21
Dec 2016
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

Acho que mais um Chora e já abro o mail para novos casos! Como podem perceber pelos nome, estou no Chile rsrsrs

Caso 01 – Santiago

Olá, Cony! Tudo bem? Minha história é um tanto quanto complicada. Minha mãe sempre foi uma pessoa muito difícil de lidar. Não tem papas na língua e acaba falando e fazendo o que vem à cabeça sem pensar nas consequências. Além disso, implica com os “agregados” da família (cunhados, em especial). Sempre tentei contornar a situação mas, de um tempo para cá, as coisas estão ficando insustentáveis. Praticamente em todos os encontros de família minha mãe fecha a cara quando vê os cunhados e faz questão de deixar bem evidente que a presença deles ali a desagrada. Fala coisas e chega a brigar com eles. Já perdi a conta de quantas vezes já chorei em reuniões familiares por conta das atitudes dela. As brigas são tão frequentes que eu já chego encontros esperando por elas e me sinto péssima. Minha avó sempre está presente nas reuniões e fica extremamente triste com o que acontece lá. Estou preferindo evitar essas situações para poupar minha avó desse tipo de coisa. ( Quando eu não vou, minha mãe acaba desistindo de ir). Não sei mais o que fazer. Já tentei de tudo para  abrir os olhos da minha mãe e fazê-la perceber como esse jeito dela é terrível mas ela é irredutível e sempre  se coloca no lugar de vítima. Fico triste de não poder comparecer aos encontros e de perceber que minha mãe é realmente a causa dos conflitos familiares. O que você faria em meu lugar?

Tentaria entender o porque dessa atitude da sua mãe. Algum tipo de rejeição? Complexo? Será que ela pode ser bipolar? Alguma coisa tem, e é isso que tem que ser tratado! Acho que vale uma conversa mais profunda e sincera, talvez até uma terapia mas não sei como ela veria isso. Ela entende que causa essas brigas? Ou sempre acha que está com a razão? É complicado, mas acho que eu tentaria entender o porque disso!

Caso 02 – Arica

Oi Cony! Adoro essa coluna <3 Vamos lá… No começo do ano conheci um rapaz aqui da  minha cidade mesmo, me interessei por ele logo de cara, coisa que não acontece sempre, começamos a ficar e nos apegar (pelo menos eu), aí um dia ele me manda uma msg por whats dizendo que não sabia o que tinha acontecido, que o problema era com ele, mas ele não queria mais ficar comigo. Fiquei muito mal. Até que depois de um mês acho, ele me procurou novamente e disse que gostava de mim, tinha sofrido por ter terminado, mas decidiu que era melhor assim porque tinha ido morar em outra cidade pra trabalhar e enfim. Isso ele não me falou, acredito que quando se gosta de uma pessoa, você fala sobre sua vida. Aí voltamos a conversar e tal. Mas depois de uns 4 meses ele voltou a morar aqui, e me procurou, ficamos novamente. Mas algo sempre me intrigou, nunca saímos em público sabe, e quando ele me convidava pra sair, chegava o dia, ele ou desmarcava ou sumia, e depois vinha dizer que teve um compromisso, balela né? Certo dia me irritei e terminei com ele. Mas depois disso, ficamos novamente. Essa enrolação já faz 7 meses. Acredito que se ele gostasse de mim mesmo, isso já teria evoluído pra um relacionamento sério né Cony? No começo gostava de ter alguém pra ficar as vezes, mas acabei me apegando e gostando dele, eu via um futuro mas hoje não sei se gostaria de ter um relacionamento com uma pessoa instável, que uma hora quer outra não. E nisso, sei que não sou a única, apesar dele e dizer que não ficou com ninguém, mas sei que ele vai a festas e já vi até um coração que ele comentou na foto de outra menina. Será que devo continuar no banho-maria e deixar rolar ou colocar um ponto final porque não vale a pena e me valorizar? Não sou muito de sair, aliás estou muito caseira ultimamente, minhas amigas ou são casadas ou namoram ou são mais velhas e tenho 20 anos. Será que o problema está comigo? E o que posso fazer para mudar? Será que estou sendo muito imatura?

Ele está fazendo com você o que você permite ele fazer! O cara te enrola, some, volta e você fica com ele de novo. Pra quê que ele vai mudar de comportamento, me diz? Suma da vida dele, o tempo é sábio, dá as melhores respostas. Ou ele aparece e firma compromisso, ou some de vez, mas não deixe ele te cozinhar mais. Você está perdendo tempo e gastando energia com algo que não te dá retorno algum.

Caso 03 – Pucon

Olá Cony, como está? Descobri seu blog faz um ano mais ou menos e gosto tanto que li todos os posts desde o primeiro numa tacada só. Sempre pensei em mandar um chora mas não tive a oportunidade, até agora. Bom, sou formada em administração de empresas e tenho pós graduação em finanças e em gestão de recursos humanos. Pode parecer que sou uma pessoa super bem sucedida mas não é bem assim. Infelizmente até o momento não tive uma boa oportunidade e trabalho como telefonista num banco. Ganho pouco e não vejo condições de melhora pois vou fazer 34 anos e a maioria dos bancos, área que mais gosto, só contrata pessoas até aproximadamente 25 anos. Já tentei em outros ramos mas a questão é que nem mesmo sou chamada pra entrevistas. Namoro um rapaz 5 anos mais novo que eu; ele é muito bom, trabalhador, responsável e me ama muito; eu tb gosto dele. Porém, a situação financeira dele é pior que a minha e, várias vezes eu tenho que pagar nossas saídas. E ele mora em Belo Horizonte e eu no interior, o que dificulta mais ainda nosso relacionamento. Sempre tive o sonho de me casar e ser feliz, talvez ter um filho mas o tempo está passando e não há nenhum direcionamento pra isso. Fico pensando se estou perdendo tempo com ele mas, não suporto mais ficar sozinha e perceber a cobrança das pessoas ao meu redor. Enquanto todos na minha faixa etária já formou família e já é bem sucedido na vida, eu não saí do lugar. Me vejo totalmente estagnada e sem futuro. Não sei o que fazer pra mudar minha vida. Tenho até mesmo vergonha de mim e da minha idade, já era pra eu estar lá na frente vivendo outras etapas da minha vida mas, estou aqui no mesmo lugar de sempre. Me dê uma opinião! Muito obrigada e um grande beijo.

Não se desespere, por mais que tudo pareça estar sem rumo. O universo conspira em nosso favor, mas tudo depende de como a gente vibra. Se sua energia tá ruim, só vai atrair coisas ruins. Pense positivo! Sobre o trabalho, não desista de tentar uma recolocação, ou até mesmo mudar de área. Já pensou em ter algo próprio? Empreender em algo? E sobre o relacionamento, calma. Não tome nenhuma atitude baseada na condição atual, tudo pode mudar! Você diz que ele é um cara legal, responsável e que te ama. Segura a onda, nunca se sabe o dia de amanhã! Ele pode dar super certo na vida e te ajudar quando você precisar. Relacionamento é isso, uma mão lava a outra! PORÉM, não fique com ele pensando que não pode ficar sozinha. Isso sim está errado. Acho que nem é o caso, mas não pense assim ok? E não é porque todo mundo está casado que quer dizer que estão bem. Calma, foco, pense positivo e se esforce para ser melhor a cada dia!
Caso 04 – Valparaíso

Olá Cony! Meu chora é um pouco de falta de coragem mesmo haha Tenho 26 anos, e perdi a minha mãe nova. Sempre fomos só eu e meu pai. Temos uma situação boa (não sou nem perto de rica), mas nunca me faltou nada e sempre estudei em boas escolas. Acontece que por ele nunca ter me deixado faltar nada, sou um pouco acomodada. Me formei aos 20 em uma faculdade que não gostava, porém, meu pai não me deixou parar. Fiquei 3 anos parada, sem vontade de procurar nada, e aos 23 resolvi fazer uma segunda faculdade que gosto muito. Arrumei um emprego, que não é em nenhuma das duas áreas, porém, que me ajuda bastante. A questão é que estou terminando o terceiro ano da faculdade, e queria muito fazer estágio. Porém, não consegui até agora, e tenho um pouco de receio de deixar um emprego certo para procurar estágio, mas também sei que aqui mal tenho tempo de procurar alguma coisa, e isso vem me consumindo. O salário nem é muito bom, mas quando a gente começa a trabalhar, é sempre difícil voltar a ser sustentada né? Queria a ajuda de vocês e opiniões, sobre o que devo fazer, porque meu pai só fica repetindo que vai me apoiar haha. Queria alguém que me impulsionasse e dissesse a verdade sabe? Então é isso. Agradeço desde já todas as opiniões que virão. Beijos

Pense que um dia seu pai não estará mais ao seu lado para te apoiar e impulsionar. Tente ser o mais independente possível e se está fazendo uma faculdade que gosta, acredito que deveria ir atrás do estágio sim, ainda mais aproveitando o apoio do seu pai. Esse é o momento de aproveitar esse respaldo para conseguir entrar na carreira que escolheu e depois poder tomar um caminho mais certo e concreto! Eu iria atrás do estágio!

  • Choras ainda fechados… MAS POR POUCO TEMPO UHUUUU! Já vai escrevendo seu drama e deixa no rascunho do mail!
16 Comentários
  1. #1
    Iraci
    21.12.2016 - 20:24

    Caso 3: você ama seu namorado ou tá com ele só pra não ficar sozinha? P vc falou que ele te ama muito mas você só “gosta” dele. Olha, na minha opinião se você acha que ele é o cara pra você ficar junto, você tem que deixar de ser um pouquinho incrédula, diria até preconceituosa, 3 se abrir mais pra esse relacionamento, pois me pareceu que você não vai em frente só pq ele é ruim de grana. Infelizmente a vida é dura e muitos casais ralam muito pra viver, mas vários desses casais são muito mais felizes do que aqueles que são ricos. Já pensou em procurar um emprego em BH e mudar pra lá? Você poderia morar com seu namo, fazer um test drive e dois sustentandouma casa é bem melhor que um só, né?

    Caso 4: miga, procure estagio incansavelmente e só quando conseguir saia do seu emprego. Desculpa, mas não entendi o pq do seu trabalho atrapalhar em conseguir o estagio.

  2. #2
    Ka
    21.12.2016 - 23:47

    Caso 1
    Acho que você deve fazer uma intervenção familiar, chama a sua avó e talvez mais alguma outra pessoa de confiança e conversem sinceramente com sua mãe sobre isso. Falem com amor e carinho e tenha a maior paciência do mundo pra ela não se sentir acuada e virar briga. Tentem fazê-la entender o lado de cada um na história quando acontecem as brigas, tipo pra ela tentar se colocar no lugar de cada pessoa e perceber o quanto as atitudes dela são negativas. E também ouvi-la e se colocarem no lugar dela também afinal de contas ela tambem sofre com a situação do jeito dela.

    Caso 2
    Migs, você tem 20 anos, daqui há algum tempo esse vai ser apenas mais um babaca da sua lista.
    Cuide de você, curta sua solitude, estuda, trabalha, cuida da saúde, faz coisas que te fazem bem. Em algum momento esse cara vai passar e vão surgir oportunidades de pessoas mais interessantes

    Caso 3
    Se você tem um bom currículo em uma cidade maior com certeza te dá mais possibilidades. Mas se vc curte cidade pequena e vida do interior acho que a melhor possibilidade é vc empreender em algo que goste, formação pra isso você já tem né. Começa a ver uns vídeos sobre empreendedorismo no youtube que talvez te desperte algo.
    Sobre namorado vale vc pensar se vc está com ele porque ama, quer construir uma vida com ele, uma familia, ou so por comodismo. Se vc tem 34 anos e quer isso deveria estar com uma pessoa que deseja isso, e que vc pensa nela dentro dos seus planos. Dinheiro uma hora vai, outra hora vem, o importante é você saber que é a pessoa que vc quer pra passar os perrengues da vida junto com você.

    Caso 4
    Se joga colega, se nao la na frente vc vai se arrepender por ter gastado tanto tempo em um trabalho que nao era o que voce queria, vai acabar a faculdade e não vai arranjar emprego na area porque nao tem experiencia de estagio.
    Aproveita a oportunidade que a vida te deu, tem muita, mas muita gente que gostaria de ter uma ajuda dos pais pra correr atrás do que gosta ao invés de ter que fazer o que precisa.

  3. #3
    Tha
    22.12.2016 - 11:36

    Cony, linda! Amo seu blog, amo os choras!

    Caso 2: Sei tudo o que você está sentindo pois passei pela mesma situação, e a Cony falou exatamente o que me disseram na época e eu não quis ouvir. Até que teve que chegar o dia de um amigo dele me contar que ele dizia que não namorava comigo pois eu era pouco pra ele…Isso mesmo, eu que sempre estava disponível pra ele, era pouco pra ele! Achei que era mentira mas mostraram conversas em época de msn..rsrsrs! Enfim, chorei…sofri…relutei..me culpei e me odiei, mas o tempo, nosso querido tempo me fez ver que ele sim não era pra mim e fui viver! E o tempo me deu uma pessoa maravilhosa que estou há 7 anos, e o outro, assim que soube do meu namoro veio atras..chorou, pediu perdão e disse que agora sim via que eu era o suficiente e que ele tinha perdido.
    Então, siga sua vida..por mais duro e difícil que seja! Você vai ver que tudo vai melhorar e você vai encontrar pessoas maravilhosas pelo caminho e principalmente se encontrar e se valorizar.

    Beijos!

  4. #4
    Natália
    22.12.2016 - 11:45

    Aff vi exatamente minha sogra no primeiro caso. Meu marido, que é o filho mais próximo a ela e mais paciente também, conversou com ela não só em relação aos agregados, mas sobre várias outras situações em que ela falou o que quis por se dizer uma pessoa “sincera”. Foi muito difícil pra mim durante muitos anos ficar ouvindo várias coisas desagradáveis da parte dela. Hoje finjo que não estou ouvindo. O que a ajudou a melhorar foi fazer um tratamento com psicólogo. Não resolveu 100%, mas já fez uma diferença enorme.

  5. #5
    Tauana
    22.12.2016 - 11:52

    Caso 01 – Santiago
    Querida, ela já chegou a expressar os motivos dela? É bem como a Cony falou.
    Eu não me dou bem com a minha sogra, ela implica com tudo o que eu faço, até com minha respiração e faz de tudo para me desapontar na frente dos outros. Sabe o que o meu noivo fez? Ele disse para ela qe ela sempre será a mãe dele, mas ele está constituindo uma nova família e a atitude dela acaba afastando ele da mãe. Ela nunca mais implicou, e obviamente eu não quis mais conviver.
    Acredito que uma boa conversa para por os pingos nos “is” funcionaria.

    Caso 02 – Arica
    Ui. Entendo que queres ficar com ele, mas deixar ele dominar o tempo que vão ficar juntos já é demais. Pula fora dessa, acho que ele tem rabo preso com alguma outra, mas sente uma atração por ti e não quer te deixar.

    Caso 03 – Pucon
    Amore, pq tu não tenta mudar? A situação está complicada e largar o certo pelo duvidoso não da, mas procura outra oportunidade, conversa com a instituição que tu trabalha. Sei que tu é capaz e vai conseguir, te determinou a estudar todos esses anos, te formastes, és pos graduada. Com certeza vai conseguir algo. Tu pode ser mais velha que tu namorado, mas tu ainda é nova. Nunca é tarde para recomeçar.

    Caso 04 – Valparaiso
    Falei isso para o caso 03, é difícil largar o certo pelo duvidoso, mas tu és tão nova, pq não tenta? Desamparada teu pai não vai te deixar. Tente, sai da zona de conforto, leia Napoleon Hill. “O esforço só é expresso em recompensa quando uma pessoa se recusa a desistir”. Pensa que tudo vai dar certo e arrisque..

  6. #6
    Andrea
    22.12.2016 - 12:30

    Esse caso 2 eu posso estar enganada, mas tá parecendo que tem outra(s) mulher(es) no meio da história. Principalmente por ele sumir e depois voltar, e esse papo de dizer que mudou por motivo de trabalho está meio estranho. Fique ligada se vc por acaso ainda estiver enrolada nessa história!

  7. #7
    Vanessa
    22.12.2016 - 13:46

    Caso 01:

    Sua mãe é igual a minha Avó. Ela, minha avó, é a rainha dos conflitos, mas elas não implica com os agregados, é com as filhas mesmo, no meu caso, minha avó só teve um filho homem que ela acha que é um santo na terra e 04 mulheres (minha mãe inclusa) que ela acha que não servem pra nada, mas são elas que a socorrem.

    Minha mãe e tias já tentaram de tudo, nunca deu em nada. Tem gente que tem o “sangue ruim”, não adianta, ela se acha a dona da verdade. No meu caso houve um distanciamento pra gerar menos estresse e não dá ibope pra ela, porque gente assim gosta de plateia.

    Eu sei que é chato ver parente dessa forma, especialmente uma mãe/avó, mas as vezes é assim mesmo

  8. #8
    CassiJane
    22.12.2016 - 16:01

    Sobre a mãe complicada… Pode ser um pouco duro o que eu vou falar, mas tem hora que tem que deixar gente assim sozinha. Parar de visitar, parar de fazer as reuniões familiares, afastar-se um pouco. Se a pessoa gosta de posar de vítima, talvez o fato de não ter tanta atenção assim vai fazer com que ela reflita que o mundo não gira em torno dela. É duro pensar essas coisas de pai e mãe, mas eles são seres humanos e também erram. A gente não pode se sentir com culpa e mal por se afastar temporariamente de pessoas (mesmo a mãe) que nos consomem. Se a conversa não funciona, talvez outro tipo de atitude resulte. E se não, não sei, talvez o caso seja mesmo de uma terapia.

    Sorte.

  9. #9
    Marcella
    22.12.2016 - 16:10

    Arica, corre, mas corre mesmo, sem olhar pra trás, escuta esse conselho de alguém que deixou ser cozida por 5 anos pq um monte de amiga ficava me falando para eu ter paciência.
    Valparaíso, meu pai é igual ao seu, e eu me ferrei, ele me “protegeu” demais, sim ,foi por amor, mas agora com 40 e tralalá eu percebi o quanto me prejudicou. Beijos meninas! Feliz ano novo!

  10. #10
    Grazi
    22.12.2016 - 17:53

    Estou passando pela Mesma situação .. tenho 32 anos e estou com uma pessoa que não tem uma condição financeira boa . E não sei o que fazer ! Não sei se largo pra pensar em alguém(dinheiro tbm é importante )ou continuo e pago pra ver. Ele nunca ganhará o que eu ganho e isso nos limita muito . Sigua seu coração se vc acha q o dinheiro não é tão importante vá em frente !

  11. #11
    Cla
    22.12.2016 - 20:04

    CASO 2

    Já passei pela mesma situação.. no meu caso, durou 3 anos.. e acabou pq ele apareceu namorando outra, sem me dar a menor satisfação..
    Ia do céu ao inferno com ele.. noites maravilhosas, com muita risada, sexo maravilhoso, que se seguia de dias de sumiço, pra depois aparecer e recomeçar o ciclo.. quando eu dava uma sumida ele aparecia e jogava uma migalha, e meu coração se enchia de esperança que ‘agora ele se apaixona por mim’ .
    Homens conseguem separar completamente sexo de sentimento, e até acho que ele gostava de mim, da minha companhia etc, porém não o suficiente pra me assumir e ficar só comigo..
    A namorada dele, em 1 mês que ele conheceu já tinha foto dos dois.. e eu acompanhando aquilo igual uma louca nas redes sociais, acontecendo na minha frente, e eu não tinha nada pra fazer..
    Entao, reforçando o conselho, saia fora!! Não perca mais seu tempo, a vida passa voando!
    Se quiser conversar mais sobre o assunto, pede meu e-mail pra Cony! É recente pra mim e estamos juntas!
    Beijos

  12. #12
    Psicóloga de boteco
    22.12.2016 - 21:17

    Caso 1 – te entendo perfeitamente. Meu pai era o causador da discórdia na família, um encrenqueiro de marca maior. Tudo o que ele fez deixou marcas profundas nos envolvidos, até hoje não tenho contato com a família por causa dele. Não tive chance de acertar as coisas com ele, aliás, não tive coragem, jeito, ele era realmente difícil. Ele sofreu abandono quando era criança, teve uma vida desgracenta… mas essa é a história dele, não a minha.
    Hoje eu penso da seguinte maneira: EU vou fazer uma história diferente. Eu chamo a família pra dentro da minha casa, eu faço todo Natal na minha casa. Minha história é diferente e deixei a dele pra trás.

    Caso 2 – Chuta que é macumba. Você já sabe o que fazer. Esse moço já cansou de pisar na bola com você.

    Caso 3 – Uma pergunta: sua cidade tem muitas empresas? Talvez você tenha que mudar o foco da área bancária para alguma área característica da sua cidade. Ela é agrícola, industrial? Serviços? Você gosta de RH? Ou vendas? Treinamento? Bolos e brigadeiros? Festas infantis? Pense nisso. Imagine que eu tenho uma amiga especializada em festas infantis para crianças especiais, com alguma deficiência. Não é uma sacada? Quanto à sua idade, tenha em mente que nunca será tarde para começar, é preciso ter perseverança para chegar em algum lugar. Se você já se sente derrotada antes de começar, tudo vai conspirar contra você. Eu acho que idade está na cabeça. Se você ainda não casou, não teve filhos, aproveite para investir em carreira mesmo, que depois fica mais difícil. Tenha fé! E principalmente não se compare com os outros, seja você.

    Caso 4 – já que você tem o apoio do seu pai, aproveita pra investir na nova carreira. APROVEITA que você é novíssima, novinha em folha, os próximos anos estão aí pra investir na carreira que você gosta. Aproveite o privilégio de poder fazer o que você quer e não o que você precisa.

  13. #13
    Cinthia
    22.12.2016 - 22:15

    Caso 3 – Pucon: estou chocada com o tanto de “choras” de mulheres reclamando de ter que pagar algo para os companheiros. Deixem essa mentalidade antiga de lado. Não é justo querer que somente o homem pague a conta! Você disse que o cara é bacana, bom, trabalhador e responsável, mas se incomoda de ter que pagar a conta e o fato de ele ganhar menos está colocando seu sentimento à prova? Me desculpe mas você é muito egoísta.

  14. #14
    Gabriela
    23.12.2016 - 00:22

    Sobre o caso 3, acho q o ideal é mudar de área mesmo. Vc é pós graduada, já pensou em lecionar numa faculdade? Deixa currículo nas particulares da vida, quem sabe não rola? Talvez ainda dê pra conciliar com o emprego que vc já tem. Outra alternativa seria estudar pra concurso, o que sei que não é fácil e pode levar um tempo, mas a estabilidade e as remunerações compensam muito, fora que você já tem um emprego pra te sustentar enquanto estuda.

  15. #15
    Melissa
    24.12.2016 - 16:02

    Arica: CORRE, mas corre sem olhar pra trás. Sério. Conselho de uma pessoa que foi enrolada por anos a fio. Pode ser que ele tenha outra ou outras, mas também pode ser que ele seja “só” egoísta, inseguro e autocentrado, que foi o que aconteceu comigo. Nos dois casos, não acho que vale a pena continuar. Larga esse homem que não te merece e encontra alguém que queira MESMO estar com você! Quem quer de verdade dá um jeito, não desmarca, não enrola, não cria dificuldade.
    Desculpa se fui muito dura, mas já vivi isso e não recomendo pra ninguém.
    Detalhe: todas as minhas amigas falavam pra eu tentar mais um pouco, ter paciência, ser mais tolerante. Fiz tudo isso e não deu em nada. Tem vezes que nada que a gente faz adianta, simplesmente porque quem tá errado e tem que mudar é o outro.

    Beijos, fique bem!

  16. #16
    Carol
    01.01.2017 - 10:04

    Caso 3- Tenho 30 anos, bacharel em direito (apenas) solteira literalmente, sou auxiliar administrativo (não recebo nem dois salários mínimos) e também estou estagnada. Pior, cada dia que passa parece que retroajo. Não tenho desejos, sonhos, objetivos, motivações. Vou vivendo por viver e as cobranças da “sociedade” são inúmeras.
    Infelizmente sei o que essa moça sente!

Comente