03
Mar 2016
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

Acharam que esta semana não teria Chora? Temos SIMMM! Ontem a noite reuni os casos desta semana e ainda bem que não escrevi meus conselhos de cabeça quente… Acho que no final vocês vão entender o que estou falando.

Caso 01 – Ruby

Bom, depois de ler o post da volta amadurecida do CQETE resolvi me inspirar e escrever. Busco uma opinião de fora, que não seja de amigas, pois nem sempre tenho vontade de desabafar com elas.

Eu podia começar o post dizendo que namoro há dois anos, que ele é ótimo, do jeito que eu sempre quis… Porém o problema dessa vez sou eu junto com o meu ciúme. (Será que é coisa de canceriana tbm? rs)

Tenho um relacionamento super tranquilo, aberto, de parceria mas de um ano pra cá me vejo ficando louca de ciúmes por tudo. Começando pelas redes sociais/celular. Ele é do tipo que prega: Não invada minha privacidade, pois não invado a sua. Realmente isso é ótimo, mas o fato de eu não mexer nas coisas dele as vezes me sufoca. O celular dele é desbloqueado, de vez em quando dou uma olhada no whats, mas me sinto a pior pessoa do mundo e fico muito pior quando vejo quanta besteira em grupo de homens é falado, quantas mulheres peladas e quantas coisas eles falam de mulheres. Será que eu sou tão louca assim de não gostar ou achar isso normal?? Depois vem o facebook, esse eu nunca mexi, pois quando ele entra, ele já desloga na mesma hora, diz que não gosta de notificações, e raramente entra nele quando está comigo.

Depois vem as minhas nóias, ele é arquiteto, mora em um condomínio com milhares de pessoas, perto de uma universidade federal, ou seja, com vários universitários. Embora ele aparentemente não tenha feito amizade com ninguém, quando cruzo com alguma mulher la dentro, quando vejo mulheres bonitas entrando e saindo, já fico péssima de ciúmes com medo dele se envolver com alguém, de fazer amizades e eu nem sonhar com o que acontece.

Tenho ciúmes do trabalho dele, dele estar o tempo todo lidando com paisagistas, designer de interiores e etc..Hoje em dia todas bonitas, arrumadas, solteiras e loucas para arrumarem homens.

Enfim, ele nunca me deu problemas, é super na dele, discreto, tímido, mas é homem né? Sei que preciso de terapia também, mas quem sabe com algumas opiniões de fora eu não consiga sair desse sufoco que é de dominar a vida dele, de mexer nas coisas dele, saber com quem ele fala e conhece.

Vamos por partes: sim, ciúmes é coisa de canceriana (eta mulherada sofredora!). Eu já fui assim (ainda sou, mas mais comedida e o Rafa também não dá motivos), era ciumenta louca, nem te conto o que fazia, mas isso, graças a Deus, ficou no passado. Acho que melhorar a auto estima e focar na NOSSA vida ajuda demais. Bom, deixa eu contar direito então rs. Eu era MUITO ciumenta no meu namoro anterior, mas isso no começo do namoro. De ligar pros amigos dele quando o celular dele estava desligado ou não atendia. Odiava ser assim, mas eu vivia a vida dele. Se ele saía do trabalho às 17h, eu programava meu dia para estar completamente livre às 17h. Meu final de semana era 100% dele, não tinha nada que eu quisesse fazer sozinha. Daí que coisas aconteceram e eu fui morar fora. Aprendi a ter a minha vida independente na marra e PÁH: acabou o ciúme. Voltei centrada em mim, vi o quanto eu era interessante, passei a me cuidar mais e as coisas mudaram. Ok, voltemos ao seu caso. Mexer no whatsapp dele realmente não é uma boa ideia, qualquer coisa a mais ou diferente que você ler, já pode dar margem para alguma desconfiança. E outra, cuide dessa imaginação. A gente cria coisas que não existem, o que os olhos não vêem, a paranóia inventa! Grupos de homens no whatsapp se resume a fotos de mulheres peladas, piadas sem graça, foto da menina que estão pegando e acharam no Tinder, mais fotos de mulher pelada, casos de como foi a transa da noite anterior com a fulana X. NORMAL. Horrível ver os bofes nesse meio e participando disso, mas é normal. Desencana. Sobre o fato dele morar num lugar cheio de mulheres bonitas… amiga, se ele está com VOCÊ é porque ele quer você! Mulher bonita tem em cada canto, se for pensar assim você não vive! Pára de pensar no que ele está fazendo, nas pessoas que convivem com ele, no que tem no Facebook dele… Se tiver que acontecer algo, vai acontecer aqui ou em Marte. Viva sua vida, foque em você, fique linda sempre (para você, para gostar do que vê no espelho e ter autoestima) e curta esse bofe que não te dá problema nenhum. Tem uma frase que amo, essa aqui:

frase-o-ciumento-passa-a-vida-tentando-descobrir-o-segredo-que-ira-destruir-a-sua-felicidade-oxenstien-138538

Caso 02 – Esmeralda

¨Gente, eu nunca postei por aqui e não sei se alguém vai parar para ler meu desabafo. Nem sempre comento no desabafo de alguém (so quando acho que vou acrescentar mesmo), mas sempre paro para ler. Acho que principio da vida é estar disposto a ler o que alguém tem a falar. Enfim… falando de mim. Eu sou uma pessoa bem fácil de fazer amizades, falo bastante, encaro as coisas sem medo, conheço gente de muitos lugares.. mas tenho 3 melhores amigas. Dentre elas, uma que é a mais próxima.. ela é do dia a dia, a gente conversa quase 100% do dia, sabe tudo sobre a outra, vive tudo que a outra vive, as felicidades, as decepções, tudo. Acontece que somos MUITO diferentes (ela é bem difícil de lidar e todo mundo que a conhece acha isso) e eu sou tonta por natureza. Provavelmente por isso somos tão próximas.. não sou orgulhosa e relevo muita coisa (sou canceriana, ou seja, otária). Ok. Ela começou um relacionamento que era de príncipe encantado, até se tornar tóxico. Eles terminaram e ela resolveu voltar.
Eu não concordava, até porque ele foi muito cachorro, mas tivemos aquela conversa só uma vez – aquela de se era isso mesmo que ela queria, se ela precisava disso. Ela disse que sim. Eu guardei todas as minhas opiniões sobre ele no bolso e a apoiei incondicionalmente. Depois de 06 meses o namoro deles acabou de novo e ela entrou na mesma bad. Eu que tava muito preparada pra ajuda-la, já que estava na minha fase mais tranquila, fiz tudo que eu queria e não queria para estar do lado dela. Na real, sempre fiz muita coisa que não queria para que as coisas andassem melhor. Logo depois desse termino dela, eu comecei um relacionamento que foi bem complicado no inicio. Até que chegamos na mesma fase e estávamos extremamente felizes. Felizes de dar inveja (depois ela chegou a me falar que ela olhava para minha felicidade do tipo: isso não existe). O problema é que temos situações financeiras bem diferentes, ele me via como algo inatingível, veio de um relacionamento traumático, enfim.. um belo domingo ele resolveu que precisava terminar comigo. Eu saí da casa dele acabada e fui pra casa dela, chorei todas as pitangas, ouvi tudo que ele tinha de ruim na opinião dela. Fiquei muito mal, sofri bastante.. até que no outro dia ele já me mandou msg arrependido. Não aceitei. Ele continuou por um bom tempo, tentando me pedir perdao, se mostrar arrependido, tudo mais.. eu, claro, recorri as minhas amigas.

Pedi conselhos, ajudas, tudo. Ela, nessa ocasião, se mostrou uma pessoa muito diferente do que eu já fui pra ela. Ela falava que eu não podia sofrer por um cara que não tinha nada a me oferecer (claramente estava falando do dinheiro dele), que eu sou muito pra ele e que aquele amor todo não podia ser verdade. Que ele não podia errar. Que eu era trouxa.. tudo. Ela foi muito dura comigo, chegando a me falar que a culpa de ela ter voltado com o ex namorado era minha, afinal, se eu não tivesse deixado, ela não teria sofrido tanto. Aquela conversa toda e falta de apoio me sugou muito. Eu resolvi encontrar com ele e foi o encontro mais triste da minha vida, mas eu não contei a elas.. afinal, ninguém nem quis ouvir o lado dele, o que eu tava sentindo, nada. Eu e ele conversamos muito, por vários dias, ele me mostrou o ponto dele, entendi a decisão dele e decidi que ia pensar no que fazer. De novo, recorri a elas. De novo, a amiga mais próxima reagiu do mesmo jeito.. falava como se ninguém no mundo pudesse errar, como se ninguém merecesse uma segunda chance.. a não ser qualquer um na vida dela. Afinal, ela já enfiou os pes pelas mãos milhares de vezes tentando ser feliz. Mas comigo não poderia ser.. eu não podia me permitir tentar de novo, nem ouvir o que ele tinha a dizer. De novo, fui complemente sugada por tudo que ela falava.. me senti muito culpada de tomar qualquer decisão. Ate que conversei com ele e disse que ia viajar no carnaval para espairecer e decidir. Quando decidi isso, ela ficou do meu lado. No carnaval ela foi a melhor pessoa.. até que pegou meu celular e leu msgs que eu estava trocando com ele sem ela saber. E eu não contava mesmo. Tinha medo de qualquer reação que pudesse me fazer sentir sugada de novo. Não queria. Não falamos sobre isso.

Chegamos de viagem e eu fui encontrar com ele. O nosso encontro foi uma delicia, cheio de saudade para matar, conversa pra ter, coisas a resolver.. conversamos muito, até uma altura da madrugada que esgotamos todas as duvidas que ele tinha, todos os medos, todos os traumas. No outro dia, quando acordei, a primeira coisa foi mandar uma msg para ela para contar. Recebi milhões de pedras de resposta. Que ela leu as minhas msgs no celular pra ele. Que não contei que já estávamos normais. Que ela não quer meias verdades. Que eu sumi pra encontrar com ele. Que eu, basicamente, a “enganei”. Que ela sempre foi mt sincera e me contou e eu não conto tudo a ela. Aquilo veio como bomba em cima de mim. É fato, eu não conto mesmo, mas por um motivo muito especifico: ela não compreende. Ela não ouve. Ela ta sempre certa. Ela reage mal às coisas se não saem do jeito dela. E eu sei que ela pode me contar seja o que for, e que ela tem liberdade disso, porque eu não sou assim. Eu me sinto completamente dominada por ela, sugada, dependente. Nos temos uma amizade incrível, que me faz bem na maior parte das vezes, mas parece que para isso eu tenho que estar bem. E como eu to sempre bem (pros outros), ninguém sabe lidar com a minha dor, nem ela. Eu vou em festas para agradar, deixo de ir em lugares para agradar, deixo de estudar muitas vezes (sou concutseira!) porque não quero falar não para ela. Não sei mais como agir. Não sei o que fazer, nem o que pensar. Sei que ela é muito importante pra mim, mas já me peguei pensando que não queria sair de casa e queria que ela tivesse ocupada para que eu não precisasse falar não pra ela, tamanha é a repreensão. Me sinto presa a essa amizade 🙁

Presa por você mesma né? Que sofrência menina! Você falou tão mal dessa amiga, que ela te suga, te repreende, te xinga e depois diz que a amizade é incrível e importante? Sério isso? Se a amiga é durona e você mole, não dê asa, mude, afinal você sabe identificar super bem o problema e vê tudo claramente. Os outros só fazem com a gente o que a gente permite. Você está deixando ela sambar no seu corpitcho e de salto 15. Ou corta essa amizade tóxica, ou tem uma conversa madura e adulta ouuuu continue se intoxicando por vontade própria. Mas pelo que li, você apanha apanha e apanha e ainda diz que essa pessoa é incrível e importante! Bora mudar isso aí, as coisas só tem a importância que a gente dá. Você tem outras amigas, deixa essa um pouco de lado por um tempo!

adba015d63e20a4b4d0cceb54fabafd3

 

Caso 03 – Ágatha

Oi, Conyyyy!!

Seguinte, tenho 22 anos, formada, trabalhando na minha área que é comunicação. Namoro há 3 anos e meio com um cara doce e que é perfeito pra mim (pelo menos até agora, pra sempre é muito tempo né kkk). Ele é mais velho, já tem 28 e mora sozinho desde os 16, tem uma vida super independente. Desde que começou a ficar sério que ele fala de morar junto, mas eu sempre quis esperar adquirir uma independência financeira, uma vida estável e tranquila para isso. Eis que o dia chegou hahaha me formei e ele me pediu em casamento no ano novo na frente de todos os nossos amigos! Foi lindo! Mas quando voltei pra casa….

Agora vamos para a segunda parte da história. Sou filha única de pais separados, sou única neta e única sobrinha dos dois lados. Moro só com o meu pai e uma tia adotiva que mora conosco. Sempre fui muito mimada, muito mesmo, talvez seja até isso que me faz querer sair de casa. Sabe quando você precisa passar um pouco de necessidade pra crescer? Conquistar aquilo com seu suor pra dar valor? Tô precisando disso. A minha vida toda foi só chorar que todo mundo me dava tudo que eu pedisse e eu quero agora lutar, não ter dinheiro pra comprar aquele sapato, ter que me apertar na marmita pra jantar fora no final de semana, essas coisas. Então, desde que contei que vou casar, minha casa tá um caos. Agora até deu uma melhorada, mas no grande dia da notícia, meu pai ficou doente por uns três dias e quase quinze sem falar comigo direito!! Tenho minha mãe muita próxima também (que ta amando a ideia de casório kkkk), mas ela nunca morou comigo então não sente. Meu pai sempre foi meu melhor amigo, vivemos no cinema, em barzinho bebendo juntos, ele é muito jovem e bem alto astral, não queria ver ele contra mim. O argumento dele é que sou muito nova, que eu tenho tudo dentro de casa e não tem necessidade disso, que eu posso ir morar fora e depois voltar e tal. Eu entendo todas essas preocupações dele, mas quero seguir minha vida, sabe? E eu não quero fechar as portas. Hoje eu amo meu namorado, mas vai que deu três meses de casamento e separa? Sou bem realista. Sei que pode não dar certo e eu queria ter um colo pra voltar, né? Nem que seja pra ouvir um “eu te avisei”. Mesmo que ele ache errado, eu quero errar e aprender sozinha.

Mães leitoras do Fufu! Me ajudem! Como explicar pro meu pai que não é gravidez que vai mudar minha vida ou a morte kkk é só morar junto e pronto, tão simples kkkk Ah, e o casamento não será agora não. Precisamos juntar dinheiro. Até porque a casa do meu namorado é bem homem solteiro desleixado e eu preciso de um guarda-roupa de 23451 portas e outros itens básicos hahaha nos nossos planos, será entre dezembro 2016 e janeiro 2017.

Miga, ninguém PRECISA passar necessidade pra dar valor. Te entendo que seria um desafio na sua vida cor de rosa, mas se você já tem essa consciência, passe a dar valor já. O crescimento pessoal é fruto de várias coisas, algumas delas nada bacanas como sofrimento, perdas, humilhações, perrengues e você não TEM que passar dificuldade para crescer. Existem formas bem mais suaves disso acontecer e se você é uma sortuda que tem facilidades na vida, aproveite. Não dificulte o que está fácil, quantas pessoas não queriam estar no seu lugar? Não ter dinheiro para comprar um sapato é uma coisa, não ter dinheiro para comprar comida é outra. Aproveite o que tem e nem pense em querer passar dificuldades para ¨crescer¨. Dificuldade é ouuuuuutra coisa.  Voltemos ao seu caso… Está SUPER claro que você é muito mimada mesmo. Obviamente seu pai está com ciúmes, você é a única filha e ele fez de tudo para te dar do bom e do melhor, vai querer te proteger sempre. Já tentou uma conversa ADULTA e madura sobre o seu desejo de casar? Ah e outra coisinha: quer casar, brincar de casinha, de gente grande que passa por dificuldades mas se der tudo errado quer o pai esperando de braços aberto né? Amiga, tá faltando uma coisa muito grande para sair de casa: amadurecimento. A vida não mima ninguém. Tenha isso bem claro quando for sair de casa (e seu pai NUNCA fechará as portas para você, tenha certeza disso.)

fbdeac274a18eb36d8685e8dd1a612a5

  • Três moças, mimadas cada uma do seu jeito. Como falei em um dos conselhos, a vida não mima a gente não. Vamos facilitar as coisas, tirar o que é ruim de nós. Se dá para evitar o sofrimento e sabemos como fazer isso: façamos.
03
Mar 2016
Resquícios de Look Novaiorquino + Desabafo
Looks

Agora sim! Depois deste look acabamos com NY, pelo menos os assuntos referentes à semana de moda. Gente, tenho TANTOS post anotados, mas TANTOS, que me faltam dedos para digitar e claro, tempo para fazer tudo. Minha vontade era de sentar e começar a trabalhar às 7 da manhã e só terminar depois de fazer uns 5 posts (demora viu? Tem posts que demoro 5, 6 horas pra fazer, outros faço em meia hora) mas não tenho foco. Aliás, outro assunto pra futuro post: como lidar com a falta de concentração e um possível DDA? Eu perco o foco muito facilmente e sempre acabo indo fazer qualquer coisa que não o meu objetivo. Desse jeito.

Enfim, aproveita que hoje tô faladeira. Vou mostrar meu último look oficial de NY (o não oficial foi o aerolook) e fazer um mini desabafo no final. NADA DE VOAR VER O DESABAFO.

Olhem o look primeiro, comentem e depois vamos falar de outras coisas:

Processed with VSCOcam with hb2 preset

Processed with VSCOcam with a6 preset

resize_Foto 18-02-16 00 07 24

Casaco Zara comprado em NY mesmo, por US$ 20!! Blusa térmica Uniqlo, minha companheira em praticamente todos os looks, escondida ou não rs. Saia DEUSA preto e branco Cecília Prado, bota Vicenza, clutch Hermés para Madrestore.

Processed with VSCOcam with a6 preset

Junto com Carolzinha (Carol Tognon), minha querida roomate e amiga! Amo demais!

Agora senta aí e vamos bater um papo.

Semana de moda, seja nacional ou internacional, é MUITO legal. É cansativo? É. Mas o glamour misturado à correria, aquela quantidade de informação circulando bem em frente aos nossos olhos, as fashionistas que a gente vê nas revistas e nos sites ali ao vivo, dividindo uma arquibancada de desfile com você, os fotógrafos querendo captar os looks mais interessantes, as modelos mais famosas, os estilistas mais tops, os eventos, os jantares, as festas, TUDO é diferente e faz a gente se sentir muito VIP de estar ali no meio, de ter acesso a tudo (obrigada Fhits <3).

A preocupação com o que vamos vestir obviamente existe. Ninguém vai para uma semana de moda e usar a roupa que usa no dia a dia. Eu ainda não me permito ousar muito, mas aos poucos (se bem que já estou entrando no meu terceiro ano de fashion week sem parar) vou incrementando uma coisinha ali, outra ali, quase sempre dentro do meu estilo basicão de ser. Ok.

E uma das coisas que mais gosto de variar nessas semanas de moda é a bolsa. Sim, a bolsa. Tenho váaaaarias, algumas grifadas outras não em suas devidas proporções. Acho chato usar sempre a mesma bolsa NESSE TIPO DE EVENTO ainda mais fotografando todos os looks diariamente, muitas vezes, mais de um por dia. No meu cotidiano, ou eventos mais locais, obviamente me viro com o que tenho.

Como todo ser humano, eu gosto do que é bom. Como mulher que trabalha com moda, que respira tendência, que pesquisa sobre marcas o dia inteiro, todos os dias, eu também gosto de grifes. Como trabalhadora que não nasceu em berço de ouro nem ficou rica por algum motivo especial, comprar bolsas de grife a cada semana de moda é muito difícil (são 2 internacionais por ano, 4 nacionais, façam as contas…). Daí conheci uma loja bem bacana aqui de BH, a Madrestore, que aluga bolsas de luxo e tem sido minha salvação quando quero dar aquela glamourizada no look. Que lindo um look Zara com uma Hermés. Que lindo uma calça Riachuelo com uma Chanel. É disso que estou falando, high low, o barato e o caro. A moda pra todos os bolsos, para todos os gostos, com a cereja do bolo.

E daí aparece uma pessoa e diz: Que pena que você está se perdendo e agora só ostenta com grifes. Está igual as outras, ficou metida. Parei de seguir.

JURA?

Será que essa pessoa realmente me conhece? Será que essa pessoa realmente quer me ver feliz, realizada, montando um look interessante, variando, saindo do mesmo? Será que porque gosto de comprar em fast fashion isso me impede de usar uma peça grifada? Será que essa pessoa pensa que GRIFE DEFINE PERSONALIDADE?

Amiga, você não sabe da missa a metade. Tem muita gente que usa Hermes e é muito mais simples e honesta do que algumas que usam a bolsa da fast fashion da esquina. Não se baseie por grifes para julgar a essência de alguém, tente ir um pouquinho além, quem sabe acompanhar, observar e entender a índole da pessoa?

Não é porque eu usei um bolsa grifada que mudei, que perdi a essência. Fique feliz por mim! Fique feliz porque consegui dar um passo além, consegui montar algo bacana e que pode servir de inspiração para tantas pessoas. Fique feliz porque consegui sair do mesmo, porque meu mundo está se expandindo, porque agora posso pegar, tocar e usar o que antes só conseguia olhar da vitrine. Mesmo alugada, emprestada ou comprada (porque não?), não será uma bolsa de grife que me fará mudar quem sou. Não deseje meu cárcere fashion, não defina meu espaço, não coloque fronteiras ao que posso usar ou não. Enquanto eu puder ir além, eu irei. E com prazer, mostrarei tudo para você. Quem sabe um dia você também queira alçar vôos mais ousados e ser além do que sempre se foi?