que gostaria de ter o mesmo sobrenome dos meus filhos – tenho 3. Então, na verdade fiz essa concessão por eles, e não me arrependo!
    Beijos

    • #2
      Paula
      10.08.2017 - 15:48

      os seus filhos não tem o seu nome de solteira?

      • #3
        Aninha
        11.08.2017 - 14:47

        Paula, o caso dela é igual ao meu. Vou colocar no meu filho o meu sobrenome e o do marido. E eu incluí o do marido depois do meu, assim eu eu meu filho teremos os 2 sobrenomes iguais!

  2. #4
    Mariana
    10.08.2017 - 13:11

    Para a Pipa: eu só mudaria de nome se ele mudasse também. Se quer tanto assim ter um nome da família, então que seja dos dois. Ele achar que o nome dele tem que ser o nome da família é machismo sim.
    Enfim, eu, particularmente, jamais mudaria de nome. O nome é meu, representa quem eu sou, e eu sou “fulana de tal” e não “fulana de tal do marido”.
    Olha, é difícil sim começar o casamento já com um impasse, mas ele tem que entender que o nome é a identidade da pessoa, e ele tentar te obrigar a mudar de nome é obrigar a mudar a sua identidade. É muito mais do que só trabalheira de documentos…
    E se ele puder mandar no seu nome, não quero pensar no que mais irá mandar.

    • #5
      Luciana
      10.08.2017 - 15:04

      Pipa,
      Concordo com a Mariana. Falo com conhecimento de causa. Sou casada há nove anos (casei com 23 anos) e mesmo com com a pouca maturidade da época me incomodava muito a sensação de perda de identidade, de deixar de ser a Luciana X.Y. , p ser alguma outra coisa com um nome a mais ou tirando o sobrenome de um dos meus pais (o que me incomodava ainda mais). Naquela época meu marido chegou a reclamar e como a Mariana sugeriu disse que ele poderia entao pegar o meu… Ele desconversou e acabou aceitando. Isso não afetou minha relação em nada e felizmente não precisei trocar toda a minha documentação, ou justificar a cada renovação de passaporte a minha troca de sobrenome… 🙂 Até hoje no entanto, vez outra, se surge o assunto ele me dá uma alfinetadinha… Mas vida que segue…

    • #6
      Rubia Mendes
      11.08.2017 - 11:01

      Exato!

      Sugere isso pra ele.
      “Coloco o seu e vc coloca o meu”.
      Provavelmente ele não vai querer e vc vai ficar livre.

      • #7
        Luana
        14.08.2017 - 17:18

        Kkkkkkkk excelente solucao. Os dois abrem mao um pouquinho.

    • #8
      Lorena
      18.08.2017 - 18:16

      Eu acho acrescentar o nome do marido muito brega – tanto quanto a imagem que ilustra o final do post!

      Sério, é muito ultrapassado, é uma tradição que fazia sentido no passado, quando as coisas eram diferentes e a mulher deixava de ser propriedade ou de responsabilidade (para ficar mais leve) do pai para ser do marido. Os tempos são outros, somos donas dos nossos próprios destinos.

      Claro que algumas mulheres não concordam comigo e acham até romântico. Então, como agora podemos fazer o que QUISERMOS, que estas acrescentem o sobrenome do marido e sejam felizes.

      Pipa,
      como esse não era o seu caso, você não queria mudar o seu nome, fico feliz que tenha decidido respeitar a sua vontade.

      • #9
        Lorena
        19.08.2017 - 14:40

        Ops, eu cliquei em responder o comentário da Mariana para dizer que concordo com ela e depois fui lendo tantos tantos outros… Achei que o meu ia sair lá embaixo.

  3. #10
    Isabela
    10.08.2017 - 13:11

    Eu mudei o meu nome porque EU queria.
    Acho que você tem que pensar por quais motivos você não gistaria de mudar seu nome e por quais motivos ele gostaria que você mudasse e refletir sobre isso.
    Mas a decisão é sua!

  4. #11
    marina
    10.08.2017 - 13:18

    Pipa, super entendo a sua indecisão… Se eu fosse me casar hoje, não mudaria meu nome (pelos mesmos motivos que você). Conheço um casal que adotou um idéia (no meu ponto de vista, genial) e que pode te ajudar: ambos alteraram os nomes. Ela incluiu o sobrenome dele e ele incluiu o sobrenome dela…

    • #12
      larissa pimentel
      10.08.2017 - 15:10

      Ué… mas não fica meio estranho? Não acho genial…
      João Pereira Santos
      Marcela Santos Pereira

      Concordo com as meninas que disseram que é machismo SIM. Por que é tão importante você colocar o nome dele e não tão importante ele colocar o seu? Eu jamais trocaria também.

      • #13
        Marina
        11.08.2017 - 13:09

        Se vc alterar a ordem dos sobrenomes, eles ficaram iguais!!! E vc tem todo p direito de não achar genial, eu continuo achando!

        • #14
          marcella mascarenhas
          11.08.2017 - 17:38

          Pra mim fica parecendo nome de irmão e não nome de marido-mulher.

      • #15
        Mari
        11.08.2017 - 18:16

        Você pode escolher a ordem, aí ficaria:
        João Santos Pereira
        Marcela Santos Pereira
        Família Santos Pereira…

  5. #16
    Mariana
    10.08.2017 - 13:19

    Pipa, já que teu noivo faz tanta questão que vcs tenham o mesmo sobrenome e ele alega que isso seria uma “conexão familiar” e não submissão/machismo, sugere que ele adote o seu sobrenome. Já faz alguns anos que é permitido. Segue reportagem: http://www.anoreg.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=28967%3Anumero-de-maridos-que-adotaram-sobrenome-da-esposa-cresceu-no-parana&catid=64%3Anoticias&Itemid=184

    Se mesmo assim ele não topar e alegar que precisa ser O DELE a prevalescer… bom, aí talvez role um machismo velado mesmo que inconscientemente.

  6. #17
    Daniela Monma
    10.08.2017 - 13:23

    Sobre o nome eu acho q é uma coisa super pessoal. Eu me casei a 1 mês e mudei meu nome, foi uma escolha só minha, sem pressão nem nada, mas achei bacana ter o nome da nossa família que tá começando e qto a burocracia nem é nada demais, em 1 semana mudei tudo e foi super tranquilo. Posso falar, a coisa que mais fez valer a pena a mudança foi a felicidade do meu sogro, sério nem toda dificuldade do mundo tiraria a alegria de ver a felicidade dele em eu estar carregando o nome da família dele.

  7. #18
    Paula
    10.08.2017 - 13:23

    Oiii, estou casada à dois anos e não mudei meu nome. Isso nunca gerou uma discussão entre nós dois, apenas qnd concertos sobre isso uma única vez, foi falado “amor, acho que não vou mudar meu nome” e a resposta foi “eu gostaria que vc mudasse, mas o nome é seu e a decisão é sua”. Eu não mudei, não por qualquer motivo de sociedade machista (o que é mesmo, essa tradição é completamente sem propósito real, apenas serve pra ligar a mulher ao homem), mas pq teria que mudar todos os documentos, passaporte, visto, etc e não queria ter esse trabalho, fora que receber o nome dele não muda em nada a nossa relação é nosso sentimento. Se seu noivo faz tanta questão que vc mude seu nome, seria legal que ele mudasse o dele tbm, assim, os dois mudariam o nome e receberiam o nome do parceiro, visto que um dos motivos de vc não querer mudar seja o machismo por trás dessa tradição, assim os dois estariam em igualdade e mudariam os nomes. Na minha opinião é algo tão fútil pra ser discutido numa relação, um nome não muda em absolutamente não, não “une” a família, não cria laço nenhum, o que cria laço são os sentimentos, o respeito e o dia a dia. Enfim, de essa sugestão ao seu noivo, trocar os dois o nome. Beijos e boa sorte!

  8. #19
    Paula
    10.08.2017 - 13:29

    Quando discutimos***** , não quando concertos !
    Aff, foi o corretor !

  9. #20
    Rafaela
    10.08.2017 - 13:31

    Meu conselho hoje vai para Pipa! Coincidentemente estava pensando sobre isso esses dias! Sou casada há pouco tempo, e não pensei duas vezes, sempre quis acrescentar o nome do meu marido ao meu! Atualmente, muitas mulheres discutem, não aceitam! Mas vou te contar o que fez eu não ter dúvidas: vc não precisa retirar nenhum dos seus; o trabalho para mudar os documentos não é nenhum bicho de sete cabeças; se vc vai casar, e pensa que não quer mudar pela possibilidade de divórcio, nem casa, pq se casar já pensando nessa possibilidade, é pessimismo ou falta de gostar demais; e eu prefiro a possibilidade de viver a vida com o sobrenome em comum do que viver uma vida pensando se deveria ou não ter acrescentado o nome de família (imagina, vc fica casada, não divorcia, e sabe que não acrescentou o nome pelo receio de divórcio ou por trabalho de mudar os documentos?) É melhor apostar que vai dar certo!

    • #21
      larissa pimentel
      10.08.2017 - 15:19

      Não acho que seja pessimismo. É uma possibilidade real de acontecer. Ninguém casa pensando em se separar, mas acontece e acho normal a pessoa pensar nisso. O processo de divórcio por si só já é estressante, imagina depois ter que reunir documentos pra trocar o nome de volta? Muito desgastante emocionalmente também.

    • #22
      Fernanda
      11.08.2017 - 17:44

      Perfeito seu comentário…
      Também não pensei duas vezes, sempre quis ter um nome de família com meu marido e com meus futuros filhos!! No cartório fui informada que podia trocar os documentos a medida em que eles fossem vencendo, e assim o fiz… estou casada há 7 anos e não tive nenhum trabalho para trocar meus documentos além do que já teria, e também não tive nenhum problema quando usava os documentos antigos!!
      Não entendo quem casa pensando na possibilidade de se separar… seguindo esse raciocínio, melhor nem casar pq é mais prático se não der certo!!!

  10. #23
    Jéssica Diane
    10.08.2017 - 13:35

    Adorei TAAAAAAAAAAAAAAANTO o primeiro chora, que acho que agora não quero mais ler os outros…hehehe

    • #24
      Constanza
      10.08.2017 - 14:22

      Hahahahahahaha ♥️♥️♥️♥️

  11. #25
    Priscila
    10.08.2017 - 13:37

    Passei exatamente por isso quando me casei no ano passado… Tinha total convicção de que não mudaria o meu nome nunca por praticidade e por convicção msm, mas sucumbi à ideia quando pensei nos nomes dos futuros filhos. Acho bacana a mãe ter o mesmo sobrenome dos filhos, então achei que daria pra tirar o nome do meu pai (Da Silva) e colocar o dele sem problemas (meu nome ficaria até mais legal… rs). Combinamos tudo e ficamos ok, mas só esqueci de um detalhe básico: me certificar de que essa alteração poderia ser feita antes do dia (e nenhum cartório permite isso). Resumindo minha história: no cartório, com meus pais e ele junto, fiquei sabendo que não poderia fazer isso e tive 1 min pra decidir o que fazer. Acabei acrescentando o nome dele ao meu de solteira pra agradar e me arrependi logo em seguida…. kkkk Enfim, se não é vontade sua, não faça! Depois a raiva dele passa e vc evita um enorme transtorno… Até hoje ainda n troquei todos os documentos e não gostei de como meu nome ficou… Espero que tenha ajudado com meu testamento… kkk 🙂
    Bjos

  12. #26
    Carol
    10.08.2017 - 13:37

    Caso 2, jeri, tbm sempre tive essa preocupação em relação aos meus pais, que tbm não eram próximos e não queria “abandonar” minha mãe pra sair de casa. Me doeu mto tomar essa decisão, mas o mais surpreendente, eles se reaproximaram mto com a minha saída! Pense que pode nao ser tão ruim como vc imagina!

  13. #27
    Raquel
    10.08.2017 - 13:41

    Pipa, eu tenho o mesmo pensamento que vc. Isso de mudar o nome é totalmente arcaico, da época que a mulher deixava de ser propriedade do pai, pra virar do marido.
    Eu adoro meu sobrenome, é a minha origem, e eu apelo nos argumentos, já falei pro meu noivo que eu considero uma desfeita com meus pais tirar o sobrenome da minha família.kkkkkkkk

    Ainda bem que ele entende e sabe também a burocracia que dá refazer os documentos.
    Acho que em um relacionamento tem coisas que não dá pra abrir mão, senão vc acaba perdendo a personalidade e virando outra pessoa.

    Insista com seu noivo na sua vontade e na importância que isso representa pra vc. Vocês não deixarão de ser uma família por isso. Até porque, se for por essa linha de pensamento, o sobrenome da família dele que irá sobrepor a da sua. E isso não parece muito respeitoso também.

  14. #28
    Jéssica Diane
    10.08.2017 - 13:43

    Pipa, eu sou casada e não mudei meu nome, acho sinceramente BEEEEMMMM tosco mudar de nome pq casou, parece imóvel que o noivo foi lá e passou pro nome dele, sei lá ahahhahaha, MAS meu marido nunca se importou com isso. Acho que se ficar nesse impasse, mudem os nomes OS DOIS e pronto, assunto encerrado. Agora, se ele quer mudar só o seu e não o dele… sei lá, né? Seria muito estranho.

    Beijos, e boa sorte <3

    • #29
      Juliana
      10.08.2017 - 15:19

      HAHAHAHAHAHAHAH

      Comentário sensacional!

    • #30
      Raquel
      11.08.2017 - 03:47

      Kkkkkkk eu penso a mesma coisa!
      Mais cafona que a mudança, só a daminha no casamento segurando uma placa “Ele roubou meu coração e eu roubei o sobrenome dele” PQP!
      É olha que me considero romântica, mas isso já é demais até pra mim kkkkkkkk

      • #31
        Jéssica Diane
        14.08.2017 - 12:24

        Essa plaquinha eu nunca vi! MEU DEUS QUE BREGA hsuahsuausuahushaushuahushuasuahs

    • #32
      Luana
      14.08.2017 - 17:23

      KAKAKAKAKAKAKA

      Melhor comentario!!

    • #33
      Natalie
      15.08.2017 - 09:17

      Eu também bem uó mudar o nome. Nunca quis. Casei em dezembro e estou com o MEU nome, que meus pais me deram, que vivi 35 anos, que está na minha certidão de nascimento. Jamais mudaria MEU nome

    • #34
      Natalie
      15.08.2017 - 09:18

      faltou o *acho

  15. #35
    Tete
    10.08.2017 - 13:46

    Oi Pipa!

    Também casei e não adotei o nome do marido. Já pensava nisso desde sempre, que queria continuar com o meu nome de nascença. Também vejo um pouco como machista essa questão da mulher carregar o sobrenome do marido.

    Se seu noivo acha que a família precisa ter um nome, porque ele não acrescenta o seu sobrenome? É possível sabia?

    No começo meu marido ficou chateado, mas conversamos e com o tempo tudo ficou bem. Hoje em dia nem tocamos mais nesse assunto.

    Espero que vocês se resolvam e que tudo fique bem!! : )

  16. #36
    Lola
    10.08.2017 - 13:46

    Parabéns pra Ilhabela, ser feliz é bondimais <333

    E gente, queria ter essa sorte no tinder 🙁
    Tô usando, mas juro que só tem bomba, dá tristeza, só passo pra esquerda. Os caras que dou like, não me dão, ou seja, nada de match, chega a auto estima vai lá embaixo.
    Quando eu saio, me sentindo maravilhosa, ninguém chega em mim também, mas claro que mesmo assim me divirto muito, encontrar alguém não não é meu foco principal, mas se sentir sozinha assim é chato né?

    Caso 2, Jeri. Amiga, É o que a Cony disse, primeiro que você tem que ver se ele realmente quer casar e baixar suas expectativas um pouco. Se ele não quiser, acaba essa enrolação, vai viver sua vida e encontrar depois alguém que queira a mesma coisa que você.
    Às vezes também penso nos meus pais quando sair de casa, mas a gente não pode parar nossa vida por causa deles, eles tinham vida própria antes de você e vão se resolver depois que você sair, juntos ou não.

    Caso 3 – Pipa, Menina, se eu for casar um dia penso nisso também, sabia? Tenho um nome enorme, seria uma chatice mudar pra acrescentar nome do marido. Eu já tenho vontade de diminuir, pra falar a verdade.
    Nos EUA tá sendo muito comum elas não acrescentarem o nome do marido, acrescentar tipo Soares-Souza ou como a Cony disse, o marido pegar o da esposa hehe
    Vamos ver o que mais dizem aqui, eu não sei como ajudar.

  17. #37
    Natalie
    10.08.2017 - 13:47

    Para Pipa:
    Casei faz três anos e adicionei o nome do meu marido ao meu…ficou gigante hahah mas continuo usando o meu em muitos momentos, pq muita gente me conhece por ele. É uma chatice mudar os documentos mas não é nada de outro mundo…eu troquei até agora identidade, cpf e carteira de trabalho…o resto (passaporte, carteira de motorista, etc) tô esperando vencer pra renovar. Nossa filha só tem o sobrenome dele pq achamos que ficaria muito grande ter todos (alguns formulários nem consigo colocar todo o meu), e vida que segue. Adicionar o dele ao seu não vai te fazer desaparecer, é só um acréscimo…e vc vai ter mais sobrenomes para usar, dependendo do dia, você escolhe o que mais te representa no momento hehe bjos e boa sorte no casamento 🙂

    • #38
      larissa pimentel
      10.08.2017 - 15:24

      Não é só escolher um por dia… aí vc se engana. O que vale vai ser sempre o último, que será o do marido. Esquisito sua filha só ter o nome do seu marido… nada a ver isso do nome ser gigante, você podia ter colocado 1 sobrenome seu, é permitido. Uma amiga botou o nome do filho só o primeiro sobrenome dela (que é o da mãe) e o último do marido.

      • #39
        Natalie
        10.08.2017 - 20:48

        Isso depende muito. No consultório da minha médica, por exemplo, sou Natalie Pereira (sobrenome da minha mãe) e não Valente (do meu marido!). E não acho esquisito minha filha só ter o sobrenome do meu marido (aliás, eu concordei com isso né haha e sei que é permitido), tenho várias amigas que só têm o do pai e isso nunca foi problema nenhum. No caso da Pipa, na minha opinião, não vejo problema nenhum em adicionar o nome do marido, mas se isso vai ser algo que ela vai ficar desconfortável, é só não fazer. E sinceramente, isso é só um de vários impasses que muitas vezes surgem num casamento né…se tudo se resumisse a escolher um sobrenome, tava tranquilo! 🙂

  18. #40
    Rosângela
    10.08.2017 - 13:55

    *Ilha Bela* parabéns pela sua liberdade e descorberta de si mesma, concordo plenamente que somos nossa melhor companhia.

    *Jeri*, comece a planejar a sua vida o seu futuro e vê como o seu namorado vai se comportar, comece planejando a compra do seu novo lar e assim já vai ver o comportamento dele e o do seus pais, as vezes eles estão só esperando voce tomar um ruma na vida para eles assim deciderem o que fazer, já pensou nisso?
    *Pipa* eu quando me casei adotei o nome do meu marido e não me deu muito trabalho não viu, foi no poupa tempo faz quase tudo, só a carteira de trabalho é na caixa e no seu banco, eu acho muito legal essa conexao dos nomes eu gosto e ele também pode adotar o seu, faça esta proposta eu pego o seu e voce o meu e veja no que vai dar.
    Boa sorte meninas.

    • #41
      larissa pimentel
      10.08.2017 - 15:27

      Isso mesmo, dá um chacoalhão nesse namorado. Sério amiga, senão você vai ficar mais anos e anos nessa lenga lenga e quando ver passaram 5 anos nessa enrolação porque “voce nao quer tocar no assunto já que falou disso há 10 anos atrás”. A vida é curta pra perder tempo com quem está em outra sintonia. Você tem 25 anos apenas, pelamor!!! Não precisa encostar o namorado na parede, mas faz que nem a amiga falou, vai dando pistas de que quer sair de casa, vê apto pra alugar, sei lá. Vai semostrando independente também. Tem homem que só pega no tranco. Uma amiga ficou numa enrolação assim até que ela terminou. Uns meses depois o cara pediu pra voltar, arrasado. Ela disse que só voltava se fosse pra casar, e com data marcada, sem lenga lenga. Em menos de um ano eles casaram.

      • #42
        larissa pimentel
        10.08.2017 - 15:27

        E se não for pra ser, não vai ser.

  19. #43
    Juliana
    10.08.2017 - 14:01

    Chora 3, não mude seu nome! Dá uma trabalheira danada. Vou contar o que aconteceu com a minha mãe: quando ela casou pegou o nome do meu pai. Depois eles se separaram e foi aquela trabalheira pra mudar tudo novamente. Deu até problema na aposentadoria dela, porque ela era professora em 2 escolas estaduais, uma com nome de solteira e outra já com o nome de casada. E o diploma da faculdade com nome de solteira também. Eu ainda não casei, já tive a fase de pensar em usar o nome de um futuro marido, mas hoje tenho certeza que vou ficar com o meu nome o resto da vida.
    A Cony tem razão, o seu noivo pode adotar o seu nome também. E você pode adotar o dele e ele adotar o seu, ao mesmo tempo. Eu sei que é chato já começar um casamento assim, brigando, mas é como você falou, alguém vai ter que engolir o sapo.
    Sugira a ele a adotar o seu nome também.Mas eu acho que essa decisão tem que ser só sua.. se for pra alguém ficar chateado, que seja o seu noivo… afinal, o trabalho de mudar todos os documentos vai ser seu. Não vejo problema na família ser “desconectada” pelo nome. Vamos combinar que isso é uma coisa pra sociedade ver, porque a conexão de uma família vai muito além disso. Nos filhos de vocês coloca os nomes de todo mundo e pronto. Vocês não serão “menos conectados” por causa disso.
    Praticidade!

  20. #44
    Mayra
    10.08.2017 - 14:02

    Sofri caso semelhante quando casei e tive meus filhos. Na época só a esposa escolhia se alterava ou não o sobrenome.Gostaria de suprimir um deles e adotar o primeiro sobrenome ( tradicional italiano) do meu esposo, mas não era autorizado. Por pressão de todos, acabei só incluindo o ultimo sobrenome dele. Quando nossos filhos nasceram, tinha a possibilidade de colocar os 2 sobrenomes do pai ou o ultimo sobrenome de cada família. Foi o que fizemos. Masssss esse é um assunto que causa constrangimentos, pq nem eu, nem nossos 2 filhos gostamos do sobrenome que temos. Hoje, é possível o marido adotar o sobrenome da esposa,e já que esse é o argumento do seu noivo, pq não sugere a ele a alteração? E quando os filhos vierem, colocam o sobrenome dos 2, assim a família terá sua identidade.

  21. #45
    Nina
    10.08.2017 - 14:07

    Pipa
    O meu argumento com o meu marido foi a dificuldade em mudar documentos e coisas importantes q estao no meu nome. Nao apebas documentos… por exemplo artigo ou qualquer producao cientifica que vc fez necessita de uma errata para que voce continue certificando que sao da sua autoria em concursos ou processos seletivos. Alem disso eu estava c a cidadania europeia para ser aprovada proximo a data do casamento… entao por praticidade optamos por nao mudar! Acho esse argumento mtoooo valido!!!

  22. #46
    Fernanda
    10.08.2017 - 14:08

    Resposta pra Pipa – eu nunca tive uma opinião 100% formada quanto a mudar de nome ou não, mas recentemente minha família conseguiu a cidadania italiana. Lá eles não acrescentam de jeito nenhum o sobrenome do marido no passaporte da mulher e isso está causando problemas para minha mãe e minha tia que estão com nomes brasileiros e italianos diferentes. Conclusão que eu cheguei – se vc tiver chance de conseguir a cidadania italiana, não adicione nome nenhum!!! (agora eu já sei q não vou adicionar nada quando/se casar)

  23. #47
    MARINA
    10.08.2017 - 14:10

    Pipa, eu vivi a mesma situação que você quando estava pra casar. Eu sempre pensei, desde nova, que quando casasse não iria trocar o meu nome. Motivo 1: sou filha de pais separados e “sofria” sempre que precisava colocar o nome da minha mãe em alguma documentação pelo fato dela ter trocado de nome quando casou e novamente quando se separou. Esse “sofria” a que eu me refiro é por conta da confusão que as pessoas faziam e não sabiam explicar que nome colocar nas minhas documentações (o nome de solteira ou de casada da minha mãe). Jurei pra mim mesma que quando eu casasse não ia mudar meu nome, pra que meu filho/filha não passasse pela mesma coisa que eu. O segundo motivo que não me fazia ter vontade de mudar meu nome é o mesmo que você também citou: eu adoro meu nome. Não via sentido nenhum em mudar. É como se eu fosse deixar de ser eu, rs. Quando decidimos casar, meu marido (namorado na época) partiu do princípio que eu trocaria de nome e eu sabia que ele esperava por isso. Protelei o quanto pude mas chegou uma hora que não dava mais pra não conversar sobre isso. Minha dica é: fale com naturalidade e segurança sobre a sua vontade, sem medo, sem fazer alarde sobre isso, como se fosse o fim do mundo. Não é! Deu certo pra mim! Espero ter ajudado. Um beijo e bom casamento!

  24. #48
    Cássia
    10.08.2017 - 14:14

    Meu comentário vai para Pipa. Já casei duas vezes. No primeiro coloquei o sobrenome do meu ex. Além do meu nome ter ficado gigante foi um saco quando separamos e tive que mudar toda a documentação. Até hoje, 11 anos depois tem coisa que vem com o maldito sobrenome. Quando casei pela segunda vez não mudei. Meu marido tem um sobrenome legal, a família dele toda é reconhecida pelo sobrenome mas não mudei. Nossos filhos tem nossos sobrenomes e isso pra mim é a nossa conexão. Se seu noivo faz tanta questão tenta sugerir que ele acrescente o seu sobrenome também. Conheço muitos casais que fizeram isso. Aí a conexão é de mão dupla. 😉 Boa sorte!

  25. #49
    Jaciara
    10.08.2017 - 14:16

    Pipa,
    Eu não alterei meu nome, bati o pé e tomei a decisão. Não me arrependo e isso nunca mais foi assunto em casa. Se ele faz tanta questão assim da família ter o mesmo sobrenome, vc pode pedir a ele colocar o seu tb. Assim, ficamos 2 e os filhos com o mesmo sobrenome, ninguém se submete a ninguém e todo mundo sai igual do acordo. A Lei permite desde 2001, nem é novidade mais, mas todo mundo só pensa na mulher colocar o nome.

  26. #50
    Mi
    10.08.2017 - 14:29

    Hoje vou falar um pouquinho pra Jeri (meu lugar favorito da vida!)…
    Quando me casei, alguns anos atrás, tinha esse medo de deixar a casa dos meus pais… Graças a Deus a convivência deles é ótima (até acho que melhorou depois que sai de casa), então isso não era um problema.
    Mas eu era (sou) MUITO companheira da minha mãe, eu a levo ao médico, ao shopping para fazer compras, enfim, fazemos o máximo de coisas que conseguimos juntas (e amo isso). Meu medo era deles se sentirem abandonados por mim… No começo, eu chorava querendo voltar pra casa, hahaha, coitado do meu marido!
    Mas isso passou, aprendemos a conviver com isso, e de jeito nenhum rolou esse “abandono”.
    Meu conselho é que você relaxe, viva o hoje! Quando for a hora de pensar sobre isso, as coisas irão fluir naturalmente … Como diziam antigamente, não coloque o carro à frente dos bois!

  27. #51
    Lia
    10.08.2017 - 14:43

    Eu não mudaria, minha mãe não pegou o sobrenome do meu pai e a família e muito unida e feliz, uma amiga minha colocou sobrenome do marido, ja separou e ele nem dá atenção pra filha, não é o nome que vai fortalecer ou enfraquecer a família.
    Ademais coloca os sobrenomes dos dois nos filhos,ou as crianças so tem família por parte de pai?

  28. #52
    Karina Dantas
    10.08.2017 - 14:44

    Pipa, gata, se você não tem vontade, NÃO MUDE. Sério! Experiência própria. Nunca quis mudar.. aliás, acrescentar né? Acabei sendo coagida a isso no cartório na hora de dar entrada na papelada do casamento. EU poderia ter batido o pé e dito não? POderia. Mas não fiz. E me arrependo. Resultado: além de não ser o último sobrenome dele que ele fez questão de eu por no meu, já que ele era brigado com o pai e me “deu” o sobrenome da mãe, (ou seja, não viramos Sr. e Sra. Alguma Coisa e sim Sr. Alguma Coisa e Sra. Outra Coisa), a burocracia de mudar todos os documentos é irritante. Já passei perrengue por isso.

    Agora adivinha? Oito anos depois estamos nos divorciando e vou ter de passar todo o perrengue de novo de mudar novamente os documentos. Nunca usei o sobrenome herdado. Desde cedo, usava o sobrenome do meu pai e até hoje é assim. Logo, aconselho a todo mundo que conheço: se você não quiser ou tiver dúvidas, não faça.

  29. #53
    Luiza
    10.08.2017 - 14:48

    Cony, amei sua sinceridade!!! Não precisamos de Chora em dia marcados, mas precisaremos sempre de suas palavras escritas de coração!!!

    Caso 1: Coisa mais linda!!!! Vida que segue!!!

    Caso 2: A Cony disse tudo!! Amiga 25 e já está desesperada pra casar?

    Caso 3: não acho machismo a história do nome, acho que é algo tradicional. Usar essa medida de “só mudo se vc mudar o seu tb” bem infantil, mas talvez ele goste da ideia e funcione no seu caso. Agora não mudar pq “depois qd separa é dureza” é brincadeira ne… se ja pensa em separar pra que casar gente? Casar nunca foi e nunca será algo prático, é trabalhoso. Mude se sentir vontade, se achar que vale a pena agradar o marido. Boa sorte!

    • #54
      Laís
      11.08.2017 - 10:03

      Concordo plenamente com você a respeito do caso 3!

    • #55
      Luana
      14.08.2017 - 17:30

      Amiga, com todo o respeito, acho que o que eh infantil eh o homem querer impor a mulher que adote o sobrenome DELE!

  30. #56
    Jaque
    10.08.2017 - 14:57

    Pipa,
    Sei que está começando uma nova vida com todo o otimismo que tem, e torço para que tenham sucesso como casal. Mas tenho dois alertas a fazer.Primeiro: começar cedendo em algo importante pra você, é perigoso por que, de certa forma gera um “crédito” que dificilmente ele vai querer pagar. Estamos falando de como você se identifica e do peso que essa troca tem nessa identificação (considerando também a imposição e o machismo). Segundo: não existe garantia de que durará pra sempre.E se um dia terminar, esse é um dos fatores mais desgastantes e desagradáveis de uma separação. Eu mudei o meu nome pra agradar, passei o casamento arrependida (até porque não agradou o suficiente e sempre que tocava nesse tópico eu via caretas e recebia indiretas) e quando me separei tive um trabalhão para mudar tudo. Porém, até hoje (5 anos depois) recebo correspondências, físicas e virtuais, com o sobrenome dele quando acaba sendo inevitável voltar a ser aquela pessoa com a qual não me identifico mais, mesmo que por alguns segundos.
    No seu relato eu percebo que tem um forte instinto do que é melhor pra você, o siga!

  31. #57
    Cacá
    10.08.2017 - 15:22

    Adoro os choras. Fiquei feliz pela Ilhabela também.

    Quanto a Jeri, eu não tiraria uma vírgula do seu conselho. Adorei e não conseguiria dizer nada melhor do que você.

    Já para a Pipa, eu entendi o argumento do noivo, mas confesso que também não trocaria meu nome. Tanto pela trabalheira que daria quanto por gostar do meu nome como está. Mas compreendo a dificuldade que deve ser o caso dela, pois um dos dois vai ter que abrir mão. Como resolver isso também não sei, pois não adianta ficar batendo o pé. Eu conversaria com mais pessoas que passaram por essa situação, para mostrar para ele que a ligação está no coração e não no nome, e que muitos casais hoje em dia permanecem com seus nomes e, no fim das contas, não muda nada. Mas boa sorte e sucesso no casamento!

  32. #58
    Érika
    10.08.2017 - 15:24

    Pipa, não altera o seu nome, dá muita trabalheira sim!!!! Essas que falam que não dá devem ficar em casa o dia todo com tempo de sobra para tirar documentos.

    • #59
      Janaina
      11.08.2017 - 09:19

      Nossa, quanta hostilidade! Dona da razão!

    • #60
      Jéssica Diane
      11.08.2017 - 11:14

      hahahahahahah verdade

    • #61
      Isa
      15.08.2017 - 12:54

      Dá um puta trabalho mudar documento sim! Principalmente porque esses lugares só funcionam em horário comercial e vejam só: é exatamente o mesmo horário em que vc trabalha! Então, SIM! Tem que ter disponibilidade pra resolver as coisas… faltar trabalho, pedir pro chefe, compensar horário depois…

  33. #62
    Liz
    10.08.2017 - 15:34

    Pipa,

    eu penso o seguinte: tem gente que acha lindo mudar o sobrenome, acrescentar o do marido, ter o nome “da família”. Tem gente que não (e eu sou dessas). Então se isso não é importante pra você, se te incomoda, não faça! Essa preocupação de já começar a vida a dois com esse impasse não faz sentido se a gente pensar que você tem que ceder por uma coisa que diz respeito à sua personalidade (e não estou nem falando do trabalho de mudar tudo). Porque não ele ceder?!?

    Acredito que isso é pessoal e pelo que vi te incomoda, senão nem estaria com essa dúvida.

    Eu sou casada a quase 10 anos e em nenhum momento passou pela minha cabeça mudar meu nome (acho machismo, sentimento de propriedade). Meu marido na época só disse assim:”Eu gostaria que você colocasse, mas a decisão é sua e vou respeitar”. Ainda bem que ele teve esse bom senso porque eu não mudaria de ideia! Sei lá, meu nome é minha identidade, é minha família que me criou e amou a vida toda! Meus pais são casados e nosso sobrenome (meu e de meus irmãos) é igual ao de minha mãe. Mas sério, isso não faz diferença NENHUMA pra mim! Não é por isso que sinto que somos mais família do que quem tem nomes diferentes!

    Enfim, acredito que deve fazer o que faz você feliz. Mas VOCÊ, não seu noivo! Se quer mudar, mude mas de coração! Não por medo de chatea-lo porque a vida a dois ainda vai coloca-los em vários impasses e os dois tem que aprender a ceder.

  34. #63
    Eliane Mattos
    10.08.2017 - 15:48

    Pipa: eu não mudaria o nome. Sou divorciada e sei o “parto” q foi p retirar o sobrenome. Até hj ainda tenho documentos com o nome de casada. Sem falar na grana gasta p retirar a 2ª via dos documentos. Para os filhos, coloque um seu e o dele.

  35. #64
    Christina
    10.08.2017 - 15:49

    *Ilhabela Lendo sua história, parecia que eu estava lendo a minha! Muitas coincidências…rs 10 anos de relacionamento, melhores amigas, companhia para sair, enfim, estou passando pela mesma situação.
    Tô quase instalando o Tinder…rs
    Agora só falta começar a sair novamente, conhecer novas pessoas, mas tenho muita dificuldade…sniff

  36. #65
    Helen
    10.08.2017 - 15:59

    Pipa, eu casei há 2 anos e decidi sozinha que queria ter o sobrenome do meu marido. Atualmente você não pode retirar mais nenhum sobrenome de solteira, mas como meu nome era pequeno não me importei. Acho o sobrenome do meu marido lindo e não me arrependo. Acho até legal quando alguém me chama pelo sobrenome. E quem te conhece há muitos anos pelo sobrenome de solteira vai continuar te chamando assim, pois na verdade, é quem você é!!!! Você não deixa de ser quem é ou apaga sua história quando casa!!!!! Pense com carinho e tome a decisão pensando em você sempre em primeiro lugar. Bjs

    • #66
      Ana
      11.08.2017 - 13:46

      Dependendo do cartório vc até consegue retirar. No meu caso, como meu nome era muito grande, eu tirei o último sobrenome e coloquei o do marido.
      Algumas pessoas comentaram que não dá trabalho, mas dá sim e muito. Já pensei até que não iam me deixar viajar para os EUA, pois no aeroporto a atendente não achava minha passagem, já que como lá eles usam só o último sobrenome, o meu visto acabou ficando com um sobrenome que eu não tenho mais no passaporte. Claro que eu já tinha me precavido e tinha em mãos uma tradução juramentada da minha certidão de casamento (era isso ou pagar pra tirar outro visto), mas a atendente teve até que falar com o consulado… Enfim, no fim deu tudo certo.
      Bom, tô contando isso pq acho que realmente tem que ser uma decisão que tem que partir de vc. Imagina vc trocar o nome contra sua vontade e passar por uma situação dessa? Vai ser puro estresse p vc e pra sua relação com o marido.
      Eu troquei porque fiz questão e por isso não me importo com o trabalho que deu (demorei 3 anos p trocar td, fui esperando vencer).
      No mais… boa sorte! 😉

  37. #67
    Tatiana
    10.08.2017 - 16:20

    Ilhabela, parabéns pelo momento….

    Pipa, eu casei e não alterei o sobrenome..mas ninguém aqui fazia questão. E como meus pais não eram casados oficialmente, eu não tinha a “experiência” da família com um sobrenome só.

    Minhas sugestões são: ou trocam os 2 de sobrenome ou vocês conversam para chegar em um denominador comum, porque alguém terá que abrir mão de alguma coisa, seja ele da vontade de te ver com o sobrenome dele, seja você da opção de não acrescentar.

  38. #68
    Gabriela
    10.08.2017 - 16:20

    Pipa: Aqui o marido acrescentou meu sobrenome e eu o dele. Foi conversado entre nós. Como ele queria que eu acrescentasse o sobrenome dele…falei que faria, desde que ele colocasse o meu também, no que ele topou de boa!Assim mudamos os dois todos os documentos!

    • #69
      Luana
      14.08.2017 - 17:33

      Muito bom!

  39. #70
    Vivi
    10.08.2017 - 16:21

    Jeri – talvez seus pais não estejam juntos só por sua causa. Meu pai é um ogro tbm, e depois q eu e minha irmã saímos de casa e ele se aposentou, achamos q ia ser um calvário…mas não, a vida continua igual. Como minha psicóloga disse: talvez sua mãe não seja tão infeliz quanto você pensa, talvez ela própria esteja em paz com a decisão de ficar com ele. Pensar nisso me ajudou 🙂

    Pipa – casei duas vezes, na primeira adotei o sobrenome do infeliz e tive muito problema, até hoje (13 fucking anos depois) tenho. Até pra tirar passaporte foi um pequeno inferno. Qdo casei de novo, graças a Deus meu marido simplesmente não liga pra essas coisas e deixou que eu decidisse. Foi ótimo, pq eu não queria ter que mudar meus documentos acadêmicos, é um saaaaaco fazer isso. Como já sugeriram aí, uma boa alternativa é pedir que seu noivo adote seu nome tbm, e os dois formarão literalmente uma nova família com novo sobrenome 🙂

  40. #71
    Ilka
    10.08.2017 - 16:31

    Para a Jeri,

    Fiquei com uma dúvida, pareceu que você está mais empolgada com o sonho de casar do que com a ideia de casar com o seu namorado atual. É bom pensar nisso, o sonho de casar é louvável, mas às vezes nos concentramos tanto nele e na expectativa que criamos, que esquecemos de olhar para o outro.

    Boa Sorte!

  41. #72
    Lucy
    10.08.2017 - 16:41

    Eu gostei do primeiro chora porque a moça disse que está super feliz. Mas não acho que devemos atrelar felicidade a coisas que o dinheiro compra. E infelizmente nossa sociedade hoje está assim: quem viaja mais ou quem tem mais coisas ou quem é mais bonita fisicamente é mais feliz. Pode ser clichê, mas isso não é tudo na vida. Pessoas que vêm aqui procurando um conselho e estão deprimidas mas não tem dinheiro pra fazer todos esses tratamentos e viagens vão ficar mais deprimidas ainda. Pronto falei.

    • #73
      Ilhabela
      10.08.2017 - 23:11

      Oiii! Sou a própria Ilhabela! Hahahaha
      Olha, concordo contigo! A felicidade não se compra com dinheiro, não. Mas antes eu tinha até mais dinheiro e não era feliz, nem um pouco. A moral é: ter dinheiro ou não pra comprar, viajar ou mudar o corpo não quer dizer muito. É sobre a maneira de enxergar a vida. Piegas? Sim. Mas é a verdade. Cada um deve procurar melhorar dentro da sua realidade, e jamais se comparar à vida de alguém. Senão todas nós iríamos ser depressivas com inveja da Thassia Naves, por exemplo. Hahaha.
      Beijão!!!

  42. #74
    Ilka
    10.08.2017 - 16:43

    Para a Pipa,

    Converse com seu marido e pergunte se ele aceitaria acrescentar um de seus nome e você um dele, com essa solução a família teria a conexão que ele deseja. Se ele não aceitar, sinto dizer que ele é machista sim!

    Alguns hábitos são tão enraizado que nem pensamos a respeito, achamos super natural a mulher trocar o nome, e embora seja permitido que o homem faça o mesmo, raríssimos aceitam. Quando me casei fiz essa proposta ao meu marido, ele não aceitou e não mudei meu nome. Após 14 anos o casamento acabou e não tive que passar pela chateação de trocar documentos.

  43. #75
    Vanessa
    10.08.2017 - 16:44

    Quando casei também não adotei o nome do meu marido e isso não gerou nenhuma crise.
    Eu penso que nossa família está começando a partir do casamento e que quando nascerem os filhos vai um sobrenome de cada um e pronto!

    • #76
      Dai
      10.08.2017 - 18:54

      Comentário perfeito.

  44. #77
    Débora
    10.08.2017 - 16:50

    Pipa, se ele acha que a família tem que ter o mesmo sobrenome e que ele não vê problema em alguém mudar o nome após o casamento, ele que assuma o seu. Simples. Eu me casei sem mudar o nome e foi a melhor coisa que fiz… (ok que no meu caso houve o divórcio, mas mesmo antes do divórcio, eu já sabia que tinha feito a escolha certa. No dia do casamento no cartório a juíza me parabenizou, inclusive.)

  45. #78
    Natália
    10.08.2017 - 16:57

    **Pipa… me casei tem 3 anos e não alterei meu nome. Nunca quis, nunca me imaginei com um nome diferente do meu. Amo meu nome, pronto. Quando eu e meu marido começamos esta questão eu deixei bem claro, que bico não ia mudar nada.
    A família dele é super tradicional e ficou de cara com a decisão. O pai dele demorou a digerir e levei várias indiretas. Mas fui firme. Imagina que meu marido é o único que pode dar continuidade ao nome deles caso tenha um filho homem e eu nem grávida pretendo ficar nessa vida… ahahaaha
    Acredito que esta é uma decisão muito pessoal, tem gente que muda porque quer mudar, tem gente que muda porque acha que não dá pra ser de outro jeito, tem gente que muda pelos filhos.
    Meu pensamento é bem próximo do seu, acho machista, ultrapassado, cafona e não queria me sentir “propriedade” de ninguém.
    Meu marido ficou um pouco chateado, tentou me convencer bem leve algumas vezes e tem dias que ele me dá um cutucãozinho… tipo eu reservo um restaurante e quando entramos chamam ele de Sr. (Meu Sobrenome Aqui)… eu dou risada, ele faz uma carinha amarelinha e fala, “Olha o que você me arrumou, Natália”, e ponto, vida que segue.
    Isso não deveria dar problema, ele tem que te respeitar, é seu nome, aquilo que te identifica, você muda se quiser.

  46. #79
    10.08.2017 - 17:18

    Meu conselho é pra Pipa.
    Pipa, sou casada há 7 meses e qd estava noiva cheguei a cogitar incluir o nome do marido no meu, justamente pensando nisso da família ter um nome. Porém, não conseguia me ver com um sobrenome que não é o meu. Desisti rapidamente da ideia, pois não suportaria ser quem eu não sou. Sem contar na trabalheira em mudar os documentos. (Imagina num eventual divórcio? Pior ainda)
    Já que seu noivo faz tanta questão de que a família tenha um nome, pq ele não inclui o seu? Isso é possível! Converse com ele!
    Beijos!

  47. #80
    Andressa
    10.08.2017 - 17:19

    Sobre a Pipa…acho que essa é uma decisão importante, mas não é pra tanto! Acho que não devia ser uma questão tão grande assim dentro do seu relacionamento. Falo isso porque achei estranho as expressões “bater o pé”, “insistir pra manter meu nome” ou “ah, ele quer? pede pra ele botar o seu tb!”. Geeente, é só um sobrenome. Acho que você deve esquecer o que todo mundo pensa, vai pensar, esquece tudo ao seu redor e pense em vocês dois. Você quer? Se vê com o sobrenome? Então põe! Senão, pensando apenas em você, acha que não é necessário? Não coloca.
    Outra coisa: acho que não é obrigatório você mudar de nome novamente após um divórcio. Minha mãe optou por manter o sobrenome do meu pai após a separação.

    Eu sou casada há 4 anos, acrescentei o dele ao meu e ele tb (o nome dele que já era enorme, virou uma frase!) e isso nunca foi motivo de grande debate. Foi algo tão natural, no momento fez sentido pra gente e fizemos assim. Não pensei em divórcio ou em ‘trabalheira’ com documentos, nem em perca de ‘identidade’. Me sinto tão eu quanto com o nome de solteira. Enfim, na minha opinião, pensa o que você quer, mas vc vai ver depois que essa escolha de colocar ou não, não vai fazer diferença em nada que não tenha a ver com docs.

    • #81
      larissa pimentel
      10.08.2017 - 17:51

      O ponto crucial é que não é só um nome, entende? É toda uma identidade. Você não vai ser mais a Fulana de Souza, você vai ser a Fulana da Silva porque o Silva é o do seu marido. Ela tem que ver primeiro se ela se reconhece. Se for só uma questão de birra (eu só boto se vc botar o meu), aí acho infantil também. Mas se for pelo machismo e pela perda de identidade eu concordo com a Pipa.

    • #82
      larissa pimentel
      10.08.2017 - 17:53

      Não precisa tirar, vide a Luiza Brunet que mantem esse Brunet há séculos, e a filha que nem é filha do tal Brunet usa o sobrenome: Yasmin Brunet.

  48. #83
    Thereza
    10.08.2017 - 17:21

    Sou casada a um ano e não mudei de nome.
    Na verdade quem quase mudou de nome foi meu marido, ele odeia o nome dele(mesmo nome do pai dele) e viu no casamento uma possibilidade de corrigir.
    Mas quando contou a mãe dele, ela deu escândalo,foi parar até no hospital.
    Hoje ele vive arrependido, evita até tocar no assunto.

    Em resumo, faça o que tiver vontade, pois quem vai viver com o nome é você.

  49. #84
    Daniela
    10.08.2017 - 17:43

    Pipa,
    Já que ele quer que a família tenha um sobrenome só, fala pra ele acrescentar o seu. A legislação permite isso!
    Não é comum, mas qual o problema? Só pq a sociedade quer que seja a mulher tem que ser assim?
    Se ele não quiser, ngm muda!
    Simples assim!

  50. #85
    Gabi
    10.08.2017 - 18:07

    Pipa, quando casei meu marido falou “faça o que você quiser, essa não é uma decisão minha˜. E aí a porca torceu o rabo, porque no fim, eu que sou super feminista, quis mudar. Quis porque estávamos nos mudando, saímos do país e seríamos só nós dois, e eu queria ter essa unidade. Pensei no que o povo falou, dos dois mudarem (pq meu marido já morou na Dinamarca e comentou que lá isso é normal) e eu achei meio esquisito, que pareceríamos irmãos, rs… no fim, mudei e foi e to de boa.

    Agora acho que a decisão tem que ser sua. POr mais que seu marido tenha dito a preferência dele, vc tem que ficar a vontade. Mesmo a decisão sendo minha, eu fiquei um pouco aflita depois, sabe… porque mexe na nossa identidade, na nossa identificação pessoal. Então se for fazer, faça por você.

  51. #86
    Cindy Cuiabana
    10.08.2017 - 18:51

    Ilhabela, que maravilha!!! Muito feliz por você ter se encontrado. 2017 ano de redenção! Uhuuuuuu

    Jeri respira mulher porque essa pressa toda. Antes de pensar em casar vocês já começaram a fazer algum investimento financeiros juntos? Pensa nisso, se sim o boy esta engajado, agora se não, é o que a Cony falou se ele critica casamento e tal, abre fuga colega…
    Sobre a sua mãe não se preocupe ela vai ficar bem, afinal você vai se casar e não mudar de planeta, e quem sabe sem você por perto ela não toma algumas atitudes em relação ao seu pai e a própria vida dela.

    Pipa nem vou opinar sobre os nomes porque eu nem aceitei me casar (hi!hi!hi), com 10 anos de relacionamento e 2 filhos o marido começou a me enlouquecer pra passar pro papel e eu disse _Não!
    Esta bom do jeito que esta pra que a burocracia? Agora estamos com 18 anos de casados.

    Beijusss lindas!

  52. #87
    Dai
    10.08.2017 - 18:51

    Engraçado ele não compreender a sua opção por NÃO mudar seu nome.Por que você tem que ceder e ele não?Desculpa a sinceridade,mas se por uma decisão tão simples isso já é motivo de desconforto….eu repensaria duas vezes.TUDO.Não é Não e deve ser respeitado.Será que ele aceitaria alterar o dele acrescentando o seu também?Isso é possível.Reflita.Mas se ainda assim você quer ceder……prefiro não falar mais nada.

  53. #88
    Leticia
    10.08.2017 - 19:02

    Pipa, sou casada há 2 anos e não mudei o nome. Meu marido e meus sogros na época ficaram bem chateados (muito mais os sogros, aliás) mas isso era uma coisa que estava sedimentada em mim desde sempre e depois de um tempo, eles se acostumaram com a ideia.
    Amo meu nome de solteira, sem contar que meu nome já é grande, adicionar mais um ficaria enorme e nunca cogitei retirar nenhum dos meus sobrenomes. A minha opinião: o nome é seu.
    Seus filhos podem muito bem ter o sobrenome do pai e da mãe, sem essa história de ficar estranho (quantas vezes vc ficou analisando sobrenome de alguém e comparando com o dos pais??)
    Espero ter ajudado! Beijo e bom casamento

    • #89
      pipa
      14.08.2017 - 09:25

      Ajudou muito! Obrigada!

  54. #90
    Maria
    10.08.2017 - 19:32

    Pipa!
    Tenho uma sugestao bacana: sugira ao seu noivo q ele adote seu sobrenome tb. Assim voces ficarao os dois com o sibrenome dos dois e poderao alterar todos os documentos juntos. Acho uma soluçao justa.
    Boa sorte! E, por fim, se ele nao topar, coloque o sobrenome dele e va ser feliz!

  55. #91
    Cassi Janes
    10.08.2017 - 19:49

    Gente, pra mim isso de mudar o nome é uma coisa pré histórica. Os filhos levam os sobrenomes dos pais. Seu nome é sua história, eu me casei uma vez e nao mudei. Quando eu falei pro meu noivo que não ia mudar, ele ficou surpreso. Quando propus de mudar os dois, ele se viu na mesma situação que a minha… O incomodo que é fazer essa alteração. Nunca mais tocou no assunto. Hoje estou junto com um argentino e ele dá risada dessa tradição do Brasil. Aqui as pessoas levam o seu nome sempre.
    E pra mim é sim, super machista.

  56. #92
    Jéssica
    10.08.2017 - 20:05

    Pipa, a princípio eu não mudaria o meu nome. Talveeeez eu acrescentasse se eu achasse bonito o sobrenome do marido rs. Acredito que o ônus de toda a burocracia de mudar e depois mudar de novo se separar não compensa. Isso não tem nada a ver com o amor que vocês sentem um pelo outro. É sim um resquício da sociedade machista. Se você sente que não quer, não mude. O nome é seu e você que vai ter que arcar com as consequências.
    E além disso eu não acho que a mãe ter o mesmo sobrenome dos filhos seja tão importante. Meus pais são casados há 26 anos e a minha mãe não pegou o sobrenome do meu pai, mesmo com toda a pressão da sosicedade da época, e até hoje ela diz que foi a melhor decisão que ela poderia ter tomado. Nunca fez diferença pra mim e pros meus irmãos o nome dela ser diferente. É uma questão pessoal mesmo. Você deve pensar no que VOCÊ quer, afinal é a sua identidade, o nome que você vai ouvir todo dia, assinar, e tudo mais.
    Beijos

  57. #93
    Ana
    10.08.2017 - 20:24

    Pipa:

    Olha, sou solteira convicta, mas mesmo se um dia resolver casar, dificilmente mudaria meu nome. Além de também achar machista sim (a mulher pertencer à família do marido), como já foi dito em outros comentários, se ele faz muita questão do casal ter o mesmo nome de família, ele poderia ter cogitado acrescentar o seu, não?! Se vocês tiverem filhos, eles podem ter os sobrenomes dos dois…
    Outra coisa que acho que ninguém comentou ainda é: nosso nome é nossa identidade, no meu caso diz até sobre minha etnia. Tenho nome composto, o segundo nome é o nome de uma bisavó japonesa, os sobrenomes (um do pai e outro da mãe) também são em japonês. Fico imaginando se um dia acrescentar um sobrenome nada a ver, além do nome ficar gigante, é muito provável que tenha que ficar explicando porque a Sra. da Silva é japa, rs.
    E, principalmente, se você gosta do seu nome e não tem vontade de mudar essa á a principal questão que deve ser considerada.

  58. #94
    Camille
    10.08.2017 - 20:30

    Pipa, casei e não mudei nome. O marido queria, mas nunca cogitei pelos seguintes motivos :
    1-adoro meu nome;
    2-a trabalheira que dá mudar todos os documentos;
    3-sempre (no futuro) ter que pesquisar algo com seus dois nomes;
    4-e um exemplo chato… Quando minha mãe se separou voltou para o nome de solteira… Menina, nessa confusão de nomes foi uma canseira (mais ainda) ela pegar o tempo de serviço dela para aposentar.
    Mas sempre vai ter uma alma sebosa para dar uma cutucada no marido.
    Bom casamento!!

  59. #95
    Dani
    10.08.2017 - 20:56

    Olá Pipa, meu conselho vai para você. Sou casada e não mudei meu nome,jamais mudaria e se meu marido tivesse insistido nisso eu nem teria casado. Hoje em dia o homem também pode mudar o nome, sugira isso para ele e veja como ele reaje. Se ele argumentar que não mudaria o nome dele, você que tem que mudar, pense duas vezes. Um casamento que já começa com imposições machistas tem tudo para acabar mal…

  60. #96
    Priscila
    10.08.2017 - 22:42

    Sobre a história do sobrenome: lendo as respostas, fiquei pensando: sempre pensei em ter um marido com sobrenome italiano, alemão, bem diferente do meu (que é bem de família de baianos, que eu gosto, mas acho lindo sobrenome europeu). Meu namorado (em breve, noivo ❤) é tão filho de baianos como eu e faz questão de que eu tenha o sobrenome dele, e eu disse que não queria, porque vai dar trabalho com documentos, etc… Ainda não tenho uma opinião fechada, até porque se fosse um sobrenome diferente,eu iria querer, já um sobrenome comum, estou percebendo que também é parte de um preconceito da minha parte (sobrenome comum e de família de baianos fico com o meu) e muito menos um sentimento de machismo, empoderamento, etc…

  61. #97
    Fer
    10.08.2017 - 23:20

    Pipa apenas mude o nome se vc quiser.. essa história de sobrenome da família não tem nada a ver. Eu tenho o sobrenome do meu pai e da minha mãe (minha mãe pegou o do meu pai, mas ele não). Contudo ninguém usa o sobrenome comum. Meu pai prefere usar o outro sobrenome dele e minha mãe tb. Na verdade a família é conhecida pelo sobrenome da minha mãe! Então esse tipo de coisa não tem nada a ver. Cada um faz o que quer…Acho excelente a ideia da galera de propor a ele colocar o seu sobrenome.

  62. #98
    Ilhabela
    10.08.2017 - 23:24

    Cony!! Obrigada!! Vou dar um suuuuuper abraço algum dia que for à BH! Hahaha
    Super feliz por mim mesma, comigo mesma! E estou recuperando maravilhosamente bem! Em todos os sentidos! Obrigada!!

    JERI:
    Concordo com a Cony, você está sofrendo por antecipação, minha amiga. Não force uma barra agora também, se se sente desconfortável, converse com seu boy. Mas deixar o barco fluir, é uma boa. Vai por mim: casar no momento errado dá MUITA merd@. Sério. Não antecipe nada! Beijão!

    PIPA:
    Meu ex fazia muita questão do nome dele tb, sempre bati o pé e falava que não iria mudar, nunca quis, oras! Ele tem que entender e respeitar isso. Não faça nada que você não queira, mesmo que pelo marido. Acho isso extremamente pessoal e por mais que ele fique com raiva, vai passar. Beijo!

  63. #99
    Carol
    10.08.2017 - 23:25

    Pipa, a minha sugestão “jurídica” é que vc pode acrescentar o sobrenome dele ao seu nome sem precisar ser o último. Ou seja, vc pode alterar a ordem, continuar com seu nome paterno por último e o dele como penúltimo (ainda assim seu nome ficaria diferente dos seus filhos).
    Não obstante, sei que essa é uma questão que transcende o fato de ordens dos sobrenomes e tal, mas sim sobre ter que aceitar um tradição que nos é imposta! Basicamente somos condicionadas a enxergar como algo natural!
    Por fim, penso que vc é a única pessoa que poderá optar pela melhor decisão, pq presumo que vc se conheça muito bem (tanto se conhece que é apegada a sua individualidade, haja vista que seu nome faz parte dela).
    No meu caso, quem ficaria em choque seria a família do meu noivo… Mas aí já é um problema deles e não meu! Hahaha!
    Ahhh e não se apega ao fato de começar o casamento com uma “desavença”, pq certamente haverão outras milhões de questões ao longo da vida que vcs não irão discordar, rs. O importante é estar sempre aberta ao diálogo, saber ceder em situações específicas e noutras ser fiel a vc mesma!
    Boa sorte!
    Abraço!

  64. #100
    Io
    11.08.2017 - 00:00

    Pipa, só se ele adicionar o seu ao dele. Meu namorido ja sabe disso. E o meu nome irá por último no nome de nossos filhos. Vou ficar 9 meses engordado, depois vou sangrar pra mais de mês, amamentar e cuidar e é sempre tudo eu, meu sobrenome é que vai ditar a vida dos meus filhos. Chega dessa sociedade achar que é normal tudo ser ao redor do pai, e a mãe? Some? Eu sei o sobrenome de meus antepassados masculinos, pois são eles tem o mesmo sobrenome que eu, já as mulheres morreram no tempo.

  65. #101
    Caroline
    11.08.2017 - 02:24

    Para o dilema da **Pipa**, vou dar a minha perspectiva como filha, já que ainda não sou casada.
    No meu caso, o fato da minha mãe ter trocado o sobrenome ao se casar, e depois trocado novamente após o divórcio tornou a minha vida bem mais burocrática.
    Por exemplo, na hora de alugar meu primeiro apê, minha mãe foi a fiadora, e precisei de alguns documentos e idas ao cartório a mais para “comprovar” o parentesco, já que nos documentos da minha mãe estava o nome de divorciada e nos meus, de casada.
    E quando fiz uma outra via da identidade, não me foi permitida a atualização do nome da minha mãe. Seguem os transtornos.

  66. #102
    11.08.2017 - 05:48

    Pipa, não altere seu nome!
    Comigo aconteceu exatamente o mesmo que você está passando: falei que não queria acrescentar o sobrenome dele e a reação foi explosiva, como se isso significasse que eu não o amava.
    Isso foi há 30 anos e ainda hoje me arrependo muito. Tenho orgulho do meu sobrenome original e detesto ter que carregar o dele, que não significa nada para mim.
    Sou consciente que minha negativa seria um muro intransponível na nossa relação e por isso cedi.
    Meu nome era minha identidade e alterar isso foi uma violência para mim, renovada a cada documento assinado.
    Torço para que você consiga manter o seu. Depois escreva para sabermos o que resolveu, ok? Bjs

  67. #103
    Débora
    11.08.2017 - 08:16

    Alguém já deve ter comentado a hipótese de cada um dos cônjuges adotar um sobrenome do outro. Já vi casais fazendo assim, de modo a não prevalecer nenhum dos nomes de família. Assim não tem briga.

  68. #104
    Ana Carolina
    11.08.2017 - 08:18

    Jeri, do assunto casamento ter virado um tabu, acho que uma conversa franca resolveria. Peça desculpas pelos erros do passado, assuma que era cedo. Mas coloque os pontos, que vocês sobreviveram às brigas e agora já se passaram 5 anos, ou seja, parece que é para valer. Então, agora seria o momento de pensar, sem pressa, correria ou pressão, no próximo passo. Como será uma conversa amigável, não terá erro. Se ele aceitar as suas desculpas e concordar, sigam em frente. Se ele fugir, fuja para o outro lado. Sobre teus pais, um dia eles também escolheram ficar juntos e quiseram construir uma família. Agora é a sua vez. Você pode apoiar a sua mãe de longe. Ou quem sabe a relação deles vai mudar para melhor com a sua saída de casa. Como saber?

  69. #105
    Priscila
    11.08.2017 - 08:21

    Jeri,eu namorei 10 anos antes de casar. Sou casada há dois anos. No réveillon de 2014 falei pra ele: vamos casar esse ano? Ele falou: vamos. Como tínhamos viajado, assim qie voltei já fui providenciar a documentação e fomos assinar. No dia 04 de fevereiro de 2015 há estávamos casando. Fica fria que vai chegar naturalmente. Namorar muito tempo não é ruim ou sinal de que não vai sair casamento.
    Pipa, quando casei não troquei meu nome por uma questão da minha profissão. Seria muito complicado trocar toda minha documentação. Com relação ao raciocínio do seu noivo de que a família deve ter um sobrenome, pq vc não sugere que ambos acrescentem o sobrenome um do outro de forma que crie a família de vcs? Atualmente o marido pode sim acrescentar um sobrenome da esposa e vice versa.

  70. #106
    11.08.2017 - 08:22

    Pipa,
    como muita gente comentou aí, você tem que pensar em como vai se sentir se mudar de nome. Eu casei e peguei o do meu marido porque sempre achei isso legal e queria ter um sobrenome “da família”, mas mesmo assim foi complicado no começo. Dá uma certa crise de identidade, sabe? Mas passou rápido, acostumei e hoje uso meu nome de casada feliz da vida.
    Só acho que tem que ser uma coisa de coração e não pra agradar. É o seu nome, afinal de contas…
    Conheço várias meninas que adoram o nome de casada, conheço outras que nem pensaram em trocar e isso não afetou em nada o casamento, conheço um casal que os dois mudaram e tem os sobrenomes iguais (e na mesma ordem)… Vocês dois tem que sentar e conversar abertamente para achar um jeito em que os dois fiquem felizes. É possível, juro! rs
    Se quiser saber um pouquinho mais desse assunto, tenho um blog de casamento (o Caso eu case) e lá tem dois posts explicando melhor sobre a mudança de sobrenome, um mais teórico e um com o passo a passo dos documentos que vai precisar trocar. Vou amar ter você por lá!

    http://www.casoeucase.com.br/mudanca-de-sobrenome/
    http://www.casoeucase.com.br/atualizacao-dos-documentos-depois-da-mudanca-de-sobrenome/

  71. #107
    Ana Carolina
    11.08.2017 - 08:27

    Sobre mudar o sobrenome, que tal sugerir para ele colocar o seu sobrenome também? Os dois mudam de nome e constroem a família com o nome de ambos. Entendo o comentário da Andressa, mas acho muito ultrapassada essa coisa de ter que usar o sobrenome do marido, algo como se fosse posse. Por isso bato palmas para as mudanças e que agora é possível o homem colocar o sobrenome da mulher. Afinal, casamento é uma troca. Fico extremamente surpresa de ainda ver crianças serem registradas somente com o sobrenome do pai. Minha sugestão é: ambos trocam de nome ou ninguém troca. Justíssimo!

  72. #108
    Ana
    11.08.2017 - 08:47

    Pipa,

    Casei e alterei meu nome, tudo pela tradição e blá blá blá.

    Mas confesso que me arrependi, é muita burocracia, se pudesse voltar ao tempo, não mudaria.

    Bjos.

  73. #109
    Janaina
    11.08.2017 - 08:48

    Ilhabela
    Muito feliz por você, é isso aí garota!

    Jeri
    Comigo foi bem parecido, na época com 18 anos e apenas 01 ano de namoro meu atual marido chegou com alianças de noivado. Fiquei passada e recusei, acabei deixando ele bem magoado e passamos anos sem tocar no assunto, resultado: casamos após 11 anos de namoro! Então meu conselho é uma conversa franca. Quanto a deixar sua mãe, esse também foi um dos motivos que me fizeram demorar tanto, com o agravante de que meu pai já era falecido, então ela ficaria sozinha mesmo. Chorei muito na lua de mel, o começo foi difícil mas com o tempo tudo se ajeita, hoje ela sai, viaja, passeia com os netos, é super independente e tem uma vida ótima.

    Pipa
    Acho adorável o sobrenome de família, por isso acrescentei o do meu marido com a condição de que ele acrescentasse o meu também. Nossos filhos tem os os sobrenomes dos dois. Cada um cede um pouquinho e tudo fica bem.

    Cony, te adoro!

    • #110
      Constanza
      11.08.2017 - 14:34

      ♥️♥️♥️

  74. #111
    Sabrina
    11.08.2017 - 09:04

    Pipa
    É uma decisão muito pessoal. Eu não mudaria o meu. Adoro o meu sobrenome, ele diz das minhas raízes, da minha família, meus antepassadas. O do marido diz das raízes dele, que não tem nada a ver comigo. E se eu tivesse filhos eles teriam meu sobrenome e o do pai.

  75. #112
    Maliete
    11.08.2017 - 09:24

    Esses choras foram pra mim hahahahah.

    Primeiro chora: Acho muito lindo o que a Ilhabela fez, de dar um feedback para nós! Felicidades para você gata!

    Segundo chora: Tenho 25 anos, mesma idade que você, sou filha única que nem você, meus pais são iguais aos seus, e mesmo assim sai da casa com 22 anos para morar com meu namorado.
    No dia que me mudei foi muito difícil tanto para mim, quanto para minha mãe, estava em terapia na época, o que eu acho que ajudou bastante pra mim essa transição. Sobre os meus pais, logo depois que eu sai de casa os dois resolveram conversar e se entender, cogitaram a separação, mas no fim viram que não estavam juntos por minha causa e sim porque se gostavam e se preocupavam um com o outro. Como a Cony disse, e a minha mãe sempre falou, os pais criam os filhos para o mundo e não para viver embaixo das asas deles. Uma hora ou outra tu vai acabar tendo que seguir os próprios passos.

    Terceiro chora: Não sou casada de papel passado ainda, e acreditem pra mim não faz diferença, mas é o sonho do meu marido entrar na Igreja e casar. Várias vezes já surgiu o assunto sobre a troca de nome, meu marido insiste que eu tenha o nome dele para que fique igual o dos filhos (o que eu acho ridículo essa desculpa), e sim acho que essa história é machismo velado, como se fossemos posse de alguém. Já falei que só vou acrescentar o dele, não vou tirar o sobrenome de nenhum dos meus pais, e mesmo assim ele não aceitou, então falei que não vai ter troca e nem acréscimo , não vejo problema nenhum nisso, minha mãe quando casou teve que trocar (há 30 anos atrás era obrigatório), mas foi fazer os documentos dela 20 e poucos anos depois e só porque perdeu eles, se não ela nem sentiria falta. Acho legal que tem orgulho de pegar o sobrenome do marido, mas eu não vejo necessidade disso.

    Cony, já pensou em fazer psicologia? kkkkk, esse instinto de ajudar os outros, só pode ser coisa de canceriana né? hahahha

    Beijão!

    • #113
      Constanza
      11.08.2017 - 14:34

      Deve ser!!!! Rsrs

  76. #114
    Jane
    11.08.2017 - 10:01

    Pipa,

    Não acho que vale a pena uma briga por isso de acrescentar ou não o sobrenome do seu marido, quando casei há 8 anos, tinha decidido que não ia acrescentar, minha mãe me disse: Olha só quando vc viajar com a familia serão joao silva, josé silva, maria silva e Jane santos kkkk coloque o nome da sua família.
    Ah, não precisa mudar todos os documentos, eu fui mudando aos poucos, passaporte venceu, eu mudei e por aí vai.
    Minha irmã casou, mudou o nome, separou, tirou o nome e não teve problema algum.
    Ah, minha assinatura continuou a mesma do nome de solteira, no meu trabalho só assino com o nome de solteira, só uso o de casada pra viajar mesmo.

  77. #115
    Cecilia
    11.08.2017 - 10:11

    Meu comentário vai para a Pipa. Sou casada há 9 anos e decidi não colocar o nome do meu marido. Na época falamos muito dele colocar o meu nome pois ambos achávamos o sobrenome dele feio (rsrs),eu também não me via com outro nome e tinha preguiça de mudar documentos. No final das contas, ele resolveu não colocar meu nome, o pai dele é falecido e achou que a mãe dele podia ficar chateada, e eu entendi. Também não coloquei o nome dele. Já passei por momentos em que me arrependi e pensei que devia SIM ter posto o sobrenome dele, em outros momentos (principalmente na hora de renovar documentos) eu penso, AINDA bem que eu não coloquei. Pra mim a decisão foi fácil, porque não era importante pra nenhum de nós. Eu nunca quis filhos mas falamos que se um dia tivessemos, teria ambos os sobrenomes (isso facilitou a decisão). Hoje, acho que eu se casasse de novo com ele , eu colocaria o nome sim. Até porque casamento é muito mais do que um nome, uns acham que colocar o nome do cara é machismo, outros acham que é romantismo. Tudo é uma questão de pontos de vista. E sobre falarem sobre separar e ter que mudar de volta, meu.. se vc separar tem tanta coisa mais trabalhosa que vc vai ter que fazer (dividir bens, guarda dos filhos, dos cachorros) que o nome não devia ser sua preocupação.

  78. #116
    Sil
    11.08.2017 - 10:20

    Acho que faltou nos comentários levar em conta que existem coisas que são posicionamento pessoal e não tem isso de julgar como submisso, mulher que vira propriedade do homem, arcaico, etc. Tem muita mulher que casou, não acrescentou sobrenome do marido ( e acha que tá arrasando com isso) e que ainda assim é submissa de várias outras formas que sequer consegue perceber, vive machismo em casa e nem se dá conta que é. Além disso, faltaram umas doses de sinceridade de dizer que se o sobrenome do marido for Pereira, Gonçalves, Silva, Barbosa…tá todo mundo correndo né? Mas se for uma sobrenome de tradicional familia italiana, um sobrenome reconhecido na cidade, um sobrenome “estrangeiro” ou de linhagem “nobre”, claro que assim dá até pra pensar na possibilidade pra dar um upgrade no nome. Sei….

    • #117
      Vanessa
      11.08.2017 - 15:27

      Estava pensando a mesma coisa. Se por um lado nos livremos de certas pressões sociais, por outro acabamos por ganhar novas. Afirmar categoricamente que uma escolha pessoal é machismo, acaba por problematizar uma situação em que a escolha é do casal. Uma coisa seria se o noivo falasse que vai terminar o noivado porque mulher “dele” tem quer ter seu nome, outra coisa bem diferente é ele ter o desejo de ter um nome “novo” para uma nova família e se isso é desculpa, ou não, ninguém no mundo, além dele mesmo, tem como saber. Me casei duas vezes, no primeiro casamento o meu noivo adotou meu nome, e digo uma coisa, nunca vivi um relacionamento tão ruim e me sentindo submissa e inferior todo o tempo. Quando me casei pela segunda vez escolhi mudar meu nome, na verdade meu marido nem pediu, parecia uma coisa tão natural… ou seja, é extremamente pessoal, não há certo nem errado, a única coisa que tem que ser levado em consideração é como você vai se sentir.

    • #118
      Luana
      14.08.2017 - 17:53

      Opa, eu aqui. Meu marido eh americano, tem um sobrenome lindo, lindo, e nao mudei, pois eh a identidade dele e da familia dele, a historia dele e da familia dele, e nao minha. Estou feliz com minha decisao. E no meu caso, podia ser qualquer sobrenome, jamais cogitei em mudar.

  79. #119
    Lilian
    11.08.2017 - 10:28

    Eu super concordo com isso de formar uma família e passar a ter o nome da família! No meu caso, como estávamos formando uma família nova, ambos quisemos ter o nome dessa família! Por isso eu peguei o sobrenome dele e ele o meu! Ficamos com os últimos dois sobrenomes iguais e que serão os mesmos dos nossos filhos! O casamento não é para ser uma guerra, é para cada um dar o seu melhor e despertar o melhor no outro, né?

  80. #120
    Renata
    11.08.2017 - 10:29

    Pipa. Eu e meu esposo mudamos os nomes e hoje nós dois e nossos filhos temos o mesmo sobrenome. Dá trabalho mudar a documentação, mas fomos mudando a medida que os documentos iam vencendo. achei legal a família ter uma identidade, mas não faria a troca sozinha.

  81. #121
    Bia
    11.08.2017 - 10:37

    Pipa: sou casada a quase seis anos (tenho 29), sempre gostei do meu nome e sobrenome e mesmo assim coloquei o do marido no final. Ficou grande, mas eu adoro porque todos são diferentes (italiano e espanhol) e todo mundo acha lindo! rs Tem lugares que uso meu último de família, lugares que uso o dele, enfim… nunca vi problema, pois minha mãe tem o do meu pai e sempre achei normal. Acho legal sim a família toda com o mesmo nome. Quando tiver filhos colocarei meu último e o dele. Quanto a mudar os documentos, você vai mudando conforme vão vencendo, só o CPF que precisa ir atrás. Enfim, é uma decisão sua, mas não vejo problema em adotar, nem acho machismo nem nada… hoje em dia é muito mimimi. Faça o que tiver vontade e não ligue para opiniões alheias, foi um assunto que nunca tratei com ninguém, nem mesmo meu marido, foi natural pra mim! =*

  82. #122
    Carolina
    11.08.2017 - 11:33

    Pipa, eu me casei vai fazer 1 ano e decidi por acrescentar o nome do meu marido ao final do meu nome de solteira, isso por escolha própria já que ele disse que era decisão minha. Gostei bastante como ficou meu nome, que era Carolina X Y e ficou Carolina X Y A.
    Eu decidi por isso pois meu marido tem 5 nomes ao total (nome até sobrenomes rs) e sei que na hora de termos nossos filhos será muito mais fácil eu convencer em copiar o meu nome para dar a eles, sendo o da minha mãe, do meu pai e o dele.
    Todo mundo me conhece pelo sobrenome da minha mãe, e isso não mudou, em email, redes sociais, etc.
    O que não me agrada é tirar o sobrenome de 1 dos meus pais para colocar o do meu marido, pois acho que a prioridade será dos meus pais que me fizeram quem sou hoje.

  83. #123
    Marina
    11.08.2017 - 11:52

    Ai gente, desculpa mas pra mim isso de sobrenome é tão bobeira…isso se tornar uma questão não entra na minha cabeça!!! Eu não mudei, não mudaria, ficar pensando em nome de família, de filhos me parece tão irrelevante!jamais imaginaria isso virar um problema…já tem tanta coisa mais desafiadora numa vida a dois e depois na maternidade! RELAXEM!

  84. #124
    Fernanda
    11.08.2017 - 13:01

    Estou no segundo casamento, mudei de nome as duas vezes, e não me arrependo, não acredito que seja um problema de documentação, que está cada dia mais simples…
    E uma questão do que você quer! De como se sente!
    Esqueça a pressão externa (eu nunca tive nenhuma), mas com certeza não a teria levado em consideração.
    Sinceramente mudei por mim, e porque não tive filhos no primeiro, mas com certeza terei no segundo e sinceramente acho estranho os pais com nomes diferentes.
    Quanto ao machismo…não vejo assim…como já citado por outras é uma questão de tradição. “ah, mas não sigo tradições!” então porque casar?! formalizar…pode ir só morar junto, por exemplo…
    Acho que o “nosso período de transição” torna tudo mais confuso. Antigamente era assim…todo mundo mudava e nem pensava nisso…
    Agora pode mudar, não mudar, o homem absorver da mulher, a mulher do homem…confusão na certa.
    Mas uma vez: faça por você! se depois seu casamento não der certo (claro que não é isso que lhe desejo!), mas sou prova fiel dessa realidade…você não irá se ressentir.
    Independente do que escolher fazer, faça! e vire a página… daqui a pouco tempo você nem vai lembrar desse episódio…

  85. #125
    X
    11.08.2017 - 15:25

    Pipa, sou casada e não mudei meu nome.
    Primeiramente, penso que marido e mulher não são parentes. Então não vejo motivos para terem o mesmo sobrenome.
    Além do mais, no Brasil não existe o costume de convidar o “senhor e a senhora X”.
    Os convites vem em nome do “marido e família”.
    Certo?

  86. #126
    Savanah
    11.08.2017 - 15:42

    Sou casada há 5 anos e continuo com o nome da minha família. Além de toda a questão cultural já ultrapassada, pois mulher não é mais propriedade e geralmente não vira arrimo da família do marido, há um transtorno imenso com a troca quando se é concurseira e possui títulos universitários. Todavia, caso seu único objetivo na vida seja ser dona de casa, digna de comercial de margarina e filme americano de Sr. e Sra. X, com o sobrenome bordado nas toalhas e nos roupões, daí realmente a questão ainda pode se encaixar no século passado.
    Não me arrependo e acharia muito estranho ser chamada por outro nome, até porque meu apelido em vários lugares é justamente meu sobrenome – que é tradicional na cidade onde moro. A família dele não gostou, a mãe dele chorou, mas não me comovi e encerrei o assunto. O importante foi que ele entendeu e não viu nenhum problema, até brincou que seria mais proveitoso ele mudar, mas não incentivei, prezo muito pela família de cada um e a individualidade de cada ser.
    Quanto ao filho, acho muito mais construtivo levar o nome de ambos, pois na verdade são duas famílias que se uniram – formando a ‘XY’ -, sem falar na questão de homônimos. Muitos dos meus colegas sequer sabem o nome da família materna, o que acho um absurdo, típico da geração machista do século passado.
    Concluindo, acredito que vale a pena mudar apenas se você não se identifica com sua família, se o seu sobrenome é embaraçoso ou se realmente tem esse sonho de carregar o nome da família dele.
    Na dúvida, não mude, a questão é um pouco mais complexa do que apenas uma certidão de casamento e exige convicção.

    • #127
      Gláucia
      14.08.2017 - 11:20

      Savanah, não penso que a mulher, caso queira colocar o sobrenome do marido, ou vice-versa, seja escolha apenas das que queiram ser “apenas” donas de casa, você foi bem superficial no exemplo!! A mulher é livre para ser o que quiser, caso ela seja “apenas” dona de casa ou “apenas” mãe, ela não é menos mulher que uma que tenha doutorado e tenha jornada quádrupla!! Eu não coloquei o sobrenome de meu marido mas respeito quem coloque, não taxando de “Amélia”, pelo contrário, são mulheres como quaisquer outras, não fazendo um dualismo inexistente entre “servidora pública, tem doutorado e claro, sem sobrenome de esposo” e “dona de casa, mãe e com sobrenome de esposo”

  87. #128
    Adriana
    11.08.2017 - 15:55

    Esse “pedido” do noivo para a mulher mudar o nome é machismo, pode ser inconsciente, mas é machismo. Uma tradição machista. Se acha tão importante o nome da “família”, peça pra ele colocar o seu sobrenome.

  88. #129
    Ana
    11.08.2017 - 17:06

    Pipa vai ter que tirar o fim de semana pra ler todos os comentários!
    HAHAHA

  89. #130
    Jakeline
    11.08.2017 - 17:36

    Para Pipa… vivi a mesma situação que voce, nunca quis trocar o meu sobrenome, marquei no civil e fiz a opçao de continuar com o nome de solteira, meu noivo ficou depressivo depois disso e tive que voltar ao cartorio para pedir a troca de nomes, cedi… e me arrependo! Depois de uns anos, nos separamos e o moço fez questao que eu nao usasse mais o seu sobrenome,acreditam?????? pois é, ate sair o divorcio, tive alguns problemas na receita, pq alguns documentos tinham o meu nome de solteira e outros de casada, só dor de cabeça!!!!
    NAO ACRESCENTE, se vc ja nao quer, entao, nao faça.

  90. #131
    Camila Nogueira
    11.08.2017 - 21:48

    Para Pipa: Eu vou casar esse ano, já dei entrada e não vou mudar meu noivo foi super de boa com a minha decisão! Eu acho que e sim super machista essa troca, se ele faz questão de que coloque o dele mas peça pra ele colocar o seu também rsrs, ao meu ver não deixamos de ser casal por isso e o casamento começa com o respeito, um respeitando a vontade do outro!Com nome trocado ou não felicidades!

  91. #132
    Bee
    11.08.2017 - 21:54

    Para a Pipa:
    Casei há um ano e meio e coloquei o nome do marido porque o tínhamos planos de mudar pro exterior e, como meu sobrenome de nascença tem uma pronúncia bem complicada, resolvi acrescentar o dele por ser mais simples. Resultado: me arrependi pq acabamos não mudando (ainda), nunca fui trocar meus documentos e não consigo me identificar como Bee-nomedomarido ao invés de Bee-nomedenascenca. A solução que chegamos foi que, quando tivermos filhos, faremos uma hifenizaçao de nossos sobrenomes (como devíamos ter feito no casamento, erro de principiante hehehe) e assim nenhum nome fica “subjugado” ao outro 🙂

  92. #133
    Cris
    11.08.2017 - 21:59

    Pipa… siga sua “cabeça”… mas se pediu opinião.. Ao casar não mudei meu sobrenome… inclusive pq acho o meu lindo e pq já tinha uma identificação profissional com ele. Assim foi por vinte anos… me divorciei e foi um fator facilitador. Outro aspecto que considerei: a gente acaba assinando sempre o ultimo sobrenome… e queria que continuasse sendo o “meu”, pois tenho orgulho dele. Nosso trato foi q os filhos teriam os sobrenomes de ambos. E os filhos sim, teriam “nossa” identidade. Se me arrependi? Nunca. Sorte na sua escolha!!

  93. #134
    11.08.2017 - 23:34

    Ilhabela – Que bom que você está feliz. O caminho é esse!

    Jeri – Se você quer casar, externa essa vontade a ele. Eu pedi meu marido em casamento após 5 anos de namoro (também pedi ele em namoro rsrsrsrs) e foi super tranquilo. Mas eu percebi uma certa urgência em casar, sabe? E peço só que você analise o porquê disso antes de tomar qualquer atitude.

    Pipa – Você, claramente está desconfortável com a exigência do noivo. E se te incomoda, não faça! Sou casada há sete anos e na época do casamento sentamos e decidimos que se fosse para mudar, ambos mudariam. Só que nem eu nem ele gostamos da opção dos nomes e aí cada um ficou com o seu mesmo. hahahaha Agora estou grávida e já ficou decidido que nosso filho terá o sobrenome dele e o meu, sendo que o meu será o último, contrariando o “costume” do sobrenome do pai ser o de fechamento. Já teve um monte de gente dizendo que é um absurdo, que não é normal, que a tradição tem que ser seguida, blá blá blá. Aí eu respondo que o filho é nosso, a família é nossa e os sobrenomes também. E pronto. Seguimos com a vida.

    Beijos!

  94. #135
    Mariana
    12.08.2017 - 02:34

    PIPA,
    Complicado isso, é uma decisão que tem que ser sua e caso ele continue insistindo diga então pra ele acrescentar seu sobrenome tb, ele provavelmente irá negar e veja os argumentos que ele vai usar, e use os mesmos pra justificar seu lado. Casei há quase 12 anos e na época a imensa maioria das mulheres mudava o nome meio que no automático, sem questionar muito. Adicionei o sobrenome do marido, mas jamais tiraria algum meu, é minha identidade. E até hoje não uso o sobrenome dele pra nada, a não ser quando tenho que dar meu nome em algum lugar e tenho preguiça de soletrar meus sobrenomes de origem (tenho 2 sobrenomes italianos lindos e difíceis das pessoas entenderem, já o marido é “de Oliveira”, além de tudo ficou nada a ver com meu nome rss, mas dependendo do lugar é mais prático falar que sou “Mariana de Oliveira” e ponto). Mas enfim, o que realmente me fez adicionar o sobrenome dele, foi que eu queria que toda a família tivesse um sobrenome em comum, tipo somos a família “tal”. Claro que nossos filhos teriam de qq forma 1 sobrenome de cada um, mas eu queria que todos tivessem o mesmo. E quando casei já era permitido o marido incluir o nome da esposa, mas se hoje ainda infelizmente é tabu, imagine 12 anos atrás. Mas sim, parando pra pensar esse lance de só o nome do homem poder perpetuar é arcaico, machista e ridículo. O sobrenome da minha mãe acaba em mim, fui a única a herdar, meus filhos não tem e ninguém mais terá, meio triste qdo paro pra pensar. O sobrenome do meu pai ainda perpetuou mais 1 geração e acaba nos meus filhos e sobrinhos pois ele só teve filha mulher, e por aí vai. Por outro lado seria impossível ir mantendo todos os sobrenomes geração a geração, portanto é válido ter uma regrinha, ainda que predomine a regra de cunho machista. Bom além de tudo isso, é um pé no saco mudar todos os documentos rss. Pense bem!

  95. #136
    Pipa
    12.08.2017 - 07:00

    Oi meninas!!! Que sensacional ler tantos comentários! Esse blog é só amor!
    Bom, eu já marquei meu civil há um mês mais ou menos e optei por não mudar. No dia, foi um saco, ele ficou o dia todo chateado, ele falou umas besteiras de que valeu o que eu quis, que eu não tinha nada para reclamar, demos uma pequena discutida, enfim… no final do dia passou e ele parou de ficar dessa forma. Mas o assunto ainda é um incômodo. Sei que virá à tona em algumas ocasiões ainda. Eu quis seguir minha vontade e não estou nem um pouco arrependida. Vou ficar firme. Concordo com o que algumas meninas falaram, que já começar o casamento cedendo em algo que me incomoda já deixa uma mensagem não muito bacana no nosso relacionamento. E sobre ele mudar o nome, ele não aceitaria. Falaria que não é a tradição. Eu tenho consciência que, no fundo, é sim uma vontade machista da parte dele, que tem em si algumas opiniões bem machistas. Estou feliz em me manter firme e, por enquanto, está bem tranquilo, não voltamos mais no assunto. No dia do civil, ele deve dar uma chateada de novo quando o oficial ler em voz alta que não haverá alterações, mas vai passar também! Kkkkk volto aqui para contar para vocês! Beijos e obrigada!!! Vocês e a Cony são demais!

    • #137
      Camilla
      14.08.2017 - 11:03

      Pipa, fico muito feliz que você tenha mantido sua vontade! Podem achar que você foi birrenta, mas alguém teria que ceder. E é uma coisa que, na prática, afetaria somente VOCÊ, justo a decisão ser apenas sua.
      Te desejo muitas felicidades no casamento!

    • #138
      Natália
      14.08.2017 - 12:17

      Que linda Pipa!! Se foi o mais correto para você e o que te faz mais feliz e confortável, siga! E qualquer coisa, estamos por aqui… Abraços carinhosos

    • #139
      Jéssica Diane
      14.08.2017 - 12:29

      Eu tinha certeza que era algo machista da parte dele, rsrs. Que bom que você não cedeu! Fico muito feliz! Desejo muitas felicidades.

      Beijos <3

    • #140
      Dani
      14.08.2017 - 14:25

      Pipa, ótima decisão a sua.
      Quando casei mantive meu nome – meu marido não ligou pra isso mas minha sogra que é super tradicionalista achou UM HORROR. Ela já tinha duas noras que alteraram o nome e fui a ovelha negra rs.
      Escutei algumas indiretas (inclusive do pai de uma das concunhadas, eu mereço), aguentei algumas caras feias…. E PASSOU.
      Já são oito anos de casamento e o asssunto simplesmente morreu; como alguém disse antes, tem tanta coisa que acontece em um casamento que nome é algo que deixa de ser assunto rapidinho.
      Beijos e felicidades pra vocês

  96. #141
    Luciana Faiad
    12.08.2017 - 09:54

    Para a Pipa,
    Flor, trocar de nome foi super natural quando resolvi casar, meu marido não fazia questão.
    Mas se você se sente de alguma forma desconfortável, não faça!
    Diálogo é importante demais num casamento, seja sincera com seu noivo sobre a forma que pensa, pode ser que ele fique chateado no início, mas passa e você que vai ficar com o nome que não se identifica pro resto da vida?
    Ah e quanto a dar trabalho ou não, acredito que depende de onde a pessoa mora. Eu casei em Brasília, mas fiquei com preguiça de alterar lá, anos depois pra renovar o passaporte e já morando em Aracaju, foi um saco! Hehehe

    Beijo grande

  97. #142
    Bianca Veronez
    12.08.2017 - 12:05

    Resposta para comentário 03 – Pipa.
    Sou casada no civil e não mudei meu nome por preguiça de trocar meus documentos e porque meu nome é minha identidade. Não senti vontade mudá-lo. Meu marido ficou um pouco desapontado, mas aceitou. Estamos juntos há 12 anos, temos uma filha e está bem. Beijos.

  98. #143
    Freda
    12.08.2017 - 15:52

    Estou casada há 2 anos e tbem acrescentei o sobrenome do meu marido por vontade minha, ele dizia que por ele tanto faz, eu tbem segui a linha de pensar que seria mais interessante a família ter um “nome” unico, como uma identidade, principalmente pensando nos filhos. Mudar os documentos foi muito simples, fui ao Poupatempo e mudei todos os documentos no mesmo dia, depois só voltei para buscar. Simples e rápido. Como eu tinha acabado de renovar o passaporte para a viagem de lua de mel ele ainda esta com o nome de solteira, toda vez que viajo levo a certidão de casamento, mas sempre foi inútil, nunca precisei dela nem tive qq problema com o nome do passaporte. No ano que vem, quando for renovar o passaporte, ele já sairá com o novo nome. Sinceramente, o único argumento válido aí é o machismo, mas nem sei se é exatamente esse o problema do seu noivo, acredito que ele só esteja mesmo pensando que a família deve ter um único nome.

  99. #144
    Taina
    12.08.2017 - 17:17

    Jeri: amiga, 25 anos, voce é super nova! Pelo amor de Deus, planeja sua vida! Voce disse que esta formada e em um emprego legal? Vai fazer mais algum curso? Vai continuar nesse emprego o resto da vida? Vai viajar pra algum lugar? Curte sua vida! Como a Cony disse, casamento é algo natural, nao é algo por idade nem porque esta “no momento” ou porque tuas amigas estao casando! Eu super concordo que se isso é tao importante pra voce, tem que ser pra ele tambem se nao seria de repensar, mas isso nao significa que tem que ser agora. Pensa em sair de casa, viver sozinha, aprender a aproveitar tua propria compania primeiro e ao mesmo tempo ve como ele se comporta com isso. Eu e meu marido os dois moramos sozinhos antes de casar e juro,faz toda diferenca do mundo! Ele ajudava a mae dele em tudo na casa, nunca foi mimado, e ainda assim morando sozinho se aprende, por exemplo, o chato que é ir no supermercado mesmo cansado e se nao for, nao tem comida. Aqui em casa sou eu que faço as compras pq eu amo cozinhar (meu sonho é fazer um curso disso, amo mesmo), mas se eu nao fui por X ou Z nao tem nem conversa, ele ja passou por tudo isso sozinho, me entende? Eu estava fazendo umas provas para entrar no mestrado ano passado e nao ajudei a limpar a casa por duas semanas, ele limpou uma semana e na segunda pagou uma faxineira pra nao fazer sozinho, e tb nao teve stress porque de novo, ele já passou por tudo isso. Eu sei que muita gente pensa “meu namorado nao é machista e vai entender” mas nao é uma questao de ser machista, é uma questao de empatia, de ter passado por isso, saber como é! Espero que te ajude o meu conselho! Espero que tu seja muuuuito feliz!

  100. #145
    Barbara
    13.08.2017 - 22:21

    Pipa, sou casada há 8 anos e não alterei meu nome. Cresci vendo minha mãe (que é minha ídola), casada com meu pai ha quase 40 anos, mantendo o nome de solteira dela (penso no preconceito que ela sofreu tomando essa decisão no início da década de 80). Nunca tive vontade de mudar, mesmo achando o sobrenome do meu marido lindo! Sabe porque? Eu continuo sendo eu! Na época do casório meu marido ficou chateadissimo e chegou a me acusar de estar casando “já pensando em separar”. Minha sogra achou um absurdo! E eu? Ignorei! Eu tinha pavor de ter que alterar toda a minha documentação, inclusive diploma de universidade. E posso te contar uma coisa? A gente casa querendo que seja pra sempre…. mas, se, por um acaso, não der, você vai se arrepender pra sempre te ser mudado o nome. Tenho amigas separaras que vivem tendo problemas por causa da alteração. Agora, por exemplo, o filho de uma amiga fez 18 anos e foi tirar carteira de trabalho. Quem disse que consegue? Isso tudo porque na identidade dele tá o nome da mãe de solteira (separada, voltou pro nome antigo) e na receita federal está o nome de casada. Uma baita dor de cabeça! E, sinceramente, pra mim o que conecta as pessoas não é um sobrenome, nem um pedaço de papel… é o amor! Que Deus abençoe sua decisão e seu casamento! Seja feliz!

    • #146
      pipa
      14.08.2017 - 09:24

      Amei seu relato 🙂 Bem parecido com o meu caso. Minha sogra e provavelmente meu sogro também não vão ficar tranquilos com minha escolha. Muito bom ver sua experiência! Obrigada!

  101. #147
    Monize Muniz Farias de Araujo
    14.08.2017 - 07:59

    Pipa,
    Sou casada há 04 anos. Ainda não casamos no civil, mas decidi que, quando o fizermos, não mudarei o meu nome. Para ser sincera, por três motivos: o trabalho (preguiça só de pensar em correr atras de tudo), meu nome é muito extenso e porque acho o sobrenome dele feio. Não acho machismo mudar o meu nome, talvez se ele fizesse questão, eu até abriria mão, pois se é algo tão importante, por que não agradá-lo? Em relação a “meu nome ser minha identidade”, realmente, meu nome de solteira marca minha vida de solteira, meu nome de casada torna claro a vida que escolhi a partir daquele dia.
    Não acho que seja vantagem que os dois mudem os nomes, pelo contrário, acho infantilidade e contraditório. Se o seu dilema é não querer mudar o seu nome, mudar os dois não resolve o problema, apenas vai chatear e causar brigas. Sugira a ele que mude o dele para o seu, caso ele não aceite e você veja que, realmente, não quer mudar o seu, use-o como exemplo, tipo: “a mesma forma que você se sente em relação a mudança do seu nome, é como me sinto”, tente fazê-lo entender os seus motivos. Mas seja madura, sem causar briguinhas desnecessárias, pois começar assim o casamento é algo muito ruim e provoca um desgaste que se estende por uma vida.

  102. #148
    Juliana
    14.08.2017 - 10:02

    Ihh gente, esse negócio de nome acho que hoje em dia só pega mais pra quem é bem tradicionalzäo. Eu casei recentemente e desde o início eu sabia que näo iria mudar o meu nome… primeiro porque adoro o meu nome e Segundo porque näo me via feliz tendo que mudar isso, além óbvio, do trabalho imenso que imagino que dá mudar TODOSSS os documentos. Mas assim, como disseram em cima, tem gente que muda porquê QUER, aí sim acho válido, agora mudar apenas para agradar o marido e passer o resto da vida se arrependendo porque fez isso..acho que näo vale näo!! rs boa sorte Pipa!!! beijos

  103. #149
    Marcela Dohara
    14.08.2017 - 12:13

    Pipa, acho que tens que seguir tuas vontades mesmo e parte pelo lado da praticidade: a burocracia é imeeeeeensa!
    Sou noiva e já avisei que não troco o sobrenome e muito menos acrescento, ele tá avisado! kkkk
    Boa sorte e que tudo dê certo, da melhor maneira possível!

  104. #150
    Alessandra
    14.08.2017 - 12:25

    Quando casei não quis mudar meu nome. Achava bem trabalhoso a mudança de toda papelada por causa de um nome. Pensei também : e se não der certo? outra trabalheira … enfim , não mudei.
    Recebi alguns comentários machistas por causa disso, inclusive da sogra mas foi minha escolha e pronto.
    Mas … confesso que já tive um arrependimento quanto a isso e ocorreu principalmente quando fui matricular filhos na escola. Nos Eua onde morei por um tempo, tem uma tradição enorme com nome de família e me vi em várias situações complicadas por não ter o nome do marido.
    Sra quem ? ( teria que ser o nome dele) e não tinha esse referência tão clara .

  105. #151
    14.08.2017 - 14:01

    Pipa, eu não vejo tanto problema em troca de documentos, você vai um dia faz tudo e pronto. Não pensaria em “se me separar vou ter que fazer tudo de novo”, afinal a gente casa pra ficar junto, se acontecer, vou mudar de novo e ponto. Em relação ao sobrenome do meu marido, achei bacana mudar e inclui-lo, isso faz com que eu me sinta mais da família dele, da mesma forma o contrário e ele incluiu meu sobrenome no nome dele! Os mais machistas vão torcer o nariz, a família minha família amou, a dele achou meio estranho, mas nunca deram pitaco porque é uma decisão unica nossa. Sou a favor de direitos iguais!

  106. #152
    Juliana
    14.08.2017 - 14:22

    Pipa, sou recém casada e nao acrescentei o nome do meu marido. Pelos mesmos motivos que você, concordo que essa é uma imposição de uma sociedade machista (e meu marido acha o mesmo). Com relação ao nome dos filhos ficar diferente, eles terão o seu sobrenome e o do pai, então haverá uma identidade. Acho que você deveria sugerir que ele colocasse o seu também.

  107. #153
    Kelly Fernanda
    14.08.2017 - 14:57

    Para Pipa: acho que é preconceito pensar que é machismo, posse, sei lá qual neura não colocar o sobrenome do marido…vc já está casando, mergulha de cabeça ué! Nunca que vc perde a identidade por isso! EU coloquei o sobrenome do meu marido pq quis! Combinou, ficou chique e looogooooo! E detalhe, detesto que abreviem a escrita dele! O meu filho possivelmente vai carregar os dois sobrenomes e vai ser lindo! E outra, nem dá tanto trabalho assim atualizar os documentos, eu fiz tudo de uma vez só! Pode acreditar, achei rápido! Aí vc pensa, mas e se eu separar? Refaz por ocasião do divórcio e siga em frente! Enfrente a vida com leveza, e seja feliz!

  108. #154
    Mariana
    14.08.2017 - 22:30

    Pipa, esse negócio de nome do marido é uma grande besteira. Meus pais estão juntos a mais de 30 anos, nunca casaram no papel, ou seja, minha mae nao adotou sobrenome dele. Eu e minha irmã temos um sobrenome de cada um e tá ótimo. Ninguém ta desconectado de nada. Ninguém estranha minha mãe não ter o nome do meu pai e nem os nossos sobrenomes não serem iguais.
    Ninguém nunca questionou, teve curiosidade, ou nem mesmo perguntou se meus pais não eram casados ou se nós não somos uma família pq minha mãe nao tem o sobrenome do meu pai.
    Se você não quer, NÃO FAÇA. Não vai mudar absolutamente nada na sua relação e formação de família. Se seu futuro marido acha que uma família precisa disso para ser conectada ele ta dando valor as coisas erradas, às aparências e não ao que realmente importa.

  109. #155
    Vanessa
    14.08.2017 - 23:27

    Pipa, nuuuuuuuncaaaaaaa faça isso. Nem por ele e nem por filho. Vc se sentirá com falta de identidade. Isso deveria ser proibido. Eu fiz porque ele também ficou bicudo. Nunca me perdoei por isso. Não faça. Simples assim. Mande ele mudar o nome. Ele vai dar risada na sua cara. Então não faça se ele não fizer.

  110. #156
    Cqrol
    15.08.2017 - 00:06

    Pipa, se vc não quer mudar, não mude! Sou casada, não mudei, isso nem chegou a ser um assunto entre eu e meu marido na época do casamento! Uma amiga minha que casou logo depois de mim estava com o mesmo dilema q o seu e me pediu opinião, disse Q o marido fazia questão, o que eu faria no lugar dela. Minha resposta foi: aí é q eu não botava MESMO! Ela colocou e eles se separaram em menos de 2 anos! Estou com as meninas dos comentários: é machismo sim, vc não é propriedade de ninguém, se ele quiser ele q mude o nome dele pra ficar igual ao seu ué! Não vejo nada demais se as pessoas QUISEREM colocar o sobrenome do marido, mas colocar contra a vontade?! Entendo q casamento ( ou qualquer relacionamento) cada um tem q ceder um pouco, mas existem questões que tem ficar claras desde o início, vc q tem Q saber se está disposta a ceder nesse ponto!

  111. #157
    Suelen
    15.08.2017 - 01:18

    Para o caso 3:
    Não sei se isso ajuda em algo, mas achei que deveria compartilhar. Nunca casei, mas tenho um exemplo em casa que me fez formar uma opinião sobre o assunto. Minhã mãe é casada há mais de 20 anos com o meu pai e ela já comentou algumas vezes que se arrepende de ter acrescentado o sobrenome dele (na época isso era algo, digamos, “obrigatório”). Um dos motivos é que ela gostava do nome de solteira. O outro é que assim ela ficou com os mesmos sobrenomes das filhas, o que a faz parecer “filha” também e não a mãe da família.
    Eu, particularmente, acho que o vínculo da família está na convivência e no amor. Mas, se é para expressar isso em sobrenomes, que os filhos então recebam um sobrenome da mãe e um do pai, sem que a mãe mude o dela. Assim fica o vínculo com ambos os pais e com a família que formaram.
    Espero que vocês consigam chegar em um ponto em comum e que sejam muito felizes no casamento!

  112. #158
    Isa
    15.08.2017 - 13:13

    No meu nome ninguém mexe. Tá casando comigo ou com meu nome? Eu heim…

  113. #159
    Desi
    15.08.2017 - 21:04

    Somente no cartório meu esposo falou que queria que eu colocase seu sobrenome, fiquei de pensar e saímos de lá sem dar entrada na papelada. Decidi acrescentar um sobrenome dele ( eu escolhi qual), não abri mão de nenhum dos meus, não perdi minha identidade. Somei o dele porque estava somando minha vida a dele.

  114. #160
    Eliane Pagan
    16.08.2017 - 13:37

    Meu marido nunca me pediu…mas sei que a familia dele nao curtiu muito…mas eu disse que nasci com um nome e morreria com ele. E assim foi… tenho orgulho do meu nome… e nao o trocaria por nada. Meu filho nasceu e ele tem ambos os sobrenomes… inclusive o meu no fim!. outro ponto que a familia dele nao curtiu muito. Mas eu penso que cada uma deve seguir sua vontade. Se for pra eu entrar num relacionamento ja tendo que fazer certas conseções bobas como essa… penso eu que algo vai errado… nos temos que nos preocupar com coisas grandes… e problems reais… o resto é resto… problema num casamento é o que nao falta… ja entrar com um.. é desnecessario. Antigamene tinha isso.. hoje nao mais graças a Deus. É um saco trocar todos os seus docuemntos..e penso eu que deve ser estranho passar a ter outro nome… mas cada um segue como achar melhor… tenho uma tia que se separou depois de 30 anos casada…e o cara fez ela tirar o sobrenome dele do nome dela… la se foi a pobre trrocar tudo novamente.

  115. #161
    Dry Moraes
    17.08.2017 - 14:13

    Posso ser massacrada pelo que irei dizer…

    Fiquei TÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOO feliz pelo chora 1 da Ilhabela (SUA LINDAAAAA) que comecei a ler o segundo (namora, termina, volta) e fiquei com PREGUIÇA de terminar de ler. #Zzzzzzz

    Chora 3: irei me casar mês que vem e não irei trocar nome. Meu noivo não faz questão. Somos do tipo que pensa que amor e casamento vai muito além de sobrenome no documento. Sou muito prática então morro de preguiça de ter que PENSAR em trocar documentos etc etc etc. Felicidades no casamento ♥♥♥

  116. #162
    Taine Nascimento Garcia
    22.08.2017 - 09:54

    Pipa: Eu casei tem 5 meses, nunca quis mudar meu nome também pois, me considero feminista, plena, e dona de mim! Mas meu marido fazia muita questão que eu colocasse o sobrenome dele, me pedia isso sempre com amor. Coloquei sem pretensão alguma, com nenhuma vontade de expor o novo sobrenome. E agora depois de 5 meses de casada eu te falo, quanto orgulho eu sinto de carregar o sobrenome do meu marido, do homem da minha vida. Não me sinto propriedade dele como achei que sentiria. Existem paradigmas que precisam ser quebrados sim, mas tem coisas que podemos debater com mais leveza, colocar o sobrenome do nosso marido não nos enfraquecerá como feministas e donas das nossas vidas! Essa é a minha experiencia, claro que cada casal tem a sua realidade.. bjão

  117. #163
    Bruna
    22.08.2017 - 13:56

    Pipa, eu mudei meu nome quando casei. Na verdade, fiz de uma maneira que os dois ficassem satisfeitos: o sobrenome do meu marido é duplo, ou seja, são dois nomes, e o pai dele fazia pressão para que eu colocasse o sobrenome completo. Eu já tinha nome grande e não queria fazer o sobrenome da minha família ficar perdido no meio do meu nome. Nunca conversamos sobre ele colocar meu nome,então não sei qual seria a posição dele. Mas no fim ficou o seguinte: coloquei só um dos sobrenomes dele, o último, logo depois do meu. Concordamos que o nome ficou bom, bonito e que se um dia tivermos filhos esse será o sobrenome deles. Criamos uma nova família, com um novo sobrenome, e com os nossos valores, sendo um dos nossos pilares a igualdade. Não acho que a submissão ao patriarcado esteja somente no sobrenome: vivemos uma vida completamente diferente disso, mas adotei o sobrenome dele. Acho que as atitudes e o dia-a-dia dizem mais sobre submissão ou igualdade que um sobrenome adotado ou não. Beijos

  118. #164
    Lívia Santiago
    24.08.2017 - 22:24

    Pipa, penso da seguinte maneira: seu futuro marido está te exigindo um sacrifício por ele. Pra ele é fácil pedir, afinal quem vai ter que mudar tudo é você, e se (deus me livre) houver um divórcio, você fica com o pato de ter que mudar tudo de novo. Sem contar que ainda por cima vai ser sofrido pra você. Então se alguém tem que sair contrariado, que seja ele! Afinal, é SUA identidade que vai mudar. Particularmente não acho legal exigir esse nível de sacrifício seu por algo que não vai alterar em nada a vida dele, só a sua! Ou seja: você teria trabalho pra fazer algo que não quer de jeito nenhum. De
    repente faz até um teste: como hoje em dia é permitido, pergunta se ele assumiria seu sobrenome, sem que você alterasse o seu (o contrário do que é o tradicional).

    Pensando em possibilidades: como hoje vale tudo, vocês podem criar seu próprio sobrenome, juntando os nomes de família que mais gostam. Já vi alguns casais que fizeram isso, os dois alterando seus sobrenomes.

    Mas o importante é você querer e se sentir confortável. Se você não quiser, se te incomoda, não existe e te exigir isso por puro capricho (ou tradicionalismo, como queiram chamar).

    Boa sorte!

  119. #165
    Carol
    01.09.2017 - 15:11

    Me impressiona muito e me deixa triste ler que uma menina de 25 anos (menina mesmo) está tão fixada na ideia de casamento. Gente, vc só tem 25 anos!!!!!!!! Uma vida pela frente e está criando umas preocupações que você não deveria ter hoje. Aproveite sua vida, namore muito, o casamento vai acontecer naturalmente com alguém que te ame. Impor não adianta nada.

    Já com relação à troca de nome: não mude. Casei, mudei o nome, separei, e isso hoje é um inferno na minha vida. SEMPRE SAI UM DOCUMENTO ERRADO, principalmente por que na certidão de nascimento das minhas filhas está o nome de casada. Se eu noivo não entende o trabalho que isso dá, e se ele não aceita mudar o dele também, então tem algo muito errado ai.

Comente