12
Mar 2016
Sobre a Saúde das Pernas – Parte I
Beleza

Sempre, mas SEMPRE, quis falar sobre este assunto, mas sabe quando você não tem o conhecimento suficiente para falar sobre alguma coisa e dá medinho de falar bobagem? Pois é… Já recebi vários emails e comentários aqui no blog pedindo para falar sobre vasinhos nas pernas, varizes, tratamentos e afins e acho que finalmente conseguirei passar informação correta e com embasamento!

Ano passado conheci a Dr. Livia Lyra, angiologista top daqui de BH, e fui tratar uns vasinhos que me incomodavam. Fiz algumas sessões de laser e tive ótimos resultados! Inclusive eu tinha um vasinho na coxa direita BEM marcado e roxinho, que me acompanhava há muitos e muitos anos e ele desapareceu. Até comentei com ela que sinto saudade dele hahahaha. Mas enfim, perguntei se ela não gostaria de colaborar com o Fufu contando um pouco pra gente sobre varizes, vasinhos, como e porque eles aparecem, como tirar… e ela topou! Enviou um material bem bacana que inicialmente vou dividir em 4 posts. Depois, conforme forem aparecendo as dúvidas de vocês, vamos montando mais posts ok?

Vamos começar do começo: Varizes!

varizes1

varizes2

varizes3

varizes4

varizes6

  • No site da Dr. Livia Lyra tem mais informações, caso queiram ver este é o LINK.
  • Se alguém tiver dúvidas, sugestões de post ou perguntas, deixe seu recado nos comentários! No próximo post falaremos sobre meias elásticas de compressão, ok?
21 Comentários
  1. #1
    Nathalia Rodrigues
    12.03.2016 - 22:33

    Oi Cony e Dra Livia!
    Uma dúvida que sempre tive e nunca entendi muito bem é a relação de varizes e trombose. Quem tem varizes é problema na válvula das veias e quem tem trombose é na coagulação do sangue(forma trombos), certo? Quem tem um tem maior chance de ter o outro? Como funciona isso? E qual a relação do anticoncepcional com cada um desses problemas?

    Obrigada desde já pela disponibilidade em fazer esse post!

    Bjs

    • #2
      13.03.2016 - 19:15

      Olá Nathalia!

      Vou tentar te explicar de forma simples:

      Atrombose se refere a formação de coágulos no interior dos vasos. No caso das veias, é chamada de trombose venosa e pode ser superficial ou profunda a depender do tipo de veia que acomete. A mais temida e perigosa é a trombose venosa profunda que pode evoluir para uma embolia pulmonar.

      O risco de trombose ocorre quando temos fatores que levem a: estase de sangue dentro do vaso (sangue ficar parado ou retido); lesão do vaso; ou fatores de hipercoagulabilidade – que é uma tendência natural e genética que a pessoa pode ter de coagular o sangue mais que o normal (chamado de trombofilia)

      Em termos práticos – estase ocorre quando, por exemplo, ficamos acamados após uma cirurgia ou muito tempo sentados no avião. Lesão do vaso após um trauma importante. Hipercoagulabilidade é a própria tendência genética (trombofilia), no entanto pode ser influenciada por fatores externo como exposição hormonal – ai que entra o anticoncepcional e a gravidez!

      A relação entre trombose e varizes existe, ja que quem tem varizes acaba tendo aumento da estase de sangue na veia, no entanto isso NÃO quer dizer que quem tem varizes vai ter trombose!! Apenas alguns cuidados e medidas de prevenção deverão ser tomadas em situações de risco!

      Em breve a Cony fará um post bem legal sobre trombose!

      Se tiver mais alguma dúvida, pode perguntar!!

      Livia Lyra

      Beijos

  2. #3
    Natália
    12.03.2016 - 22:39

    Adorei o post! Percebi em mim 🙁 e procurarei um médico angiologista. Apesar de jovem, tenho propensão genética, além das horas sentadas que já contam como causa. A pele com bronze palmito das minhas pernas ajuda no destaque (hahaha), sorte que é pouquinho, procurarei o especialista como forma de prevenção pensando mais na saúde, mas também pela estética.
    Acho que é a primeira vez que comento no blog! Gosto muito!! E tem a minha fidelidade e confiança, não costumo mais acompanhar blogs 🙂

  3. #4
    Natália
    12.03.2016 - 22:41

    Só complementando (hihihi): ficou muito bacana o layout e as informações bem objetivas!

    • #5
      13.03.2016 - 19:16

      Olá Natalia, que bom que gostou!! A idéia é tentar ser simples e objetiva para esclarecer o máximo de duvidas de vocês. O fato de ser branquinha de fato tornam as veias mais visíveis. Muitas vezes, são apenas veias aparentes e não varizes! Vale a pena uma avaliação de um Angiologista e Cirurgião vascular de sua confiança!

  4. #6
    12.03.2016 - 23:38

    Nossa, quando estava obesa comecei a ter muitos vasinhos na parte externa das coxas (onde sou mais gordinha) e na minha família isso nem é muito comum… fiquei assustada, porque eles doíam, incomodavam… depois que emagreci bastante eles melhoraram uns 70%, as dores sumiram mas alguns são meio visíveis ainda… penso em fazer algo a respeito em breve, legal ter maiores informações sobre o assunto!

    Tenho um blog sobre emagrecimento, perdi 25 quilos depois de um pé na bunda e de perder o emprego, uma mudança radical na minha vida, sem remédio, sem dietas radicais, quem quiser visitar é http://www.marilianaopodeparar.wordpress.com

    • #7
      13.03.2016 - 19:17

      Oi Marília! Antes de tudo parabéns pelo seu empenho e dedicação em emagrecer! Sei o quanto é difícil a mudança de hábitos, mas vale muito a pena!
      A obesidade predispõe o aparecimento de varizes e ainda dificulta a circulação normal do sangue. A perda de peso, aliada a exercício físico sem dúvidas melhora e você comprovou isso!!

  5. #8
    Nanda
    13.03.2016 - 01:36

    Fufu, gostaria de saber mais sobre os tratamentos, quanto custa e se dói mto!! E principalmente sobre veias esverdeadas! Sempre ouvi falar que tem de operar, mas meu médico vascular disse que podia secar, fiquei com medo dele ser um charlatão!!

    • #9
      13.03.2016 - 19:18

      Olá Nanda.

      Antigamente, a única forma de tratar as veias reticulares – as esverdeadas que você falou, era através de cirurgia. Hoje graças a evolução da medicina e da tecnologia, dispomos de diferentes métodos terapêuticos – aplicação convencional, espuma, laser e a cirurgia.
      No meu site explico todos eles.
      Em geral, após uma avaliação, é montado um plano de tratamento individual e muitas vezes é necessário mais de uma técnica para atingir o melhor resultado, buscando também os tratamentos menos invasivos possíveis!

  6. #10
    Kaa
    13.03.2016 - 11:18

    Odeio minhas microvarizes (ansiosa por esse assunto) e temo demais as varizes …que até meu pai tem. Estou fazendo tudo isso aí (exercícios, meias de compressão e pés pra cima de noite) pra evitar as malditas agora que estou grávida.
    Não conhecia escleroterapia por laser, só a tradicional (doloridíssima) e a com resfriamento (pretendo fazer ano que vem). Qual delas tem o resultado mais duradouro e a gente sofre menos durante o tratamento?
    Obrigada e muito obrigada Cony por tratar desse assunto!

  7. #11
    Keila
    13.03.2016 - 15:32

    Cony,estou mega feliz com abordagem do assunto.Fiz a cirurgia ano passado, uso a meia, só não fiz a escleroterapia(medrosa) mas vou fazer, pq ainda sinto muita dor.

  8. #12
    Carolina
    13.03.2016 - 21:20

    Oi Cony!
    Gostaria de saber mais sobre essa meia…
    Beijos

  9. #13
    Daiani
    14.03.2016 - 11:46

    Vasinhos me perseguem desde a adolescência. Fiz escleroterapia convencional há 3 anos atrás, foi muito dolorido, gastei horrores, porque eram muitos vasos e isso exigiu 25 seções. O resultado foi bom, mas vejo que eles estão voltando de novo! afff… Já havia feito escleroterapia em 2005 também. Aproveito a oportunidade e faço a seguinte pergunta à Dra. Livia: Será que a minha vida vai ser sempre assim? Existe algum tratamento mais durável? Obrigada!

    • #14
      14.03.2016 - 22:34

      Oi Daiani!

      Quando existe a tendência para o aparecimento de varizes e vasinhos nas pernas, existe apenas algumas formas de retardar o seu aparecimento: evitar a exposição a hormônio, controle do peso, uso de meia elástica, atividade física… Com essas medidas, a progressão do problema é mais lento, mas ainda assim ocorrerá (está codificado geneticamente!)

      Quando a programação do tratamento é feita a partir de um diagnostico minucioso e proposto a técnica mais adequada para cada caso, consegue-se melhores resultados e também mais duradouros. No entanto, não tem como fugir das manutenções que podem ser necessárias as vezes a cada ano, as vezes a cada 6 meses – Depende de cada caso!

      A tendência a varizes não tem como ser mudada. Então, o cuidado a saúde das pernas, tem que ser regular, pois novos vasos podem aparecer!

  10. #15
    Monique
    15.03.2016 - 01:31

    Dra Livia Lyra: a melhor!!!

  11. #16
    Aline
    15.03.2016 - 10:34

    Dra Lívia, sempre fui magra, não uso anticoncepcional e costumo fazer meus trajetos à pé, mas na minha perna esquerda tem uns vasinhos bem finos parecendo aranhinhas rsrs… Esses vasinhos podem aumentar ou virar algo mais sério? E tem risco de voltar a aparecer após tratar?

    • #17
      18.03.2016 - 11:44

      Oi Aline,

      É provável que você tenha tendência genética a desenvolver esses vasinhos.
      Não consigo te responder as outras perguntas, visto que envolvem questões técnicas que necessitam de avaliação.

      Para maiores esclarecimentos, te sugiro procurar um (a)angiologista e cirurgião (a) vascular de confiança!

  12. #18
    Leidiane
    15.03.2016 - 22:09

    Post interessantíssimo!! tenho uma dúvida, quanto ao resultado o tratamento a laser é o que traz resultados mais rápidos???

    • #19
      18.03.2016 - 11:46

      Oi Leidiane,

      O tratamento que traz resultado mais rápido, é aquele que é bem indicado após avaliação minunciosa.
      Muitas vezes, para atingir o melhor resultado é necessário associar mais de uma técnica.
      Quando bem indicado, o laser traz excelentes resultados!

  13. #20
    Daniela Abreu
    28.03.2016 - 23:42

    Lendo agora os esse post, talvez fique sem resposta…

    Na tevê vemos propaganda de medicamentos tópicos para varizes, eles funcionam?

    • #21
      30.03.2016 - 00:07

      Boa Noite!!

      Não há evidência científica alguma que justifique o uso dessas medicações tópicas!

      Abraços

Comente