16
Nov 2016
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

Uma nova leva de Choras foi aberta! Só choradeira recente, vejamos o que tanto aflige essa mulherada!

Chora 01 – Rita

Eu sou formada há 6 anos em fisioterapia e agora resolvi que não quero seguir essa minha profissão. Trabalho em outra cidade, com meu esposo mora metade da semana sozinho por isso. E eu cansei, porque acho que isso acaba um pouco com a intimidade do casal, fora o desgaste de ficar viajando. No entanto, eu sei o que não quero mais fazer.. que é o que faço hoje. Mas não tenho a mínima idéia do que fazer. Tipo, tem dia que quero ser dentista. Tem dia que quero ser confeiteira. Mas eu tô instisfeita e nesse cenário de crise, não posso largar meu emprego na outra cidade porque eu ganho muito bem, e é muito feio dizer, estou lá somente pela grana. E meu esposo não ganha tão bem assim, eu pago o apartamento financiado, enquanto ele fica com as outras coisas de despesa. Todas mesmo, inclusive lazer.
Eu me sinto desmotivada e cansada e não quero ir trabalhar frequentemente. Iniciei terapia, mas preciso de sugestões do que fazer, aquela coisa de amiga. Por favor!

Nêga (forma carinhosa de chamar as amigas, assim como bruaca. Só pra me defender do mimimi), tem muita gente igual a você. Mas muita. É a geração que se matou de estudar, fez a faculdade do curso que dava dinheiro, ganham bem, mas estão infelizes. Se você precisa desse dinheiro, tente fazer algo paralelo que te dê prazer antes de jogar tudo pro alto. Quando sentir que pode andar com as próprias pernas no novo empreendimento, aí sim coloque na balança e se arrisque mas no momento, não acho inteligente largar uma carreira que te sustenta (e bem) e que paga suas contas. Não é a hora. Respira fundo e vai trabalhar tranquila, mas já começa a pensar em fazer algo que você realmente ame, porém paralelamente ok?

67a52136da971a0cdbbb54c6efa12e16

Chora 02 – Elis

Oi meninas, queria ouvir a opinião de vocês para o meu “Chora”. Namoro há 10 meses (sim, pouco) e nesse intervalo me mudei para a cidade do meu namorado, em outro estado, porque ele me indicou para uma boa proposta de emprego. Gosto muito dele, é uma pessoa maravilhosa e batalhadora. Veio de família humilde, fundou a própria empresa e hoje é um empresário bem-sucedido aos 30 anos. Porém a mentalidade não evoluiu… Ele mesmo diz que é uma pessoa “extremamente simples”
apesar de ter uma situação econômica super favorável. Ele não liga com nada. Para vocês terem uma ideia a primeira vez que ele comeu risoto e
comida japonesa foi comigo! Detalhe: não moramos no interior, e sim em uma cidade média com muitas opções. Vejo que ele se esforça para me agradar, mas não é a praia dele. Se deixar ele quer pedir o menu infantil nos restaurantes. Fizemos uma viagem a trabalho para BH e eu escolhi os restaurantes e barzinhos indicados pela Cony aqui no Fufu (Ah!Bon, Vecchio Sogno e Bombshell). Maravilhosos! Mas sabe quando a pessoa vai, mas preferia estar em um restaurante qualquer comendo arroz, bife e fritas? Então, esse é ele. Ressalto que ele não é pão-duro, a conta não é o problema, só tem o gosto “simples” mesmo. E ainda tem outro detalhe… Ele é muito desleixado no visual, tá sempre de camiseta com estampas BEM DUVIDOSAS, calça jeans e tênis esportivo. Acreditem ou não ele tem apenas 1 tênis e 1 sapato. Como ele trabalha em Home Office não se arruma para trabalhar, tem preguiça de cortar o cabelo e fazer a barba. Ah Cony, eu sei que o conheci dessa maneira, mas de um tempo pra cá isso tem me incomodado DEMAIS. Já conversamos e o argumento dele foi que eu não devo me importar com isso, é bobagem… Já me ofereci para ajudá-lo a comprar roupas novas, mas ele sempre dá uma desculpa. Começo a achar que essas diferenças estão pesando demais na relação. Desculpe a sinceridade mas é constrangedor chegar em um lugar bacana ao lado dele vestido dessa maneira tão desleixada. Pronto, chorei!

Menina, é bobagem e não é bobagem ao mesmo tempo, entende?? É bobagem porque é o jeito dele, mas imagino o quanto isso deve te incomodar. Por mais evoluídas que sejamos, dá vontade de ter um bofe mais arrumadinho e amante das coisas boas da vida rsrsrs. Enfim, trabalho de formiguinha amiga. Faça isso ser parte do dia a dia dele, mas de maneira bem sutil. Faça jantares elaborados em casa mesmo, dê roupas de presentes, mas tudo isso AOS POUCOS, justamente para ele não perceber que você está trabalhando nisso rs. Mais uma dica: tente não ser radical demais. No jantar, não faça scargot por exemplo. Faz uma massa com um molho diferente, afinal continua sendo macarrão sabe? Não dê uma camisa slim fit grifada, mas uma camiseta de malha melhorzinha. Por aí! Aos poucos! E mais uma coisinha, não tente mudar ele demais, afinal, você o conheceu assim e se apaixonou assim. Só dê uma leve polida….

c3b7ed57cd46b2fff4a2a42261ebd2b6

Chora 03 – Marisa

Como vai, Constanza? Amo o fufu e acho seu nome pura sofisticação. Então, vamos ao meu problema… Meus pais são separados e eu sempre tive um relacionamento muito conturbado com meu pai. Brigamos muito (por motivos bem infantis) e passamos anos sem nos falar. Ele nunca mais me procurou e eu também acabei deixando de lado.

Acontece que, esse ano, resolvi tentar uma reaproximação e voltamos a manter contato. Até aí tudo bem. A questão é: o sonho da vida do meu pai sempre foi ter uma filha japonesa, coisa que eu definitivamente não sou (já que nem ele, nem minha mãe são). Ele acha as japonesas as mulheres ideias, as melhores em tudo, em todos os aspectos (beleza, inteligência, educação, postura, etc).

Ele gostar das japonesas não é problema (também as admiro), mas ele me bota pra baixo por causa disso. O único elogio que ele me fez na vida foi sobre uma foto que tirei: “Como essa foto ficou boa. Está até parecendo que uma japa nela”. Ele nunca me deu uma palavra de apoio, ou disse que me acha inteligente ou algo do tipo.

Enquanto isso, o facebook dele está lotado de fotos, textos e mais textos elogiando mulheres japonesas desconhecidas. Não faltam adjetivos do melhor tipo. Só que ontem ele postou um vídeo de uma garotinha japonesa rindo, dizendo “Dá vontade de apertar essas bochechas”. E aí uma amiga de trabalho dele perguntou por que ele não arranja uma filha e ele respondeu “Já tenho uma, mas ela não é japonesa”.

Enfim, fiquei arrasada e nem sei porque. O que vocês fariam, meninas?

Eu relevaria. Cada louco com sua loucura e se essa é cisma dele, deixa pra lá. Beira o bizarro e é muito imaturo o tratamento dele a você, que é FILHA. Sinceramente acho que isso não deve te abalar de maneira nenhuma. Eu acho que até tiraria sarro da cara dele, tipo colocaria um esparadrapo puxando os olhos, tiraria uma foto e mandaria pra ele escrito assim: agora sou boa e bonita pra você? E um kkkkk. Sério, não se abale por isso MESMO. Deixa ele curtir as japas dele pra lá e entra na onda em tom de brincadeira e acredito que um dia ele vai ver o quão ridículo está sendo com você. E também preciso deixar minha admiração pelas japitas, minhas duas melhores amigas são descendentes e realmente é um povo muito educado e sensato. MAAAASSSS, o seu caso é diferente né miga? É obsessão do seu pai e vai contra o amor entre pai e filha. Lide com isso como se fosse um parafuso a menos dele, não procure muita resposta nem tente lutar contra isso.

cd683329bdc0edfcde75d79fcb5a1ebc

  • Migues, CHORAS fechados ok? Não enviem mais até segunda ordem! Beijosss!
73 Comentários
  1. #1
    Marcela P.
    16.11.2016 - 12:43

    Conytaa… sempre tao sabia! Choras tranquilos hoje. Mas esse sobre o desejo da filha japonesa me chamou mta atenção porque se parece demais com a historia do filme: Amor além da vida, com o ator Robin Williams. Só toma cuidado pra não ser alguém atoa da vida inventando historia. Ou vai ver o Pai dela se inspirou no filme tbm… kkkkk Beijos

    • #2
      Marisa
      16.11.2016 - 20:31

      Quem dera o meu chora fosse mentira, mas infelizmente não é. Não sou nenhuma “atoa inventando história” e nem sei do que se trata esse filme. Se a Cony quiser, me disponibilizo a mandar prints do facebook dele…

  2. #3
    Pri
    16.11.2016 - 12:48

    Dos choras não tenho muito a acrescentar! Cony arrasa nos conselhos… 🙂

    Mas sobre o Bombshell – Gente VÁ!!!! O drink “demônio” é mara demais, salivo de lembrar!

    • #4
      Constanza
      16.11.2016 - 13:08

      É simplesmente o melhor drink de BH!

  3. #5
    Alesandra
    16.11.2016 - 12:52

    Adorei os nomes dessa semana, divas da música brasileira <3. Sobre o caso da Elis, vivi algo parecido…Quando conheci o meu namorado ele só usava tênis de academia, calça jeans MUITO justa e camisetas, mas com o tempo fui presenteando camisas de tecidos, outros modelos de sapatos, relógios bonitões e etc. Minha irmã também passou pelo mesmo caso com o marido dela e hoje em dia estão os dois lindos, todo estilosinho. Então amiga o negócio é ter paciência, todo mundo se acostuma com o que é bom hahahahaha

  4. #6
    Fabia
    16.11.2016 - 12:56

    Rita – problema clichê da nossa geração, infelizmente. Realmente não entendo o motivo, mas parece que estamos cada vez mais insatisfeitos. Me incluo nessa e vou acompanhar os outros comentários, pois servirão pra mim Tbm. O conselho da Cony é bem sensato. Não dá pra metermos o louco e se aventurar quando existem contas pra pagar.

    Elis – o “problema” do seu namoro pra mim soa como simples detalhe. Pelo jeito ele deve ser ótima pessoa. Evidentemente que isso pesa às vezes, ‘as é questão de tempo. Apresente as coisas boa da vida pra ele. E nunca se esqueça que relacionamento é assim: cada um cede um pouco. Às vezes vc vai no prato feito para agrada-li e às vezes ele vai nos locais sofisticados para te alegrar! Havendo essa recíproca, não há com o que se preocupar. Quanto a vestimenta, começa a dar de presente pra ele as roupas mais bonitinhas e diga que gostaria que ele usasse quando vcs forem sair. To torcendo pra dar certo!

    Marisa – o que eu vejo aí é um problema do seu pai e não seu. Se ele tem uns parafusos a menos, não se deixe influenciar por isso.
    Precisamos relevar certas coisas pra conseguir viver em paz e pelo jeito isso é uma delas.
    Vc já tentou falar com ele sobre isso? Sinceramente não sei se valeria a pena. Mas pode ser um jeito de colocar os pingos nos is.

  5. #7
    Vivi
    16.11.2016 - 13:00

    quanto ao rapaz ‘simplesão’… tudo muda com o tempo… Meu namorado e eu somos de famílias humildes e graças aos nossos esforços fomos crescendo juntos, melhorando de emprego, condição financeira e lá se vão sete anos juntos…
    quando olhamos pra trás vemos que nossos gostos e estilos eram totalmente diferentes de agora. Isso ocorria pela nossa falta de condição financeira… quando vc nao conhece o diferente como vc vai gostar? Pense, na época de faculdade nós não sabíamos nem pedir um Mac…
    Introduzir aos poucos as novidades gastronômicas é a melhor opção…
    quanto as roupas também… gosto é difícil mudar, mas com o tempo o estilo vai mundando, a pessoa vai se adequando a nova realidade, vamos assim dizer…
    10 meses é muito pouco tempo para uma grande mudança, vá com calma

  6. #8
    Ana Caroline
    16.11.2016 - 13:01

    Meu conselho vai para a Rita: concordo com a Cony que vc não deve abandonar seu emprego assim, de uma hora pra outra, mas por que você não tenta se especializar em uma área de fisioterapia que seja mais sua cara?? Talvez pilates, geriatria ou pediatria… além disso, como pelo que eu entendi voce só trabalha metade da semana, você pode exercer uma profissão no restante dos dias, a Confeitaria seria ótima ideia!! Faça um curso desses mais simples e vá conciliando, um dia você conseguira se manter só com uma profissão que gosta.

  7. #9
    16.11.2016 - 13:17

    O meu comentário vai para a Rita.

    Tenho 35 anos e estou super bem sucedida em uma profissão que iniciei a pouco mais de 4 anos… isso mesmo… troquei de caminho bem “velha”deixei de fazer algo que ja era seguro para mim e que pagava minhas contas para fazer algo que me deixasse feliz!
    Hoje sou mundialmente reconhecida no que faço e estou com uma vida mais confortavel do que antes.

    Mas segue o conselho da Cony… descubra algo que te faça feliz e vá fazendo a transição.
    Eu demorei um pouco mais de um ano para largar o meu emprego antigo e só o fiz quando estava segura na minha nova profissão.

    Descubra algo que vc ame, e que te dê Dindin também porque afinal ninguém vive de amor… e fazer o que a gente ama dá trabalho sim! E a medida que vc for crescendo nesta profissão vá diminuindo o seu horário como fisioterapeuta.

    Ainda mais em tempos de crise… e se prepare financeiramente para a transição porque vai rolar um periodo de vacas magras… mas se você correr atras dá certo sim!

  8. #14
    Mi
    16.11.2016 - 13:25

    Elis!

    Quando comecei a namorar meu marido, ele usava umas roupas que nem gosto de lembrar!
    Abadá surrado de micareta, calças de tactel e havaianas, tudo juntinho assim como falei, SEM OR! Chegou ao ponto do meu pai falar “filha, fala pra ele andar mais arrumadinho, você se arruma tanto pra encontrar com ele…” hahaha
    E fiz exatamente isso que a Cony disse, fui dando presentes, conversando com jeitinho… Obviamente a condição financeira melhorou consideravelmente, pois éramos dois adolescentes, mas o bom gosto veio com o tempo!
    Hoje até alpargata o bichinho usa, nunca imaginava! hahaha
    Você está com ele pelo que ele é, não pelo que ele veste ou come, então tenha paciência e cuidado ao falar o que te incomoda!
    Acho tão legal essa simplicidade, prova de que tudo que ele conseguiu foi com muito esforço, e por isso não gosta nem sente necessidade de ficar esbanjando. Acredito que essa é a grande diferença daqueles filhinhos de papai que já nascem empresários e amam mostrar isso!
    Dê valor a este homem, hein?!
    Espero ter ajudado =*

  9. #15
    Maira
    16.11.2016 - 13:35

    Vamos tentar ajudar essas moiçolas da MPB.

    Rita…como tenho ouvido amigas reclamando da mesma coisa, nossa senhora…super concordo com a Cony, acho que nesse momento assustador que estamos vivendo, não te aconselho em ser tão radical, chutar o pau na barraca e ficar sem a renda que mantém as suas contas em dia não é inteligente lindona, tente fazer alguma coisa junto com a sua profissão que te dê prazer, já tentou fazer algum curso na área da confeitaria já que você a citou? Mais pra você esfriar a cabeça sabe, quem sabe isso não te anima de alguma forma….boa sorte viu.

    Elis…affe, sei bem como é namorar homem ogro (sou casada com um), é difícil né, mas oh, desanima não, tenho certeza de que junto com as ogrices, também tem o lado encantador lindona, se apegue ao que é bom sabe, ninguém nunca vai ser perfeito e criar expectativas do namorado perfeito é injusto com a outra pessoa.
    Comigo funciona até hoje da seguinte maneira, fui dando uns toques sutis, se estou numa lj de roupa e gosto de alguma peça masculina, eu já paro na frente e mostro pra ele, inconscientemente ele vai olhando outras peças e comentando, dependendo da reação, volto depois e compro. Fui mudando um pouco o estilo dele sem também mudar as coisas que ele realmente gosta… é um sapato não tão moderno, mas de bom gosto, antes não gostava do corte de cabelo que o cabeleireiro dele fazia, o levei na minha cabeleireira e hoje ele adora, se vocês vão sair, peça a ele que use tal roupa com tal sapato, seja paciente.

    Marisa…deixa isso pra lá, não fique sofrendo por uma coisa que nunca vai mudar, é uma coisa tão sem noção que o seu pai faz, que de repente nem ele caiu em si que isso te incomode tanto…se te incomoda as coisas que ele posta sobre isso nas redes sociais, não leia, se ele faz esse tipo de comentário perto de você, mude de assunto, sei que não deve ser fácil pra você, afinal, se fosse fácil você não teria mandado o chora, mas dê importância para as coisas que você pode mudar, o resto é resto.

    Bjocas

  10. #16
    Lia
    16.11.2016 - 13:37

    Para Elis: guria, tu diz que ele “não evoluiu” e relaciona essa evolução à coisas extremamente superficiais, como roupas e restaurantes caros. Sinceramente, aprenda com esse cara, que não se deixa levar por hábitos insanos de consumo, o que é muito frequente em pessoas que são financeiramente menos favorecidas e acabam “se dando bem” (coloco entre aspas, pois, se dar bem não é apenas ganhar dinheiro). Certamente tu tem um namorado que pouco se importa com o que os outros pensam dele e vive a própria vida – e não a vida que as pessoas pensam que ele deveria viver. Eu e meu namorado não somos ricos, mas somos bem remunerados, podíamos ir a restaurantes caros, comprar roupas de grife, mas consideramos injusto. Em uma sociedade com tantas pessoas que ainda passam fome, pagar centenas de reais em uma camisa, é insano. A vida simples te obriga a ver que a satisfação de verdade não está nas notas fiscais dos itens que adquirimos. O cara tem o estilo de vida dele, tu tem o teu. Ele está tentando te mudar ou te aceita como tu é? Faça o mesmo.

    • #17
      Lian
      17.11.2016 - 15:48

      Só imaginando como seriam os comentários se o chora fosse: Meu namorado diz que minhas roupas são feias, pede que eu tire o batom vermelho e me arrume mais, além disso não gosto de comidas chiques, enfeitadas, com ingredientes diferentes e ele tenta me forçar a comer…
      Toooodo mundo estaria comentando pra hipotetica moça não ligar pros comentarios, que ela tem que ser feliz com ela e que não precisa mudar seu estilo ou seus gostos pra agradar homem, mas já que é o rapaz que não se veste como a namorada quer e não tem o gosto alimentar que ela acha adequado os conselhos são: tenta mudar o estilo e os gostos dele aos poucos. Você não aceita as roupas que ele gosta de vestir, não curte as coisas que ele gosta de comer, mas ele tem dinheiro então insiste e muda a personalidade dele

      • #18
        Mariana
        18.11.2016 - 12:21

        Esses foram os comentários mais sensatos para o caso da Elis.

    • #19
      Juliana
      18.11.2016 - 15:25

      Concordo !!!!!

  11. #20
    Gabi S.
    16.11.2016 - 13:37

    Dificilmente comentos nos choras, mas hoje me identifiquei.. rs
    Elis, meu marido é exatamente como o seu namorado!! Pra ele quanto mais simples, melhor!
    Sobre o jeito de se vestir, eu amo me arrumar, estou sempre maquiada, etc.. E ele, se pudesse só usaria chinelos! ahaha
    Sério! Já me incomodei demais com essa situação, mas a gente precisa aprender a respeitar o jeito de cada pessoa.
    Eu o conheci desse jeito, no nosso primeiro encontro ele estava de chinelo e eu de salto alto.. e assim seguimos e já são 15 anos!
    Óbvio, que as vezes dou um toque nele, tento dar um pitaco na roupa.. Posso dizer que ele melhorou bem, mas não perdeu sua essência e se veste como gosta.
    O principal é seu companheiro te amar e te respeitar! Veja, o seu namorado está se esforçando para te agradar..isso já é incrível!
    Não vou dizer pra você que as vezes não me incomodo com algumas camisetas ou com o chinelão, pq seria hipocrisia… Mas a gente vai aprendendo a gostar até daquela camiseta velha! rs E hoje, percebo que em algumas ocasiões ele se esforça pra me agradar, coloca a camisa que eu gosto, ou um sapato diferente… Isso é parceria! E é o que importa!

    Seja feliz!
    beijos

  12. #21
    Jane Lacerda
    16.11.2016 - 13:38

    Miga Elis, com homem nao tem meio termo ou é arrumado ou é desleixado. O meu conselho é o mesmo que o da Cony, vai comprando presentinhos com leves mudancas, vai com ele no cabeleireiro, essas coisinhas, sabe?
    Aqui em casa a coisa foi mudando assim também, comprando um presentinho dali, mostrando um corte diferente, pedindo uma barba mais assim e agora só tenho que monitorar haha
    Beijão e foco que tudo se ajeita, inclusive seu boy!

  13. #22
    16.11.2016 - 13:43

    Rita: passei pelo mesmo dilema que o seu. Me formei em Direito e nunca gostei muito de atuar na área. Mas é o que me sustenta (e bem) até hoje. Então tentei achar algo que eu gostasse e pudesse fazer junto com o meu trabalho. Sempre gostei de maquiagem. Então ano passado fiz um curso profissional e foi muito bom. Dia de semana trabalho como assessora jurídica e no fim de semana atendo como maquiadora. Além disso, criei meu blog e estou amando também escrever posts sobre moda e beleza. Conciliar duas coisas com certeza é uma boa opção! Beijos

    http://www.baudamaquiagem.com.br

  14. #23
    Bruna
    16.11.2016 - 13:45

    Sobre o caso 2: passei a mesma coisa com meu marido, quando começamos a namorar ele só tinha 1 tênis e nunca tinha usado um sapato na vida… Além que ao comia coisas muito simples… Aos poucos fui dando camisas de presente, dei um sapatenis… E assim ele foi mudando… Hoje com 6 anos juntos ele já sabe comprar as roupas sozinho kkkkkk e em questão de lugares para ir vamos em todos os tipos… Adoramos conhecer novos lugares pra comer… Vai com jeitinho que logo da certo…

  15. #24
    Mariana
    16.11.2016 - 13:50

    Elis, já passei por isso! E acho que é bem comum! hahaha
    Eu fiz exatamente o que a Cony fez: dei presentes pra ele! Comecei a comprar camisas melhores, sapatos e tênis melhores, bermudas melhores. Tudo melhor. Quando dei por mim, ele já estava todo estiloso, gatíssimo ao meu lado! Então, é trabalho de formiguinha mesmo!

  16. #25
    Renata Castro
    16.11.2016 - 14:00

    “É a geração que se matou de estudar, fez a faculdade do curso que dava dinheiro, ganham bem, mas estão infelizes.” Como esse comentário da Cony me representa profissionalmente…

  17. #26
    leila
    16.11.2016 - 14:01

    Rita: não é feio dizer que trabalhar por dinheiro. Nem um pouco feio! Essa coisa de trabalhar só no que gosta é um lindo ideal, mas muito poucas pessoas têm efetivamente a oportunidade de escolher no que trabalhar. Trabalhar por dinheiro é muito digno, pois a gente precisa de um mínimo de estabilidade para pensar em ser feliz: uma casa, comida, roupa lavada, plano de saúde, escola. Concordo totalmente com a Cony, quem sabe você não começa seu sonho de ser confeiteira? Dá pra levar paralelamente. Aproveite que na fisioterapia você pode ir se desligando aos poucos, diminuindo os horários. Tenho um vizinha ex-enfermeira que foi trocando de profissão assim e hoje tem uma lindíssima loja de bolos e doces. Beijos.

    Elis: eu acho que tem esperança. Ainda mais se o problema não é dinheiro. Eu ensinei o meu a limpar a casa e cuidar dos filhos, coisa muito mais difícil! Vai com calma e com fé que vai dar certo. Já vi muito namorado jacu aceitar a repaginada. Beijão!

    Marisa: teu pai é besta mesmo. Cony está muito sensata hoje, viu! Claramente se trata de um parafuso a menos no seu pai. Que coisa mais boba! O problema é que a gente idealiza, a gente gostaria de um pai que apoiasse, que isso, que aquilo… infelizmente a vida não é assim. Tive um pai complicado também, ignorante, grosso, mão de vaca, teimoso, egoísta, machista, cheio de defeitos. Quando ele faleceu, mesmo tendo sido um pai médio pra ruim, percebi que o amor estava lá o tempo todo. Ele não sabia demonstrar, tinha tido uma vida difícil… enfim, abaixe suas expectativas. Você não tinha nem contato com ele, não espere nada, você já vivia sem ele, apenas aceite o que vier. Beijos

    • #27
      Marisa
      19.11.2016 - 14:42

      “Você não tinha nem contato com ele, não espere nada, você já vivia sem ele, apenas aceite o que vier”. Seu comentário me tocou bastante. Obrigada, Leila!

  18. #28
    Vanessa
    16.11.2016 - 14:39

    Vou fugir do assunto do chora, mas vejo que você e outras blogueiras ficam se justificando, eu entendo que as pessoas perderam a linha e em vez de denunciar/reclamar de algo realmente preconceituoso resolvem criar confusão por tudo.

    Eu acho cansativo ter que ler toda vez a blogueira pedir desculpas por algo que é o que se espera de um blog de moda, afinal se não quisesse dicas não tava aqui. Imagino ser pior pra você que tem que escrever sempre as mesmas coisas, sempre começar com todo mundo veste o que quiser e etc.

    Talvez você podia fazer um post sobre isso e nos próximos seguir normalmente.

  19. #29
    Luciana
    16.11.2016 - 14:45

    Cony, sempre adoro seus conselhos, acho super sensatos. Dessa vez, amei o seu conselho pro segundo caso, ainda mais porque fiz exatamente isso com meu marido e deu certo. No caso dele, era a questão das roupas. Cada data comemorativa, eu dava uma roupinha legal, um sapato estiloso e por aí vai… E hoje, ele aprendeu a curtir se arrumar um pouquinho, mas continua gostando também dos tênis e das camisetas básicas. Só acrescentaria, que quando ela der as roupas e ele vestirr, ela deve elogiar, sem falar nada como tá vendo ou algo parecido. Só comentar, algo como “nossa, você ficou super bonito, combinou e tal”.
    Reforço positivo né? Ele vai se sentir bem e vai usar outras vezes.

  20. #30
    andrea
    16.11.2016 - 15:15

    Rita! Me abraça e chora comigo!!! Fiz um curso visando o dinheiro, hoje tenho um bom padrão de vida, não sou realizada profissionalmente e não sei o que quero fazer. Tenho 33 e isso já foi um problema, hoje não mais. Na hora certa vai aparecer uma luz no fim do túnel pra nós! bju

  21. #31
    Iraci
    16.11.2016 - 15:41

    Elis: faça trabalho de formiguinha mas procure não magoar seu namorado. Isso já aconteceu comigo, só que ao contrario. Comecei a namorar meu marido com 16 anos e tinha acabado de chegar do interior pra estudar “na cidade grande”. Eu também nunca havia comido comida japonesa ou risoto…na verdade na minha cidade só tinha pizzaria e churrasquinho.
    Meu namorado era uma pessoa que achava que tudo que era caro era bom, e as vezes nem era.
    Era daquele tipo de pessoa que não entrava numa C&A da vida pq tinha vergonha por ser loja popular.

    E então na primeira vez que saimos pra Jantar ele me levou no restaurante mais caro da cidade achando que ia me impressionar, mas a comida mais simples era carne de coelho . Eu quis pedir o franguinho do menu kids e ele me criticou de maneira super grosseira. Pedi um prato e comi so as batatas do acompanhamento e o deixei bem chateado mas ele simplesmente nao via meu lado. E ele adorava falar pras pessoas que eu nao tinha paladar refinado, isso me deixou magoada por meses e meses. Não faça isso com seu namorado, pois se meu namoro tivesse começando hoje em dia e não quando eu era uma adolescente insegura, eu teria mandado ele pastar.

    Eu não sabia com que roupa ir pra cada lugar ou ocasião e errava bastante. Não conhecia os lugares e cheguei a ir de salto alto pra churrascaria simples pq comecei a querer me arrumar demais pra nao passar vergonha. E passava vergonha mesmo assim… Eu também me vestia super simples, e ele ao tentar me mudar comprava bolsas e sapatos super bregas que a mae dele (a mais brega do mundo) ajudava a escolher e eu simplesmente nunca usei. Meu estilo melhorou 100% e não por causa dele e sim porque ha alguns bons anos conheci a Cony e o Fufu e virei a loka do ebay e do shopping.. Eu me incomodei comigo e procurei mudar, mas foi pq EU quis. Ngm muda pelo outro, isso so causa chateação e rancor.

    Não adianta a gente querer mudar alguém completamente, se o que nos fez apaixonar pela pessoa foi o que ela é.

    Nos começamos a sair pra lugares bons mas sem comidas tão exoticas. Mas ele também aprendeu comigo que nem tudo que é caro é bom e assim nós nos completamos e melhoramos muito como pessoas. Hoje em dia meu programa preferido é conhecer novos restaurantes e amo cozinhar comidas requintadas, mas isso foi mudando com o tempo. No dia da carne de coelho eu só queria vomitar no prato.

    Vá com calma e não tente mudar a essencia do seu namorado, pois o que ele tem é bem mais uma qualidade que um defeito.

  22. #32
    Diandra
    16.11.2016 - 15:53

    Amoooo esse “quadro”.
    Cony, reabre logo, preciso mandar o meu e nunca teve nada nesse estilo aqui :'(
    Brigada <3

  23. #33
    Alana
    16.11.2016 - 15:57

    Tô na mesma da Rita (mas não ganho TÃO bem assim). De saco cheio da minha profissão, sem empenho para investir para crescer dentro dela, e querendo partir para outras áreas. Por enquanto, vou fazendo o que gosto por hobby e esperando uma luz divina me esclarecer.

    Marisa: seu pai é fora da casinha, amiga. Eu aconselho a ficar afastada, manter uma relação mais “leve” com ele, sabe, tipo com aquela tia distante… Vê nas datas festivas, pronto, acabou. E tenta não esperar nada dele (eu sei que é difícil). Falo por experiência própria: meu pai é uma pessoa muito destrutiva para mim, e por mais que eu o ame, ser próxima dele não me faz bem. Vou casar ano que vem e ele está convidadíssimo, vai me levar até o altar, todo o protocolo. Mas ele não fica sabendo detalhes da minha vida, não o vejo com frequência, para não me magoar.

    Pra Elis não sei bem o que falar, você parece estar insatisfeita com o relacionamento, cabe avaliar se esse homem está fazendo você feliz, porque acho que a gente só implica com esses “detalhes” quando a relação está com problemas.

  24. #34
    KARINE
    16.11.2016 - 16:20

    Elis, estou a 8 anos com meu marido ele é desses. A odisséia : quando fui olhar o sapato dele estava furado embaixo, isso msm se ele pisasse na água ia ficar com o pé todo molhado, fui ao shop levei ele em uma loja ele fez birra e não quis comprar de jeito nenhum. Blz. Mais fiz ele colocar um no pé para ver o tamanho q ficaria confortável e no outro dia sozinha (com meus 2 filhotes um de 10 meses e outra 3 anos) voltei a loja e comprei o sapato. Depois de 2 semanas entreguei para ele q ainda reclamou. Passou 1 semana ele adorouuuuu o sapato e falou q precisava msm. Kkkkkkk detalhe:ele fala para todo mundo q ele não é consumista e não compra nada para ele, nem precisa q eu vou lá e compro tudo,e aí dele se não usar kkkk no trabalho o pessoal fala q ele é fashion. Qt a comida foi as poucos hoje em dia ele é super tranquilo e gosta de lugares bacanas. As vezes reclama q fica com fome kkkkkkk Obs: Nossa conta e conjunta

  25. #35
    Mari
    16.11.2016 - 16:57

    Elis…
    Olha só: homem sem interesse pela imagem pessoal! Passei por isso com um ex: ele simplesmente não ligava para aparência. Já havia se formado na faculdade e ainda usava a camiseta de formando do colégio…
    Sem querer consegui mudar isso.
    Um dia em que eu estava arrumada, ele me elogiou. Aí aproveitei a deixa e soltei um “você gosta quando eu me arrumo pra você? Eu também gosto quando você se arruma pra mim!”. Sem tom de cobrança; bem leve.
    A partir daí ele prestou mais atenção nisso e foi só tratar de “adestrar”: apareceu arrumadinho, ganha recompensa (um elogio mais forte).
    Boa sorte!

  26. #36
    Isa SV
    16.11.2016 - 17:25

    Namorei um cara que criticou minha roupa uma vez, no sentido de que era simples demais pra ir a tal restaurante. Terminei o namoro NA HORA.

    Estou há 10 anos com um cara super simples, igual a mim. Não somos ricos mas ganhamos bem e vivemos muito bem! Gostamos de viajar para lugares inusitados e sem luxo! Adoramos acampar, fazer trilhas, chinelo, comidinha simples e caseira! Claro que temos coisas mais caras, mas sempre prezamos pela qualidade! E nem sempre o que é mais caro, é melhor!

    Portanto, muito cuidado para não tentar mudar muito o namorado e fazer com que ele perca a essência bacana da simplicidade! Vc querer ajudar nas combinações, ok! Mas ficar chateada porque ele é muito simples e nada sofisticado, é bem complicado… é colocar no outro as suas expectativas e isso pode ser muito frustrante para os dois lados.

  27. #37
    helo
    16.11.2016 - 19:20

    Elis meu pai é assim kkkkk. Comprei umas camisas polo básicas e um perfuminho e corto os pelos da orelha que nem isso ele faz. E já estou querendo dar um sapato por que os deles estão uó. Tem que ser sutil e respeitar a simplicidade da pessoa.

  28. #38
    Lais
    16.11.2016 - 19:45

    Caso 02:
    Muita calma nessa hora, não vai deixar o boy bacana só porque ele não se veste legal.
    Adorei a dica da Cony sobre fazer comidinhas em casa. Chama ele pra te ajudar. Compra um vinho bacana ou uma cerveja artesanal mais cara (o caminho das pedras p levar o homem a um bom barzinho) mas ele vai ter que provar varias até gostar.
    Pede delivery de uma comida mais rrefinada p voce e vê se ele quer provar. Essas coisas.
    Ou se ele se interessa por um bom churrascao, leve ele numa casa top.
    As roupas, vá dando de presente, vá passando na frente das vitrines e falando “nossa achei linda essa camisa, não acha?!”
    Seja sutil!!!!!! Uma mudança de gosto e estilo vai ser desenvolvida ao longo dos anos.
    Sempre tive uma condição financeira muito melhor q a dos meus namorados e com todos eu venci esse “detalhe” do seu chora. É um detalhe , pq olhando a big Picture não é isso que vai fazer vocês dois omo casal mais feliz.

  29. #39
    Luiza
    16.11.2016 - 20:46

    Cony, mandei meu chora faz uns 2 meses (na época estava aberta a temporada) e nunca saiu aqui, será que escrevi mal o texto? Será que o problema não deveria ser publicado? Ou voce faz uma seleção? Fiquei sem saber se envio de novo!

    • #40
      Constanza
      16.11.2016 - 23:27

      Faço seleção sim! Se for caso muito parecido com o que já apareceu eu escolho outro… dou preferência pros diferentes!

  30. #41
    Lívia Santiago
    16.11.2016 - 20:57

    Rita, uma sugestão: como você está meio perdida, tente começar com algum hobby que te dê prazer. Talvez até seja o suficiente pra você se sentir melhor com seu trabalho. Temos essa ilusão de viver o “do what you love, love what you do”, mas não crie expectativas de que você vai amar seu trabalho dos sonhos 100% do tempo. Sempre tem as burocracias, as chatices, as interações indesejadas. O bom do hobby é que a gente só fica com a parte boa. Também não amo meu trabalho, mas me paga muito bem. E vou vivendo de hobby em hobby pra me distrair. Já foi muay thai, culinária, netflix (hahaha) e hoje é jardinagem. E o trabalho chato se tornou mais tranquilo de levar, porque tenho outras ocupações que me realizam.

    Elis, super concordo com a Cony: é bobagem e não é ao mesmo tempo. Meu atual namorado é desse mesmo modelo aí, e antes dele namorei um outro que era igual. Essa técnica de ir aos poucos levando o boy para o caminho da luz dá certo! Mas demooooooora. E também pode ser que ele nunca encontre a iluminação, então não crie expectativas. Mas tentar é sempre válido. E se não der certo, é bom lembrar que não dá pra forçar nada a ninguém. Não é bacana ele forçar os gostos “simples” dele a você, nem você forçar seus gostos a ele. Se ele não mudar, o ideal é cada um ceder um pouco, se isso não for determinante pra continuar o relacionamento, claro.

    Marisa, que coisa chata, hein? Sempre ruim essa coisa de depender da aprovação alheia. Isso que seu pai faz com você é bullying. Eu tenho zero trauma com essas coisas, mesmo vindo de família. Mas se fosse o caso, tentaria terapia pra lidar melhor com tudo. Porque a cabeça do outro a gente nunca sabe como funciona.

  31. #42
    Paula
    16.11.2016 - 21:18

    Elis, talvez vc não tenha percebido, mas o foco do seu problema é o gap social e cultural entre vcs dois. A maneira com que ele se veste é apenas o reflexo mais óbvio e visível dessa diferença.
    Sinceramente acho muito complicado superar esse tipo de diferença, não é somente trocar as roupas do cara que o problema está resolvido. Acredito que isso possa te trazer limitações e frustrações nas escolhas do dia a dia e por fim insatisfação na relação, por mais que ele seja uma boa pessoa. Avalie.

  32. #43
    Priscila
    16.11.2016 - 21:50

    Para a Elis: Juro que quando vc disse que ele não havia evoluído, mesmo sendo bem sucedido profissionalmente, imaginei que ele fosse um moleque, com atitudes infantis.. Compra umas roupas novas pra ele e em contrapartida passe a valorizar pessoas que te tratam bem (como vc transparece ser o seu caso).

  33. #44
    Gabriela
    16.11.2016 - 22:38

    KKKK essa semana tá foda, ein? o cara da filha japonesa é muito comédia, nem parece problema. EU IA GARGALHAR NA CARA DELE. Minha mãe odeia “paraíba” e vai e casa com “paraíba” e tem três filhos MAS os filhos dela são lindos, os dos outros não, são “paraíbas”! ô povo doido.
    Quanto ao namorado mulambento, meu marido é a mesma coisa, e nem é ex-pobre não, compra camisa polo nas Lojas Americanas, aquela que vem embalada e fica pendurada no gancho. Segundo ele duram três lavagens e encolhem, aí vira “baby look” e ele compra outras. Só mudou um pouco quando ele mesmo achou que estava meio velho e era ruim ir trabalhar assim e me pede ajuda para comprar umas camisas de botão de vez em quando (tipo uma vez por ano). O primo trabalha no mesmo local e usa camisa Hering branca todos os dias (tem várias iguais) e as mulheres acham “charmoso” e “excêntrico”. Depois que pegam começam a reclamar!

  34. #45
    Alana
    16.11.2016 - 23:23

    Marisa, se eu descobrisse o face do seu pai, o mataria de inveja: tenho uma filha japinha. Eu sempre quis ter uma filha japinha, mas não fiz disso objetivo de vida nem fiquei falando aos quatro ventos nem correndo atras se japa achando que eram os melhores. Simplesmente aconteceu. Kkkkkkk se essa fixação do seu pai incomoda, deixe claro. Diga que se sente menosprezada, conversem.

  35. #46
    Kelly
    17.11.2016 - 09:03

    Marisa, já experimentou fazer comentários parecidos? Sempre que ele elogiar japonesas na sua frente, pra te magoar, devolva: os japoneses são incríveis mesmo, pena que vc não é, queria ter um pai japonês. Sei lá, se começar a incomodá-lo, talvez ele veja o que está fazendo com vc. E pare.
    Mas eu não descartaria me distanciar, pra me blindar de mágoa desnecessária…

    • #47
      Monique
      17.11.2016 - 10:10

      Kelly, amei sua sugestão hahahaha.
      Marisa, não desmerecendo o seu problema, mas seu pai é tão louco que chega a ser engraçado. Sério, dei risada quando li porque é muito surreal que exista alguém assim com essa maluquice.Não consigo entender, mas já que ele tem essa questão, faz o que a Kelly sugeriu e começa a “exigir” dele características que ele não tem, ou simplesmente ignora e segue sua vida. Não dá pra você mudar e interferir na maluquice alheia.

      • #48
        Constanza
        17.11.2016 - 10:23

        Gostei da ideia da Kelly também! Mas fala outra raça, porque se ele ama tanto japoneses capaz de curtir e dividir a loucura com voce rs. Fala que vc queria ter um pai alemão, alto, loiro, forte, sei la rsrsrs (isso se ele não for alemão ne rs)

    • #49
      Bruna
      17.11.2016 - 10:37

      Essa ideia da Kelly é mesmo sensacional. Se o seu pai for baixinho e vc não for muito alta, diz que é uma pena que ele não seja tão alto pq vc é baixa por culpa dele. Homem baixinho ODEIA comparação com gente alta. Tem trauma mesmo…. Moral da história: joga na pele para ele ver que pimenta no dos outros é refresco. E sim, soa engraçado qdo não é a gente que tem que escutar todo santo dia isso, dependendo tb da forma que o outro diz….

    • #50
      Gi
      17.11.2016 - 15:33

      Marisa, concordo com a ideia da Kelly, talvez assim role uma empatia da parte dele e daí ele veja o quanto está te chateando com esse assunto. Mas aqui pra nós, com todo respeito, eu achei a atitude do seu pai tãoooo excêntrica que beira o engraçado! Confesso que ri demais aqui, sem menosprezar a sua dor, mas essa fixação dele não tem lé com cré! Tudo de bom pra vc :*

    • #51
      leila
      17.11.2016 - 15:42

      Kelly, essa foi boa! na mosca! rssss
      eu usei isso contra o meu marido, que uma época cismou de dizer que eu estava engordando, comendo muito etc etc. comecei a torrar a paciência dele por causa da barriguinha e foi um santo remédio. nunca mais! agora que ele tem 45, está sofrendo com dificuldade de perder a barriga, bem feito! e eu continuo a mesma!
      beijos

    • #52
      Marisa
      19.11.2016 - 14:52

      Gente, AMEI AS DICAS!!! Estou viajando com ele e comecei a por em prática: “Como os europeus são mais bonitos e educados”, “Veja como eles são altos, o mais baixinho tem 1,75”, “Homem alto é outra coisa, uma maravilha” (meu pai tem 1,70). Ele tá ficando bolaaaaaado. Não vai adiantar muito, mas pelo menos ele tá se doendo um pouco kkkkkkkkkk

      • #53
        Constanza
        21.11.2016 - 09:07

        hahahahahahah AMEI!

  36. #54
    Ana Paula Souza
    17.11.2016 - 11:46

    Meu Deus quanto loucura neste mundo, a pessoa não tem nenhuma descendência japonesa e quer uma filha japonesa. Explique para seu pai as questões biológicas. Para mim isso é um fetiche e não tem nada relacionado a querer ter uma filha japa. Ignore, isso não tem nada a ver com você.

    • #55
      Marisa
      19.11.2016 - 15:03

      Você tem razão. Mesmo se minha mãe fosse japonesa, eu nasceria uma “mestiça”. É assim que ele chama os descendentes de japas misturados com brasileiros, com tom pejorativo e tudo. Não há nada que eu possa fazer…

  37. #56
    Monique
    17.11.2016 - 13:32

    Elis, primeiro eu ponderaria o que é frescura sua e o que é realmente um “problema”. É claro que não queremos estar sempre arrumadas com um namorado mulambento do lado, mas também precisamos nos esforçar pra entender o jeito, estilo, valores de cada um.

    Assim como você quer que ele mude, talvez ele queira que você mude também. Talvez ele te ache fútil, fresca, patricinha e vazia, já pensou nisso? Não estou dizendo que você é nada disso, veja bem, mas assim como você tem uma visão dele, a sua insistência em mudá-lo pode fazer ele ter essa visão de você. Então cuidado com a abordagem, ele pode sim se ofender.

    A sugestão da Cony é ótima, você pode, aos poucos, ir sugerindo uma roupa, comprando de presente, falando que ele fica bem com tal camisa e assim vai ajustando.

    Meu marido é zero ligado nisso, mas se veste normalmente. Hoje em dia ele veste exatamente aquilo que eu escolho, ele mesmo pede pra eu escolher a roupa dele e usa sem pensar duas vezes. Eu que faço mala, que escolho camisa do trabalho, gravata, roupa de casamento, TUDO. Assim ele anda sempre com o dress code que eu escolho, mas tudo no estilo DELE. Ele nunca usaria camiseta Gola V, por exemplo, então não adiantaria eu forçar o uso só porque eu acho bonito.

    Ele tem UM tênis pra sair, UM sapato pra trabalhar e UMA havaiana e só compra um novo quando o antigo está 100% acabado.

    Então entenda o estilo DELE e tente ir polindo isso aos poucos, para que ele ande mais arrumado dentro daquilo que ele se sente bem usando.

  38. #57
    Monica
    17.11.2016 - 13:37

    Primeiro chora que eu comento:: Parece surreal,mas eu trabalhei com japas muito tempo e posso dizer??Peguei um trauma!!! Não posso ver um,que já me vem na memória as mil manias,enfim conheço muitas pessoas q tem essa obsessão!!! Acho medonho,RIDÍCULO!!! Acho q até por isso,desenvolvi o sentimento oposto!!! E aquelas meninas q ficam obcecadas por japas??? Coitadas!!!Seu pai tinha q amadurecer em relação a isto!!! Eu sinceramente, fujo deles!!!

    • #58
      Camilla
      17.11.2016 - 17:17

      Ia dizer a mesma coisa! Até o idioma me irrita: uma língua que não tem pronomes, conjugação verbal, concordância, pouquíssimos fonemas, que você fica ouvindo repetirem nomes próprios 10 vezes numa frase por isso, e ainda escrita por ideograma? É o cúmulo da ostentação. Deve ser pq só precisariam de umas 10 letras diferentes pra poderem escrever tudo, tipo o alfabeto havaiano hahahahahha. E o que dizer dos programas de TV e animes deles, cruz credo, que senso de humor retardado. Parece que querem compensar tudo que não fazem na vida real no que assistem. Opinião própria, e cheia de merda, sei que não devo generalizar dessa forma, mas é que ando meio P da vida pq meu marido adora animes e fica me obrigando a tentar assistir pra ver se gosto de algum. E não, ele não se sente atraído por orientais, graças a Deus, pq eu sou sim uma cara de anime: olhos redondos imensos numa cara pequena hahahahaha.

  39. #59
    eduarda
    17.11.2016 - 15:12

    Marisa, podia te dar um conselho maduro, mas nao vou… vou te dar um bem infantil, mas que eu faria, pra ver se seu pai se toca…
    Vira pra ele e fala que vc gostaria de ter um pai loiro, de olho azul, pra ver se ele se toca!
    Acho ridiculo esse comportamento dele e acho que ser ‘madura’ nao vai adiantar… entao devolve pra ele na mesma medida…
    e tente trabalhar isso dentro de vc para vc nao se machucar com esses comentarios dele desnecessarios!!!
    bjo

    • #60
      Marisa
      19.11.2016 - 14:58

      Tô botando em prática. Ele já está se doendo… Obrigada pelo conselho 🙂

  40. #61
    Tamara
    17.11.2016 - 15:43

    Caso1 – Me identifico com isso também.. me formei.. mas trabalho em outra área, ganho bem, talvez se trabalhasse na área da minha formação estaria ganhando melhor e infeliz, e estou satisfeita… só queria ter tempo para um hobby(rsrs)… Sábio conselho Cony

    Caso 2- Fiquei dividida, quando ela escreveu que “ele não evoluiu” parece que quando a pessoa “evolui” financeiramente tem que ostentar? Ser simples não é defeito..acho que é uma qualidade.
    Por outro lado quanto a forma de se vestir, ai eu concordo que pode nos incomodar, pois nós mulheres gostamos de estar bem vestidas e queremos que nossos companheiros estejam bem vestidos também.. como a Cony disse, da presente, comenta que gostaria de ver ele usando o presente, vai moldando.. com o tempo ele vai qrer distancia de estampas duvidosas, rsrs
    Caso 3- Imagino que não seja fácil, minha mãe tbm tinha o poder me deixar pra baixo, fazendo comentários desnecessários, hoje entra num ouvido e sai pelo outro….

  41. #62
    Adriana
    17.11.2016 - 16:18

    Adorei, Cony!

    2-Elis: concordo com a Cony sobre “trabalho de formiguinha”, estou passando por isso e, depois de 15 anos de casados, estou colendo os frutos!
    3-Marisa: concordo com tudoooooo o que a Cony disse, gente com parafuso a menos, a gente não leva em consideração. Tira proveito disso pra zoar ele.

    Beijos em todas!!!

  42. #63
    Adriana
    17.11.2016 - 16:19

    *colhendo

  43. #64
    17.11.2016 - 17:42

    Olá Cony! Te acompanho há alguns anos e amo seu jeito de se expressar!
    Para a Rita: Concordo com a Cony que você tem que fazer em paralelo algo até sentir firmeza para largar sua atual profissão. Mas você realmente decidiu mudar de profissão? Às vezes, você está apenas entediada com o seu trabalho. Digo porque tive uma crise no meio da faculdade, sabia o que não queria mas não sabia o que queria. Mudei de curso e de faculdade, mas no final não rolou e voltei para a antiga faculdade. Terminei o curso e hoje faço mestrado na área. Além disso, gostaria de acrescentar uma possibilidade: que tal você começar fazendo um trabalho voluntário (não necessariamente com a fisioterapia), enquanto não descobre o que fazer? Vai ser bom para o seu coração e para os das pessoas que você ajudar!!
    Espero ter contribuído com meu comentário.
    Bjos para todas!

  44. #65
    Juliana Mota
    17.11.2016 - 17:51

    Caso 2: cuidado para nâo “enfeitar o seu pavão”… melhor vc feliz com ele em um ambiente tranquilo e simples do que outras começarem a notar o quanto ele pode ser interessante!

  45. #66
    ki
    17.11.2016 - 19:35

    Melhores comentários são da Lia e Lian. O melhor da vida é ser feliz meu povo!! Esse negócio de querer que o outro dance conforme a nossa música é chato e já deu!! E pra menina que o pai curte japas, assista o filme amor além da vida, quando li lembrei logo do filme!!

  46. #67
    Luiza
    17.11.2016 - 21:35

    Gente, leio os choras há muito tempo. Sofri com um término e me via em várias situações, lia comentários aqui e assisti 19 episódios da Mica Rocha seguidos… bom dei a volta por cima e me vi novamente em um Chora, rsrs. Juro que pensei em mandar, mas achava que era besteira minha. Meu boy é lindo, maravilhoso, estudioso, atencioso, romântico que leva café na cama e esconde bilhetinhos nas minhas bolsas.. é tudo isso e é um ogro. Eu me desesperava, achava injusto pq eu ainda achava defeito nesse homem perfeito que me apareceu e de repente chego aqui e vejo quase todas com o mesmo “problema”.
    Somos egoísta e queremos o cara perfeitamente bem vestido ao nosso lado, que gosta de restaurante fresco e tudo mais. Mas ó, a vida ta me dando uma lição. Algumas coisas eu dou um toque nele, que é SUPER aberto as minhas ideias de roupas e passeios. Ele nunca tinha ido ao teatro, a um show sentadinho e ja levei ele nisso tudo. Ele ja nao palita dente na mesa e comprou um sapato \o/… E minha dica valiosa, peguem promoçoes do restaurantes finos, pq sempre tem, e assim o boy nao sofre pra pagar as frescuras que inventamos. E ó um prato feito com ovão em cima é de comer rezando viu. Obrigada meninas por dividirem tudo aqui. Afinal todas nós vamos encontrar um ogrinho pra chamar de seu, rs

  47. #68
    18.11.2016 - 00:04

    demaisssssssssssss!!!!!!!!!!

  48. #69
    Mayra
    18.11.2016 - 04:07

    Kkkkk quase 4h da madruga e eu aqui enchendo a casa de gargalhadas kkkk. Marisa me desculpe mais a loucura do seu papi é muito engraçado, e mais o comentário da Kelly e os demais seguidos me fizeram chorar de rir , me acabei.

    Tirando o lado cômico imagino que seja muito sofrido,mais tente superar isso dentro de vc e fazer piada desta situação. Vc pode achar absurdo Oq vou dizer,mais talvez a beleza do seu pai esteja neste jeito pirado de ser. Entre na dança dele e faça piada, quem sabe das brincadeiras não nasca uma relação pai e filha super divertida, é o amor e aproximação entre vcs não floresça? Boa sorte bjs.

    Caso 2 – Missão quase impossível vc consegui levar seu namorado no shop p dar um banho de loja, homens geralmente não sabem gastar com eles e tem medo de mudar o estilo. O caminho são os presentes e elogios e nas ocasiões que sair com ele, avise: “Amor quero que vc vá com tal camisa e tal calça todo lindo e gostoso p mim”. Pois com educação e jeitinho pode se puxar um elefante com fio de cabelo.
    Até hoje escuto do meu marido fala :”Eu não preciso andar arrumado,minha esposa sim,tem que andar toda bonita”. É confesso que ele ganha meu coração com essas palavras, acho muito fofo.
    Mais sem ele dar conta anda todo arrumado pois presenteio ou peço o cartão dele p compra algo como se fosse p mim e na verdade compro p ele. É hoje em dia na hora de sair ele fala todo brincalhão e cheio de amorosidade:Mor que roupa eu vou,pois vc sabe que é vc quem manda ne?!rs
    Temos uma situação financeira bem favorável e bons investimentos mais não abrimos mão da discrição e da símplicidade, qdo usamos isso nosso favor a vida fica leve. Aprenda a transitar pelos 2 mundo comendo marmitex no almoço p agradar ele é caviar na janta e seja muito feliz. Bjs

  49. #70
    Claudia
    18.11.2016 - 10:41

    Caso 1 – Rita já passei pelo mesmo que você e consegui me levantar e ter animo para prosseguir depois que procurei ajuda psiquiátrica. Tomeu anti-depressivos e parece que se abriu um novo leque de opções que eu não conseguia ver antes. Tomei muitas decisões e mudei minha vida. Eu queria que isto acontecesse. Tem que querer. O medicamento ajuda a ter coragem.
    Caso 3 – Querida já vi este filme e posso afirmar que no começo da relação a gente aguenta muita coisa pois esta apaixonada, depois que a paixão passa dá vontade de esganar quando a pessoa não é como queremos que ela seja. Ninguém muda ninguém.Depois de um tempo você se desinteressa totalmente e não é legal para ambas as partes. Procure algum que combine com você !

  50. #71
    Vivi
    18.11.2016 - 17:12

    Gosto tanto dessa ‘coluna’ que volto nos comentários mil vezes pra ver o que as meninas estão falando. Sim, a louca…rs

    Cony vc é uma linda!

  51. #72
    Camila
    18.11.2016 - 18:08

    Muitas já comentaram algo parecido com o que vou falar, mas me identifiquei MUITO com a história da Rita, já que aconteceu comigo a mesma coisa e com a mesma profissão, fisioterapia. Começar do zero não é fácil, ainda mais quando você olha pro lado e vê seus colegas crescendo na profissão, mas recomecei. No começo fui levando a fisioterapia e fazendo cursos nos horários vagos, tentava sempre deixar um turno vago. Com isso fiz um MBA e depois uma nova graduação. Hoje sou super feliz na profissão que deveria ter escolhido laaaa atrás, publicidade. Vai atrás do que você gosta, Rita!!

  52. #73
    CassiJane
    19.11.2016 - 22:46

    O meu conselho vai pra Rita… Eu fiz o contrário do que todo mundo fez… Faculdade de Música, e hoje sou professora de música em escolas de Educação Básica. Adoro minha área, sou super bem formada, estou sempre investindo em capacitações, mas o que eu ganho nunca pagou e nunca vai pagar nada disso. Ninguém entende minha área, pois nunca isso foi muito valorizado. Tem horas que dá vontade de largar tudo e fazer Engenharia e pelo menos ganhar bem.
    Resumo da história… Acho que isso de “fazer aquilo que você gosta” é bem relativo e creio que também depende muito do emprego que você tem, da relação que você estabelece com seus companheiros de trabalho, etc… Tenho várias amigas que passaram por isso depois de um tempo trabalhando e buscaram ajuda profissional para que pudessem ver o que realmente queriam. Tipo teste vocacional, alguma psicóloga mais especializada nessa área, coaching. Acho que antes de tomar alguma decisão, precisa fazer uma avaliação profunda com alguém especializado. Às vezes o problema está onde você não está podendo ver e fazer talvez uma terapia vai ajudar a sentir-se menos angustiada e entender o problema.

    Sorte para você.

Comente