08
Jul 2016
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

Antes de mais nada, MUITO OBRIGADA PELO CARINHO ONTEM! Tenho as leitoras mais especiais e carinhosas do mundo!

Hoje vamos de Chora? E no final… uma surpresinha pra vocês!

Caso 01 – Carrie

Meu grande problema está relacionado à minha profissão! É um pouco difícil de explicar, mas vou tentar… Sou formada em fisioterapia há 8 anos, desde a faculdade tinha certeza que era aquilo que queria pra mim. Com o passar dos anos de curso, estágios e especialização, simplesmente me apaixonei pela área hospitalar e principalmente pela pediatria e neonatologia. 

Parece tudo lindo, e realmente seria se não fosse por alguns poréns. Sei que sempre existem “poréns”, porém os relacionados ao meu trabalho me incomodam, e me incomodam a ponto de às vezes pensar em jogar tudo pro alto! Antes de falar dos contras, vale lembrar que amo o que faço e amo “meus pequenos”!!

Vamos ao pontos: infelizmente ser fisio e trabalhar em hospital significa má remuneração! Fiz uma faculdade de 4 anos integrais, mais uma especalização de 1 ano também integral. Foi um baita investimento dos meus pais. E hoje, se for comparar, o salario médio equivale ao de alguém de curso técnico. Não é desmerecendo nenhuma profissão, longe disso… mas a falta de reconhecimento e remuneração pelo meu trabalho me deixa extremamente chateada!

A falta de crescimento profissional é outro motivo. Eu não tenho para onde ir! Sou fisioterapeuta assistencial de uma UTI, e vou ser isso pro resto da vida! Queria ter plano de carreira (são pouquíssimos hospitais que oferecem isso), me sentir realizada profissionalmente! Até por essa falta de crescimento, sinto-me desmotivada para me especializar mais, voltar a estudar, etc.

Outro ponto é a falta de autonomia! Poxa, estudei pra caramba, pra muitas vezes não poder opinar  ou ter a conduta que quero, porque os médicos não deixam!! Principalmente na área em que atuo, tenho pouquíssima liberdade para algumas coisas, por falta de confiança da equipe médica no nosso trabalho (ou até mesmo por excesso de confiança deles no próprio trabalho!).

Pra vc ter uma ideia, o ponto que menos me incomoda é a rotina! Trabalho de segunda a segunda, em horários loucos! Fico às vezes mais de 24hs acordada, já estou acostumada a dormir 2 ou 3 horas (às vezes durante o dia, para trabalhar a noite). Mas sei que não vou poder levar essa vida para sempre. Hoje estou com 30 anos, mas até quando vou aguentar esse ritmo? E se emendo mais de 24hs de trabalho, é exatamente pelo primeiro problema que expus – a remuneração baixa! Quanto mais plantões eu faço, quanto mais hospitais eu trabalho, mais eu ganho! Mas até onde isso compensa?

E aí chegamos no ponto mais difícil que é o que fazer! Algumas vezes realmente pensei em simplesmente largar tudo! Trocar de profissão, mudar o rumo totalmente! Mas quando pendo nisso, não sei o que fazer! Não me vejo fora da área da saúde! E adoro a área hospitalar! 

Em alguns momentos, juro que pensei em voltar pra faculdade e fazer medicina (pelo menos resolveria o problema da remuneração e da autonomia de trabalho). Porém penso que pra fazer medicina, além de todo o trabalho de conseguir passar no vestibular (saí do ensino médio à 13 anos!), é uma faculdade extremamente cara e demorada! Já tenho 30 anos, se eu for pensar nos 6 anos de faculdade mais os 3 anos de especialização (em pediatria), vou me formar com praticamente 40. Fora que ainda não tenho filhos, se for trancar a universidade para ter, vai demorar ainda mais.

Enfim, to nesse impasse já há algum tempo e não sei o que fazer! Espero realmente que vc Cony, e as leitoras do Fufu possam me ajudar!!

Carrie, você está TOTALMENTE insatisfeita. Eu acho que você deveria peitar o curso de Medicina sim. Uma vez li que a gente não pode deixar de realizar os sonhos porque não tem tempo ou está tarde demais. O tempo vai passar de qualquer maneira. Se for pra começar, comece já. Agora me esclarece uma coisa… você TEM QUE trabalhar em hospital? Pergunto isso pois tenho algumas amigas fisioterapeutas que foram para outros lados da Fisioterapia e estão super bem! Já pensou em se especializar em outra coisa?

cb92e07ce9cfb75cf2d03b7731e4d89f

Caso 02 – Samantha

Tô mandando para você porque sou bem reservada em relação a esse assunto, não converso sobre isso com ninguém. Tenho 25 anos e namoro há 6. Nosso relacionamento era bem fogoso. Não tinha hora e nem lugar para transarmos. Depois de uns 3 anos eu comecei a murchar, por um tempo eu coloquei a culpa nos anos e anos de uso de anticoncepcional. Mas também não fiz nada para mudar isso. Em janeiro de 2015 eu descobri que meu namorado tinha chamado uma mãe de aluno dele para sair.
Meu mundo caiu, ele nunca havia me dado motivos para nada. Sempre fui confiante e por isso não ficava (e continuo sem ficar) procurando por esse tipo de coisa.
Eu o confrontei, ele não negou mas disse que ficou só naquilo mesmo. Fui bem tranquila com ele, não dei escândalo e nem nada pois eu só pensava que ele queria conhecer outras pessoas pois, olhe a bomba, ele era virgem quando me conheceu. Ele é 4 anos mais velho que eu e, se ele foi sempre sincero comigo, eu fui a única mulher na vida dele.
Acabou que ele chorou, esperneou, pediu outra chance e eu dei. E nosso namoro nunca mais foi o mesmo no sentido sexo. Nossa parceria na vida é nota mil, mas o sexo é nota zero. Eu não tenho vontade nenhuma de transar e só o faço porque me sinto culpada de deixá-lo “na mão”. Em contrapartida, algumas vezes transei pensando em outros pra ver se eu conseguia. E me sinto ainda mais culpada. Eu sou muito certinha, nunca o traí e nem pretendo, mesmo tendo muita tentação por aí. Com isso, eu cheguei à conclusão que talvez o problema não seja só o anticoncepcional. Acho que sexo tem muito de admiração e confiança no parceiro, coisa que acho que não tenho mais nele. Eu mudei muitas coisas na minha vida desde a descoberta da traição. Sempre fui vaidosa, emagreci 12 kg, sempre fui bonita e as pessoas dizem que estou ainda mais. Ele retrocedeu. Nunca foi galã, mas parece que tá vendo o tempo passar e tá se “enfeiando” mais. Ele trabalha com esporte mas é completamente sedentário. Não faz nada para melhorar, nem na aparência e nem na vida profissional. Converso muito com ele sobre isso e ele simplesmente ignora. Enfim, esse assunto me tira o sono e eu preciso de uma luz pois não converso isso com ninguém.

Samantha, com certeza sua admiração foi água abaixo quando você se decepcionou com ele e isso afetou a vida sexual de vocês. Também não acho que seja o caso do anticoncepcional… E o fato de você estar se cuidando mais, estar mais bonita, achando ele feio e pouca coisa talvez seja seu subconsciente te avisando que você deseja coisa melhor e está se preparando para isso. Ninguém merece estar infeliz em uma relação, e o sexo tem que ser bom sim. Tem gente que diz que não é importante (o sexo) mas eu acho que é e MUITO. Como viver com alguém que você não tem desejo? Pense bem nisso, talvez seja o momento de pedir um tempo para refletir sozinha, sentir falta dele, e desencanar de vez desse namoro ou então reascender a paixão. Mas ó… cuidado… se você descobriu essa semi traição, podem existir outras… 

 

759b95d4de71cc2484c34baa75ddae70

 

Caso 03 – Miranda

Bem me apresento as leitoras amigas desse grupo, me chamo Miranda, tenho 30 anos, estudo faço MBA, trabalho há 6 anos em uma empresa de comunicação, sou independente, faço academia, amo viajar mas o que me incomoda então?  Fato é que já estou solteira há bastante tempo, bastante mesmo… Uns 7 anos já, e isso me incomoda demais, canceriana como vcs sabem, nasceram pra amar, e se sentir amadas. Eu comecei a namorar muito cedo, aos 15 anos e tive 2 relacionamentos meio frustrados um de 8 anos e outro de 2 anos.

Com essa carência que nesses anos fui desenvolvendo, não era nada difícil encontrar alguém e logo me apaixonar e é claro sofre muitooo depois isso aconteceu várias vezes… Pois sempre tive no fundo o real desejo de ter alguém.

Esse ano em uma noite em casa resolvi baixar o Tinder, já fiz isso algumas vezes conheci algumas pessoas legais, mais também escuto muito preconceito com relação ao aplicativo, que é apenas pra sexo fácil enfim as vezes fico com receio, acabo entrado fico um dia e saio fora, mas nessa noite encontrei alguém legal, conversamos muito durante umas 3 horas, e riamos tanto que parecia um show de comédia.

Ele tem 33 anos, um cara maduro, muito bonito mora aqui na minha cidade mesmo, bem sucedido, tb adora viajar, mas logo no primeiro dia me contou que ia viajar pro Japão pela empresa por 6 meses (vai em setembro volta em março), nem estava muito levando a sério nossa conversa sabe, mas por acaso do destino, encontrei ele na mesma balada naquele final de semana, a gente se conheceu pessoalmente e acabamos ficando.

Foi muito legal gostei muito dele, mas depois de tanto tempo sem me envolver com ninguém, nem sei mais como é. Esse negocio de joguinhos e não ligar não mandar mensagem aff não sei fazer isso mais…. Pra mim ou a pessoa quer ou não quer.

Conversamos algumas vezes e fui muito sincera com ele, queria até me afastar pois já estou envolvida e não sei se ele também está na mesma sintonia que eu de querer algo mais serio sabe? Ele me disse que gosta muito da minha companhia que me respeita muito e que também tem medo de sofrer por causa da viagem, e com isso ele fala sempre comigo quase todos os dias, mas nem sempre me chama pra sair, ele também não quer se apegar, está naquela de  não sabe se fica na vida ou se entrega sabe?

Detalhe: O Tinder dele ainda está ativo… é claro que não tenho nada com ele e não vou cobrar isso, mas também fico com a insegurança de ter outras pessoas também sabe?

É tudo muito recente faz um mês, mas to num medo danado de me machucar… Mas ao mesmo tempo já não sei se consigo me afastar…. Me da uma luz? Quem está de fora tem outra percepção da coisa, enquanto aqui dentro está tudo confuso.

Vamos ao sincericídio… Claro que ele tem outras pessoas do Tinder. Óbvio, e olha que sou completamente a favor desse aplicativo. Acho ótimo para conhecer pessoas, mas você tem que ter a consciência que ele deve conhecer MUITAS pessoas no mesmo esquema. Se ele realmente estivesse afim, essa viagem pro Japao seria apenas um intervalo. Ele te assumiria como namorada desde já e pronto. MAS sejamos realistas, se fosse o contrário, se fosse você a ficar fora por 6 meses, conhecesse um cara bacana meses antes, iria engatar um namoro pra depois viajar? Eu não. Iria ficar ficando, e na volta quem sabe, se ainda rolasse algo, aí sim procuraria algo mais sério. Se você realmente acha ele bacana e gostaria que esse relacionamento vingasse, seja bacana com ele, use todas suas armas de sedução, faça de você uma cia inesquecível, seja marcante, a ponto que quando ele viajar, ele se lembre de você e dos bons momentos que passaram juntos com saudade. Faça a diferença e deixe acontecer!

980c8cd4073c33e1bb215b40742a3bc1

Caso 04 – Charlotte

Oi Cony, tudo bem? Primeiramente gostaria de dizer obrigada por ter este blog, vc já me ajudou em muitas coisas sem saber, e agora venho “pessoalmente” te pedir ajuda numa coisa que considero realmente complicada. Sou a leitora que comentou que estava terminando de ler seu blog inteiro rs. Só pra contextualizar, tenho 22 anos, trabalho, estudo engenharia e há 2 namoro uma pessoa excepcional, que é da minha sala (isso não é um problema… Temos muita liberdade pra ter cada um seu momento). Não é um santo, tem seus defeitos como qqr um, mas não é qse nada perto do bem que me traz. Sei que algumas dirão que sou muito nova pra saber se alguém é o amor da minha vida, mas eu tenho essa certeza. Nós nos damos muito bem nos (infelizmente, poucos) momentos de paz… Me sinto feliz, amada, grata… Tenho comigo o melhor homem que já tive o prazer de conhecer, meu problema não é o namoro, mas o afeta diretamente, e é o seguinte: eu tenho total descontrole sobre meu ímpeto de brigar. Sim, eu acho que gosto de brigar. Eu já fui bem pior, de procurar motivos e picuinhas, mas mesmo hoje percebo que algo dentro de mim parece “precisar” de uma discussão, um drama. Isso é algo terrível de admitir. Faço tratamento com psicólogo há um tempo, mas mesmo assim sinto o peso da derrota sobre mim, a derrota de lutar contra um “vício” que não consigo domar. Quando entro em uma discussão com ele, não consigo ter a capacidade de pensar e agir assim: “bom, ele não quer falar agora, ele precisa desse espaço, e eu preciso ficar quieta pra deixar isso passar pq amanhã é outro dia”. Não. Fico pedindo a ele que converse comigo, fico tentando me explicar, choro, não quero deixá-lo ir embora… Cony, é uma cena deprimente, e algo que abala nossa convivência por dias. Cansa muito cair e ter que se reerguer tantas vezes .. Sabe, às vezes me sinto “possuída” por algum espírito de porco que só aquieta quando consegue uma discussão, quando consegue um rompante. É muito vergonhoso pra mim falar disso, pois a cada situação que isso acontece me sinto mais fraca, desmerecedora, descontrolada e derrotada por esse sentimento, pois isso não acontece fora da esfera de relacionamento amoroso (não é só com meu atual… Sempre fui assim). Estou mandando esse e-mail pq quero saber se sou a única (diferentona rsrs) que tem esse impulso, essa sede pelas discussões… Se sou a única que não consegue ser fria o suficiente pra deixar cada um no seu espaço, até a poeira baixar… A única que bate a cabeça mil e uma vezes e ainda assim não aprende. E, se for possível, encontrar uma solução pra essa doença que eu sei que vai me tirar essa pessoa, que não merece viver assim.
O que me dói mais é saber que a culpa é minha dessas coisas, Cony, realmente é um problema meu. Não digo isso assim “ai meu Deus sou uma merda de pessoa é tudo minha culpa”. Não, sei que sou uma boa namorada, mas apenas sei que é algo que não consigo resolver sozinha e isso me mata diariamente, pois está DENTRO de mim. É como alguém que fuma, mas o “meu cigarro” está permanentemente grudado na minha boca, e não sei como tirá-lo de lá. Como acabar com algo nosso, mas que nos destrói por dentro? Como obter auto-controle e parar de permitir que nosso maldito emocional tome conta das nossas atitudes justamente quando precisam ficar bem longe?

Charlotte querida, que maravilhoso que você tem essa consciência e sabe do seu problema. Sim, é um problema e muito grave pois ele pode afastar o amor da sua vida e todos os outros que possam vir. E o pior, quem mais vai sofrer com isso é VOCÊ! Muita terapia, mas muita mesmo e sempre pense que um relacionamento tem que ser bom, tem que trazer paz, tranquilidade, ser sereno. Quando esses pensamentos ruins aparecerem na sua cabeça e te façam querer brigar, conte até 1000 se for necessário e pense assim: HOJE NÃO VOU BRIGAR. SÓ HOJE, AMANHÃ EU BRIGO. No outro dia, repita a mesma coisa e faça disso um exercício diário. Outra coisa que acho que pode te ajudar é fazer meditação… yoga, coisas que te façam relaxar e esvaziar essa vontade de brigar que você tem. Quer brigar? Vai fazer boxe, muay thai, descarregue sua raiva em algo que não afete quem tem ama! Ele e ninguém merece viver uma vida turbulenta e cheia de altos e baixos. Já procurou um psiquiatra? Talvez seja até caso de algum tipo de medicação mais forte viu? 

04355429b1da231e665ca5eaabdc288f

  • Notícia boa! ESTOU ACEITANDO CHORAS! Podem mandar suas angústias para constanza@futilish.com, no assunto colocar CHORA QUE EU TE ESCUTO, textos não muito longos, assuntos diferentes e novos (leiam os antigos para não pedir conselhos para casos já comentados aqui) e aguardem publicação! Vale tudo: amor, família, trabalho… qualquer coisa que te aflija!
70 Comentários
  1. #1
    Cleris
    08.07.2016 - 14:53

    No ultimo caso da Charlotte, infelizmente sofro com o mesmo problema, mas no caso do outro lado da moeda, meu namorido AMAAAA, simplesmente AMAAA brigar, por tudo, por nada, por sim, por não, ele nao consegue ter 1 semana sem DR, nos estamos juntos há 8 anos, eu o AMO, amo muito, mas sinceramente CHARLOTTE procure ajuda, faça algo pra melhorar, pois nao existe nada pior do que uma pessoa que nao consiga conter seus impulsos e que goste de brigar o tempo todo, sou libriana (paz e amor sempreee) mas ele me tira do sério, eu peço pra me respeitar e digo que nao quero briga, mas nao adianta, ele fala fala fala até eu explodir, e ai depois (quando eu falo coisas que algumas vezes machucam ele) ele se arrepende e depois vem pedir desculpas….Se você o ama mesmo, faça algo por voces…A vida é muita curta pra encrencar por qualquer coisa, a vida é uma só, e perder tempo brigando é menos tempo beijando.. não é verdade??!! Bjosssss

    • #2
      Luana
      08.07.2016 - 16:11

      Já estive do outro lado da moeda também, e é simplesmente horrível. Charlotte, por favor, procure ajuda! O meu relacionamento não sobreviveu a tanto tormento!

  2. #3
    Taine
    08.07.2016 - 14:58

    Charlotte, me vi em você.. Sei exatamente o que você passa, eu já fui assim, completamente temperamental ao passo de puxar uma briga, explodir, dar o meu show e no segundo seguinte já me arrepender de ter estourado a bomba e piorar ainda mais as coisas… A chave pra minha mudança foi meu auto conhecimento, entender o porque eu sempre agia dessa maneira, e partir daí reconhecer os sinais que o meu temperamento estava me dando e ligar o alerta “opa, vou fazer denovo, melhorar segurar as pontas” além disso, eu conversei com as pessoas que viviam em minha volta e expliquei o meu problema, pedindo pra elas me ajudarem, quando vissem alguns dos sinais de que eu iria sair do eixo que me avisassem, com calma, paciência e amor, assim eu as ouviria e tentaria me controlar. Não é fácil, é um aprendizado constante, o primeiro passo você já deu que é reconhecer e buscar ajuda, aprenda a se conhecer pq com ctz tem alguma coisa por trás desse temperamento que pode ser desconstruído…

  3. #4
    Elisa
    08.07.2016 - 15:02

    Tava esperando ansiosamente pelo Chora e pá.. Charlote meu Deus seu relato parece que foi escrito por mim!!!
    Sou de Áries e meu namorado de escorpião e todas as vezes que não concordo com alguma coisa vira uma briga.É uma loucura, também sinto aquela vontade louca de resolver na hora e acabo brigando e me humilhando as vezes. E o pior é que ele é igual a mim,sempre queremos estar certos e dar a palavra final sabe?! Estamos sempre em pé de guerra por qualquer coisa. Mas, assim como você, também o amo muito e fico me sentindo mal depois.
    Não sou assim só com ele, a minha vida toda tive um temperamento difícil e tudo realmente tinha que ser do meu jeito.Com o tempo fui vendo que além de magoar as pessoas que gostava eu estava me destruindo também.
    Nós já conversamos muito sobre isso e realmente isso pode acabar com nosso namoro. Por isso, estamos tentando ser mais compreensivos um com o outro, pensar mais antes de falar e ceder um pouco. E sabe o que eu aprendi? Ceder um pouco não mata ninguém e como é bom essa paz sem brigas e sem dramas.
    Tente fazer como a Cony disse, pensa mil vezes antes de brigar e tente ceder um pouco!!

  4. #5
    Daniela
    08.07.2016 - 15:34

    Quero comentar o caso da amiga Charlotte do caso 04:

    Eu era ~bravona~ também viu, mal humorada… Tudo mudou quando eu passei a frequentar um Centro Espírita da minha cidade. Me tornei uma pessoa mais calma e procuro fazer minha reforma íntima todos os dias. Acho que uma filosofia de vida, uma religião, a gratidão pela vida linda que Deus te proporciona todos os dias podem te ajudar muito a se tranquilizar e deixar esse lado animalesco de lado.

    Beijos e vai dar tudo certo na sua caminhada

  5. #6
    Liliane
    08.07.2016 - 15:36

    Meu Deus, me identifiquei super com a última história, sou IGUAL. Vivo brigando com meu namorado, mas no meu caso é tipo uma afirmação do amor dele, brigo para vê-lo pedindo desculpas e dizendo o quanto me ama. Peguei os conselhos da Cony como se fossem pra mim. Sofri muito por ser assim, procurando motivos sempre pra brigar.

  6. #7
    Patrícia
    08.07.2016 - 15:56

    NÃO ME MATEM! HAHAHAHA

    MAS CHARLOTTE, VOCÊ É ARIANA? Preciso saber o signo dessa pessoa! Não me julguem! Hahahahahhahah <3

    • #8
      Raquel
      08.07.2016 - 20:57

      Eu ia perguntar a mesma coisaaaaa!!
      Kkkkkkkkk

    • #9
      Pri
      09.07.2016 - 08:59

      Eu sou ariana e super me identifiquei com a história da charlotte!

      Tb sofro por brigar demais…

    • #10
      Karina
      09.07.2016 - 09:48

      Patricia não sei se ela é ariana mas eu sou e sou desse jeito… terrível reconhecer mas é a verdade… em relação ao q a Cony sugeriu faço isso todos os dias… penso ao final do dia menos um dia de briga e assim sigo tentando me controlar… e ainda tem um detalhe sou muito controladora. eu começo a briga e só eu posso dizer quando acaba e ainda fico esperando pedido de desculpas da outra parte o q nem sempre acontece ou mesmo é justo… enfim é terrível desgasta muito e sempre fico mal e deixo as pessoas mal… super te entendo Charlotte…. terapia e terapia sempre… bjos Cony… sua linda…. e parabéns atrasado…

      • #11
        Charlotte
        09.07.2016 - 15:10

        Oi meninas, sou.m a Charlotte di chora n4, e gostaria de agradecer imensamente à todas que comentaram, incluve à Cony por ter sido tão sensível em suas respostas…. Muitas vezes as pessoais pensam que é drama, mas quem passa ou já passou por isso sabe a real… Que ficamos absolutamente CEGAS nesses episódios, sentimos um alívio com o rompante e depois um MAR INTEIRO de culpa e derrota. Preciso dizer que acho que 80% está relacionado à baixa auto estima e espelhos familiares e, como disse uma leitora, a crença de que homem gosta de mulher assim. Estou na terapia e tentando achar esse modo mágico de me impor e até as vezes discutir mas conseguindo manter o equilíbrio, isso faz com que o outro nos ouça, caso contrário entra por um ouvido e sai pelo outro né… Obrigada Cony pelas dicas de fazer luta e às meninas das dicas espirituais e a do quebrar cds!!! Hahahaha vou tenta-las. Muito obrigada mesmo meninas, é reconfortante saber que não somos as unicas e, a quem tb estiver passando por isso, desejo de coração que consiga superae e ser muito feliz! Obrigada!
        PS: Não sou ariana não… Sou de escorpião rsrsrs

        • #12
          Julia
          11.07.2016 - 10:53

          Charlote, já ouviu falar de constelação familiar? Pode te ajudar e muito. Comigo foi uma ferramenta de cura.

          • #13
            Constanza
            11.07.2016 - 11:07

            O que é isso? Fiquei curiosa rs

          • #14
            Charlotte
            11.07.2016 - 11:42

            Oi Julia!
            Não… Nuca ouvi falar… oq é?

          • #15
            Tati
            11.07.2016 - 12:19

            Coni, já ouvi falar desse negócio de “constelação familiar”, inclusive uma amiga foi e disse que todas as pessoas deveriam ir, que é incrível.

            http://institutokoziner.com/cursos/formacao-em-constelacoes-familiares-e-solucoes-sistemicas/?gclid=Cj0KEQjwh428BRCnvcyI-5nqjY4BEiQAijebwpJ0NApBSFClMrpjLdP41CTs96WG4bLTF-oIpXhomQMaApqU8P8HAQ

          • #16
            Kamilla Moraes
            11.07.2016 - 18:30

            Eu fiz constelação familiar. QUE MARAVILHOOOOOOOSO! Devia ter na escola, em praça pública, em todo lugar.
            Bom, eu sou concurseira ex-frustrada. Digo isso porque não passei e está tudo ok. TEve um tempo que eu queria morrer de frustração e hoje acho que foi até bom não ter “dado certo”.
            Fiz a constelação por causa de concurso público, mas lá descobri que eu tinha problemas em outras áreas, que eu nunca imaginei na vida.
            A constelação me transformou em uma pessoa que eu adoro. Eu olho pra mim hoje e penso: queria uma amiga que fosse como eu. Eu sei que parece arrogância, mas não é não. É autoestima em dia.
            As vezes a gente briga sem saber a razão, estamos insatisfeitos sem saber o por quê. Fazemos coisas que não nos fazem felizes e não entendemos isso e costumamos querer ter a razão ou provar que estamos certos. Isso tudo nos faz sofrer e é libertador quando nos livramos.
            Sabe, quem sempre ganha a discussão, perde a companhia. Imagine o seguinte: você briga sempre, prova que está certa, que a outra pessoa errou. Ok, você ganhou o argumento, mas perdeu um pouquinho da pessoa.
            As vezes a gente tem que fingir que não viu, que não ouviu e, principalmente, temos que aceitar que as pessoas pensam de forma diferente da nossa.
            Procurem ajuda, meninas. Procurem ajuda para mudar de profissão, de marido, de jeito impulsivo, é maravilhoso nos libertar dessas coisas.
            Pedir ajuda é algo para os fortes, porque eles precisam admitir que alguma coisa não vai bem e está tudo bem. Só o imperfeito pode evoluir e acrescentar.

            Existem algumas páginas no facebook sobre constelação familiar e são ótimas. Tem uma consteladora (a profissional que faz a constelação) chamada OLINDA GUEDES que é muito boa também.

            O pessoal do IBHBC (tem página no youtube com vídeos preciosos) também é bem qualificado (http://www.ibhbc.com.br)

            Espero que vocês realmente consigam encontrar o equilíbrio necessário nessa corda bamba que é a vida!!!

    • #17
      Sandra Luz
      11.07.2016 - 11:47

      Pensei a mesmíssima coisa! kkkk
      Meu marido é ariano e realmente ele é muito difícil qdo o assunto é discussões…

    • #18
      Janaina
      13.07.2016 - 00:35

      Sou ariana e sou a pessoa mais de boa que existe. Acho essas ideias sobre arianos bem nada haver.

  7. #19
    Letícia
    08.07.2016 - 16:10

    Gente!! #somostodasCharlotte! Me identifiquei muito, sou mto assim também!!! Tento me esforçar e me controlar para não brigar por coisas desnecessárias, para respeitar o espaço do outro e para não exagerar no drama também!

  8. #20
    Letícia
    08.07.2016 - 16:13

    Quanto à Carrie, discordo que a solução seja fazer medicina, independente do tempo que isso leve. Pensa em alguma alternativa, alguma consultoria que vc possa formar, alguma outra área da fisio que vc continue atuando com crianças, mas que seja melhor remunerada.
    Talvez que não seja 100% do seu tempo atuando em hospitais, mas também fazendo um trabalho particular e atendendo as crianças em casa, depois que saírem do hospital. Assim, além de maior retorno financeiro, vc vai ter autonomia para atuar! 🙂 Boa sorte!!!

  9. #21
    Glau
    08.07.2016 - 16:23

    Charlotte,

    quero reforçar a sugestão da Daniela. Procure fazer um tratamento espiritual. Geralmente acontece às terças – feiras nas casas espiritas. Provavelmente terá uma triagem no inicio e dps te encaminharão para ele. Já fiz alguns por outros motivos e o que posso dizer é que é maravilhoso. E outra coisa: queira muito mudar, mas muito mesmo. Nosso “querer” é uma força propulsora muito grande. Bjo e boa sorte.

  10. #22
    eduarda
    08.07.2016 - 16:30

    Carrie… ja que vc gosta da fisioterapia, vc nao precisa mudar de profissao…. (q vc reclamou que demora muito tempo) vc pode fazer uma especialização em outras areas… Conheco fisioterapeutas que trabalham com atletas e que estao super bem… pense nisso…vc gosta da area… nao desperdice isso!

  11. #23
    Clara
    08.07.2016 - 16:38

    Olá, Carrie. Sou estudante de medicina (tenho 24 anos). E concordo 100% com vc! É um absurdo a falta de reconhecimento que um fisioterapeuta tem dentro dos hospitais brasileiros!! Friso no Brasil, pois passei um temporada em um hospital escola na França e lá é o oposto. A sua profissão é de extrema importância e lá que percebi o quanto… Vi pacientes saírem da uti por mérito do trabalho de fisioterapeutas que, claro, só conseguem fazer isso porque possuem autonomia. Sua escolha na área de fisioterapia é linda.. Curar com as mãos(como eles dizem por lá) e precisa de muita dedicação como vc mesma disse no texto. A minha dica pra vc seria(sem querer ser intrometida) buscar algo fora país se isto estiver dentro de sua realidade. Porque não existe nada melhor do que ser reconhecida e valorizada no nossos trabalhos. Cony sugeriu a vc fazer um curso de medicina…acho que também poderia ser válido e não pense que a idade é um problema, estudo com pessoas de 30,35 anos que estão muito contentes. Pensa em suas possibilidades e boa sorte. Bjss

  12. #24
    Nathalia Giarola
    08.07.2016 - 16:44

    Me identifiquei super com o último Chora, e isso por que eu era exatamente desse mesmo jeito. Procurava razões para brigar, praticamente todos os dias, quando procurei ajuda me indicaram a troca do anticoncepcional, não sei se é o caso da Charlotte mas pra mim foi a solução do problema. Eu era louca descontrolada e acredito que era devido aos hormônios, troquei para um com dosagem menor e virei outra pessoa.
    Acho que além de psicologo vale a pena verificar se não tem algo fisiológico que possa estar causando essa explosão a todo momento.
    Espero que meu comentário seja válido e desejo boa sorte a todas!

  13. #25
    Nathalia Giarola
    08.07.2016 - 16:49

    Só para complementar o meu comentário anterior, busquei ajuda também com uma psicologa, o que ajudou muito também.

  14. #26
    Raiza
    08.07.2016 - 16:50

    Nossa, me identifiquei muito com a última história, com a diferença que nem sempre fui assim, isso começou a acontecer de 4 anos pra cá.
    Também me sinto como a Charlotte e não sei como resolver esse problema. =(

  15. #27
    Leticia Lasperg
    08.07.2016 - 16:52

    Meninas suas brigonas hahahaha…. não levem a vida tão a serio assim, relaxem!!!
    Sejam felizes hoje… pq amanhã…. não sabemos como será!!!

    Bjusss
    (Vou mandar meu chora tbm)

  16. #28
    08.07.2016 - 16:54

    Charlotte meu amor, senti uma semelhança com vc… no inicio de meu namoro e em um anterior eu era assim. Mas um belo dia me peguei pensando, o que mais importava para mim, o meu amor ou essa vontade de implicar com tudo? E cheguei a conclusão que era o meu amor que mais valia e isso se deu durante um momento conflituoso que tivemos em que quase terminamos. Graças, a minha conclusão foi não perder o meu amor e hoje tenho um relacionamento beeeeem mais tranquilo com brigas esporádicas.
    Quando fala sobre espirito de “porco” que possa estar te influenciando, não duvide. Não sei qual sua religião, mas acredito que possa ser possível, para se resolver isso, existe tratamentos em Centros espiritas e que ajuda muuuuuuito.

    De qualquer modo, é bom refletir sobre o risco de perder o seu grande amor.

    Beijos de Luz!

  17. #29
    eduarda
    08.07.2016 - 16:55

    Charlote… te entendo um pouco… venho de uma familia com esses vicios e ja fiz isso em alguns relacionamentos… mas vou te dar uma dica: primeiro… nao foque nos problemas (nas brigas) nao tente controla-la porque quanto mais fizer isso, mais isso ira crescer dentro de vc…
    tente entender o pq que vc esta fazendo isso, porque vc precisa se boicotar desse tanto, o pq que vc nao acredita ser merecedora de um relacionamento legal.
    A terapia eh fundamental… eu dei muito certo quando mudei da terapia comportamental para a analise… achei mais profundo.
    Quem sabe vc nao goste tbem…
    Boa sorte!

  18. #30
    Erika
    08.07.2016 - 17:17

    Samantha minha amiga, me desculpe, mas imaginei seu boy aqueles caras meio fedidinho. ui ui… não é por nada, mas tem cara muito relaxado.. como que a gente vai sentir vontade de fazer alguma coisa.. eu hein.. lembrei deste vídeo da Fabiana, vale a pena o click
    http://fabianabertotti.com/marido-ze-mane/

    • #31
      Samantha
      09.07.2016 - 13:02

      Hahahaha amei o vídeo.
      Mas meu namorado não se enquadra aí não. Ele é cheiroso até demais(minha rinite alérgica faz com que eu queira matá-lo às vezes).
      Ele é sempre muito carinhoso. Quem olha nosso relacionamento de fora acha que é perfeito e que ele é maravilhoso. Menos meus pais. Rsssss
      Eu me formo esse ano e tenho um futuro promissor e ele tá há 10 anos na faculdade(!), entre trancamentos e destrancamentos. É muita coisa contribuindo pra esse meu desânimo. Eu queria muito ajudá-lo, mas eu sou grossa demais e tenho medo de magoá-lo com tudo o que penso dele.
      Meu timing pra essa situação já estourou e acho que a qualquer momento vai dar merda kkkkkkk

  19. #32
    Rosa Maria
    08.07.2016 - 17:21

    Miranda, se joga no Tinder, é mara..frase clichê, mas enfim: enquanto você não encontra o certo, se divirta com o errado..
    Se vai render alguma coisa no futuro, ninguém sabe.. o importante é você aproveitar a vida e se divertir.. vale outra frase clichê?? rsr pega.. mas não se apega..
    na hora certa o teu cara te encontrar…

  20. #33
    Carol
    08.07.2016 - 17:40

    Em primeiro lugar, gostaria de dizer: Amo seu blog, Cony!! Obrigada por tudo! Feliz aniversário, muito sucesso, muita saúde, muito amor. Que todos os seus sonhos se realizem.

    Charlotte, também sou desse jeitinho!! #tamojunto. Mas é sério, cuida mesmo da sua braveza!! Às vezes essa braveza e o jeito ríspido podem custar alto demais. Boa sorte!! Confia que é possível mudar.

    Também amei a saída que você deu pra Miranda, Cony…Eu nunca pensaria por esse lado. Simplesmente sumiria do cara e pronto. Achei a solução de se fazer inesquecível muito sagaz!

    Beijos e tudo de bom pra todas.

  21. #34
    Laudi
    08.07.2016 - 17:44

    Para a Carrie: sua especialização só serve para UTI? Porque seria bem mais rápido que medicina se vc fizesse uma especialização que te permitisse trabalhar em consultório/clínicas. A fisioterapia é muito ampla, se no hospital não está bom, saia do hospital.
    Maaaaas, se vc ama demais esse ambiente, se vc realmente não quer sair do hospital, então faça medicina sim! É bastante tempo e olhando de fora parece que vai demorar demais, mas quando vc começar a estudar, começar a correria de provas, tcc, e todas aquelas coisas que faculdade de medicina tem de diferente, vc não vai nem ver o tempo passar. Não existe idade para correr atrás dos seus sonhos, é clichê mas, fazer o quê, é real!

  22. #35
    Tati
    08.07.2016 - 18:07

    Charlote, eu era parecida com você, mas em todas as áreas da vida… Melhorei quando comecei a viver aquela filosofia : “Ser feliz ou ter razão?”. Hoje raramente acho que vale a pena discutir. Percebi que concordar ou simplesmente respeitar a opinião do outro me evita muitos desgastes. Além de ter cortado pessoas “tóxicas ” dos meus relacionamentos. Pessoas reclamonas, fofoqueiras, mal humoradas, frustradas e cheias de mimimi contagiam. Cuidado!!!

  23. #36
    Janaina
    08.07.2016 - 18:09

    Carrie, sei que fisioterapeutas podem trabalhar na reabilitação de bebês que nasceram pré maturos, esses profissionais atendem em domicilio e é cobrado um valor por hora/sessão. Uma amiga precisou desse serviço por mais de 1 ano para o bebê dela, não foi barato mas ela disse que valeu cada centavo! Ela conheceu a profissional no hospital que o bebê nasceu e a contratou para dar esse suporte após a alta dele. Procure algo nesse sentido, acho que você ficará bem feliz!! Boa sorte.

  24. #37
    Paula
    08.07.2016 - 18:09

    Carrie, estou em uma situação semelhante a sua. Decidi ser médica aos 31 anos de idade. Sei que o caminho não será fácil, porém é um projeto de vida e os retornos serão proporcionais ao esforço. Não falo só da parte financeira, mas também de crescimento profissional, realização profissional, realização pessoal… Meu conselho para você é, não permita que o medo do desconhecido te paralise e não invente desculpas para fracassar antes de tentar! E o mais importante, tenha alguém para te incentivar e acredite que você é capaz. No meu caso conto com minha mãe para me lembrar que eu consigo sim e que minha idade, o tempo do curso e da especialização não são empecilhos. Eu vou conseguir e torço para que você também consiga. E como a Cony disse, o tempo vai passar de qualquer maneira!

  25. #38
    Caroline
    08.07.2016 - 18:32

    Carrie eu super te entendo. Tbm sou fisioterapeuta há 9 anos. Porém, diferente de vc eu corri de hospital.
    Fiz especialização em Ortopedia, e hoje trabalho atendendo à domicilio somente particular. Realmente, não temos valorização profissional. É uma área bem dificil.
    Eu gosto do que eu faço. Hoje faço meus horários, atendo meus pacientes do meu jeito e não ganho mal. Talvez, vc consiga trabalhar na área respiratória em ambiente domiciliar. Pense nisso!
    A única coisa, é que você não tem salário fixo. Mas, se vc for organizada dá para sobreviver bem!
    Boa sorte, e qualquer coisa estou por aqui!

  26. #39
    Cristina
    08.07.2016 - 18:35

    Quanto ao caso MIRANDA: você disse que conversou algumas vezes com ele, não aceite ficar conversando pelo Whatsapp, vai criar uma intimidade que na realidade não existe e um apego real. O último post no MANUAL DO CAFAJESTE fala um pouco sobre isso! E mais, não se deve contar tudo a um ficante, talvez tenha falado em muito pouco tempo que não queria mais ficar “para não se apegar”, se fosse depois de um mês ou até três meses… De forma tão apressada passou a ideia de carência e/ou desespero!

    Quanto à Charlotte super entendo acho que era assim! Talvez para querer se autoafirmar, de mostrar que manda na relação, que é a dona do pedaço, demonstrando, na realidade, problema de baixa auto-estima! Também pode ser algum parente que seja assim, e você passou a achar que um comportamento padrão normal, eu aprendi com meu pai, que é estúpido até hoje… Tinha também a noção distorcida de que o homem respeitava mais a mulher briguenta, os parentes até que pelo meu temperamento falavam que “os homens comeriam em minha mão”… E por fim achava bonitinho brigar e depois fazer as pazes!Quando conheci outras pessoas, vi outras relações, e minhas relações fracassadas (minha história daria um bom Chora) percebi que um homem não admira uma mulher briguenta,adoram uma relação calma, e isso não quer dizer que a mulher seja boba, posso me impor com as atitudes e palavras certas! Não é fácil tirar essas influências adquiridas na nossa construção, mas não quero e não vou parar no tempo!

  27. #40
    Martina
    08.07.2016 - 18:56

    Meu comentário vai para a Carrie! Carrie, eu não indico você a ir para a área médica. Vou expor os meus “poréns”. Eu estou no quinto ano de medicina, e acabei de passar estágio na neonatologia no meu internato. E PÁ, eu odiei o ambiente, como vc descreveu na sua história. Eu adorava recepcionar os bebes, era bonitinho e tudo mais, só que as pediatras são um saco. Acho que talvez por ser um ambiente cem porcento feminino em muitos hospitais, isso abre margem para “Picuinhas” desnecessarias a todo momento. Fiquei seis semanas no estágios, e com algumas profissionais tb nao podia abrir a boca para falar o que achava, pq levava quase um “coice”. Antes de entrar em medicina, cursei breves anos de direito.. mas eu queria ser médica. Eu AMO a minha futura profissão. Mas vamos por partes: a remuneração, apesar de ser maior que a dos outros, vem decaindo muito com os anos.. e vai decair mais. Quando entrei na faculdade, haviam 189 escolas medicas no brasil… hoje já somam 298 (as estimativas do CFM, é que partir de 2022 haverá desemprego para médicos..). É só vc entrar no site escolas medicas e observar o ranking. Outra coisa, com a lei dos mais médicos, os estrangeiros, formados em situações precárias, estão aos montes aqui… E acredite, eles já estao aceitando trabalhos por mixaria.. o que diminui a mão de obra do medico ainda mais. Eu sempre falo que enfermeiros e fisios deveriam ganhar mais, pq sem eles, nós médicos não somos nada. A falta de reconhecimento, ao meu ver, está em todos os lugares. Eu me sinto extremamente desvalorizada, e serei medica. Hoje em dia, os pacientes lhe afrontam e tratam você como se fosse nada. Quem está de fora, pode achar que medicina é mil maravilhas, mas não é. São anos arduos de estudo… Em cinco anos, separei meu tempo para pequenos hobbs, como o blog da cony.. Mas sabe há quanto tempo não vejo TV? Desde quando entrei… Isso pq eu levo a sério a minha formaçao.. e se vc não dedica complica muito, pq a cobrança é imensa. E quanto mais vc estuda, menos parece que voce sabe. Nao espere q a medicina lhe traga realização pessoal na profissao, pq isso é ilusao da mídia. É uma profissão solitaria.. pq a maioria dos medicos e alunos de medicina nem amigos tem… E eu brinco q na medicina as pessoas se agrupam conforme é bom pra elas. Enfim, pense bem! Você pode expandir para outras areas da fisio… Se você amar medicina demais e esse for seu sonho, siga me frente. Mas se tiver pensando nisso, apenas por descontentamento… melhor pensar duas vezes.

  28. #41
    Fernanda
    08.07.2016 - 19:04

    Carrie, sei bem como os profissionais de saúde no Brasil não são reconhecidos! Sou farmacêutica pela rede pública e me envergonho as vezes de como temos que trabalhar, sempre dando um jeitinho e nenhuma valorização, o que muitas vezes me deixa desmotivada, mas não me vejo trabalhando em outra área! Mas se vc pensa mesmo em fazer medicina, acho que nunca é tarde para tentar. Conheço justamente um fisioterapeuta que largou tudo e foi fazer medicina, se formou com mais de 40, passou em um concurso público e exerce com muito amor a profissão de médico!!!!

  29. #42
    REBECA
    08.07.2016 - 20:03

    Carrie!!! Também sou fisioterapeuta, nossa profissão é maravilhosa, fico triste quando vejo colegas desistirem. Também fiz pós em UTI neonatal e pediátrica, infelizmente não fui feliz na parte financeira e por isso acabei mudando de área. Hoje trabalho com Pilates, em uma clínica maravilhosa, a primeira clínica decente que eu trabalho, sou registrada, trabalho 6 hrs por dia e recebo um salário justo (o que é raro em nossa profissão) e encaixo alguns pacientes particulares também, mas sem me desgastar, estou guardando dinheiro e tenho planos para abrir minha própria clínica em dois anos!! Queria muito ter sido realizada financeiramente na área hospitalar (foi meu sonho a faculdade toda), infelizmente não deu certo e por isso mudei de área, não me arrependo nenhum pouco, continuo tratando pessoas (que é o que eu mais amo fazer). Tenta abrir seu leque, mudar de área, de repente uma sociedade com alguma amiga… Vejo um reconhecimento enorme da população com nosso trabalho, estamos na profissão do futuro, cada vez mais pessoas precisam de nós!!! Tenho certeza que você deve ser uma profissional maravilhosa, que só precisa abrir a mente para outros caminhos.

  30. #43
    Raquel
    08.07.2016 - 21:11

    Brincadeiras a parte (justificar que a Charlotte é ariana) eu acho que ela deveria fazer um exame de sangue e ver como estão os hormônios.
    Estou tendo que conviver com uma menina assim, e não consigo acreditar que isso é normal.
    Tá sempre caçando briga.Eu vejo que tem dias que nem ela se agüenta. Ela muda de humor repentinamente,na TPM ela vira o cão, tá com a pele e o cabelo bem oleosos, e um pouquinho acima do peso.
    As pessoas nao levam a sério, mas desequilíbrio hormonal não é só em mulheres de meia idade que aparece.As vezes não tem tantos sintomas, mas até depressão está relacionada a esse problema.

  31. #44
    Iasmin
    08.07.2016 - 21:48

    Tenho que comentar o caso da Charlotte, namoro há 5 anos e no início era exatamente assim, até que ele terminou comigo – e eu, óbvio, surtei LOUCAMENTE. O tempo passou e quase um ano depois reatamos, entendi que o problema estava totalmente em mim, estava sem foco para os meus projetos, que inclusive se trata de medicina 🙂 O tempo que ficamos separados serviu para que eu me conhecesse, assim, em um nível que não consigo nem explicar, serviu para que eu tivesse outras experiências e principalmente voltasse a focar em mim. Me descobri fazendo musculação, estudo loucamente, amo praticar esportes,amo relaxar e aprender sobre tudo aqui com a fufu rs e assim vou ocupando a minha cabeça, que agora nem cogita brigar ou discutir, pois mesmo quando estamos em um dia ruim, respiro, paro e penso ”Meu namorado não merece que eu descarregue toda essa negatividade e falta de controle nele e eu não mereço ME maltratar dessa forma”.
    Beiiiiiiiiiiijos!!!

  32. #45
    Amanda
    08.07.2016 - 23:04

    Carrie ja era formada em fisio e com 26 entrei em medicina. Não foi facil. Entrei no cursinho com um bando de gente novinha e ha anos tentando medicina. Mas se for pra acontecer vai ser. Passei no primeiro ano e ja estou no quarto semestre. Passa rápido e não me arrependo. Tive apoio dos meus pais e isso que importa. E como disseram tem gente bem mais velha que eu e está bem feliz construindo esse sonho. Tente a docencia tb ou ir para fora que era minha segunda opção.

  33. #46
    Lais
    09.07.2016 - 01:03

    CHARLOTTE, linda, também sofro do mesmo problema.
    Mas você tem a sorte de estar com o amor da sua vida..
    Eu perdi várias pessoas que gostava por causa disso. Imagina meu remorso?
    Na hora de brigar, eu não conseguia agir racionalmente e as vezes dizia coisas que eu nem pensava realmente, só para ser mais dramática…
    Mas o bom é que vc já reconheceu que tem esse probleminha e quer melhorar, isso já é um grande avanço! Tenho certeza que vc vai conseguir, vou torcer mto por vc!
    äs vezes fico pensando se eu tivesse agido de outra forma, a pessoa que eu estava ainda estaria comigo..e me culpo, sabe? é terrível..

  34. #47
    Ana
    09.07.2016 - 02:24

    Charlotte, sou bem assim tb! Mas em todos os âmbitos da minha vida… Procurei ajuda com tratamentos alternativos, como reike e homeopatia e me ajudou mto! Boa sorte… E reconhecer isso já é um grande passo!

  35. #48
    Cristina
    09.07.2016 - 07:10

    Carrie: Também sou fisioterapeuta, formada há 06 anos. Passei pela mesma situação de não enxergar um futuro confortável nesta profissão que amava. Decidi iniciar outra faculdade, e em dezembro me formo em direito. Mas sinceramente? Não atuarei na área. Meu conselho é investir em algo dentro da fisioterapia mesmo. Já pensou em mestrado? Penso mto nisso. Um novo curso é extremamente desgastante, não me arrependo pois vou levar este conhecimento para a vida, mas acredito que teria mtas oportunidades se tivesse investido um pouco mais em minha carreira como fisio.

    Charlotte: Parece que vc está me descrevendo há cerca de 05 anos atrás. Eu era exatamente assim, não sossegava enquanto não arrancava uma briga com meu namorado. Parece que não conseguia ficar em paz. Era mto desgastante e minha auto estima era péssima, já que eu sabia que a culpa da minha vida era toda minha. Tentei terapia por diversas vezes, mas somente melhorei quando encontrei um psiquiatra. Fiz um tratamento medicamentoso por um ano, e hj vivo na paz. Outra coisa que acho que interfere mto é a idade. Vc é bem novinha e esses rompantes são mais comuns quando somos jovens. Acredito que minha melhora tenha a ver com meu amadurecimento também.

  36. #49
    Renata
    09.07.2016 - 09:33

    Chocada!!
    Entrei aqui para falar que sou igual a Charlotte, e a maioria dos comentários são de mulheres se reconhecendo com esse caso da Charlotte!
    O que há de errado conosco meninas?

    • #50
      Constanza
      09.07.2016 - 12:24

      Tb assustei c a quantidade de mulheres se identificando c a Charlotte!

  37. #51
    Lia
    09.07.2016 - 10:15

    Charlotte
    Eu era bem louca, meus amigos dizem que faço “olhos de doida” quando estou com raiva. Um dia desses briguei feio na padaria com uma moça que trancou meu carro pq ela soltou uma piada insinuando que dava pra tirar o carro e eu que não sabia dirigir. Já cheguei a dar cadeirada em um ex namorado de tanta raiva. Melhorei encontrando outras formas de deixar a raiva sair. Compro aquelas pilhas de cd’s virgens e quando tô com muita vontade de brigar fico quebrando os CDs, quebrando canetas antigas e outras coisas sem tanto valor, é muito bom quebrar coisas #aloKa

    Samantha:
    Acho que você não ama mais seu namorado, teve a questão do ensaio de traição, perdeu a admiração por N motivos , a atração física, se não tem vontade de fazer sexo não precisa se sentir culpada, o cara não faz nada pra se tornar desejável.
    Miranda:
    Faz medicina, tem faculdades que facilitam a entrada de graduados, de repente tu aproveita algumas cadeiras, dentro da faculdade talvez já saiba muita coisa de alguns assuntos e o estudo nem pese tanto pra ti. Além do curso de fisioterapia (que não é fácil, só desvalorizado) tem a experiência prática, vai ser só sucesso na faculdade, melhor 19 anos de vestibular/faculdade/residência do que uma vida insatisfeita.
    Carrie:
    Se não quer sofrer fuja.

    • #52
      Constanza
      09.07.2016 - 12:22

      Morri com “quebrar as coisas eh mt bom” kkkkkkk

  38. #53
    Ananda
    09.07.2016 - 12:53

    Meu Deus kkkkkk moorri com “Compro aquelas pilhas de cd’s virgens e quando tô com muita vontade de brigar fico quebrando os CDs, quebrando canetas antigas e outras coisas sem tanto valor, é muito bom quebrar coisas #aloKa.” queria fazer a mesmaa coisa!! mas acho q cd é muito pouco hahahah :X #aindamaisloka

    E Conselhos de Constanza Fernandez.
    “Quer brigar? Vai fazer boxe, muay thai, descarregue sua raiva em algo que não afete quem tem ama! Ele e ninguém merece viver uma vida turbulenta e cheia de altos e baixos. Já procurou um psiquiatra? Talvez seja até caso de algum tipo de medicação mais forte viu?” hahah:X
    é isso!! ou então pega a loucura e vai embora viver sozinha, pq ninguem aguenta viver numa turbulência dessas por muito tempo, nem que você faça isso só pq precisa dessa emoção, e nem que depois das brigas venham aquelas reconciliações que no meu ver só rola em filme, pq a vontade que dá é de mandar pro inferno, kkk mas realmente viver com a falta de segurança da pessoa, com uma pessoa que briga e reclama de tudo é muito complicado. Imagino, falo isso, pq sei tbm o quanto sou ‘problematica’ hahah o quanto trabalho diariamente meu auto controle e paciência, pq pra quem vive junto é ainda mais dificil, então devemos colocar na balança oque mais vale a pena, você se chatear e acaba falando e ouvindo coisas desnecessárias ou trabalhar a paciência e saber conversar talvez depois… enfim… acredito que aqui, o espaço do Chora, já ajuda muito! já é uma terapia nao é mesmo?! obg. Cony!

  39. #54
    Samantha
    09.07.2016 - 13:10

    Cony, amei o nome que você me deu, bem “foguenta dos infernos”. Pena que faz tempo que não sei o que é isso! Hahahaha
    Obrigada pelo conselho. Admiração é tudo. E acho que no meu relacionamento somente ele tem admiração por mim. Eu cresci escutando dos meus país que eu deveria ser a melhor possível em tudo que eu fizer e eu espero isso do meu parceiro também. Nesses 6 anos eu tive muita paciência, sempre estive ao lado dele, dando força e conselhos pra ele ir avante e nada.
    O estudo e o trabalho são primordiais pra mim e há uns anos atrás ele mentiu pra mim que estava fazendo faculdade mas ele havia trancado. Havia esquecido de mencionar esse fato. Ele está há 10, DEZ longos anos fazendo uma faculdade e não consegue se formar. Eu não aguento mais e sei o que devo fazer mas é foda tomar a decisão. Até Pq quando eu tomar, não vou voltar atrás.
    Enfim, é foda minhas amigas!!!

  40. #55
    Charlotte
    09.07.2016 - 15:12

    Cony, acho que eu havia comentado no lugar errado rsrs
    Oi meninas, sou a Charlotte do chora n4, e gostaria de agradecer imensamente à todas que comentaram, incluve à Cony por ter sido tão sensível em suas respostas…. Muitas vezes as pessoais pensam que é drama, mas quem passa ou já passou por isso sabe a real… Que ficamos absolutamente CEGAS nesses episódios, sentimos um alívio com o rompante e depois um MAR INTEIRO de culpa e derrota. Preciso dizer que acho que 80% está relacionado à baixa auto estima e espelhos familiares e, como disse uma leitora, a crença de que homem gosta de mulher assim. Estou na terapia e tentando achar esse modo mágico de me impor e até as vezes discutir mas conseguindo manter o equilíbrio, isso faz com que o outro nos ouça, caso contrário entra por um ouvido e sai pelo outro né… Obrigada Cony pelas dicas de fazer luta e às meninas das dicas espirituais e a do quebrar cds!!! Hahahaha vou tenta-las. Muito obrigada mesmo meninas, é reconfortante saber que não somos as unicas e, a quem tb estiver passando por isso, desejo de coração que consiga superae e ser muito feliz! Obrigada!
    PS: Não sou ariana não… Sou de escorpião rsrsrs

  41. #56
    Monique
    09.07.2016 - 15:53

    Charlotte, era igualzinha a vc, brigava por tudo e qq coisa! Meu ex noivo chegou ao ponto de me dar tags coloridas para eu colocar na porta para ele saber, antes de entrar, como estava o meu humor!
    Tanto fiz que levei um pé na b. meses antes do nosso casamento: já tinha o vestido, alguns móveis, padrinhos convidados…
    Depois de anos nesse sofrimento – nenhum dos meus relacionamentos ia pra frente, fiz terapia. Ela me ensinou a controlar essas explosões, essa raiva que nasce sei lá de onde e faz a gente perder a cabeça e ter vontade de gritar e até agredir a outra pessoa.
    No início doía fisicamente o esforço para eu manter o controle. Hoje em dia as pessoas até comentam que “tenho sangue de barata”, pq meu mantra pra vida é: Não Travar Batalhas Inúteis.
    Cony, adoro o Chora, tem sempre um caso que eu me identifico!

  42. #57
    Manu
    09.07.2016 - 16:58

    Para a Charlotte: vc descreveu meu jeito de ser há alguns anos…é insuportável! Eu me sentia exatamente como vc. Uma época comecei a ter tanta dor de cabeça que procurei um neuro e tomei um antidepressivo com baixa dosagem e meu comportamento foi completamente afetado e corrigido. Meu marido até brinca que eu era meio louca por doença mesmo. Enfim, comigo deu certo. Tomei o remédio por 1 ano e visitava o neuro regularmente. Pode ser uma saída. Boa sorte.

  43. #58
    09.07.2016 - 19:50

    Charlotte, vc já ouviu falar em hipnoterapia?? É simplesmente EXCELENTE e acho que vale a pena no seu caso… Eu já fiz para me ajudar em vários aspectos e funcionou muito bem e rápido demais! Funciona como uma terapia normal só que o hipnoterapeuta usa técnicas para atingir o seu subconsciente e vc assimila a “mensagem” absurdamente mais rápido do que a terapia convencional. Vou te dar exemplos: uma amiga tinha total pânico de chuva, trovões… Em UMA SESSÃO meu hipnoterapeuta curou ela. Eu tinha super insônia… Em algumas sessões agora já durmo em poucos minutos. É incrível! Juro! Não estou exagerando… Sei vários casos de sucesso com hipno! É o melhor: o principal para funcionar é vc ter consciência do problema e estar aberta a mudar…isso vc já está! Então assim fica fácil do hipnoterapeuta atingir seu subconsciente e te curar! Vai por mim… Pode te ajudar muito!!
    Bjs, querida!

    • #59
      Charlotte
      11.07.2016 - 11:45

      Oi Juliana, td bem?
      Primeiramente queria agradecer por me dar essa dica <3 já tinha ouvido falar sobre isso mas não sabia que se aplicava a esses casos… Vc fez em alguma clínica? Como funciona? Gostaria muito de saber..
      Obrigada!

  44. #60
    Cynthia
    09.07.2016 - 22:06

    Miranda, o conselho da Cony foi ótimo! Só acrescento que é legal você também não ficar conversando somente com esse paquera. Deixa o seu Tinder ativo também e vai conhecendo outras pessoas, menina! Assim você evita de ficar pensando demais em um só cara e também não se fecha a outras opções. Encare como um passatempo. Na pior das hipóteses, você se diverte com os palhacinhos do Tinder e dá boas risadas! rsrs

  45. #61
    Amanda
    09.07.2016 - 23:05

    Quanto ao primeiro caso, tenho uma amiga nutri que trabalha em hospitais e tem o mesmo problema. Mas se eu fosse você não faria medicina agora, até porque pelo que vi você tem outros planos pessoais também. Lembrei que quando eu era pequena tive problemas de coluna e fiz tratamento com uma fisioterapeuta que só atendia crianças (algumas com problemas bem sérios) em escolas de natação e no consultório, ela era bem sucedida até abriu um clínica, com piscinas e vários aparelhos. Assim talvez você possa continuar na sua profissão e trabalhando com crianças, que é o que você ama. Bjao

    P.s – estou pensando seriamente em comprar uma pilha de cd’s kkkkk

  46. #62
    10.07.2016 - 15:05

    Vim comentar para o caso da Charlotte. Eu acho que já fui um pouco assim como ela e tenho algumas considerações sobre o assunto.
    Às vezes, quando me percebo nessa situação de estar criando caso, procurando motivos para brigar – pode ser até depois de já ter brigado mesmo -, sempre lembro de um conselho que li que dizia ‘Lembre-se sempre que você e seu companheiro são um time e tudo fica mais fácil se o time joga junto’. Ou seja, não adianta eu ficar emburrada, fazer picuinha se o que eu quero, na verdade, é ser feliz, é ter um companheiro feliz e realizado ao meu lado também.
    Outra coisa é em relação a idade, acho que esses ímpetos, essa necessidade de viver num dramalhão tendem, em algumas pessoas, a diminuírem com a idade. Não é regra mas é uma coisa que o tempo ajuda a acalmar.

    Beijos, meninas.

    BLOG COISA E TAL

  47. #63
    Renata
    11.07.2016 - 09:19

    Carrie,
    Tb sou fisioterapeuta com especialização em respiratório, e sempre trabalhei em CTI. Me formei há 10 anos, e já pensei mil vezes em fazer outra coisa, incluindo medicina. O problema ( ou solução,né?!) é q realmente amo a fisioterapia. Só me realizei profissionalmente e me senti mais valorizada financeiramente, qdo passei num concurso público. Hj trabalho com o q gosto, tenho uma carreira estável e ganho bem mais do q qdo trabalhava em hospital particular. Se vc realmente gosta da fisioterapia, não acho q deva fazer medicina não. Estude para concurso! O caminho será mais curto e vc ficará bem mais feliz!

  48. #64
    Camila
    11.07.2016 - 11:26

    Cony, vc conhece indicações de bons terapeutas em BH? As leitoras também poderiam indicar nos comentários =P

  49. #65
    Laila
    11.07.2016 - 18:19

    Gente, comentário bem por fora dos temas dos choras acima, mas morro de vontade de saber e não tenho coragem de perguntar a amigos ou conhecidos. Quem aqui usa/usou TINDER em uma cidade com menos de 800.000 hab, conta como foi???. Também to solteira ha um tempão e morro de vontade de usar, mas tenho medo de topar com um parente, ou ter a mesma experiência quando saio na noite, não vejo ninguém interessante… Me contem experiências pfvrrrr!!!

  50. #66
    Cy
    13.07.2016 - 13:06

    CHARLOTTE DO CÉU! Eu era assim 🙁 depois de um namoro fracassado, meu atual namorado falou: ou vc vai se tratar ou a gente termina. Fui no terapeuta e nada, depois psiquiatra e ele me receitou um medicamento, sertralina, e foi um divisor de águas na minha vida. Eu consigo dominar minha mente pela primeira vez na vida (30 anos). É química? é droga? É. Mas nada se compara a paz de deitar a cabeça no travesseiro a noite e saber que se controlou. A minha qualidade de vida melhorou 100%.

  51. #67
    DANIELLE
    13.07.2016 - 15:33

    A NUMERO UM ..SOU MEDICA ..E INFELIZMENTE COM ESSE TANTO DE FACULADE DE MEDICINA QUE ABRIU , COM FILHINHOS DE PAPAI QUE PODEM PAGAR 6.000 POR MÊS , E DEPOIS DISSO , OPTAM POR ESPECIALIZAÇÃO MEDÍOCRES AO INVÉS DE UMA RESIDENCIA MEDICA DE 4 ANOS. ENTÃO PARA SER NEFROLOGISTA .. 6 ANOS DE FACULDADE INTEGRAL EM FEDERAL 4 ANOS DE RESIDENCIA 60 HS POR SEMANA COM SALARIO DE 2000, FIZ TERAPIA INTENSIVA E NUTOLOGIA .. AQUI .. TODOS ACHAM QUE MEDICOS GANHAM MUITO , MAS UMA CONSULTA DA UNIMED PAGA 70 REAIS . CONCUROS DE 24HS 5000. TRABALHO 80 HS POR SEMANA .. MEDICINA E UM SONHO , MAS UM PESO.. TODOS OS DIAS TOMAMOS DECISÕES DIFICEIS E NAO PODEMOS ERRAR
    MEU SONHO E SER BLOGUEIRA….

    • #68
      Constanza
      13.07.2016 - 16:34

      Nao pense que ser blogueira é facil rsrsrs. Trabalhamos TODOS os dia, o dia TODO e muita vezes não recebemos nenhum real no final do mes… Nunca se sabe se o próximo mês sera bom ou ruim!

  52. #69
    Karine
    13.07.2016 - 16:50

    Cony, o Chora já tem um tempinho de estrada e fiquei pensando em como as meninas que já tiveram seus choras publicados estão hj. Seria legal se abrisse uma tag do tipo “update”. Para sabermos se elas estão bem, qual conselho seguiram, o que fizeram para mudar a situação. Sempre me identifico com alguns casos e vários ficam na minha cabeça e fico pensando será que a fulana terminou com o namorado? Será que a outra resolveu o problema com o pai? Não sei se isso seria viável pra vc, mas achei que seria bem legal! Bjos adoro seu blog!

  53. #70
    Mariana
    22.07.2016 - 16:43

    A primeira, Amiga eu to na 3 faculdade !!!Alguns mesmos motivos que você !!

    Vai em frente e acredite em você

Comente