Lifestyle
Mi Casa Su Casa
25 jul 2015, 133 comentários

Mi Casa, Su Casa – Reserva Técnica?

Olá Fufus!

Eu sei que eu prometi terminar a discussão sobre os eletrodomésticos, torneiras, triturador e cuba essa semana. Mas além de eu ter tido alguns contratempos, eu subestimei o tempo em umas atividades e acabei sem tempo hábil de fazer uma boa matéria pra vocês. Por isso, eu preferi mudar o tópico da semana.

CAsa CAiu

Vou falar (mal) de “Reserva Técnica”. MAS deixem-me esclarecer que existe uma Responsabilidade Técnica (RRT) – essa denominação é um termo de responsabilidade que arquitetos e engenheiros assinam quando uma obra será construída e precisa ser aprovada na prefeitura, lá fica registrado o número do CAU ou CREA destes profissionais. Esse registro de projeto junto à prefeitura custa dinheirinhos e lá fica registrado que, o profissional X é responsável pela obra Y.

Se essa obra cair, se poluir um rio, se estiver fora de qualquer norma de segurança ou norma construtiva da cidade, quem será julgado, punido e terá de arcar com as responsabilidades, é este profissional, afinal ele estudou e se registrou para isso. É uma licença, assim como médicos, advogados e outros tantos profissionais também têm.

Então agora vou jogar a paçoca no ventilador e falar pra vocês da prática da OUTRA “Reserva técnica” vulgarmente conhecida como “RT”.

Todos sabem que o brasileiro A-DO-RA ganhar vantagens e tirar vantagem de tudo. Não seria na prestação de serviços que seria diferente.

Então, dentro da minha cabecinha eu criei um conto de fadas que explica, pra mim mesmo, como a RT nasceu – e não foi da cegonha:

Eu imagino que em um tempo distante, muitas décadas atrás, algum lojista – vamos fazer de conta que foi um dono de uma nova loja de materiais de construção – queria ter mais clientes. Todos querem, não é? Sociedade capitalista.

Então ele chamou alguns profissionais da área, arquitetos, engenheiros, decoradores, designers e fez uma proposta: “Vocês me trazem clientes e eu pagarei para vocês um valor X percentual sobre o que ele comprar.¨

Pára tudo, fiquei nervoso, drink de hoje, água com açúcar.

agua com acucar

E com certeza, muitos dos profissionais, lá nos primórdios, aceitaram. E assim todos seguiram trabalhando e indicando e ganhando dinheiro e fazendo casas lindas.

Acontece que com o passar dos anos esse “mimo” que um lojista filho de uma ronca-e-fuça ofereceu, virou praticamente uma lei. Lamentavelmente 99,98% dos profissionais não somente aceita a RT como exige. O valor varia de lugar mas, ela está geralmente entre 5 e 10%. Aí você me pergunta:

Qual o problema tio? Deixa essa miséria pra lá.

O problema é mais profundo Fufu. Um fato muito bem colocado numa matéria:

“Reserva técnica é uma magnífica expressão de um marqueteiro que pegou propina, jabá ou gorjeta e deu o nome de reserva técnica”, afirmou o conselheiro federal por SP, Renato Nunes. “Vamos batalhar pra transformar isso em uma espécie de crime. Sou contratado pelo cliente por ser capaz de resolver seu problema de construção. Se recebo 10% da loja, deixo de ser fiscal do cliente e passo a ser vendedor. Estou traindo não só a confiança do contratante mas a minha responsabilidade sobre o trabalho que tenho que fazer”. (Leia na íntegra AQUI)

Mais causos da vida: Lá no meu terceiro período de estudos na faculdade de Arquitetura e Urbanismo, em 2007, eu aprendi que devido a nossa legislação brasileira, essa prática de RT é crime porque se enquadrar em “Cobrança indevida” visto que você, cliente, pagou pelo projeto e o profissional está recebendo novamente pelo mesmo projeto. Feio né? Pois o mesmo professor que me ensinou isso, veio aqui na loja onde eu trabalho EXIGIR a RT dele.

dinheiro voando

E porque isso é tão horroroso? Porque é o cliente que paga. Vamos fazer uma conta rápida:

Numa venda de 395 mil se eu ofereço para o arquiteto 7% de RT, ele leva R$ 27.750,00 que eu poderia ter dado de desconto para o cliente final. Provavelmente esse valor daria pra fazer 2 ambientes inteiros, ou pagar por praticamente todos os eletrodomésticos da casa.

E na prática o que acontece? A loja que pagar mais comissão é a mais indicada e não a que tem a melhor solução pro cliente, não a mais confiável, não a mais correta. É pura e simplesmente o lojista que pagou mais.

Aqui na loja uma arquiteta teve a cara de pau de dizer que cobrou pouco no projeto porque ia ganhar reserva técnica. Coléga para que tá feio, e não dá pra te defender.

Eu sou sincero com o cliente, até porque o que eu cobro pelos meus projetos não é a opção mais barata no mercado que eu atuo. Tem opções mais abaixo. E cada um economiza onde preferir.

Eu levo os meus clientes nas lojas e pergunto na frente deles se a loja paga RT, quando eles dizem que sim, eu peço pra que o valor seja revertido em desconto. Quando o lojista diz que não pode reverter em desconto eu aceito, e subtraio do valor do projeto. Então você pergunta se eu já recebi RT, já recebi sim. Mas eu descontei no valor do projeto.

Agora a classe está em guerra porque existem os que não recebem e os que acham que “faz parte do interesse do comerciante”. Mas o fato é que o interesse do comerciante está lesando diretamente o consumidor final.

Esse post é meio que um desabafo. É uma raiva que eu precisava eXXXternalizar. Meu sonho é colocar isso em outdoors pelo mundo, alertando a todos os nomes de quem faz isso. Houve um caso que a arquiteta queria 25% de RT ou então ela não mandaria o email com a planta pra desenvolvermos o mobiliário. Contamos pro cliente, ele achou que era mentira e comprou em outro local. Mas eu, ahhhh eu deitei minha cabeça no travesseiro e dormi em paz!

Eu não acho que a criminalização vai eliminar a prática. A comunicação vai, então por favor, me ajudem a contar pro mundo, que a sua casa poderia ficar até 10% mais barata, ou 10% mais bonita! Vamos deixar essa galera usar um pijaminha lindo, longe da casa da gente.

presidiario

A melhor # que eu posso inserir hoje é #prontofalei.

É uma denúncia sim! Muitos profissionais me odeiam e me odiarão por isso. Mas está na hora de separar o trigo do joio e fazer com que se cobre e se pague o correto pelos desenvolvimentos de projeto. Vamos parar de dar voltas e vender um projeto pela metade do preço pra ganhar de outra maneira.

Obrigado pelo carinho, pelos comentários e desculpe por furar a matéria prevista para essa semana.

Deixem seus comentários, sugestões, dúvidas e perguntas.

Bença!

Obs: Eu ia falar pouco, deu 1119 palavras!

assilelo

Escreva seu Comentário

Quer que sua foto apareça nos comentários? Clique aqui
133 comentários em “Mi Casa, Su Casa – Reserva Técnica?”
  1. Gia25/07/15 • 09h23

    FINALMENTE alguém entende meu ponto de vista! Parabéns pelo post!

    • Tio Lelo28/07/15 • 12h51

      Oi Gia!

      Concordamos então, que o cliente precisa saber da prática?

      Beijo, obrigado pela participação.

  2. Lulu25/07/15 • 09h42

    Confundiu Responsável Técnico com Reserva Técnica…

    • Bia25/07/15 • 18h46

      vim comentar exatamente isso hehe… a RRT é o Registro de RESPONSABILIDADE Técnica 😉

      • Tio Lelo26/07/15 • 20h29

        Oi Lulu, oi Bia!

        Perdão de joelhos! Vcs estão corrétissimas, já pedi pra Cony Editar.

        Obrigado !

        BBT

  3. elenice25/07/15 • 09h43

    nossa. Brasil tem jeito nao, todo lugar tem caixa dois. : (

  4. Bru Nunes25/07/15 • 09h49

    Caraca Lelo!!! Depois disso, vc está hiper perdoado por “furar” com a matéria que era pra ser! Na verdade nem tem que pedir perdão, pq qualquer post seu é maravilhoso.
    Mas enfim, to chócada que isso acontece!!! Não construí meu ap ainda, mas em breve começarei..graças a Deus minha arquiteta é melhor amiga, então sei que é honesta, mas é um absurdo isso.
    Vou sair espalhando para todo mundo que eu conheço!!!
    Lelo tbm é denuncia! 😀
    Você é incrível!! E sim, dps dessa, só água com açúcar mesmo!!!

    Bjs

  5. Mayara25/07/15 • 10h30

    Olá, acho que vc se equivocou. A unica reserva tecnica que existe é a segunda citada (fortemente condenada pelo codigo de etica de arquitetura e urbanismo).
    O primeiro termo a que vc se refere trata-se do RRT (registro de responsabilidade tecnica) assinado por arquiteto ou engenheiro para que haja liberação para inicio de qualquer obra (desde troca de piso, até reforma geral ou nova construção).
    Se possível, corrija o post para que as pessoas nao se confundam.
    Obrigada

    • Tio Lelo26/07/15 • 20h30

      Oi Mayara!

      Vc está corretíssima!
      Já pedi pra Cony corrigir.

      BBT!

  6. Leane25/07/15 • 10h36

    Disse tudo! Em que loja você trabalha Lelo? 🙂

    • Tio Lelo28/07/15 • 12h12

      Oi Leane,

      Eu trabalho para o grupo Mobiliarte, que representa diversas marcas, entre as principais a Hunter Douglas para cortinas, Art Papier para papéis de parede, Tapis para Tapetes, Donatelli para tecidos, Stobag para soluções solares, Interface para carpets e Florense de mobiliário residencial e corporativo.

      =D

      Beijo!

  7. Alice25/07/15 • 11h04

    E essas são as mesmas pessoas que falam mal dos políticos, da corrupção e etc. Fazem a mesma coisa, só que no lugar da Petrobrás está o cliente.

    • Iara R25/07/15 • 23h16

      Comentario perfeito!!!

    • Laís31/07/15 • 12h09

      Comentário perfeito!!! {2}

  8. Milena25/07/15 • 11h51

    Bom vamos lá para as minhas 1119 palavras… Kkkkkk Cara, PARABÉNS (em caps lock mesmo!). Acabei de construir e fiquei com uma péssima imagem dos profissionais da área! Pois bem, a sem noção aqui construiu praticamente um Taj Mahal moderno. 500 metros pra 4 pessoas? Só me dei conta da falta de noção quando as paredes estavam de pé e ai já era… Lá fui eu contratar uma arquiteta para ajudar na decoração. Optei por uma amiga da minha mãe pois conheci alguns projetos dela e gostei bastante e pois achei que por ser de casa, ela seria bacana e nos orientar do que valia a pena investir e do que nao valia a pena (sabe de nada inocente… Kkkkk). Paguei o valor do projeto sem discutir muito e ainda questionei milhoes de vezes se tinha a liberdade de comprar onde eu escolhesse. Comprei pisos, azulejos, pastilhas, iluminação e metais para 7 banheiros (inclua aqui o emoji assustado) nos locais em que ela me levou. O caldo desandou quando chegamos no bendito projeto de móveis… Ela me levou em uma loja de móveis e o tempo todo eu dizia para ela e para o vendedor que não podia gastar muito e que tinhamos que pensar bem no que investir e no que poupar. Me deram um orçamento de pouco mais de meio milhão de reais! Sim! Tiveram coragem de falar isso em voz alta! Sai de lá completamente tonta e com vontade de me jogar da ponte da Marginal Tiete! ECA! Fiquei quase um mês digerindo a noticia e ela e o bendito vendedor me ligando dia sim e dia também pra me botar pressão e dizer que tinhamos prazos. Meu marido pediu o projeto dos móveis pra estudar e ver o que podíamos reduzir. Foi quando ele teve a idéia de levar o projeto em outra filial dessa mesma loja de móveis pra tirar a dúvida se custava aquilo mesmo. Resultado: bem menos que a metade do valor original! A mesma loja e o mesmo projeto! Fechamos com eles. Quando a arquiteta soube ficou virada no Jiraya e me ligou falando super mal da loja, falou para eu ligar na fábrica pra saber o ranking das melhores representações, falou mal dos montadores da loja, falou um monte de caca… Passei na loja para assinar o negócio e a vendedora me contou que a arquiteta ligou lá exigindo a RT e os ameaçando de processo por usar um projeto dela. Dela quem cara pálida? Quem pagou por aquilo? Resolvi dar um basta na palhaçada e mandar ela correr. Acabou o contrato e a amizade. Ficou a lição. Agora estou morando em um salão de baile vazio pois a verba pra sofás, sala de jantar, tapetes, cortinas, etc já era e vou decorar meu monumento com sua ajuda e do fufu. Muito obrigada pelas dicas, pelo bom humor e pela sinceridade. Desculpe o texto longo. Mais uma vez, parabéns!

    • alessandra faria26/07/15 • 08h23

      Estou chocada com a sua história!
      O jeitinho brasileiro não tem limites, por isso nosso país é o que é

    • alessandra faria26/07/15 • 08h24

      Estou chocada com a sua história!
      O jeitinho brasileiro não tem limites, por isso nosso país é o que é!
      Todo mundo querendo ganhar em cima dos outros!
      Que absurdo!
      Bjos e boa sorte!

    • Tio Lelo28/07/15 • 12h48

      Oi Milena,

      Fico muito triste que você tenha passado por esta situação, e envergonhado pelo comportamento de alguns profissionais que eu ainda tenho que chamar de colegas de profissão.

      Eu acho que o trabalho do profissional é desenvolver um projeto, especificar materiais, produtos e serviços. Para isso ele deve cobrar o que é justo. Até porque quando ele é contratado para acompanhar uma obra, ele deve atuar como fiscal do cliente. E quando ele recebe do lojista ele já não irá defender o lado do cliente, ele vai ficar patinando entre os dois.
      Isso posto, cabe ao profissional dizer ao cliente e deixar ele ciente da prática e definirem juntos como será o formato que ele prefere.

      Cola no tio que sua casa vai ficar linda =D

      BBT!

    • Bia29/07/15 • 09h15

      Nossa! Fiquei até enjoada lendo sua história. Vergonhoso não define. Como vc falou, fica a lição. Dinheiro perdido se recupera, mas o bom sono dos justos (como Lelo citou) é impagável. Certeza que sua casa vai ficar linda com as dicas dele. Cola no tio que vc brilha. hahaha

  9. Bruna25/07/15 • 13h40

    Olá Lelo, sou arquiteta e acho excelente esclarecer tudo aos clientes. Mas tome cuidado com os termos e corrija por favor a primeira parte do texto que fala do REGISTRO DE RESPONSABILIDADE TECNICA(RRT), pois este não é a mesma coisa que RESERVA TECNICA(RT). E concordo com seu ponto de vista, há muitamuita gente se prostituindo profissionalmente por meras porcentagens de compras, e pior enganando o cliente. Grande abraço.

    • Tio Lelo26/07/15 • 20h36

      Oi Bruna,

      Muito obrigado pelo aviso, eu já pedi pra Cony corrigir.
      Esse assunto me ferve o sangue… e eu escrevi compressa e ao reler… passou… muito obrigado!

      BBT!

  10. Maria Célia25/07/15 • 13h48

    Paguei para o arquiteto o acompanhamento ( supervisão) da obra ( 8%) qdo ele me disse que eu economizaria pois ele faria pesquisa de preços no mercado mas assim que a obra começou ele discutiu com o mestre de obras pois eles eram “clientes” de lojas diferentes…descobri então a tal de reserva técnica …com 3 meses mandei os dois para a rua e toquei a obra sozinha. Salve a honestidade isto sim é que tem valor. Abraços

    • Tio Lelo28/07/15 • 12h56

      Oi Maria Célia,

      Eu tive um problema assim numa obra, mas era um pouco diferente:
      Eu e minha sócia indicamos os materiais somente. Aí o mestre de obras buscava no fornecedor dele que pagava comissão pra ele. Quando faltou material e o cliente teve que rodar e comprar em outro lugar, descobriu um preço menor porque era um fornecedor que viu que o projeto era nosso e que nós revertemos as RT em descontos pro cliente… foi muito feia a situação.

      Mas cada um tem sua própria consciência.

      obrigado pela participação,

      BBT!

  11. Ju Wagner25/07/15 • 14h15

    Concordo com a Lulu, acho que vale corrigir que o que se assina perante ao CAU/CREA é responsabilidade técnica e não reserva técnica. É importante para as pessoas não confundirem uma obrigação legal com este “suborno” citado no teu desabafo.

    • Tio Lelo26/07/15 • 20h39

      Oi Ju!

      Obrigado pelo aviso, eu já pedi pra Cony corrigir.

      BBT!

  12. Ana Paula Moura Saran25/07/15 • 14h19

    Achei interessante o caso dessa arquiteta que diminuía o valor do próprio projeto já que era compensada recebendo RT. Supondo que tenha feito um bom projeto ela estava completamente desvalorizando o próprio trabalho, certo?
    Ou será que ela tinha em mente que o trabalho feito não estava tão bom assim? Há.
    Cada profissão tem os seus furos e aqueles que nadam dentro destes. Fico feliz por saber que há profissionais preocupados em alertar os seus clientes e com a qualidade daquilo que estes estão consumindo. Bom tópico para eu anotar em detalhes de um curso que está na minha lista de possíveis a serem escolhidos para uma futura carreira 😉

    • Tio Lelo28/07/15 • 13h01

      Oi Ana Paula,

      Esse tópico se estende além do mobiliário… a RT acontece desde o tijolo, até o vidraceiro… então é bem complexo.
      Como vc comentou, a arquiteta que baixou o valor do projeto porque iria ganhar RT fez uma escolha, que eu concordo com você, coloca o próprio trabalho dela numa posição de inferioridade.

      Mas o que é feio mesmo, não é RT. É o profissional exigir uma RT e esconder do cliente. Para mim, esse é o ponto da questão.

      BBT!

  13. Bruna25/07/15 • 14h47

    Cony, você confundiu ART (anotação de responsabilidade técnica para profissionais com CREA) e RRT (registro de responsabilidade técnica para profissionais com CAU) com RT, que é a reserva técnica (ou comissão).
    Corrija essa informação por favor, pois esse erro é grave e TODO profissional que tem responsabilidade técnica em um projeto é obrigado a emitir esse documento.
    Por favor da próxima vez pesquise antes de escrever sobre um assunto sério como esse. Inclusive você deve corrigir no seu texto que órgãos como o próprio CAU, ASBEA, IAB são contra esse tipo de pratica de pagamento de RT a profissionais do meio.

    • Tio Lelo26/07/15 • 20h34

      Oi Bruna,
      Agradeço pelo aviso, já solicitei a correção do parágrafo que eu misturei as siglas.

      BBT!

  14. Fernanda25/07/15 • 14h58

    Sou arquiteta e este assunto é polêmico mesmo. Primeiramente o termo certo é Registro de Responsabilidade Técnica ou RRT que o arquiteto faz ao concluir um projeto. Tem que pagar uma taxa no CAU (Conselho de Arquitetura e Urbanismo) como o Marcelo falou. A RT que é a reserva técnica é uma comissão, que as lojas dão para os arquitetos ou decoradores por indicarem seus produtos. As consequências desta prática estão ficando cada vez mais confusas. Tanto é que o CAU está propondo que a RT seja um crime. Acredito que ou proíbe de vez esta prática ou que ela passe a ter regras claras para que todos possam saber. Acho que o Marcelo ganhou créditos por discutir isso, mas acho que qualquer dúvida sobre este assunto o cliente tem que perguntar ao arquiteto ou decorador. Nossa profissão merece ser valorizada, temos que jogar limpo e com isso todos ganham!!!

    • Tio Lelo26/07/15 • 20h42

      Oi Fernanda,

      Obrigado pelo aviso, já pedi pra Cony corrigir.
      Foi justamente a matéria do CAU que eu linkei na matéria =)

      bbt!

  15. Raquel25/07/15 • 15h04

    Léo,
    Acho super importante o trabalho de conscientização da prática das RT’s entre os clientes, arquitetos E lojistas.
    De toda forma, cabe frisar a diferença da RT (Reserva Técnica) da RRT que é o Registro de Responsabilidade Técnica junto ao CAU, documento exigido pelos órgãos responsáveis para dar entrada em um projeto arquitetônico, sendo os arquitetos os únicos profissionais habilitados a realizá-lo, de acordo com a nova resolução do conselho.
    Poucos profissionais atentam para a contribuição da pratica da RT com a desvalorização da profissão, uma vez que muitos baixam o valor do projeto, levando em conta o montante recebido por comissões dos lojistas.
    Porém não adianta simplesmente recusar e deixar para a loja ‘embolsar’ esse valor, temos que de alguma forma reverter isso como benefício pra o cliente!
    Valores justos de projetos. Valores justos de materiais. E assim a conta fecha! 😉
    Bjs. E parabéns por levantar a discussão, é o primeiro passo para a melhoria da profissão.

    • Tio Lelo26/07/15 • 20h45

      Oi Raquel!

      Obrigado pelo comentário, já pedi pra Cony corrigir o termo lá em cima.

      Concordo com seu ponto de vista. O cliente não pode não saber da prática.

      BBT!

  16. Camila Eduarda25/07/15 • 15h13

    E vc acha q esse RT é restrito somente na área da construção civil???

    Quantos cerimonialistas recebem por fora pra indicar tal decorador, tal buffet?
    Quantos médicos recebem extras por exigirem q o exame seja feito em tal laboratório ou determinada clínica ou, ainda, q o remédio seja de tal fabricante ou de tal farmácia?
    Quantas agências de viagem não ganham pra indicar determinado hotel?

    Quando se trata de prestação de serviços que dependem de outros fornecedores, é prática tão usual, que nem questiono mais…

    • Thaís Fernandes25/07/15 • 22h08

      Muito bem lembrado!

    • MaH27/07/15 • 13h35

      Camila, sou médica e jamais orientaria um paciente a fazer exames em determinado laboratório porque assim eu receberia comissão! Eu ganho pelo atendimento prestado ao meu paciente e se você frequenta algum médico que faça algo parecido com o que vc disse, te aconselho a procurar outro!

  17. Michele25/07/15 • 15h34

    Olha Lelo, eu também sou Arquiteta e sinto que você pegou meio que pesado com essa temática.
    Pra começar, falo aqui da minha experiência com as RTs da vida e no fundo eu defendo a RT, mas com os motivos certos.
    Já fui vendedora de móveis e conheço a ladainha sobre RT’s: o Arquiteto fez o projeto e os 10% é dele, mas todos os problemas são dele tb, porque ele mandou o projeto. Mas os 10% saem do projeto final.
    Pura hipocrisia pois todo mundo sabe das “gorduras” desse tipo de móveis planejados têm. Se vamos falar de RT, vamos falar de “gordura” também. Tem licenciado no código de defesa do consumidor a “gordura”??? Ou seja a sua casa sai xx vezes mais cara por causa do lojista. Por isso que o mesmo projeto em uma mesma loja mas com donos diferentes (no sistema de franquias) sai com valores extremamente diferentes.
    E na gordura tem tudo: lucro do lojista, a comissão do vendedor, comissão do Arquiteto e os valores para “dar desconto” caso o cliente final exija isso. Fora os brindes, os vales, os pacotões…nada sai do valor final do projeto que nunca muda.
    Mas a RT não está na gordura. É a gordura da gordura. Aí começa esse papo de tirar o Arquiteto da jogada e ligar para o cliente e oferecer o projeto sem a RT.
    Então aqui fica a dica. Arquiteto de confiança fala sobre a RT. Se não fala, o cliente tem o direito de perguntar. Isso sim é conhecimento útil e super te admiro por instruir as leitoras da Cony sobre esse assunto.
    Eu acho a RT um faca de dois gumes, você ganha mas você também se aborrece. Lojas grandes e famosas não pagam RT nem a pau. Afinal a sua fama/bons serviços/experiência no mercado já faz dela uma opção para o cliente.
    Se for para eu como profissional indicar, eu indico a melhor. Falo com o cliente sobre a RT assim como você, se ganho de lá, não preciso ganhar de cá. Mas isso para clientes e amigos, coisa rara hoje em dia.
    Se o cliente quiser economizar, aí eu não indico é nada, uma lista de especificações técnicas, uma valor pela consultoria e até mais.
    O cliente tem que ter informação e parar com esse papinho de que não sabia. Cansei de ver youtubers fazendo esse papinho de a empresa tal é superlegal e me deu isso de mimo e para minha família, se vc gostou compra lá no site tal. Isso é propaganda velada, como tudo na vida, a fia tá ganhando pelo marketing.
    Agora vou contar para as leitoras sobre um caso que aconteceu comigo. Trabalhava na loja e saí da loja, mas disse q se tivesse clientes eu levaria lá. Um tempo depois levei a minha cliente, irmã do meu melhor amigo, para fazer o projeto da sua cozinha. Ela se encantou com a loja e nem viu outra, fez cozinha/banheiro/quarto da filha por lá. Nesse meio tempo, sai do projeto afinal a casa estava pronta. A loja não queria me dar RT, e ela insistiu para me pagar ( coisa rara hoje em dia).
    Não sei se foi isso, ou um erro entre o projeto/pedido que os móveis não cabiam no local. E a loja jogando para mim a responsabilidade pelo erro. Quando eu vi a vendedora mudou todo o meu projeto, foi no local conferir as medidas e nada encaixou. E não me falaram nada, seja o cliente seja a loja.
    O caso foi para a justiça e a loja me jogando na história. A Advogada me pegou de testemunha e nem foi preciso depor pois a loja agiu de má fé e até queria fazer um acordo. Mas os clientes, muito certos, não fizeram acordo nenhum e sim esperaram a sentença do juiz. Móveis novos e sem custo extra,só o que ela já tinha pagado. E uma multa pela má fé da loja e ônus do cliente.
    Dito isso te digo, não vai em uma loja qualquer, sempre é bom ter profissionalismo seja como cliente, seja como lojista e peça ao Arquiteto as especificações técnicas, isso sim tem que ser cobrado, pois é o profissional que está especificando/detalhando.
    Sei que trabalha com o comercio, mas quis dar uma visão geral. E não apenas uma denúncia. Não sei o mercado que atua, mas os de móveis está um leilão só. Os clientes ficam de loja em loja só para pagar mais barato. Infelizmente com essa “gordura” as vezes o valor é muito diferente. Mas sempre indico ir no procon ver as lojas que estão com muitas reclamações, isso sim ninguém fala. Lojas boas são mais caras mesmos. E o Arquiteto tem que ser profissional, seja com amigo, seja com clientes normais.Normalmente cobramos menos dos amigos, mas isso acordo. normalmente o acordado sai caro, é melhor fazer o certo.
    Um grande beijo para a Cony, que já virou uma amiga. E espero que esse comentário seja aprovado.

    • Tio Lelo26/07/15 • 20h54

      Oi Michele,

      Obrigado pelo comentário, sobre a bagunça dos termos, já pedi pra Cony corrigir.

      Eu trabalho com mobiliário, mas tenho meu ateliê de design de interiores, então, assim como você eu sei que as boas lojas não pagam RT. e prefiro indicar estas também. Assim como você eu gosto de fazer a especificação e deixar o cliente pesquisar nas lojas que ele preferir e depois eu apenas confirmo caso haja alguma coisa que tenha que ser substituída.
      Parabéns pra você que informa seus clientes desta prática! Quero muitas de vc nesse mundo.

      Beijo!

    • Nath27/07/15 • 10h06

      Oi Lelo. Acho esse um assunto muito sério para ser tratado dessa forma. Sou advogada, mas se fosse arquiteta teria me ofendido. Já trabalhei como vendedora em uma conceituada loja de móveis, e quando o arquiteto não solicitava RT, o valor não era convertido em desconto para o cliente. Por óbvio, o valor já está embutido no valor do produto, e se não for para o arquiteto fica para a loja. Logo, o cliente sempre paga, tendo arquiteto ou não, é a lógica do mercado. Prefiro que seja pago ao arquiteto. Há loja que não paga RT, e nem por isso os arquitetos que conheço (inclusive o que projetou minha casa) deixam de indicá-la ao cliente. Eu, como cliente, prefiro comprar em uma loja que paga RT ao meu arquiteto do que em uma que não paga. Acho que vou usou de um raciocínio simplista que é facilmente descontruído com a seguinte lógica: se o arquiteto não vai receber RT da loja, vai então embutir no preço do projeto cobrado do cliente.
      Enfim, acho justo o pagamento do RT ao arquiteto, assim como o advogado recebe honorários de sucumbência além do valor contratual. É tb o caso da blogueira que ganha produto ou valor em dinheiro para indicar determinado produto ou serviço ao invés de outro.

      • Tio Lelo28/07/15 • 13h36

        Olá Nath,

        Agradeço sua participação. Eu concordo parcialmente com sua opinião.
        Mas deixe-me explicar que nos locais onde eu atuei (Brasília, Guarulhos, Chapada Diamantina, Florianópolis, São Paulo, Curitiba, Cascavel, Porto Alegre e, obviamente, Foz do Iguaçu) apenas uma única loja não reverteu a RT em desconto para meu cliente. Então eu recebi e descontei na ultima parcela do projeto. E não foi nem questão de marca, pois é uma marca que já especifiquei em diversas cidades, então foi opção do lojista local.
        Continuando, como eu disse no post, por um projeto meu, eu não cobro barato, eu cobro o justo. Eu não preciso de RT pra “complementar” meus ganhos, porque eu me capacitei e especializei pra desenvolver projetos. E quando me contratam, para acompanhar obra e defender o interesse do cliente.
        Na loja onde eu trabalho, o preço de partida de um produto é sempre o mesmo. Mas o desconto que eu tenho pra oferecer para o cliente é diferente quando estamos numa negociação com RT ou não, pois quando ele o arquiteto abre mão da RT ou quando não há um profissional envolvido ele vai receber esse desconto na negociação.

        O problema todo está em negar ao cliente a informação sobre esse comissionamento. Você conhece o mercado e conhece a prática. Mas sempre será mais barato pagar um bom projeto, do que pagar RT pro profissional, que alé do mais já não vai tratar do seu interesse, mas sim do interesse de ambos. ao meu ver essa é a diferença de um advogado. Eu pago um percentual para o advogado de mim, não de mim e de quem eu estou processando. Existe um conflito de interesses nesse formato de ambos pagarem.

        Como seria um advogado atuar como defesa e acusação num mesmo processo?

        Obrigado por expor seu ponto de vista, pelo carinho e por ler a gente =D

        BBT!

    • Marcelle27/07/15 • 11h29

      Então não justifica vc ganhar em cima de mim, além do que já paguei. Isso é opção minha. Não aceito isso de se o arquiteto não fala, o cliente tem o direito de perguntar. Como perguntaria algo que nem sabia que existia? Isso é errado.

    • MaH27/07/15 • 13h44

      Oi Michele… Como consumidora e cliente, achei bem inadequado da sua parte não garantir a assistência de quem quer pagar mais barato. Eu nunca ouvi falar dessa tal RT (apesar de já desconfiar que algum tipo de “propina” fosse paga ao arquiteto, porque a minha insistia em mandar o projeto só pra determinadas lojas), mas acho que todo cliente tem direito de procurar uma opção mais barata. Quando minha arquiteta fez o projeto dos móveis planejados, só indicou (e enviou o email com o projeto) pras lojas mais caras da minha cidade. E não, eu não queria fazer nas mais caras, quis procurar opções que coubessem melhor no meu bolso. E por isso ela não me deve mais assistência? Por que ela não ganhou a comissão dela? E o projeto, que eu paguei pra que ela fizesse?
      Na visão de consumidora, eu contrato um arquiteto pra me auxiliar no projeto. Onde eu irei executá-lo e quanto eu pretendo ou posso pagar por isso, é problema meu. Me enfiar uma loja mais cara, pra que o arquiteto ganhe mais ainda em cima de mim, é simplesmente não se importar com o cliente.

  18. Clarissa25/07/15 • 17h51

    Noossa!! ADOREI que você escancarou a bagaça toda!!! Eu fiz o projeto da minha casa com uma arquiteta aqui da cidade… Paguei o projeto, lórrico… Quando a fofa me entregou o orçamento dos móveis, meu marido teve um colapso nervoso pq dava quase metade do valor da casa… e era só os armários… e a cozinha já tava pronta!Pra encurtar… Euzinha, que não entendo patavina de arquitetura, fui fazer orçamentos sozinha… Aí a surpresa: o orçamento mais caro saiu MENOS DA METADE do que o orçamento da fofa! Demiti na hora! Agora tou eu mesma indo atrás de cortinas e tapetes… afff … que ódio!!!

    • Tio Lelo28/07/15 • 13h48

      Oi Clarissa,

      Peço desculpas pelas práticas alheias, meu intuito com essa postagem é fazer com que o consumidor tenha conhecimento pra chegar no profissional e dizer: Eu quero um projeto, bem completo porque eu vou escolher meus fornecedores e você não vai ganhar RT disso.
      Ou chegar e dizer: Olha eu não entendo nada, vou precisar de você comigo nas lojas escolhendo cada detalhe, então faz um valor legal no projeto, porque depois vamos nos seus parceiros você terá as RT garantidas.

      Eu acho que deveria ser assim.
      O que você acha, como consumidora?

      Obrigado pelo comentário.

      BBT!

  19. carla25/07/15 • 17h59

    Nossa! Brasil tem jeito sim! Todo lugar tem caixa dois, masssssssss ainda existem profissionais honestos e competentes e acima de tudo seres humanos de caratér. Cada um fazendo a sua parte, quem sabe um dia chegaremos lá. Parabéns Lelo! Amoooo seus posts!

    • Tio Lelo28/07/15 • 13h52

      Obrigado pelo carinho Carla,
      juntos vamos melhorar esse lugar lindo em que vivemos.

      Beijo!

  20. Leila25/07/15 • 18h12

    Sou engenheira civil e para ser bem sincera eu não conheço engenheiros que cobrem reserva técnica, mas arquitetos, todos os que eu conheço cobram, eles querem ganhar até em cima dos projetos complementares (estrutural, elétrico e hidráulico), quando indicam um engenheiro, eu não dou um centavo por me indicarem e sei que já perdi muito trabalho por isso. Aqui em Curitiba existe um prêmio para quem rouba mais do cliente, acreditam??? Quem ganhar mais dinheiro em cima dos outros ganha uma viagem e a pessoa que ganhou ano passado, ganhou no ano retrasado também, ela venceu, pq só em RT ela ganhou mais de 1 milhão de reais…isso mesmo, ela lucrou mais de um milhão e por isso ganhou uma medalhinha e uma viagem, pq trabalhou demais. Vamos nos dar as mãos e sair gritando no Brasil todo o quanto repudiamos esta prática.

    • Thaís Fernandes25/07/15 • 22h16

      Que tenso, gente! Tô chokita com todos os comentários!

    • alessandra faria26/07/15 • 08h28

      Também sou engenheira civil e aqui em BH nunca ouvi falar em RT ou bônus por indicar loja, mesmo porque para construir ficamos atentos mais às marcas do material, certo? E procuramos o depósito ou loja que venda aquele material pelo preço mais em conta. Pelo menos, até onde eu sei, é assim.
      Bjos

    • Tio Lelo26/07/15 • 20h59

      Leila, eu te amo!

      Infelizmente, aqui no interior do Paraná os engenheiros foram contaminados com a RT. Em menor quantidade, mas conheço muitos que cobram.
      E também temos os núcleos de decoração… com nomes pomposos que premiam profissionais de destaque… e tem troféu, e tem medalhinha e tem viagem como vc disse… e também tem capa de revista e matéria no jornal… assim sabe o que acontece, mais e mais clientes acham que estes são ótimos profissionais e ele continuam cada vez ganhando mais RT…

      é um câncer isso!

      obrigado pela participação.

  21. adri25/07/15 • 18h16

    Muito bom mostrar esse lado pra quem não conhece o mercado. Tem muitos arquitetos e decoradores da minha cidade que ganham viagens, carros e muito mais de lojas de decoração. Mas quem paga isso é o cliente toda vez que eles indicam esta loja só pelo prêmio e não pela qualidade e adequação do produto ao projeto.

    • Tio Lelo28/07/15 • 14h04

      Oi Adri,

      É difícil culpar só um. Porque se fosse uma premiação e tal pela parceria, pelo bom trabalho e tal, eu não vejo como um problema. Além de fazer um agrado pro profissional, a loja também promove o próprio produto, e digamos 5 premiados ao longo de um ano não é algo absurdo em valores, se dilui entre todas as vendas e não é um montante que lesaria o consumidor final…
      Agora, O cliente pagou o projeto, a loja pagou o profissional são dois pagamentos pelo mesmo serviço. Quando o cliente não sabe eu acho que a coisa tá errada.
      Obrigado pela sua participação,
      BBT!

  22. Alice25/07/15 • 18h27

    Aplausos para o Lelo!
    Vc derrubou a casinha de muitos arquitetos, pisou no calo desses que cobram RT dos lojistas!
    Atenção LONDRINENSES!!
    RT aqui no interiorrr é lei! Se vc não paga os estelionatários além de não indicar sua loja, eles falam mal!! É muuita cara de pau, tem aqueles que te ligam antes pq vão levar “tal” cliente e pedem para cobrar 10% a mais que, claro, vai para o bolso dos arquitetos! Respeito a classe de arquitetos, mas sou a favor da honestidade com o cliente e qualquer pessoa! Pq se agissem com honestidade, seria menos ruim, mas não, fazem escondido dos clientes, por baixo dos panos mesmo!
    #prontofalei #estelionatariosNAO

    • Tio Lelo28/07/15 • 14h09

      Oi Alice, quando eles só falam mal, tudo bem.
      Eu já cheguei em obra pra montar cozinha e o arquiteto tinha mandado colocar TODOS os pontos hidráulicos e elétricos diferentes do meu projeto, pra me fazer de incompetente.
      Mas eu tinha projeto com data assinado pelo mestre de obras e pelo cliente. Foi o que me salvou.

      Sem contar nos outros lojistas que aprontam coisas ridículas. Teve uma obra que a equipe de outra loja estava montando outro ambiente, e eles quebraram a saída de gás da ilha e colocaram a culpa em nós… a sorte é q o cliente tinha visitado a obra no almoço e tinha visto a gás inteiro, como não trabalhamos a tarde, no outro dia de manhã quando chegamos, ele estava junto e viu que alguém “bem intencionado” tinha feito o favor de invadir um ambiente fechado e danificar a tubulação.

      Boa sorte aí!

      Beijo!

  23. Luisa25/07/15 • 18h53

    O termo de responsabilidade do arquiteto pelo CAU é a RRT (Registro de Responsabilidade Técnica) e não Reserva Técnica

    • Tio Lelo26/07/15 • 21h03

      Oi Luisa,

      Obrigado pelo aviso, já pedi pra Cony corrigir.

      BBT!

  24. Kaa25/07/15 • 19h00

    Eu sou daquelas que queria muito contratar um arquiteto pro meu apê, mas o maridão aqui, que sempre soube dessa mesquinharia, disse que isso era feito por todos os profissionais e por esse absurdo a gente NÃO iria contar com um profissional pra embelezar nossa casa.
    Pq além de claro, custar uma fortuna desse jeito, a gente estaria contribuindo pra algo que não concordamos. E quantos pensam como a gente, né?! …quantos deixam de procurar um arquiteto por não confiar na idoneidade dessa classe profissional?!

    Então vc até pode ser odiado pelos corruptos, mas deveria ser agraciado pelos corretos por avisar que eles existem!
    Obrigada por abrir nossos olhos, Lelinhoooo!
    O que seria da gente sem vc, né?!
    Bezoooo

    • Tio Lelo28/07/15 • 14h19

      Oi Kaa!

      Obrigado pelo carinho, por sempre participar aqui e alegrar meu coração peludo =D

      Eu sou da época do “combinado não sái caro” então, o que eu peço pros meus colegas de profissão é transparência.

      Né?

      Beijo grande pra vcs aí!

  25. Bia25/07/15 • 19h12

    Realmente é um assunto polêmico. Não vejo problemas em aceitar reserva técnica, contanto que o cliente esteja ciente e deixando a critério dele decidir o destino dessa reserva (se ele quer este valor como desconto ou se aceita que o profissional fique com alguma porcentagem desse valor). Também não vejo problemas em cobrar menos por um projeto contando com o valor da reserva técnica, contanto que o cliente esteja ciente (tem cliente que até prefere!) e que a escolha do fornecedor não esteja condicionado a isso.

    • Tio Lelo26/07/15 • 21h05

      Olá Bia!

      Exatamente esse o meu ponto de vista. Informar o cliente é primordial…mas na prática, quase nenhum profissional informa e se for perguntado, ainda nega que recebeu .

      att

      Marcelo

  26. Anair Valênia25/07/15 • 19h31

    Parabéns pelo desabafo.
    Certamente os que cobram “reserva técnica” são os primeiros a jogar pedra nos políticos brasileiros, dizendo que são todos corruptos, mas não param para pensar que nós somos os políticos brasileiros, nós somos o povo brasileiro. Os corruptos desse país não são estrangeiros ou alienígenas, são os próprios brasileiros.
    DIGA NÃO À CORRUPÇÃO – em todas as esferas.

    • Carolina26/07/15 • 13h04

      Concordo com a Anair Valência: “DIGA NÃO À CORRUPÇÃO – em todas as esferas.”

      Parabéns pelo post!!

  27. Mari25/07/15 • 21h23

    Quando estava fazendo a minha casa (que nunca consigo terminar… :/ Rs), descobri esse negócio aí por acaso, aqui chama-se parceira. Achei um absurdo!

    • Tio Lelo28/07/15 • 15h21

      Oi Mari,

      Caso você tivesse fica sabendo pelo profissional, como seria sua impressão?
      Diferente né?

      obrigado pela participação!

      BBT!

  28. Claudia26/07/15 • 00h26

    Sou arquiteta e nao concordo com a tematica abordada no texto. Nao pelo fato desta ser divulgada para os clientes, mas pela maneira em que foi abordada, pois acredito que dessa forma so desvaloriza (ainda mais) o trabalho do aquiteto.
    Nao é porque arquitetos recebem rts que eles sao obrigados a indicarem lojas apenas que pagam rts. Acredito que deve ser procurado um profissional de boa indole, para que assim vc possa ter confianca que ele esta lhe indicando boas opcoes, e assim vc possa comparar orcamentos e possa fechar na empresa que mais lhe passar segurança e tenha melhor custo beneficio.

    • Tio Lelo28/07/15 • 15h27

      Olá Cláudia,

      Obrigado pela participação, entendo a maneira que você compreendeu o texto mas, não foi intenção desvalorizar nosso trabalho.
      O intuito é sim mostrar para os consumidores do nosso trabalho que eles podem estar sendo lesados, e que um bom profissional seria transparente.

      BBT!

  29. Aline26/07/15 • 01h26

    Olá,

    Bom, primeiramente precisa corrigir as informações do POST, RRT/ART são diferentes de RT como já disseram acima…

    A prática da RT é feita de forma errada pela maioria das lojas (principalmente as menores) e, não podemos generalizar, por alguns profissionais, infelizmente…

    Existem lojas honestas que o cliente indo com o arquiteto/design de interiores ou sem nenhum profissional o valor final da compra não muda, ou seja, eles tiram o valor da RT do lucro do lojista. E são lojas que o produto vai custar o mesmo preço seja aqui em SP, ou RJ ou BA… E não, elas não pagam 10%, pagam bem menos… afinal qual empresário brasileiro vai ficar tirando o lucro para dar de presente seja pra quem for…
    E são lojas que o profissional especifica o produto, independente de RT, porque são bons, possuem qualidade, design…etc!

    O que não pode acontecer e infelizmente acontece algumas vezes é o profissional especificar determinado produto para ganhar a RT daquela loja. Isso é ridículo e considero a minoria, porque graças a deus não tenho pessoas desse tipo participando do meu convívio, mas tenho uma amiga que contratou há alguns anos uma Design e a casa parece um showroom.

    Acho que como em toda profissão temos profissionais idôneos e ruins, o que não pode acontecer é abordar de forma que generalize, dizendo que 99,98% são profissionais que aceitam RT!
    A abordagem foi bem ruim, desculpa se você é arquiteto ou não, mas sua visão está bem restrita.

    Abordando outro lado, muitos não procuram um arquiteto por achar caro, mas geralmente o custo de um projeto sai em torno de 8 a 12% do valor da obra, se cobram menos o trabalho é o mesmo e pra custear escritório e funcionários o dinheiro precisa vir de algum lugar, por isso desvalorizando o profissional a prática dessas ações por alguns continuam, infelizmente!
    Afinal sempre vai ter gente se prostituindo, seja vendendo projetos, seja assinando uma receita para ser feita um laboratório X, enfim… qualquer profissão está sujeito a isso!

    Mas apenas para frisar que generalizar qualquer assunto não é legal! Fica a dica…

    Aline – Arquiteta e Urbanista e Design de Interiores.

    • Tio Lelo28/07/15 • 15h41

      Olá Aline,

      A questão colocada é que a RT deve ser informada ao cliente, eu antes de abrir meu ateliê de arquitetura e design trabalhei eu várias localidades do Brasil e da América Latina e estou expondo o que eu vivi. O local dos quais trabalhei que teve a menor taxa de RT, foi Brasilia, que pagaria 4%.
      Como eu falei em um outro comentário, uma única loja com a qual trabalhei não reverte a RT em desconto ao cliente, mas todas, sem exceção embutem a “taxa” no preço.
      Talvez no local onde você atua haja uma cultura diferente – e tomara Deus que essa cultura se espalhe – pois aqui, em 8 anos de mercado, dentro da mala direta que tenho com 470 profissionais eu tenho somente 4 que não aceitam RT. Então o número correto nem seria 99,8% mas na realidade 99,9%.
      Existem alguns tão abusivos que chegam a pedir 25% antes de enviar o projeto. Fico muito feliz que você e seu escritório sejam parte dos profissionais idôneos.
      Obrigado pelo comentário e por ler a gente,

      BBT!

  30. alessandra faria26/07/15 • 08h41

    Estou chocada com os comentários. Eu já tinha ouvido sobre isso vagamente, já que não atuo como engenheira civil e estou afastada do meio, mas não imaginava que era algo tão sério.
    A sorte de não se ter dinheiro é essa: jamais teria condições de pagar um arquiteto ou decorador.
    Me sinto aliviada… (estou falando de forma generalizada, sei muito bem que, como em todas as áreas, existem bons e maus profissionais)
    Reformei meu apartamento com meus conhecimentos em engenharia, fiz o projeto eu mesma. Reforma bem simples e pequena, na verdade. Várias vezes meu irmão me indicou uma decoradora e insistiu comigo. Eu bati o pé e não quis, pois o dinheiro que gastaria com ela daria para algo a mais na decoração.
    claro que meu ambiente não vai ficar phyno como se decorado por um profissional, mas quando se tem o dinheirinho contado, não dá para ficar fazendo gracinha e perdendo desconto para RT.
    Obrigada tio Lelo, por nos informar. Agora, o cliente tem a oportunidade de por as cartas na mesa e discutir projeto, preço, desconto e RT com arquiteto/decorador e loja.
    Bjos
    http://www.alessandrafaria.com

    • Tio Lelo28/07/15 • 15h50

      Oi Alessandra,

      Como eu falei ali mais para cima meu intuito com essa postagem é fazer com que o consumidor tenha conhecimento pra chegar no profissional e dizer:
      “Eu quero um projeto, bem completo porque eu vou escolher meus fornecedores e você não vai ganhar RT disso.”
      Ou chegar e dizer: “Olha eu não entendo nada, vou precisar de você comigo nas lojas escolhendo cada detalhe, então faz um valor legal no projeto, porque depois vamos nos seus parceiros você terá as RT garantidas.”
      Eu defendo que deveria ser assim. Porque aí o cliente está sabendo como funciona a questão, e não correndo um pagamento pelo submundo, em vielas escuras.

      Obrigado por nos ler e pelo comentário,

      BBT!

  31. Camila26/07/15 • 09h21

    Adorei a informação. Eu realmente não tinha nem noção disso. Foi muito explicativo. E lendo os outros comentários, entendi também a diferença das nomeclaturas. Parabéns!

    • Tio Lelo28/07/15 • 15h51

      Oi Camila!

      Na pressa e no ódio, acabei invertendo os termos, mas já foi corrigido. Agradeço a participação.

      Beijo!

  32. Bethânia Arquiteta26/07/15 • 10h21

    Palmas! Palmas!
    Sem mais o que falar! Assino embaixo!
    É bonito ver essa nova geração de arquitetos e decoradores que não aceitam RT!
    EU NÃO SOU VENDEDOR DE LOJA! EU VENDO PROJETO!

    • Tio Lelo28/07/15 • 16h08

      Oi Bethânia,

      Eu quero muito ainda sentar e tomar um café com vc! Adoro que nos acompanha e sempre e participa aqui!

      Então o que me preocupa mais é: esse profissional que ganhou do cliente R$ 2.750.00 pelo projeto de 50m2 e ganhou do lojista R$ 6.300,00 em RT de materiais e produtos…. Ele vai defender quem se tiver um problema com a obra?

      Beijo enorme!

  33. Sheila26/07/15 • 11h22

    Oi Lê-lo!
    Tenho uma arquiteta e designer de interiores, que já fez 6 projetos para a minha família…ela fazia o projeto, pesquisava os móveis e adornos, e indicava as lojas…em todos eles ,fomos as lojas, pesquisamos os preços, olhamos em outras lojas, e compramos onde tinha o melhor preço…
    Se eram peças exclusivas e amamos, compramos,se não colocamos algo parecido…
    Quanto aos móveis, negociávamos ate ter um preço acessível ,se não, levávamos o projeto , com o conhecimento da designer, a outra marcenaria que ela nem conhecia e fechávamos o negócio com um preço infinitamente menor….
    Ela não se importava, e continua trabalhando para nós..
    Um abraço!

    • Tio Lelo28/07/15 • 16h11

      Olá Sheila,

      Que bom que você tem uma profissional assim. Essa é a forma que todos deveriam trabalhar. Com certeza ela é uma profissional que não cobra “o mais barato possível” nos projetos. Ela sabiamente cobra o justo pelo trabalho dela e se mantém a trabalho do cliente.

      Obrigado pela participação =*

  34. Mel26/07/15 • 17h21

    Lelo, esse post lavou minha alma. Estou montando meu ap e depois de pagar o projeto pro arquiteto e ir nas primeiras lojas que descobri essa tal de RT. Sim, porque não sou da área e a arquiteta nada me falou. Só soube depois de tanto chorar desconto,quando uma vendedora confessou que não podia mais baixar o preço por conta da comissão. Pra mim essa prática é proibida pelo CDC. O cliente tá pagando sem saber. O problema é o CAU não fazer nada. Me senti enganada. E criei uma péssima imagem da profissão.

    • Tio Lelo28/07/15 • 16h16

      Oi Mel,

      Também vou pedir desculpa pra você pelo comportamento dos profissionais da minha área. Não são todos, mas são maioria. É inegável que sejam a maioria. Eu tenho certeza que o CDC vela isso, e não ache que a culpa está sobre o CAU, eles realmente estão brigando para criminalizar essa prática. Mas as pessoas que votam são justamente as mesmas que recebem, então a coisa está complicada. Por isso eu defendo o conhecimento. Quando o consumidor está informado, a coisa muda de figura. Tem clientes que entendem que esse pagamento fará com que o profissional trabalhe melhor, e concordam em pagar.
      Por isso, sejamos todos competentes e verdadeiros, vamos explicar para o cliente e deixar ele decidir se pagará ou não a RT.

      Obrigado por compartilhar sua experiência.

      Beijo!

  35. Gabriela26/07/15 • 19h16

    por isso não pago ninguem para fazer o que eu mesma posso fazer, seja arrumar ou decorar a minha própria casa…muito stress para pouco retorno

    • Tio Lelo28/07/15 • 16h21

      Oi Gabriela,

      Muita gente tem facilidade em decoração como você e não precisaria chamar algum profissional para esse trabalho.
      Mas não é só na decoração que a RT acontece, acontece na construção e em tudo relacionado. E você não pode fazer uma construção sem um profissional envolvido.

      Então estou contando como a coisa acontece, para que você não seja lesada.

      obrigado por ler a gente.

      BBT!

  36. Gabriela26/07/15 • 19h27

    Lelo, não tinha conhecimento que existia essa tal de RT. Vc está de PARABÉNS por trabalhar assim, realmente não acho digno de um profissional vender uma coisa pro cliente só pq terá benefícios com isso. Infelizmente, no nosso país muitas pessoas acham legal ser malandro e se dar bem em cima dos outros. Se todos no Brasil fossem honestos como vc (e eu) nossa qualidade de vida seria muito melhor. Estou comprando um apto agora e vou ficar de olho nessa tal de RT. Valeu.

    • Tio Lelo30/07/15 • 19h41

      Gabriela, parabéns pela casa nova!

      Com o conhecimento da prática, vc pode já pesquisar antecipadamente quem trabalha como e contratar alguém dentro do formato que vc preferir.

      Obrigado pela participação, Beijo!

  37. Nath27/07/15 • 10h09

    Oi Lelo. Acho esse um assunto muito sério para ser tratado dessa forma. Sou advogada, mas se fosse arquiteta teria me ofendido. Já trabalhei como vendedora em uma conceituada loja de móveis, e quando o arquiteto não solicitava RT, o valor não era convertido em desconto para o cliente. Por óbvio, o valor já está embutido no valor do produto, e se não for para o arquiteto fica para a loja. Logo, o cliente sempre paga, tendo arquiteto ou não, é a lógica do mercado. Prefiro que seja pago ao arquiteto. Há loja que não paga RT, e nem por isso os arquitetos que conheço (inclusive o que projetou minha casa) deixam de indicá-la ao cliente. Eu, como cliente, prefiro comprar em uma loja que paga RT ao meu arquiteto do que em uma que não paga. Acho que vou usou de um raciocínio simplista que é facilmente descontruído com a seguinte lógica: se o arquiteto não vai receber RT da loja, vai então embutir no preço do projeto cobrado do cliente.
    Enfim, acho justo o pagamento do RT ao arquiteto, assim como o advogado recebe honorários de sucumbência além do valor contratual. É tb o caso da blogueira que ganha produto ou valor em dinheiro para indicar determinado produto ou serviço ao invés de outro.

    • Bia28/07/15 • 21h20

      Exatamente, Nath! Para quem não conhece o ramo, isso não ficou claro, daí tanta revolta nos comentários. Em todas as profissões existem maus profissionais, mas o post citou apenas o pior cenário e pelo visto não há interesse por parte do autor em esclarecer alguns equívocos.

      • Bruna29/07/15 • 21h12

        Sugiro a retirada do post, pois quem não ler os comentários pode ainda sim se confundir.

        • Tio Lelo31/07/15 • 01h17

          Oi Bruna,

          Obrigado pela participação. A confusão dos termos já foi corrigida.
          E o post vai continuar no ar.

          Beijo!

      • Tio Lelo31/07/15 • 01h14

        Oi Bia,

        Obrigado pelo comentário =D
        Infelizmente o post não mostrou o pior cenário, expôs o mais frequente.
        Tão corriqueiro que existe um projeto de lei tentando acabar com a prática que se enquadra em diversos crimes do nosso código penal.
        Toda essa revolta não existiria se o assunto fosse discutido abertamente e o consumidor pudesse escolher pagar mais pelo projeto e seguir sozinho ou pagar um pouco menos, e ter um assessoramento vinculado a fornecedores parceiros.

        Obrigado por participar e desculpe a demora em responder, mas os comentários são moderados, e como a Cony está viajando e eu tenho outros afazeres, as vezes as coisas não acontecem no tempo que vocês desejam. Mas pode voltar nas colunas do Mi Casa Su Casa e você verá que eu respondi absolutamente todas as dúvidas num período de até 21 dias após a publicação da matéria – ou seja, eu cuido das postagens durante três semanas – depois eu vou ser feliz vida afora!

        Beijo!

      • Nath31/07/15 • 09h19

        Não é? Desrespeitoso à classe (que não é a minha, não sou arquiteta).

    • Tio Lelo31/07/15 • 01h03

      Oi Nath,

      Obrigado pelo comentário, entendo a forma que você expôs sua vivência. E quero deixar claro que pretendi insultar ninguém.
      Nos locais onde eu já trabalhei, como eu já mencionei acima nos comentários, apenas uma única loja não reverteu a RT que seria minha em desconto para meu cliente, como eu costumo solicitar.
      Eu trabalho em uma loja que representa diversas marcas e o preço de partida é sempre o mesmo. Mas o valor de desconto varia quando o cliente está acompanhado de um profissional que não abre mão da RT. No caso, praticamos 7% e esse valor é revertido em desconto ao cliente sempre. O meu intuito é que meus leitores nesta coluna, conheçam a prática, e possam definir junto ao arquiteto, decorador ou engenheiro… como é melhor trabalharem juntos.
      E como você mesma “calculou” se o arquiteto não receber RT ele vai embutir o valor no projeto. Mas é justamente pra isso que nós estudamos e nos especializamos.
      O trabalho do profissional de interiores – independente da formação – é projetar e fiscalizar obra.
      Eu não sou contra o formato de cobrar mais barato no projeto e receber RT. Eu sou contra o cliente não saber que a RT existe. Quem quiser Reserva Técnica pode e deve recebê-la, mas que seja transparente com o cliente.
      Eu não gosto de receber RT porque eu entendo que quando eu recebi (vamos imaginar uma historinha) R$ 2.750,00 por um projeto de 50m2 do cliente, mas recebi R$ 7.500,00 de comissão da loja de materiais de construção, CASO algo dê errado eu não vou atuar de forma unilateral. Não vou defender meu cliente que me contratou pra isso… eu vou no máximo, tentar uma solução média pra ambas as partes. Mas na prática o profissional faz a conta que a loja vai pagar RT sobre vários próximos clientes, e que aquele cliente, que já está descontente, vai demorar pra fazer um outro projeto.

      Me fiz claro? Quando vc, como advogada, recebe seus honorários e mais um percentual sobre o processo, vc está sendo somente defesa, ou somente acusação. Entende meu ponto de vista?

      Outro exemplo que vc deu, da blogueira/o que recebeu jabá por um produto, a partir do momento que ela/e diz: “Ganhei esse produto pra testar…” ou “A marca X me levou conhecer a fábrica em tal lugar…” eles estão dizendo abertamente que algo foi ganho, então você não está sendo enganada.

      Mais uma vez, o problema não é a RT, é o falo dela não ser mencionada.

      Beijo!

  38. Maria Augustha27/07/15 • 10h27

    Ótimo post! Parabéns!
    Sou arquiteta e também não concordo com a famosa “RT”.

    • Tio Lelo31/07/15 • 01h30

      Oi Maria Augustha!
      Agradeco compartilhar aqui da sua opinião.
      Eu acho que cada profissional deve definir se quer ou não receber, mas independente, ele deve informar o cliente.

      BBT!

  39. Pati Lima27/07/15 • 10h58

    Lelo!! Você é muitooooo Fufu!!! olha esse fala que eu te escuto!! sou sua Fã Tio!! Parabéns pelo post!!! Cony…..Você merece um beijo por nos apresentar o Lelo!!!

  40. Gabriella Machado27/07/15 • 11h25

    Cony, o início da matéria ficou confusa e fez confusão entre Anotação de Responsabilidade Técnica, prevista na Lei nº 6496/77, elaborada pelos engenheiros e o Registro de Responsabilidade Técnica, elaborada pelos arquitetos, as quais definem, para efeitos legais, os responsáveis pela obra ou serviço com outro assunto de cunho diverso que é a Reserva Técnica, a qual foi mencionada. Ressalta-se que esta não é regulamentada pelos CREA ou CAU.

    • Tio Lelo31/07/15 • 01h34

      Oi Gabriella,

      Obrigado pelo aviso, já corrigimos.

      BBT!

  41. Rê Moraes27/07/15 • 11h29

    Adorei a m**da no ventilador, mas tb qcho que tem que esclarecer a diferença de Reserva técnica com Registro de Responsabilidade técnica ou Anotação de Responsabilidade Técnica.

    Bjss

    • Tio Lelo31/07/15 • 01h36

      Oi Rê,

      Já corrigimos, depois eu reforço num próximo post.

      BBT!

  42. Diene27/07/15 • 16h50

    OMG! Post completo, com informação valiosa, sinceridade e honestidade! Parabéns Lelo, vc é o cara!

    • Tio Lelo31/07/15 • 01h42

      Oi Diene,

      Obrigado pelo carinho =*

      Volte sempre que tem birita!

      BBT!

  43. Marcella27/07/15 • 17h19

    apenas chocada com tudo isso!!

  44. Carol27/07/15 • 21h40

    Palmas pra você, é ótimo saber que não sou a única!odeio esse tipo de prática, sempre condenei e meus colegas de profissão me chamam de trouxa pra baixo, mas eu nao acho certo, acho desleal. Minha postura é igual a sua, dinheiro não é tudo nessa vida e um profissional que é completo cobra pelo seu trabalho e não por indicações. Parabens pelo desabafo, sucesso sempre.

    • Tio Lelo31/07/15 • 01h44

      Obrigado por compartilhar sua opinião Carol!

      Quero mais gente como vc no mundo!

      Beijo!

  45. Mariana mf27/07/15 • 21h55

    Parabéns excelente tema!!! Continue nos ensinando , estou aprendendo muito com suas orientações !!!

  46. Erica28/07/15 • 03h06

    Que vergonha dessas pessoas que vem nos comentários defendendo RT,com certeza já devem estar com o c* na mão sabendo que vai ter clientes mais espertos e a grana fácil não vai vir. Ganhem pelo trabalho honesto, pelo que cabe sua profissão! Parabéns mesmo, de pé e aplaudindo o alerta!!! E por favor, sinta-se vontade para mais desabafos. Bj.

  47. Raiza28/07/15 • 08h36

    Agora entendi pq as arquitetas que meu noivo e eu contratamos para reformar nosso apartamento “fugiram” de nós!
    Contratamos elas para um projeto de reforma do apartamento (pago bem antes da reforma), e no momento de comprarmos os pisos e demais revestimentos, fomos com elas no local por elas indicado.
    Com certeza se amargaram, pois como pagamos à vista, meu noivo “chorou” tanto desconto (um excelente desconto, por sinal!) que devem ter ficado sem esse RT (que eu sabia que existia essa “parceria” mas não sabia que tinha esse nome).
    No momento de fazer os móveis planejados, como não fomos na loja em que elas indicaram, elas simplesmente sumiram! Tivemos vários problemas com o projeto delas (ainda na fase de obras!!) e elas não retornavam e-mails e ligações e não as encontrávamos no escritório.
    Pagamos por um serviço que não foi 100% satisfatório e no momento que mais precisamos, não tínhamos a “ajuda” (coloquei entre aspas pq não é ajuda, e sim obrigação do trabalho prestado) pois ficou claro o aborrecimento em não ter feito os móveis no local indicado.
    Profissionais sem ética tem em todo o canto, e vc fez certo, Marcelo! Temos o direito de saber. Transparência sempre!

    • Tio Lelo01/08/15 • 00h03

      Oi Raizaaaaaa!!!

      Obrigado por seu relato. Como eu disse no post e nos comentários, a transparência é fundamental.

      BBT!

  48. Ana28/07/15 • 12h13

    Bom dia Lelo

    Sempre leio o blog mas nunca havia comentado. Hoje, lendo esse post, os comentários e sendo arquiteta, me senti com vontade de comentar.
    Tenho escritório de arquitetura e interiores e, confesso, no início pegava RT, não por maldade, mas porque vim de estágios onde essa prática era comum e, como a faculdade não orientou sobre vida profissional de verdade, achava que era o “normal”, tanto que nunca exigi ou indiquei lojas por causa disso, apenas pegava quando a loja/marceneiro ligava dizendo o valor que tinha para me repassar (para ver que a prática está enraizada, hoje você chega em uma loja e a primeira coisa que falam quando descobrem que vc é arquiteto é: “pagamos comissão de tanto”… parece que a primeira coisa que eles tem que fazer é mostrar a vatagem($$$) que você vai ter se indicar aquilo). Porém, quando comecei a entender mais da profissão em si, a ler códigos de éticas, me atualizar sobre o nosso Conselho (CAU) descobri que essa prática é condenada sim e parei. Hoje sei que o preço do meu projeto não é barato, porém deixo sempre claro para o cliente que existe a tal RT e que não trabalho com isso.
    Mas por que realmente vim comentar? Li alguns comentários de pessoas revoltadas com a classe como um todo, dizendo que é bom saber disso para não contratar aquilo que podem fazer sozinhas. Fiquei com pena que um post tão bom, que serviria de orientação, foi interpretado por alguns dessa forma. Contratar um serviço de arquitetura ou interiores não é jogar dinheiro fora, é antecipar em projeto os seus desejos e ver como aquilo ficará. Isso evita muita dor de cabeça e problemas. Já tive muitos clientes que vieram me procurar depois de “fazerem sozinhos” e não gostarem do resultado. Acabou que gastaram duas vezes. Contratar o profissional desde o começo teria gerado uma economia, e não um gasto fútil, não é?
    Espero que o resultado final do seu post seja o de orientar, de mostrar para nossos clientes que isso existe e fazer eles questionarem os profissionais. Dessa forma o mercado começará a ficar mais justo, porque o que acontece muito hoje é perdermos projeto para preços “melhores”, mas que pegam RT. Qual a vantagem?

    Parabéns pelo desabafo.

    • Tio Lelo01/08/15 • 00h13

      Oi Ana!

      Vc sintetizou tudo que eu quis dizer, tenho vontade de te abraçar.
      O que aconteceu foi exatamente isso. Os lojistas começaram oferecer vantagens, os profissionais foram assimilando e repassando para os novos profissionais, as faculdades não abordam isso de uma forma ética e explicativa… Então a coisa simplesmente vai se repetindo.
      Eu não concordo com a RT pois ela vai contra o serviço de fiscalização que o profissional deve junto ao cliente, mas isso é uma opinião minha. E acho que cada um deve decidir se receberá ou não.
      O que pra mim transforma a RT em uma forma de crime, é o cliente não saber da existência, por que assim ele está sendo lesado.

      Beijo!

  49. silvana28/07/15 • 16h06

    Não conheço sua coluna, mas vou conhecer a partir de agora. Tenho paixão por gente honesta, direta, evoluída como você, e adoro decoração, mesmo sem entender nada. Parabéns!

    • Tio Lelo01/08/15 • 00h15

      Oi Silvana, obrigado pelo comentário, por deixar seu carinho aqui pra gente.

      Beijo grande !

  50. Camila Carvalho28/07/15 • 21h55

    Poxa obrigada pelo esclarecimento agradeço em nome de todas as pessoas que foram ou iriam ser lesadas…parabéns e que o seu post tenha muitas visualizações, e obrigada tambem por ser uma pessoa que tem atitude pra mudar o que não acha correto no país ao invés de simplesmente sentar e apontar somente!

    • Tio Lelo01/08/15 • 00h20

      Obrigado Camila =D

      Fico feliz com suas palavras.

      Beijo!

  51. Monique29/07/15 • 03h07

    Corrupção é quando acontece com os outros. Com a gente é vantagem, agradinho, esperteza….E bota na conta do cliente…Também acontece na minha área (médica) e fico impressionada como tem gente que defende! Agora que estou organizando meu casamento, estou às voltas com essas parcerias obscuras em fornecedores….Triste!
    Gente faz favor o certo é DESIGNER de interiores né !

    • Tio Lelo01/08/15 • 00h24

      Parabéns pelo casório Monique!

      Obrigado por deixar seu comentário.

      Beijo!

  52. Bia29/07/15 • 09h26

    Lelo, UAU!! Parabéns pela sua sinceridade, pelo seu posicionamento claro, pela argumentação coerente. Já admirava seus textos e sua honestidade, agora então… vc se superou. Se souber de alguém montando casa super te indico. É reconfortante saber que tem bons profissionais no mercado. Parabéns mesmo. Muito sucesso.

    • Tio Lelo01/08/15 • 00h27

      Obrigado Bia!

      Fico feliz que acompanhe a coluna e que seja alguém que me acompanha em querer um mundo mais transparente.

      Beijo!

  53. Patricia29/07/15 • 19h45

    Oi Lelo, estou comprando um terreno pra construir minha casa e sou de Foz, vc poderia me dizer onde fica seu escritório? Já mandei e-mail mas ninguém me respondeu. Obrigada!

    • Tio Lelo31/07/15 • 01h23

      Oi Patricia,

      Já localizei seu email, amanhã faço contato. Desculpe a demora.

      BBT!

  54. Silvia31/07/15 • 16h29

    Discordo. Cobro projeto, cobro rt e dependendo da obra, cobro administração também. Os lojistas precisam de arquitetos, você deveria tratar-nos com o respeito que merecemos. O celulat toca o dia inteiro e somos as costas largas dos fornecedores. Meus clientes sabem em contrato dos meus ganhos, me apoiam e inclusive defendem minhas reservas. RT é responsabilidade. É ser seu cliente frente aos fornecedores. É fazer propaganda da empresa. É parceria. Lojista que boicota rt, perde o designer. Nós sonos o ano inteiro, somos 20 obras. O cliente é uma obra só. Repense quem você deve apoiar. Europa e Estados Unidos, onde também atuo, as reservas chegam a ser de 25%. Assunto infeliz, divulgado de forma equivocada e uma afronta a classe.

    • Tio Lelo01/08/15 • 00h36

      Oi Silvia,

      Obrigado pela sua participação.
      Talvez pela temática… polêmica… tenha te passado despercebido que na matéria eu digo que cada profissional deve cobrar como achar melhor. Projeto ou projeto + RT.
      O que é condenável e que o CAU está se esforçando para tornar crime – é o cliente não saber da existência deste comissionamento. Como você mesma disse, em seus contratos você especifica seus ganhos, tanto que seus clientes te apoiam. Este é exatamente o formato que eu exemplifiquei que eu utilizo. Eu deixo o cliente optar pela forma que eu receberei, com ou sem RT.

      BBT!

  55. Silvia31/07/15 • 16h40

    E aos comentarios do tipo: ganhem pelo seu trabalho, sugiro passar um dia dentro de uma obra, em pé, sem agua e nem banheiro, muitas vezes descarregando materiais do nosso proprio carro, para tornar realidade o sonho de alguém. Sonhos custam caro. E clientes são muito difíceis de conseguir. Manter uma carreira com mais de 25 anos, sem nunca ter ficado sem serviço, não é qualquer profissional. Saber se valorizar é o primeiro passo para uma carreira de sucesso. Existem empresas e empresas. Como a Nath em cima falou, rt não é 10% sobre o orçamento, é um valor pago pelo trabalho realizado. Sobre fazer sozinho pra economizar a rt, fiquem a vontade. Nem todo mundo valoriza arte. Arte é para poucos. Um abraço.

  56. Melina Portugal02/08/15 • 00h48

    Não estou construindo e nem reformando, mas sempre gosto de ler sua coluna pelo seu jeito divertido de escrever.
    Parabéns pela atitude e pela coragem de expor um assunto tão delicado.
    E pelo teor de certos comentários aqui, acho que tem gente com medo de perder a viagem de férias patrocinada…

  57. lucianaGaril02/08/15 • 12h22

    chocada com a resposta da Silvia… afirmações muito contraditórias …
    se diz ‘ É ser seu cliente frente aos fornecedores.’

    vc entao vai defender o seu cliente e ir de contra o lojista ???????????
    de quem vc vai tomar partido?

    pq vc mesma diz: “Nós sonos o ano inteiro, somos 20 obras. O cliente é uma obra só.”

    ora, essa pessoa deve ser a mesma que acha terrível um empreiteiro pagar um percentual a petrobras para conseguir o serviço…

    E DISCORDO com convicção do que fala de outros países…Meus pais tem apartamento em Miami e quando foi decorado ( 2008) nem de longe nos deparamos com a atuação que eh feita aqui no Brasil.

    pelo modo de escrever e reafirmar a autovarizacao nota-se a postura arrogante…

  58. Irla04/08/15 • 14h23

    Oi Lelo, adoro seus posts, leio todos, aliás sou leitora assídua de todo o blog, sempre fico com vontadezinha de comentar mas acabo deixando pra lá, mas dessa vez é diferente né, muito, muito obrigada por abrir os nossos olhos. E vc se fez entender em todo o post e em todos os comentários viu?, não houve contradição alguma, e desde o primeiro momento vc esclareceu sobre a confusão das siglas. Eu acho a sua profissão, assim como a dos engenheiros civis, importantíssima, e sonho um dia poder projetar minha casa e meus móveis, e essa informação que você nos trouxe será muito importante na hora de decidir com qual profissional realizar a obra. Obrigada Lelo, Deus te abençõe!!! (saindo totalmente do assunto, possfalá? quando nunca ouvimos a voz da pessoa, a gente lê o post com uma voz imaginária, e sempre leio o seu com a voz do Cristian Pior kkkkkkkkk, podre né?, espero que não se ofenda, te adoro, vc tem um senso de humor incrível!)

  59. Tio Lelo05/08/15 • 21h47

    Irla, eu tô rolando de rir com essa sua ligação da voz dos meus posts com do Cristian Pior, HAHAHHAHA

    MAs ó, se vc quiser me ouvir : http://www.paraguaipink.com.br/2015/06/13/sigma-pinceis/ não me responsabilizo por traumas tá!

    Obrigado pelo carinho e por ler o blog tá 🙂

    Bjo grande!

  60. Danieli Furtado10/09/15 • 10h48

    Parabéns pelo post, trabalho em uma loja de planejados no interior de São Paulo região de Campinas, além de todos exigirem RT eles ainda falam mal de sua loja se você não der.
    E quando os clientes iludidos não sabem da prática e acham que eles estão ajudando sem ganhar, muitos falam olha não comenta nada com cliente sobre RT, e ainda vem na loja e escolhem o mais caro logico né.

  61. D D T16/09/15 • 11h57

    Tem um outro ponto de vista, já trabalhei dos 2 lados e RT é apenas um agradecimento pela indicação, a loja q repassa isso para o cliente é q está errada, normalmente vem da “gordura” do valor, a margem q a loja tem para negociar, muitas vezes até se conversa com o profissional se pode baixar um pouco a RT para chegar no valor q o cliente quer. Normalmente o Arquiteto/Engenheiro tem q redesenhar o material para se enquadrar nos padrões (modulação) de cada loja e isso tem gasto de tempo/dinheiro tbm. Agora se chegar alguém exigindo uma comissão de 25% do valor, qual é o problema de dizer não?

  62. Luanna14/04/17 • 21h43

    Boa noite,sou vendedora de móveis planejados e formada em Designer de Interiores.Hoje estamos em crise política devido à propinas.Então me sinto conivente ao trabalhar para profissionais de arquitetura e designer (alguns)que as vezes não fazem nem lay aut e ficam só interessados na RT de 10%, e todos sabem que moveis planejados não é barato.Por favor pessoa vamos divulgar ajudar à todos a serem mas honestos!

  63. marilia03/07/18 • 19h51

    que todos saibam disso,conheço uma arquiteta que faz parte do pool design e que todas as lojas indicadas por ela aumenta em 10% o valor de tudo o que é comprado lá para dar ao arquiteto,o cliente além de pagar o projeto o acompanhamento de obra ainda tem que arcar com essa despesa,e ainda reclamam dos políticos corruptos